Cidades

Quinta-Feira, 03 de Outubro de 2019, 18h:24 | Atualizado: 03/10/2019, 18h:35

EDUCAÇÃO

Professores organizam aula pública em praça em defesa da educação gratuita

Assessoria

Ato defesa educa��o p�blica

Durante ato na praça Alencastro, em Cuiabá, manifestante defende universidade pública

Professores e servidores da educação se reuniram na tarde desta quinta (3) para um ato público na praça Alencastro, em Cuiabá. A atividade faz parte de uma paralisação de 48 horas da categoria, que começou na quarta (2) e tem como objetivo dialogar com a sociedade a respeito da importância do ensino público gratuito e os cortes recentes que atingiram a Pasta. 

O diretor-geral da Associação dos Docentes (Adufmat) da UFMT, Aldi Nestor de Souza, explicou que no local foi realizado uma aula pública. Entitulada como "A solução é alugar o Brasil?", a atividade tem como objetivo chamar atenção para as consequências do programa Future-se, que permite participação da iniciativa privada nas instituições públicas. 

Na manhã de hoje, a categoria fechou uma das guaritas que dão acesso à UFMT, o protesto também faz parte do calendário de atividades das 48 horas de paralização dos professores do ensino superior público. De acordo com Aldi, a sociedade tem agido de maneira "lastimável" com relação as notícias e protestos sobre os cortes na educação pública. 

"Qualquer que seja o ato, é evidente que a população reage. A sociedade tem reagido sim, tem diso que a universidade é lugar de vagabundos, maconheiros e esquerdistas, que deveria ser fechada mesmo e entregue para a iniciativa privada. Isso aumenta nosso trabalho, entendemos que a população não compreendeu, até agora, qual o papel da educação pública", disse. 

Conforme o diretor geral da Adufmat, a paralisação leva em conta todas as áreas da educação. Para Aldi, o sentido da universidade pública é ser um lugar que desenvolve ciência e pesquisa sem vínculos com a iniciativa privada, que, de maneira geral, busca lucro a curto prazo. De acordo com ele, a sociedade paga os impostos para manter o ensino gratuito, mas, tem como contribuição avanções científicos, atendimento médico gratuito em hospitais universiários e formação de profissionais. 

Descongelamento da verba da Educação 

Após anunciar o descongelamento, o ministério da Educação (MEC) liberou R$ 15,9 milhões a UFMT. Em nota, a universidade informou que o valor representa 15% do orçamento que estava contingenciados desde abril. Mas, mesmo com o repasse, a categoria acadêmica ligada à instituição resolveu paralisar as atividades por 48 horas, protestar e dialogar com a população. 

De acordo com a UFMT, a verba da instituição não é suficiente para arcar com gastos após o mês de outubro. Agora, 85% do orçamento total estão disponíveis, restando 15% congelados. "A UFMT possui ainda R$ 18 milhões contingenciados aguardando por novas liberações", diz trecho do posionamento oficial. 

Galeria de Fotos

Credito: Assessoria
Credito: Assessoria

Postar um novo comentário

Comentários (2)

  • Marcos Antonio | Sexta-Feira, 04 de Outubro de 2019, 08h10
    4
    1

    Alguém precisa avisar para esse povo que não existe almoço grátis, balbúrdia sim. Para um estudar sem pagar, tem outro trabalhando para pagar. Por isso, ensino gratuito só justifica até o básico. Ensino superior tem que ser pago por quem está estudando. Simples assim!

  • LUCIO FLAVIO GARCIA | Sexta-Feira, 04 de Outubro de 2019, 06h50
    3
    1

    eu defendo que os professores deem bons exemplos aos alunos,como não pintar os cabelos de cores berrantes,como não fazerem arruaças nas greves, como não fazer greve por qualquer coisa, como ensinar o conteudo das devidas disciplinas e não fugir do assuntos curriculares pra pregar socialismo barato nas salas de aula.....Aviso.. ja fui por muitos anos professor...

PSD reforça nome de Flávio em VG

selleman mathias 400 curtinha psd vg   Chamou a atenção a presença do presidente do diretório do PSD, em Várzea Grande, Selleman Mathias (foto), no lançamento da candidatura do empresário Flávio Vargas (PSB) à sucessão da prefeita Lucimar Campos, nesta quarta. Ao que tudo...

Selo Amiga dos Animais pra empresas

misael galvao 400 curtinha   A Câmara de Cuiabá, sob Misael Galvão (foto), vai conceder o selo Amiga dos Animais para 20 empresas. Até o final do ano será realizada uma sessão solene para condecorar representantes dessas empresas. E também estão previstos a entrega da Ordem do Mérito...

Fecomércio vai à AL por menos ICMS

jose wenceslau 400 curtinha   O presidente da Fecomércio, José Wenceslau Souza Junior (foto), revelou nesta quarta, numa live ao RDTV, tv web do portal Rdnews, que vai procurar os deputados para reabrir o debate sobre a pesada carga tributária praticada em MT. Ele recorda que no final de 2019, o governo estadual alardeava que...

Gestores multados por irregularidades

arivaldo 400 curtinha   Dezenas de prefeitos e ex-gestores estão sendo multados por não enviar ao TCE prestação de contas periódica, informações e documentos obrigatórios, o que é considerado falha grave. Arivaldo Medeiros de Santana (foto), prefeito de São José do Povo,...

O "pai" da destruição de documentos

jose riva 400 curtinha   Na sua delação premiada, o ex-presidente da AL, José Riva (foto), acusa o presidente do TCE, Guilherme Maluf, de ter sumido com provas que incriminavam deputados quanto ao uso de suprimentos de fundos e verba indenizatória. Só que para o MPE, foi o próprio Riva quem organizou um...

DEM dividido e quase no colo de EP

emanuel pinheiro 400 curtinha   Num almoço na casa do prefeito Emanuel Pinheiro (foto), nesta quarta, lideranças da alta cúpula do DEM de Cuiabá e Várzea Grande discutiram possível apoio à reeleição do emedebista. Essa aproximação fere de morte o Palácio...

ENQUETE

facebook whatsapp twitter email

O Governo de MT estuda retomada das atividades escolares presenciais possivelmente em agosto ou setembro. O que você acha?

Estou de acordo

Não - aulas não podem voltar por agora

tanto faz

Não se trata de pesquisa eleitoral, mas de um mero levantamento de opiniões de leitores do RDNews e do Blog do Romilson, com participação espontânea dos internautas. Resultado sem valor científico.