Cidades

Segunda-Feira, 27 de Maio de 2019, 16h:18 | Atualizado: 27/05/2019, 18h:25

Na Seduc

Se houver corte de ponto, greve será por tempo indeterminado, diz Sintep - vídeo

Servidores da Educação, que entraram em greve nesta segunda (27), protestaram em frente à secretaria Estadual de Educação (Seduc), em Cuiabá, nesta tarde. A categoria afirma que o governador Mauro Mendes (DEM) não tem manifestado interesse em dialogar sobre as reivindicações da classe - veja, abaixo, live feita pelo Rdnews.

Rodinei Crescêncio

Em ato na frente da Seduc, professores gritam palavras de ordem e cobram negociação com o Governo Mauro

Em ato na frente da Seduc, centenas de professores gritam palavras de ordem, criticam perda de direitos e cobram negociação com Governo Mauro Mendes

 A decisão sobre a greve dos servidores estaduais de Educação foi tomada no último dia 20, na assembleia geral da categoria. Entre as reivindicações estão a posse de aprovados no último concurso, melhores condições de infraestrutura nas escolas e novos equipamentos pedagógicos, pagamento da Revisão Geral Anual (RGA) e o cumprimento da lei da Dobra do Poder Compra (510/2013), que prevê reajuste no salário dos servidores da educação para equipará-lo às outras categorias.

Rodinei Crescêncio

Presidente do Sintep, Valdeir Pereira

Presidente do Sintep, Valdeir Pereira, discursa em manifestação e diz que não há diálogo

O presidente do Sintep-MT, Valdeir Pereira, afirmou que, desde o anúncio da greve, o governador não manifestou interesse em conversar com a categoria. “Primeiro, o governo duvidou que os trabalhadores fossem entrar em greve. Agora, tem que entender que há greve e não pode usar discurso de terra arrasada”, disse, em alusão ao decreto de calamidade financeiro, assinado em janeiro.

O sindicalista cobrou que seja apresentado cronograma de quando o Executivo poderá cumprir com "seus compromissos com os servidores”.

Em relação à possibilidade de corte de ponto dos grevistas, conforme cogitado pelo Executivo, o presidente disse que o Sintep poderá recorrer da medida na Justiça. “Mas, de todo modo, é uma forma muito infeliz, porque cria um transtorno e compromete ano letivo dos estudantes”.

“Se o corte de ponto acontecer em Mato Grosso, essa será uma marca totalmente negativa que o governo Mauro Mendes carregará consigo, porque foi buscado todo o processo de conservação com ele. Esperávamos que avançasse na pauta, mas se ele for reprimir com o corte de ponto, a categoria reagir com greve por tempo indeterminado”, asseverou.

Segundo o presidente do Sintep, o principal objetivo da paralisação é tentar dialogar. "Segue por tempo indeterminado".

Cerca de mil pessoas participaram do protesto contra as medidas do governo em relação à Educação. Entre eles havia servidores como professores e técnicos. O ato teve a presença de líderes sindicais e os manifestantes caminharam até a Casa Civil, nas proximidades da Seduz.

O Sintep informou que ainda está fazendo um levantamento sobre quantas escolas estaduais aderiram ao movimento. Em Cuiabá, conforme a entidade, 63 das 74 unidades estaduais paralisaram as atividades nesta segunda.

Galeria: Protesto na Seduc

Na rede estadual, há cerca de 390 mil estudantes. Conforme o Sintep, ainda não há levantamento sobre quantos alunos estão sem aula. A expectativa é de que a categoria realize outras manifestações. Na próxima quarta (30), os servidores estaduais deverão se juntar a instituições federais do Estado em ato a favor da Educação.

Outro lado

A Seduc informou que ainda está fazendo um levantamento sobre quantas escolas ficaram sem aulas nesta segunda. A secretaria ainda não emitiu um comunicado referente à greve iniciada nesta segunda.

