Ana Lacerda

Meio ambiente - pauta de esquerda ou de direita?

Por 03/07/2019, 09h:25 - Atualizado: 03/07/2019, 11h:33

Dayanne Dallicani

Colunista Ana Lacerda

 

Com o perdão do trocadilho, talvez seja melhor situar os assuntos relacionados ao meio ambiente em um ponto de “meio”, mesmo entre as pautas políticas típicas de esquerda e de direita. Não há como se falar em humanidade, progresso, desenvolvimento […] sem que exista um sistema apropriado e preservado para isso.

Nesse sentido, entre as polêmicas trazidas à tona pelo atual governo federal, o meio ambiente tem figurado entre os temas mais importantes e que mais divide opiniões.

A preocupação com o meio ambiente sempre foi inerente ao ser humano, mesmo que instintivamente, como uma maneira de preservar a espécie e os recursos naturais.

A preocupação com o meio ambiente sempre foi inerente ao ser humano, mesmo que instintivamente, como uma maneira de preservar a espécie e os recursos naturais

Histórica e mundialmente, o movimento ambiental “mais consciente”, por assim dizer, teve início mais claramente com a preocupação em relação aos impactos trazidos pela industrialização, que elevou os índices de produção no mundo e trouxe como consequências mudanças nos comportamentos e nas relações de consumo.

Na atualidade, o Brasil passa por mudanças significativas com o governo Jair Bolsonaro, que anuncia uma fase de intercomunicação e sinergia entre meio ambiente, desenvolvimento e economia de forma integrada.

O Presidente Jair Bolsonaro afirmou que a missão de seu governo é “não atrapalhar quem quer produzir”. Nessa lógica, em relação ao tema “meio ambiente”, ele está demonstrando para toda a sociedade que o meio ambiente tem de deixar de ser enfrentado como uma questão ideológica ou partidária e passar a ser enfrentado como uma questão técnico-científica, baseada em estudos técnicos realizados por instituições renomadas e reconhecidas, e não por suposições descabidas.

O meio ambiente tem de deixar de ser enfrentado como uma questão ideológica ou partidária e passar a ser enfrentado como uma questão técnico-científica, baseada em estudos técnicos realizados por instituições renomadas e reconhecidas, e não por suposições descabidas

A esse respeito, o Governo vem tentando pôr fim à famosa “indústria da multa ambiental” conhecida há muitos anos em nosso país e, igualmente, suspendeu parcerias e convênios com organizações não governamentais ambientalistas para fins de avaliar as parcerias e os repasses que estavam sendo realizados.

Ainda, como forma de prospecção e desenvolvimento do país, prometeu reformar o setor elétrico, abrir o mercado de gás natural, alterar as regras para licenciamento ambiental, realizar mudanças na legislação das unidades de conservação, criar núcleos de conciliação, dentre outras, para dar maior fluidez e desenvolvimento a esses setores, acreditando ser esse o modelo benéfico para todo o Brasil.

São muitos os esforços envidados para fazer caminhar lado a lado a preservação do meio ambiente e o desenvolvimento econômico.

No Dia Mundial do Meio Ambiente, o Presidente firmou compromissos para recompor áreas florestais e conservar o solo, além de ações de saneamento, afirmando que essas e outras ações que o governo terá pela frente serão o exemplo para o mundo, de que há a preocupação com o meio ambiente, perfeitamente integrada com o desenvolvimento e a economia.

Na mesma data, o Ministro do Meio Ambiente sustentou: “O brasileiro cansou desse discurso de agro contra o meio ambiente, dessa dicotomia, que não é boa. O meio ambiente é bom para o agro. Aliás, é o agro que ajuda o ambiente. Os brasileiros precisam de um meio ambiente equilibrado, precisam defender sua sustentabilidade, a sua biodiversidade.”

O fato é que meio ambiente, como o próprio nome firma, jamais deve ser colocado como pauta de esquerda ou de direita, mas de “meio”, centro, centro de todos, fundamentado em pesquisas científicas e não em ideologia.

Meio ambiente é coisa séria, apartidário, apolítico, além-fronteiras e deve estar acima de qualquer discussão ideológica. Diz respeito a nossa vida, ao nosso planeta. Deve ser tomado como responsabilidade de todos, formando uma consciência coletiva de que sua proteção é dever de todos e um direito fundamental da humanidade presente e futura, respeitados os direitos e garantias constitucionais, aliados ao desenvolvimento, pois sem alimento e economia, a espécie humana não sobrevive.

Ana Lacerda é advogada do escritório Advocacia Lacerda e escreve exclusivamente neste espaço às quartas-feiras. E-mail: analacerda@advocacialacerda.com. Site: www.advocacialacerda.com

Postar um novo comentário

EP cita 4 pela força do MDB em Cuiabá

rafael bastos 400 curtinha   O prefeito Emanuel Pinheiro disse neste sábado, no encontro do MDB, que acabou atraindo a presença de representantes de outros 12 partidos, que a agremiação emedebista foi construída e ganhou força e espaço na Capital graças aos filiados históricos Rafael...

Júlio, do DEM, vê boa gestão de EP

julio campos 400 curtinha   Júlio Campos (foto), uma das lideranças históricas do DEM, foi "apertado" nesta sexta, em entrevista a Antero de Barros, na rádio Capital FM, especialmente sobre o fato do ex-governador e ex-senador demonstrar simpatia e apoiar a gestão do prefeito Emanuel, enquanto outros do partido...

Empresário ensaia de novo em ROO

 luizao_curtinha400   Em Rondonópolis, o empresário Luiz Fernando de Carvalho, o Luizão, dono da Agro Ferragens Luizão, ensaia mais uma vez disputar a prefeitura. Como a sua pré-candidatura não é considerada novidade, ele é visto como uma espécie de "cavalo paraguaio", que tem arrancada...

2 governistas prontos para a briga

chico2000_curtinha400   O prefeito Emanuel tem 2 aliados de primeira hora na Câmara que não resistem a uma provocação. Tratam-se de Renivaldo Nascimento (PSDB) e Chico 2000 (foto), do PL. Sabendo do estopim curto, os vereadores de oposição, especialmente Diego e Abílio, não perdem a chance de...

Niuan agora sob rédeas do Podemos

niuan ribeiro curtinha 400   O vice-prefeito Niuan Ribeiro, agora no Podemos, se torna obrigado, conforme exigência estatutária, a contribuir com 5% dos R$ 15 mil que recebe mensalmente . Ou seja, vai ter que repassar R$ 750 para o seu novo partido. Considerado um partido com novas concepções, regras e exigências, o...

Efeito-senado e briga no ninho tucano

carlos-avalone_curtinha400   O deputado estadual Carlos Avalone não tem certeza de que o acordo pré-estabelecido para ele se tornar presidente do PSDB-MT, a partir de fevereiro, ou seja, daqui 5 meses, será cumprido. Pela costura entre a cúpula tucana, Paulo Borges renunciaria à presidência, abrindo assim...

ENQUETE

facebook whatsapp twitter email

Na sua opinião, como está indo o Governo Mauro Mendes?

excelente

bom

regular

ruim

péssimo

Não se trata de pesquisa eleitoral, mas de um mero levantamento de opiniões de leitores do RDNews e do Blog do Romilson, com participação espontânea dos internautas. Resultado sem valor científico.