Cidades

Quinta-Feira, 11 de Novembro de 2010, 09h:15 | Atualizado: 26/12/2010, 12h:28

RONDONÓPOLIS

Vereador tenta anular concurso

Mohamed Zaher   Após utilizar a tribuna da Câmara de Rondonópolis na sessão desta quarta (10) para chamar a atenção do presidente da Casa, vereador Hélio Pichioni (PR), sobre as denúncias acerca do concurso público realizado pelo Legislativo em 19 de setembro, o vereador Mohamed Zaher (PR) disse que essa foi sua última tentativa de anular o certame. “Fiz um último apelo, agora não vou mais tocar nesse assunto”, declarou o parlamentar.

   “As pessoas vêm nos procurar para dizer que o concurso foi um jogo de cartas marcadas e nós, como representantes da população, temos que levar essa preocupação adiante”, explicou, referindo-se às reclamações da população sobre o fato de que, para os quatro principais cargos oferecidos no certame, tenham sido classificados funcionários que já atuavam na Casa. “A participação do secretário no concurso não é ilegal, mas é imoral. São pessoas competentes, estudiosas, mas esta imoralidade incomoda as pessoas”, comentou.

Candidatos denunciam existência de cartas marcadas em concurso

   Os classificados ainda precisam realizar a segunda fase das provas, marcadas para o próximo dia 14, e a ideia é que o concurso fosse anulado antes que elas acontecessem. A previsão é que o nome dos aprovados seja divulgado até o final deste mês pela ACPI, empresa promotora do concurso da Câmara de Rondonópolis.

   Mohamed lamenta, principalmente, a forma como o certame foi conduzido. “Infelizmente, o presidente não tomou para si a responsabilidade de comandar o concurso. A responsável pela organização é a Mesa Diretora e, em momento algum, os demais vereadores foram consultados”, informou o vereador. “Poderia ser mais transparente”.

   Na tribuna, ele utilizou como exemplo a polêmica sobre o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), na tentativa de comover Pichioni para a realização de um novo concurso, em que o próprio presidente assumisse a responsabilidade sobre a condução do processo. “Ele poderia entrar na história se anulasse esse concurso”, ressaltou. De acordo com Mohamed, as inúmeras denúncias por parte dos moradores tiram a credibilidade da Câmara e prejudicam o trabalho do Legislativo.

   Diante das declarações de Pichioni de que o concurso aconteceu regularmente, inclusive com o devido acompanhamento do Ministério Público e do Tribunal de Contas do Estado (TCE), justificando o prosseguimento do certame, o vereador ressalta que se estivesse no lugar do colega, anularia as provas. “Quem teve capacidade para passar, vai passar de novo”, ressaltou. Além dele, pediram a anulação do concurso os vereadores João Gomes (PR) e Lourisvaldo Manoel de Oliveira, o Fulô (PMDB).

Postar um novo comentário

Comentários (4)

  • ANTONIO BRASIL | Quinta-Feira, 11 de Novembro de 2010, 16h55
    0
    0

    Um dos pilares do concurso público é a isonomia entre os candidatos, se houve vazamento do certame ou privilégios entre os concorrentes é natural a anulação do mesmo.

  • João Antonio | Quinta-Feira, 11 de Novembro de 2010, 16h34
    0
    0

    Isso nada mais é que dor de cutuvelo do mohamed, afinal o povo do gabinete dele prestou e foram icncompetentes em passar. E mais, como ele levou um tombo do Ananias na perda da presidência futura, dóe mais ainda o cutuvelo. E como não tem o que falar mira no concurso sem provas. Mohamed pega o seu chapéu e vai para o PT!!!!!

  • Neto | Quinta-Feira, 11 de Novembro de 2010, 14h15
    0
    0

    Os vereadores só esquecem de apresentar provas. Sobem à tribuna da Câmara com um discusso vazio, sem fundamentação. Eles como representande da verdade, não podem se basear em boatos de quem não estudou, ou disse-me-disse. Que apresentem provas da para a razão do concurso.

  • Vittor | Quinta-Feira, 11 de Novembro de 2010, 13h34
    0
    0

    Sendo anulado ou nao o povo de Roo vai dar a resposta em 2012 renovando nossa camara com novos talentos politicos que estao surgindo. Nós merecemos representantes melhores..

Taisir coordena campanha de Eliene

taisir karim 400 curtinha   O ex-reitor da Unemat e uma das lideranças do PSD na região Oeste, Taisir Karim (foto), que chegou a se lançar de última hora como pré-candidato a prefeito de Cáceres, mas logo em seguida recuou, será o coordenador-geral da campanha de Eliene Liberato (PSB), atual...

Inaugurados 67 km de asfalto da 020

mauro mendes 400 curtinha   O governador Mauro Mendes (foto) inaugurou nesta 5ª a pavimentação de 67,5 km da MT-020, entre Paranatinga e Canarana. Essa estrada faz parte do pacote de obras que foi retomado e já concluído nesta gestão. Foram investidos R$ 45 milhões do governo estadual. O...

Saggin critica "ditadura" e apoia Raye

paulo raye 400 curtinha   O empresário e advogado Sandro Saggin, que desistiu da candidatura a prefeito de Barra do Garças e agora apoia Paulo Raye (foto), do Pros, explica que em nenhum momento os diretórios estadual e nacional do Podemos, de cujo partido é filiado, encaminharam qualquer orientação aos...

Pode abandona Raye e pune Saggin

sandro saggin curtinha 400   Sandro Saggin (foto) amargou outra derrota em Barra do Garças. Inicialmente, seria candidato a prefeito pelo Podemos. Mas resolveu, por conta própria, levar o partido para uma coligação com partidos de esquerda que lançaram o ex-prefeito Paulo Raye, apoiado pelo PC do B, PT e Pros. A...

Ex-vereador recua para apoiar primo

divino 400 barra do bugres   Ex-vereador, ex-presidente da Câmara e empresário bem sucedido, Chico Guarnieri (PTB) não será candidato a prefeito de Barra do Bugres nas eleições deste ano. Guarnieri, que disputou a prefeitura em 2016, até ensaiou, mas recuou ao ver que o primo, pedetista Doutor Divino...

3 ex-prefeitos viram cabos eleitorais

percival muniz 400 curtinha   Dois candidatos de oposição em Rondonópolis têm ex-prefeitos como principais cabos eleitorais. O empresário Luiz Fernando, o Luizão (Republicanos), conta com apoio de Adilton Sachetti, que já comandou o município e perdeu na tentativa de reeleição, e...

ENQUETE

facebook whatsapp twitter email

Você acha que o efeito-Bolsonaro terá impacto no resultado das eleições de novembro em MT?

sim - onda Bolsonaro continua

não - efeito não influencia mais

sei lá!

Não se trata de pesquisa eleitoral, mas de um mero levantamento de opiniões de leitores do RDNews e do Blog do Romilson, com participação espontânea dos internautas. Resultado sem valor científico.