Cidades

Sábado, 18 de Maio de 2019, 08h:17 | Atualizado: 19/05/2019, 08h:20

MÃE BONIFÁCIA

Esgoto do Quilombo e Duque de Caxias deságua no parque, polui e causa odor

Coisas de Mato Grosso

Parque M�e Bonifacia

Parque Mãe Bonifácia é uma unidade de conversação ambiental de 77 hectares no coração da Capital e recebe esgoto de 2 bairros vizinhos historicamente

Rodinei Crescêncio

esgoto mãe bonifácia

Reportagem registra espuma branca que forma no córrego dentro do parque, sinal de poluição da água que era pura

O forte odor de esgoto é perceptível por quem caminha pelo lado sul do Parque Mãe Bonifácia – uma unidade de conversação ambiental de 77 hectares no coração da Capital. Na reserva, passa um córrego de mesmo nome da área que se junta ao riacho do Ribeirão do Lipa (e que vai desaguar no rio Cuiabá). É ele que apresenta coloração mais escura, espuma branca proveniente da poluição e cheiro fétido. Usuários do parque lamentam o problema que é crônico.

O passou uma tarde no Mãe Bonifácia verificando a reclamação. O córrego que corta o parque já traz a poluição produzida pelos moradores do bairro Quilombo e Duque de Caxias, segundo fontes ligadas à administração da reserva ambiental. Há lançamento direto de esgoto no riacho que passa dentro da unidade de conservação.

Segundo secretário de Meio Ambiente e Desenvolvimento Urbano de Cuiabá, Juares Silveira Samaniego, há o lançamento de esgoto dos imóveis, dos bairro Duque de Caxias e Quilombo, na galeria pluvial que é ligada aos córregos. “O que ocorre na maioria dos córregos de Cuiabá é isso: o esgoto vai para galeria e da galeria vai para o rio”, explica.

A rede de galerias pluviais é usada para escorrer a água da chuva, que normalmente desemboca em córregos ou rios da cidade. “Mas as pessoas fazem fossa, filtro ou sumidouro e ligam na galeria”, aponta o secretário. O esgoto sem tratamento é um dos que cai no córrego que passa pelo Parque Mãe Bonifácia.

O córrego que corta o Mãe Bonifácia (que vai desaguar no rio Cuiabá) é formado por outros dois cursos d’água, segundo mapa hidrográfico do Ministério Público de Mato Grosso (MP). O primeiro vem de uma nascente localizada na avenida São Sebastião, passa ao lado do ginásio do no bairro Quilombo e segue em linha reta em direção ao parque. O segundo vem do bairro Duque de Caxias e já traz todos os poluentes produzidos do bairro antes de encontrar o primeiro riacho.

Segundo o gerente jurídico da Águas Cuiabá, Allan Machado, a região não possui rede pública de esgoto. “Onde não houver rede pública, o morador precisa dar uma destinação adequada do esgoto que gera”, disse. Ou seja, cada imóvel precisa dar uma solução individual por meio de fossas sépticas, sumidouros e até mini estações de tratamento.

A concessionária não responde pela fiscalização ou por acompanhar o lançamento de esgoto nos córregos, já que esta é uma atribuição da Prefeitura que possui o poder de polícia para multar e repreender a população.

O promotor Gerson Barbosa também reforça a obrigação dos moradores quanto ao esgoto produzido por eles próprios. “Eles são obrigados a ter o tratamento individual para depois dar uma destinação final”, pontua.

Solução

Mas o problema do esgoto, que é lançado no córrego que passa pelo Mãe Bonifácia, possui uma solução. De acordo com Allan, existe um TAC firmado com o Ministério Público que prevê a instalação e ampliação do sistema de coleta e esgoto para a região. A medida não vai atender exatamente o parque, mas vai beneficiar o curso d’água.

A região vai ser beneficiada com a construção de uma grande estação de tratamento de esgoto. A previsão é que a nova estação funcione próximo de onde vai ser montado o parque Dante de Oliveira ao lado do córrego que dá nome ao bairro. O anúncio foi feito pelo diretor geral da Águas Cuiabá, Luís Fabriani, durante a reativação da Estação Elevatória de Esgoto da Prainha, dia 7, na Orla do Porto.

