Cidades

Domingo, 10 de Novembro de 2019, 07h:40 | Atualizado: 10/11/2019, 16h:53

FUGA

Insegurança espanta motoristas de app das noites em VG; clientes ficam na mão

Passageiros de Várzea Grande estão praticamente pegando pelo "laço" os motoristas por aplicativos, como Uber e 99 POP, que aparecem nas telas de seu celular, principalmente no período noturno. Isto por que eles estão deixando de circular na cidade, principalmente pelo sentimento de insegurança. A confirmação é do presidente da Associação dos Motoristas por Aplicativos de Mato Grosso (AMA/MT), Cleber Cardoso. “Várzea Grande é o terror do momento. A segurança que, nós não temos, gera esse pânico nos motoristas. Por isso, o pessoal evita andar lá”, justifica.

Assessoria

Vis�o a�rea da cidade de V�rzea Grande no per�odo noturno, quando motoristas t�m mais medo de circular na cidade

Visão aérea da cidade de Várzea Grande no período noturno, quando motoristas têm medo de circular na cidade. Clientes acabam ficando sem transporte

Como consequência, os clientes ficam sem transporte particular para passeio ou trabalho. O presidente da AMA/MT ressalta que, a partir das 23h, os motoristas começam a mudar de tática. "Passou das 10h da noite, praticamente ninguém quer ir mais. Ficam com nervosismo". Nesses casos, ele descreve que, quando algum motorista vai deixar um cliente em Várzea Grande, ele desliga o aplicativo e volta para Cuiabá. Relata ainda que os passageiros já perceberam, por isso, “quando dá 22h, já tão pedindo o carro de volta".

Rodinei Crescêncio

Cleber Cardoso

Cleber Cardoso, presidente da AMA/MT, relata que motoristas têrm medo de assaltos

A estudante e motorista Valéria Pinheiro, de 24 anos, afirma que, quando a corrida é na cidade, a maioria deles não vai – as exceções seriam para a região central e para o Aeroporto Marechal Rondon. Ela reconhece que colegas de profissão estão deixando de ir a muitos bairros (de Várzea Grande) por risco de assaltos. “Têm aumentando muito. Tá complicado”, disse.

Os números, entretanto, não confirmam a sensação da trabalhadora. Segundo a secretária de Estado de Segurança Pública (Sesp), Várzea Grande conseguiu reduzir, nos noves primeiros meses de 2018 para 2019, em 26% os crimes de homicídios, 7% os de roubos e 6% os de furtos. Mesmo com isso, os motoristas têm motivos bem concretos para sentir medo.

Em março deste ano, o motorista Anderson Marcelo Lopes Caldeira morreu baleado aos 28 anos, enquanto fazia uma corrida em uma região conhecida como “estrada do lixão”, no bairro Serra Dourada. Chegou a ser socorrido e levado ao Pronto Socorro da cidade em estado grave, mas não resistiu aos ferimentos. O caso teve muito repercussão entre os colegas de profissão.

Cleber diz que um dos defeitos é a pouca quantidade de policiais para atender toda a cidade. "Lá é bem menos do que em Cuiabá. Eu percebi isso daí". Mas, apesar disso, o presidente reforça que motoristas e militares mantêm contato constante e que a força policial "não mede esforços para nos atender".

Outro ponto destacado ainda pelos motoristas de aplicativo é a falta de infraestrutura na cidade. Eles evitam também andar por Várzea Grande pela quantidade de buracos e falta de asfalto em ruas e avenidas. Isto porque andar pelo município aumenta a necessidade de se fazer manuntenção e reparos nos veículos.

Passageiros ficam "na mão" com fuga

Arquivo Pessoal

Willian moradora em VG. Ele trabalha a noite tem dificuldade para conseguir transporte

Willian é morador de Várzea Grande. Ele trabalha à noite em Cuiabá e diz ter dificuldade para conseguir transporte

As histórias de motoristas que se sentem inseguros de rodar por Várzea Grande já se tornou conhecida entre os passageiros da cidade e também de Cuiabá. Mas a "fuga" causa uma consequência para quem precisa do serviço.

Passageiros ficam "na mão", quando os ônibus passam a circular menos, e é necessário transporte particular para sair de casa para quem não tem carro ou moto.

É o caso do estudante e freelancer Willian Costa, 22 anos. “Eu passo essa situação toda vez que eu vou trabalhar”, afirma.

Morador do bairro Mapim, ele conta que “é uma dificuldade muito grande” encontrar carros disponíveis na noite várzea-grandense, já que pega no batente às 21h em bares ou festas, que ficam em Cuiabá. “Dificulta bastante porque tenho horário para chegar. Então, sempre tenho que pedir um Uber meia hora antes do horário normal só para ter certeza que eu não vou chegar atrasado”, disse à reportagem.