Postar um novo comentário

Comentários (11)

  • Bolão | Terça-Feira, 28 de Maio de 2019, 14h18
    5
    0

    O Governo federal não aceitou o estado de calamidade pública decretado pelo MT, fonte: https://g1.globo.com/mt/mato-grosso/noticia/2019/04/21/governo-federal-nao-reconhece-o-estado-de-calamidade-financeira-decretado-em-mt.ghtml Existe dinheiro sim, o problema é a má gestão do Estado que está dando isenções fiscais bilionárias para o Agronegócio e grupos empresariais. Um levantamento da Federação Brasileira de Associações de Fiscais de Tributos Estaduais (Fenafisco) mostra que os incentivos fiscais em Mato grosso cresceram 4 vezes mais que a arrecadação com o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) em 6 anos. De 2012 a 2018, o Estado aumentou em 28% a arrecadação do ICMS, mas as renúncias fiscais tiveram um aumento de 139%. Nesse período, a arrecadação do ICMS no estado sai de R$ 9,4 bilhões para R$ 12,1 bilhões. Já os incentivos fiscais era R$ 1,4 bilhão e fecharam o ano passado com R$ 3,5 bilhões. Esses incentivos foram maiores que os valores previstos na lei orçamentária de 2018 para a saúde (R$ 1,8 bilhão), educação (R$ 3,3 bilhões) e segurança pública (R$ 3 bilhões). fonte: http://www.gazetadigital.com.br/editorias/politica-de-mt/incentivo-fiscal-cresce-4-vezes-mais-que-arrecadao-em-mt/579358

  • Dr em Educação | Terça-Feira, 28 de Maio de 2019, 09h29
    4
    2

    Querem melhoria na educação? Acabem com esses sistema demoníaco e mascarado chamado Ciclo. A culpa da má posição do estado no quesito qdd educacional nada e haver com a competência dos professores, e sim com as políticas públicas e o descaso das próprias famílias com a educação de seus filhos, no ciclo o aluno em progressão automática até o Ensino Médio, pq ele vai estudar, se dedicar, ter trabalho em aprender se será projetado à série posterior automaticamente, independente das habilidades desenvolvidas pelo mesmo. Outá coisa, quem está aí a reclamar, só me responda uma coisa, quantas horãs por dia passa ao lado do seu filho ajudando-o com as tarefas de casa e apoiando os estudos. Projetar a responsabilidade das famílias e do estado em um professor que passa 2 horas com um aluno não é ignorância e burrice!!!!! Acorda Imbecil!!!!

  • Sandro Roberto | Terça-Feira, 28 de Maio de 2019, 08h46
    3
    8

    Hum! Querem ficar de greve não ter o ponto cortado, assim é fácil ser grevista, quero mais , luto por esse mais , mas não quero enfrentar consequências de próprios atos no exercer ao meu direito de greve. ASSIM É FÁCIL, TEM QUE CORTAR SIM E QUANTO MAIS FICAREM , MAIS HAVERÁ CORTE, A VITÓRIA É FEITA COM SACRIFÍCIOS, ENTÃO FAÇAM O DE VCS..

  • alexandre | Terça-Feira, 28 de Maio de 2019, 07h59
    0
    7

    é o sintep, tem professores querendo dar aula, mas se a escola decidir pela greve, ninguem trabalha...

  • Nascimento | Terça-Feira, 28 de Maio de 2019, 07h24
    1
    10

    GREVE SEM CORTES DE PONTO É FÉRIAS. SE QUISESSEM LEGITIMIDADES OS PRÓPRIOS PROFESSORES EXIGIRIAM O CORTE.

  • Antonio | Terça-Feira, 28 de Maio de 2019, 07h13
    1
    10

    Se não trabalha, não tem de pagar. Greve mais sem sentido nesse momento.