O TAC em questão, que foi firmado em 2016, prevê a universalização do sistema de esgoto e do acesso a água. Segundo a Prefeitura de Cuiabá, o prazo para universalizar o saneamento básico é de janeiro de 2020 até dezembro de 2024 com investimento de R$ 950 milhões. A previsão é as obras iniciem dentro desse período, após a conclusão das obras para a Estação de Tratamento do sistema Dom Aquino. Até dezembro, a estimativa é que o tratamento de esgoto cubra dos atuais 33% para 61%.

A Secretaria Municipal de Ordem Pública ressalta que o cidadão que deseja comunicar uma situação para fiscalização do poder público municipal o telefone é o 3616-9614 de segunda à sexta, das 8h às 18h. Após a apresentação da denúncia, os respectivos departamentos abrem procedimentos administrativos para averiguação e providências dos autos.

Postar um novo comentário

Comentários (2)

  • Adaildon E M Costa | Sábado, 18 de Maio de 2019, 10h24
    5
    0

    É necessário e urgente a intervenção do Ministério Público para a solução definitiva deste grave problema. É urgentissimo a necessidade de acionar a Prefeitura, o estado, as construtoras e inquilinos para que acabem com esta vergonha para os mato-grossenses, ou seja, o esgoto correndo a céu aberto no inferior do Parque Mãe Bonifácia. SOS !!!

  • Cuiabano | Sábado, 18 de Maio de 2019, 08h32
    7
    0

    O horto Florestal, está com esse mesmo problema o esgoto da MRV corre [a céu aberto, por dentro do horto, e nenhuma reportagem.

Matéria(s) relacionada(s):

Prefeitos e dinheiro público com shows

marquinhos do dede curtinha   Algumas prefeitos estão aproveitando datas comemorativas, como o aniversário de seus municípios, para promover farra artística com dinheiro público. Em Paranatinga, por exemplo, o prefeito Marquinhos do Dedé (foto) autorizou gastar R$ 115 mil em dois shows dentro da...

Possível duelo entre Pátio e Sachetti

adilton sachetti curtinha   Em 2008, Adilton Sachetti (foto) era prefeito de Rondonópolis e, com a máquina a seu favor, tentou a reeleição e, mesmo assim, foi derrotado por Zé do Pátio. No próximo ano, 12 anos depois, os dois devem se enfrentar de novo nas urnas. Agora em posições...

Situação de emergência na MT-100

As péssimas condições de trafegabilidade da MT-100, agravadas por ingerências e irresponsabilidade de empreiteiras que fizeram obras pela metade, levaram o governo estadual a decretar situação de emergência no trecho entre Torixoréu e Pontal do Araguaia e sob interferência da Defesa Civil. Com isso, está sendo possível executar obras paliativas sem licitação, uma forma de amenizar o transtorno,...

Após governador, prefeito vai à Bolívia

francis maris curtinha   Duas semanas depois do governador Mauro e dois secretários terem ido à Bolívia tratar da comercialização do gás e do fornecimento de ureia para MT, o prefeito de Cáceres Francis Maris (foto) e sua vice Eliene Liberato vão fazer igual. Ambos ficarão 10 dias em...

Articulação rumo ao Palácio Alencastro

cidinho curtinha   Continua repercutindo nos meios sociais, políticos e empresariais a festa do ano realizada em Cuiabá, na última quarta, pelo ex-senador Cidinho (foto). Para comemorar o cinquentenário e Bodas de Prata com a esposa Marli Becker, ele recebeu mil convidados, desde grandes empresários do PIB...

Câmara, Misael, corte de VI e pepino

misael galvao curtinha   Sobrou para o presidente da Câmara de Cuiabá, Misael Galvão (foto), o pepino de providenciar o corte de uma fatia generosa da VI dos vereadores por Cuiabá. Isso porque, o Supremo decidiu que os parlamentares poderão receber, a título de reembolso, até 60%  dos...

ENQUETE

Tramita na Câmara Federal o projeto 832/2019, do deputado José Medeiros, requentando uma proposta de 2007 do então deputado Jair Bolsonaro, propondo extinguir o Exame da Ordem como exigência para inscrição na OAB e, assim, poder exercer a profissão. O que você acha disso?

Concordo - esse Exame tem de acabar

Discordo - bacharel precisa, sim, se submeter ao Exame

Sei lá!

Não se trata de pesquisa eleitoral, mas de um mero levantamento de opiniões de leitores do RDNews e do Blog do Romilson, com participação espontânea dos internautas. Resultado sem valor científico.