Lógico que tem um preconceito contra VG, mas Cuiabá tem suas regiões bem ruins

Willian Costa

O estudante acrescenta que os motoristas demoram a aceitar uma corrida e, em seguida, cancelam após ver a região do ponto de partida. “Tem situações dessas que eu já estressei com um Uber uma vez”, relata. Ele precisava sair para o aniversário da avó, mas nenhum motorista aceitava a corrida. Conta que ficou mais de vinte minutos esperando e, por fim, resolveu fazer o trajeto de 2km a pé e de noite.

Quando abre o aplicativo, Willian pontua que aparecem bem poucos carrinhos. “No máximo cinco, estourando”, avalia. Mas o estudante Aleffe Leite, 20 anos, afirma que, quando precisa de transporte particular para sair de sua casa, no bairro Parque do Sabiá, sempre aparece alguém. “Nunca atrapalhou”, disse.

“Moro no bairro perigoso. Quando preciso de um motorista por aplicativo, sempre teve alguém para aceitar a corrida e veio. Essa dificuldade eu ouço de amigos que precisam pegar Uber ou outro aplicativo mais tarde da noite em algum bairro mais distante”, acrescenta.

Apesar da insegurança geral, Willian rechaça que Várzea Grande seja tão perigosa. “Não da maneira como eles falam. Depende muito, muito mesmo. Se for comparar locais perigosos, ambos têm, Cuiabá e Várzea Grande”. E fala até em preconceito contra a cidade. “Lógico que tem um preconceito contra VG, mas Cuiabá tem suas regiões bem ruins. Só que preferem lá”, conclui.

Postar um novo comentário

Comentários (3)

  • Lucas ferreira sena | Sábado, 21 de Março de 2020, 06h57
    0
    0

    Esse aplicativo e o mesmo 99 ?

  • Elson Oliveira | Domingo, 10 de Novembro de 2019, 12h12
    1
    0

    E cadê o Estado que deveria garantir a segurança?? Quer dizer que, se moro na quebrada (em Cuiabá ou VG, a insegurança é a mesma), não tenho direito de usar os aplicativos de transporte?? Queremos segurança, pra gente e para os motoristas!!

  • Tonho Almeida | Domingo, 10 de Novembro de 2019, 08h38
    4
    0

    Até baguncinha é assaltado a noite em Vg e Cuiabá, imaginem o resto.

Licença da PRF para disputar eleição

Arthur Nogueira_400_curtinha   As eleições municipais e ao Senado continuam inflacionando o número de pré-candidatos. O ex-superintendente da PRF, Arthur Nogueira (foto), anunciou que se afastou das atividades policiais para colocar o seu nome à disposição da Rede para concorrer a vaga da senadora...

Possível recuo de Fábio pra prefeito

fabio garcia 400 curtinha   O ex-deputado federal, primeiro-suplente do senador Jayme e presidente estadual do DEM, Fábio Garcia (foto), faz mistério sobre encarar ou não a corrida pela Prefeitura de Cuiabá. Empurrou a decisão para a próxima semana, sem precisar data e horário. O dirigente do...

Fórum aponta traição de 3 deputados

joao batista 400 curtinha   Fórum Sindical está na bronca com os deputados que aprovaram a reforma da Previdência, mas voltam seus canhões com mais força contra 3 deles: João Batista (ex-presidente do Sindispen), Delegado Claudinei e Faissal Calil. Em nota, o Fórum dispara que se elegeram com os votos...

Vereadora cacerense vira opção à vice

valdeniria 400 curtinha caceres   Em Cáceres, a vereadora de cinco mandatos Valdeniria Dutra Ferreira (foto), do PSC, está sendo cortejada pelos principais pré-candidatos a prefeito. Todos querem-na de vice da chapa. Até Paulo Donizete, que entrou na disputa majoritária apoiado pelo prefeito Francis Maris, passou...

Selma deve mesmo deixar o Podemos

selma arruda 400 curtinha   Para evitar um novo pedido de expulsão do Podemos, Selma Arruda dá sinais de que deixará o partido nos próximos dias. A ex-senadora, que preside o Podemos de Cuiabá, foi "convidada" a deixar a sigla após demonstrar resistência em apoiar a pré-candidatura do deputado...

Arco de alianças define vice de Eliene

eliene liberato 400 curtinha   A professora e vice-prefeita de Cáceres, Eliene Liberato (foto), pré-candidata do PSB à sucessão municipal, disse que a definição do nome para vice de sua chapa só sairá na pré-convenção. Até lá, o amplo arco de alianças...

ENQUETE

facebook whatsapp twitter email

O Governo de MT estuda retomada das atividades escolares presenciais possivelmente em agosto ou setembro. O que você acha?

Estou de acordo

Não - aulas não podem voltar por agora

tanto faz

Não se trata de pesquisa eleitoral, mas de um mero levantamento de opiniões de leitores do RDNews e do Blog do Romilson, com participação espontânea dos internautas. Resultado sem valor científico.