Cidades

Quinta-Feira, 06 de Agosto de 2020, 13h:34 | Atualizado: 10/08/2020, 11h:19

APOSENTADORIA EM MT

Sindicatos vão chiar, mas tem que cortar gordura, diz presidente da Fecomércio

v

Wenceslau Júnior, presidente da Fecomércio durante entrevista ao vivo à jornalista Lídice Lannes, do RDTV, comenta necessidade de cortes em MT

O responsável pelos altos preços no comércio local em comparação com outros estados, segundo o presidente da Fecomércio, seriam os gastos com pessoal. Wenceslau Júnior voltou a defender a aprovação da Reforma da Previdência na Assembleia durante entrevista ao RDTV nessa quarta (5). Comentou ainda a reação dos sindicatos que ameaçaram boicote às empresas ligadas à entidade.

Para o empresário, “o estado é pesado” e acredita que os servidores seriam privilegiados em detrimento da iniciativa privada. “Queremos isonomia que é a iniciativa pública ter os mesmos direitos da privada. Vemos servidores que ganham R$ 30 mil, R$ 40 mil e com todos os direitos preservados, duas férias ao ano e ele aposenta com o salário integral”.

Wenceslau, que se articula para disputar a Prefeitura de Cuiabá, defende redução da carga tributária e considera que é o contribuinte quem está pagando caro. “É esse peso da máquina do estado que obriga o cidadão a pagar uma das cargas tributárias maiores do país”.

A Reforma da Previdência dos servidores do Estado que tramita na Assembleia gerou embate entre a Fecomércio e sindicalistas, que chegaram a emitir nota de repúdio à entidade pedindo que os servidores boicotem empresas ligadas à Fecomércio.

Em nota, 28 entidades que representam servidores públicos de todas as áreas, assinaram o texto em que questionam a legitimidade da Fecomércio em se manifestar sobre o assunto. O texto lembra o caso de Pedro Nadaf, que já presidiu a Fecomércio, que “foi preso por corrupção e delatado em vários esquemas de concessão de renúncias fiscais fraudulentas, inclusive para o setor que outrora representava”, diz trecho.

Mas a manifestação da entidade não gerou incômodo para o presidente da Fecomércio. “Tem que cortar gorduras e quem está na máquina, vai chiar. Os sindicatos que se pronunciaram, ameaçaram boicotar as empresas dos diretores da Fecomércio contra minhas empresas eu vejo como normal”.

Postar um novo comentário

Comentários (7)

  • Francisco | Sábado, 08 de Agosto de 2020, 13h04
    0
    0

    Chega de privilégios no poder público! Parabéns Wenceslau pela postura, e por não ter medo dessa intimidação de quem tem o dim dim todo mês na conta.

  • Competente | Sábado, 08 de Agosto de 2020, 13h01
    0
    1

    Parabéns Wenceslau pela postura! Vamos pra cima.

  • araqueto | Sábado, 08 de Agosto de 2020, 07h55
    2
    0

    Não é o servidor público que ganha bem, que ganha um salário alto. É a iniciativa privada que paga mal, usurpa o trabalhador e quer ter lucro de 100% do que é produzido. O salário mínimo pago ao trabalhador brasileiro é esmola, migalhas que não dá para pagar um plano de saúde, porque o dinheiro vai para pagar alimentação. Dizer que o servidor público ganha bem é uma mentira, é a iniciativa privada que paga mal a seus empregados.

  • clovis | Sexta-Feira, 07 de Agosto de 2020, 08h09
    16
    2

    mais um cara de pau querendo culpar servidor publico pelos problemas causados por políticos corruptos de mt , outro demagogo que vive mamando nas tetas da fecomercio.

  • alexandre | Sexta-Feira, 07 de Agosto de 2020, 06h19
    13
    0

    Isso é nos poderes de legislativo e judiciário, ninguém no executivo ganha 30 mil ,2 férias é no MP.. não pode prejudicar todos, por causa de alguns.

  • Amaral antunes | Quinta-Feira, 06 de Agosto de 2020, 14h15
    2
    0

    Amaral antunes, Há expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas. Queira, por gentileza, refazer o seu comentário

  • Gil | Quinta-Feira, 06 de Agosto de 2020, 13h45
    24
    0

    A roubalheira desenfreada , sonegação de impostos estes sim são os vilões para que estado não estabilize nunca, existe salarios muito altos como descrito a maioria em outros poderes com legislativo, judiciário esse ninguém fala em cortar duodécimo milionário. Quem gasta os salários na sua empresa são na maioria servidores públicos .

Reconhecimento de um governo ruim

pedro taques 400   Pedro Taques (foto) recorreu a uma observação feita pela mãe, professora Eda Taques, de que fora melhor senador do que governador. No horário eleitoral, o candidato ao Senado, agora pelo SD, menciona a frase da mãe para, em seguida, dizer que reconhece que sua atuação em...

Apoiado por deputados bolsonaristas

jose medeiros 400 curtinha   Um dos vice-líderes do Governo Bolsonaro na Câmara, o deputado José Medeiros (foto), do Podemos, vem recebendo apoio na disputa ao Senado de vários parlamentares bolsonaristas. O chamado núcleo duro do presidente no Congresso Nacional está com Medeiros, entre eles os deputados...

Justiça barra ficha suja em Poconé

clovis martins 400   A Justiça Eleitoral barrou em Poconé o ex-prefeito Clovis Damião Martins (foto), considerado ficha suja. Está inelegível por oito anos. Filiado ao PTB, ele foi condenado pelo TCU por irregularidade insanável que configura ato doloso de improbidade administrativa. Enquanto...

3 estão fazendo pesquisa em Cuiabá

Três institutos de pesquisa entraram em campo na capital nesta semana para levantar as intenções de voto para prefeito. São eles: Malujoa Comunicações, que geralmente divulga os resultados no site Olhar Direto; a Voice Pesquisas e Comunicação, do site Midianews; e Real Time Big Data. A Voice poderá tornar públicos os números apurados da pesquisa a partir de segunda (26), enquanto os outros dois estão autorizados...

Marino enaltece Leitão para o Senado

marino franz 400 curtinha   O empresário e ex-prefeito de Lucas do Rio Verde, Marino Franz (foto), anunciou apoio a Nilson Leitão (PSDB) para o Senado. Disse que conhece o candidato tucano de longa data, desde quando este foi prefeito de Sinop e assegura que Leitão é preparado, representa muito bem a região e o...

Magali de fora em General Carneiro

magali vilela 400   A ex-prefeita de General Carneiro, Magali Vilela (foto), que se lançou novamente à disputa ao Executivo, foi barrada pela Justiça. Teve o registro indeferido, já que está inelegível por ter sido condenada à suspensão de seus direitos políticos em...