  • MADALENA | Terça-Feira, 28 de Maio de 2019, 04h39
    9
    2

    Não consegui passar no concurso né?? Por quê tanta magoa é ódio dos professores ?? Faz o seguinte fica uma semana dando aula em uma escola sem água e sem banheiro, sem ar , sem ventilador? Depois vc comenta sobre a greve querida!

  • ALC | Segunda-Feira, 27 de Maio de 2019, 20h55
    7
    16

    Os "educadores" querem mais salário sem apresentar resultados? Eu chamo isso de loucura! Governador, não dê moleza, eles colocaram a nossa educação em 21º lugar e recebem o 3º melhor salário da classe. Querem ganhar mais? Coloque o estado de Mato Grosso entre os dez primeiros colocados. E, antes que comece a choradeira, a culpa não é da infraestrutura, é da falta de formação intelectual! Sugiro o seguinte ao governador: aplique uma prova de português, com exercícios de gramática e interpretação de texto. Garanto que menos da metade acertará mais que 50% da prova. Querem direitos? Então cumpram com o simples dever de se autoeducar.

  • alexandre | Segunda-Feira, 27 de Maio de 2019, 20h03
    5
    12

    Vai haver corte de ponto, tá amparado no STF, a greve será julgada ilegal, as demandas são corretas, mas o momento é ruim...

  • Carlos | Segunda-Feira, 27 de Maio de 2019, 19h33
    4
    9

    Quem manda são os professores ou o sintep?

Diversos cortes nas despesas da AL

eduardo botelho curtinha 400   Num período em que o Legislativo praticamente parou, assim como o Judiciário e órgãos vinculados aos Poderes, como TCE e MPE, o presidente da AL, deputado Eduardo Botelho (foto), tomou decisão correta ao cortar gastos enquanto perdurar a pandemia do coronavírus. Entre as...

Governador está tenso e preocupado

mauro mendes 400 curtinha   O governador Mauro Mendes anda tenso e preocupado. Mesmo já tendo adotado uma série de medidas de prevenção, inclusive consideradas radicais, ele não dorme direito por causa das projeções nada otimistas de aumento nos próximos dias de casos de coronavírus em...

AL aprovará empréstimo de R$ 550 mi

A Assembleia aprovou, na convocação extraordinária desta sexta (27), dispensa de pauta para a mensagem do Executivo que pede autorização para contrair empréstimo de R$ 550 milhões junto à Caixa Econômica. O recurso será aplicado na construção de pontes de concreto em diversos municípios. Agora, a matéria entra na pauta e será aprovada pela maioria dos deputados na próxima segunda (30),...

Queda nas receitas e o salário regular

emanuel pinheiro 400 curtinha   Prefeitos de um modo geral vão conseguir pagar a folha do funcionalismo de março, na próxima semana, sem tantas dificuldades. Já para abril, a tendência é que passem apurados para manter os vencimentos em dia, por causa do reflexo negativo da pandemia do coronavírus,...

Galvan, afronta à legislação e multa

antonio galvan 400 curtinha   O presidente da Aprosoja-MT, Antônio Galvan (foto), que tentou, mas acabou desistindo da disputa ao Senado, está sempre envolvido em polêmicas, seja nas demandas do agronegócio, seja no cotidiano da política. A mais recente é que ele, juntamente com outros produtores, está...

Destaque nas ações anti-coronavírus

leonardo bortolini leo 400 curtinha   O prefeito de Primavera do Leste Leonardo Bortolin (foto) vem recebendo elogios e ganhou o noticiário nacional por medidas práticas, céleres e seguras no atendimento à população, em meio aos cuidados para prevenção ao coronavírus. Desde a semana...

ENQUETE

facebook whatsapp twitter email

Você concorda com a decisão de prefeitos, que começam a decretar estado de emergência, fechando comércio, serviços públicos e o transporte coletivo?

sim

não

sei lá!

Não se trata de pesquisa eleitoral, mas de um mero levantamento de opiniões de leitores do RDNews e do Blog do Romilson, com participação espontânea dos internautas. Resultado sem valor científico.