Ana Lacerda

Quem tem fome?

Por 14/08/2019, 09h:02 - Atualizado: 14/08/2019, 09h:07

Dayanne Dallicani

Colunista Ana Lacerda

E se, em terras com um pujante potencial produtivo, chegasse o dia em que a quantidade de alimentos produzida fosse insuficiente para o tamanho da população?

O que pode parecer enredo de filme pós-apocalíptico, está mais próximo de acontecer do que se imagina, conforme os resultados de diversas pesquisas.

O que pode parecer enredo de filme pós-apocalíptico, está mais próximo de acontecer do que se imagina, conforme os resultados de diversas pesquisas.

De acordo com um novo relatório das Nações Unidas, lançado no dia 17/06/2019, a população mundial deve crescer em dois bilhões de pessoas nos próximos 30 anos, passando dos atuais 7,7 bilhões de indivíduos para 9,7 bilhões em 2050. Assim, será necessário que a produção de alimentos aumente em 70% para equiparar os lados de oferta e demanda.

Nesse sentido, a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura (FAO) projeta que até 2030 haverá a necessidade de ampliar a produção dos seguintes alimentos para atender a demanda mundial: 34% de carne bovina; 47% de carne suína; 55% de carne de frango; 59% de açúcar; 19% de arroz; 83% de milho e 98% de soja.

A Gro Intelligence, empresa de tecnologia de informação agrícola, veiculou que “Em 2027, o mundo pode enfrentar um déficit de 214 trilhões de calorias”. Ou seja, em menos de uma década, é possível que não haja comida suficiente.

Nesse cenário, é imprescindível aumentar a produção, entretanto, há que se levar em conta que os recursos do planeta são limitados. Para o professor de agronomia Harald von Witzke, da Universidade Humboldt de Berlim, é possível fazer com que isso aconteça. O estudioso chama a atenção para o franco crescimento da produção agrícola nas últimas décadas e afirma que apenas 20% é o resultado da ampliação das áreas agricultáveis. "No futuro, precisaremos investir ainda mais no aumento de produtividade para satisfazermos as crescentes necessidades humanas de alimento. O solo será, cada vez, um fator limitante para a produção de gê

 É imprescindível aumentar a produção, entretanto, há que se levar em conta que os recursos do planeta são limitados

neros alimentícios", pondera.

Os especialistas alertam: esse quadro precisa mudar. É indispensável que se invista em pesquisas agrícolas e uma política agrária mais favorável, visando o desenvolvimento da agricultura para sanar essa situação.

Vale ainda lembrar que atualmente, pela desigualdade na distribuição de renda e fatores históricos, geográficos, entre outros, muitas pessoas já passam fome. O quadro tende a piorar caso as pesquisas empreendidas supracitadas se confirmem. Nos países mais pobres, não existe aconselhamento ou acesso a estudos para métodos de cultivo mais eficientes, formação profissional, facilidade para obter créditos, sementes fortes e conhecimento sobre o mercado.  

O despreparo e a falta de informação resultam uma perda significativa nas safras, decorrente do combate ineficiente às pragas, erros no manejo de colheita, questões concernentes ao transporte e à armazenagem, bem como ao modo de comercializar.

Os peritos têm um entendimento pacificado quanto à capacidade de produção do planeta em relação ao crescimento populacional. Não há como se falar em uma receita pronta que assegure o abastecimento mundial. O que se agrava pela equação desproporcional, que aponta maior crescimento populacional onde as circunstâncias alimentares já são as mais precárias.

A FAO destaca que uma em cada nove pessoas no mundo (ou cerca de 805 milhões de pessoas) não têm comida suficiente para levar uma vida saudável e ativa. A incapacidade de atender o consumo de alimentos da humanidade, combinada com as projeções de expansão populacional e de cidades, reduzindo a disponibilidade de terras, constitui o centro dos debates nesse sentido.

O Brasil, que está entre os maiores produtores de alimentos do planeta, e o Estado de Mato Grosso, maior produtor nacional, não podem se omitir nessa discussão, tendo em vista a ampla capacidade produtiva, a vocação para o agronegócio e o abastamento de terras de ambos. Trata-se da conservação da vida humana. É o agronegócio o responsável pela segurança alimentar da população.

Em uma terra em que “se plantando tudo dá”, apenas semear não é mais o bastante. É preciso pensar em estratégias, soluções de desenvolvimento sustentáveis, melhor distribuição… E é urgente, é um problema de todos, é preciso falar disso agora.

Ana Lacerda é advogada do escritório Advocacia Lacerda e escreve exclusivamente nesta coluna às quartas-feiras. E-mail: analacerda@advocacialacerda.com. Site: www.advocacialacerda.com

Postar um novo comentário

Recuo do DEM e agora no Republicano

gabriel guilherme 400 curtinha   O DEM terá de excluir da lista de pré-candidatos a vereador pela Capital o nome do jovem Gabriel Guilherme (foto), de 22 anos. Ele optou por se filiar ao Republicano. Lotado na Assembleia como assistente da Secretaria de Orçamento e Finanças e filho do ortopedista Paulo Fonseca...

Galvan vai deixar PDT e ir pra o PRTB

antonio galvan 400 curtinha   Embora não tenha perdido de vistas o Aliança pelo Brasil, partido que está sendo criado por Bolsonaro, Antonio Galvan (foto), presidente da Aprosoja e que acabou levado à frigideira dentro do PDT em meio ao embate por tentativa de candidatura ao Senado, se mostra disposto a ingressar no...

"Pátio igual gato, comendo e miando"

jose medeiros 400 curtinha   O deputado José Medeiros (Podemos), vice-líder do Governo Bolsonaro na Câmara, disse que o prefeito Zé do Pátio, de Rondonópolis, está parecendo gato, comendo e miando, pois recebe recursos federais, inclusive de programas habitacionais e, mesmo assim, ainda alardeia nos...

Adair lançará ex-vice em Alto Paraguai

adair 400 curtinha   O ex-prefeito de Alto Paraguai, advogado emedebista Adair José Alves Moreira (foto), não vai disputar novamente, apesar da insistência do seu grupo. A tendência é de apoiar o seu ex-vice Luiz Figueiredo, com quem administrou a cidade de 2013 a 2016. Luiz também é do MDB e...

Deputado bolsonarista critica prefeito

claudinei deputado curtinha 400   O deputado Claudinei Lopes (foto), morador em Rondonópolis, ficou na bronca com o discurso populista do prefeito Zé do Pátio, para quem o povo nordestino votou em massa no PT e que não tem conseguido construir mais casas populares porque, diferente dos governos petistas, o presidente...

Sem Senado e tudo pela Mesa da AL

max russi curtinha 400   Presidente regional do PSB-MT, o deputado Max Russi (foto) tem participado das discussões para definição de candidaturas ao Senado, na suplementar de abril, mas não mais como pré-candidato. Seu desafio é outro. A prioridade é a busca da reeleição como...

MAIS LIDAS

ENQUETE

facebook whatsapp twitter email

Na sua opinião, como está indo o Governo Bolsonaro...

excelente

bom

razoável

ruim

péssimo

não sei

Não se trata de pesquisa eleitoral, mas de um mero levantamento de opiniões de leitores do RDNews e do Blog do Romilson, com participação espontânea dos internautas. Resultado sem valor científico.