Cidades

Sexta-Feira, 27 de Novembro de 2020, 16h:08 | Atualizado: 28/11/2020, 09h:04

EDUCAÇÃO

Defensoria recomenda que Seduc não feche escolas antes de audiência pública

sala de aula

A Defensoria Pública de Mato Grosso recomenda que a Secretaria de Estado de Educação (Seduc) não feche nenhuma escola antes da realização de audiência pública com a sociedade e órgãos de proteção à criança e ao adolescente. Ao , o secretário Alan Porto, titular da pasta, explicou que prevê o fechamento de 19 escolas que não teriam condições estruturais de atender alunos e professores. A medida faz parte de um reordenamento escolar feito pela atual gestão.

Nesta quinta (26), Grupo de Atuação Estratégia em Defesas de Direitos Coletivos de Educação Pública (Gaedic Educação), da Defensoria, encaminhou ofício requisitando informações à Seduc sobre o fechamento das 19 unidades. A pasta tem sete dias para enviar a resposta ao ofício. O documento tem caráter de notificação recomendatória e foi encaminhado ao secretário Alan Porto e ao governador Mauro Mendes (DEM).

Da Assessoria

Defensora p�blica Tathiana Franco

Defensora pública Tathiana Franco diz Gaedic Educação quer saber impacto do fechamento

“Diante das últimas notícias veiculadas na mídia de que a Seduc tem por objetivo o fechamento de 19 escolas no Estado, o Gaedic Educação requisitou informações para que apresente estudos sobre os impactos que esse ato trará aos estudantes da rede pública, especialmente os riscos de lotação em outras escolas nesse período preocupante de pandemia e também sobre a possibilidade de aumento da evasão escolar”, afirmou a defensora pública Tathiana Franco.

A coordenadora do Gaedic Educação defende que nenhuma providência seja tomada antes de uma ampla discussão do assunto com a sociedade, incluindo as instituições de defesa da criança e do adolescente. “A DPMT também recomendou à Secretaria que não tome nenhuma medida antes da realização de uma audiência pública para que o tema seja debatido com a sociedade e com outros órgãos de proteção à criança e ao adolescente, como é a Defensoria Pública”, declarou.

Solicitações

Por meio de ofício, o Gaedic Educação solicitou informações sobre estudos referentes aos impactos dessa medida para os alunos e funcionários das escolas, notadamente no que tange a evasão escolar.

A DPMT também requisitou que sejam informadas quais unidades receberão eventuais alunos e funcionários advindos das escolas fechadas, indicando número de alunos a ser acrescido a cada turma e diagnóstico de possível lotação.

Além disso, pediu um estudo sobre o transporte público municipal para verificar a capacidade das linhas que contemplam as escolas receptoras de receber esses novos usuários com a manutenção da qualidade na prestação do serviço público em condições de regularidade, continuidade, eficiência e segurança.

Por fim, o Gaedic Educação recomendou a realização de uma audiência pública por videoconferência para que seja ouvida a sociedade civil, informando a Defensoria Pública para que possa participar do evento, e que não seja efetivado o fechamento de nenhuma escola antes da apresentação das informações requeridas e discussão com a população sobre o tema.

Além de Tathiana, assinam o ofício os defensores públicos Nelson Gonçalves Júnior, Cleide Nascimento e Bethania Dias, membros do Gaedic Educação.

Entenda o caso

Na última quarta (25), o secretário de educação, Alan Porto, confirmou a desativação de 19 escolas em audiência pública na Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT).

O gestor foi chamado à Casa de Leis justamente para esclarecer dúvidas sobre o fechamento das escolas. Segundo Porto, a medida faz parte de um projeto de reordenamento para garantir a qualidade e a melhor infraestrutura para a comunidade acadêmica.

Na audiência, que contou com a presença de deputados, membros do Sindicato dos Trabalhadores de Ensino Público de Mato Grosso (Sintep-MT) e servidores dos Centros de Educação de Jovens e Adultos (Cejas), o secretário negou o fechamento de 300 escolas no Estado, como havia apontado o parlamentar Lúdio Cabral (PT).

Postar um novo comentário

Comentários (1)

  • Lindomar pedra 90 | Sexta-Feira, 27 de Novembro de 2020, 18h53
    1
    5

    Defensoria é igual palavra de Bolsonaro. Não valem nada. Tem que fechar mesmo. Coronavirus mostrou serem dispensáveis. Sociedade farta de pagar impostos para sustentar esses professores que recebem sem trabalhar com desculpa de coronavirus.

Setores vivem tensão e são castigados

Gilberto Figueiredo Artigo O governo acerta ao estender o horários de funcionamento dos supermercados. Afinal, desde que o decreto entrou em vigor, as filas se multiplicaram pela Capital, aumentando o risco de transmissão do novo coronavírus. Há a expectativa de que novas medidas possam ser tomadas diante do evidente colapso da...

Limpeza e obras no entorno da Arena 

Beto 2x1 400 curtinha   Apesar da Arena Pantanal ser um cartão postal do Estado, o entorno do estádio vive situação crítica com lixo nas ruas, episódios de esgoto à céu aberto e matagal. O secretário estadual de Esporte e Cultura, Beto 2 a 1 (foto), em visita ao Rdnews, assegura que os...

VI de R$ 18 mil garantida na Câmara

A verba indenizatória de R$ 18 mil para os vereadores da Câmara de Cuiabá está garantida, pelo menos por enquanto. Depois de diversas ações judiciais, derrubando a alta indenização por gastos do mandato, os vereadores implantaram o benefício novamente em dezembro. O Ministério Público entrou com nova ação para declarar a verba inconstitucional. Um dos problemas é a falta de prestação...

Efeito-Covid adia vinda de Michelle

michelle bolsonaro A primeira-dama de Cuiabá, Márcia Pinheiro, e a secretária da Mulher, Luciana Zamproni, resolveram transferir para abril a agenda de 11 de março que teria como convidada a secretária nacional de Mulheres, do Ministério dos Direitos Humanos, Cristiane Britto e a primeira-dama do Brasil Michelle...

Governador entre a cruz e a espada

mauro mendes curtinha   Às vésperas da pandemia completar 1 ano em MT, o Estado vive o seu pior momento e o governador Mauro Mendes (foto) enfrenta uma verdadeira prova de fogo: liderar ações coordenadas em todo o território mato-grossense para evitar que o Estado viva cenas parecidas com as de Manaus e de Estados...

Câmara volta a realizar 2 sessões

juca 400 curtinha   A Câmara de Cuiabá, sob a presidência do vereador Juca do Guaraná Filho (foto), volta a realizar duas sessões semanais, nas terças e quintas. Por conta da pandemia, as sessões serão remotas. A resolução foi aprovada por unanimidade pelos parlamentares que vinham...