Ana Lacerda

Quem tem fome?

Por 14/08/2019, 09h:02 - Atualizado: 14/08/2019, 09h:07

Dayanne Dallicani

Colunista Ana Lacerda

E se, em terras com um pujante potencial produtivo, chegasse o dia em que a quantidade de alimentos produzida fosse insuficiente para o tamanho da população?

O que pode parecer enredo de filme pós-apocalíptico, está mais próximo de acontecer do que se imagina, conforme os resultados de diversas pesquisas.

O que pode parecer enredo de filme pós-apocalíptico, está mais próximo de acontecer do que se imagina, conforme os resultados de diversas pesquisas.

De acordo com um novo relatório das Nações Unidas, lançado no dia 17/06/2019, a população mundial deve crescer em dois bilhões de pessoas nos próximos 30 anos, passando dos atuais 7,7 bilhões de indivíduos para 9,7 bilhões em 2050. Assim, será necessário que a produção de alimentos aumente em 70% para equiparar os lados de oferta e demanda.

Nesse sentido, a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura (FAO) projeta que até 2030 haverá a necessidade de ampliar a produção dos seguintes alimentos para atender a demanda mundial: 34% de carne bovina; 47% de carne suína; 55% de carne de frango; 59% de açúcar; 19% de arroz; 83% de milho e 98% de soja.

A Gro Intelligence, empresa de tecnologia de informação agrícola, veiculou que “Em 2027, o mundo pode enfrentar um déficit de 214 trilhões de calorias”. Ou seja, em menos de uma década, é possível que não haja comida suficiente.

Nesse cenário, é imprescindível aumentar a produção, entretanto, há que se levar em conta que os recursos do planeta são limitados. Para o professor de agronomia Harald von Witzke, da Universidade Humboldt de Berlim, é possível fazer com que isso aconteça. O estudioso chama a atenção para o franco crescimento da produção agrícola nas últimas décadas e afirma que apenas 20% é o resultado da ampliação das áreas agricultáveis. "No futuro, precisaremos investir ainda mais no aumento de produtividade para satisfazermos as crescentes necessidades humanas de alimento. O solo será, cada vez, um fator limitante para a produção de gê

 É imprescindível aumentar a produção, entretanto, há que se levar em conta que os recursos do planeta são limitados

neros alimentícios", pondera.

Os especialistas alertam: esse quadro precisa mudar. É indispensável que se invista em pesquisas agrícolas e uma política agrária mais favorável, visando o desenvolvimento da agricultura para sanar essa situação.

Vale ainda lembrar que atualmente, pela desigualdade na distribuição de renda e fatores históricos, geográficos, entre outros, muitas pessoas já passam fome. O quadro tende a piorar caso as pesquisas empreendidas supracitadas se confirmem. Nos países mais pobres, não existe aconselhamento ou acesso a estudos para métodos de cultivo mais eficientes, formação profissional, facilidade para obter créditos, sementes fortes e conhecimento sobre o mercado.  

O despreparo e a falta de informação resultam uma perda significativa nas safras, decorrente do combate ineficiente às pragas, erros no manejo de colheita, questões concernentes ao transporte e à armazenagem, bem como ao modo de comercializar.

Os peritos têm um entendimento pacificado quanto à capacidade de produção do planeta em relação ao crescimento populacional. Não há como se falar em uma receita pronta que assegure o abastecimento mundial. O que se agrava pela equação desproporcional, que aponta maior crescimento populacional onde as circunstâncias alimentares já são as mais precárias.

A FAO destaca que uma em cada nove pessoas no mundo (ou cerca de 805 milhões de pessoas) não têm comida suficiente para levar uma vida saudável e ativa. A incapacidade de atender o consumo de alimentos da humanidade, combinada com as projeções de expansão populacional e de cidades, reduzindo a disponibilidade de terras, constitui o centro dos debates nesse sentido.

O Brasil, que está entre os maiores produtores de alimentos do planeta, e o Estado de Mato Grosso, maior produtor nacional, não podem se omitir nessa discussão, tendo em vista a ampla capacidade produtiva, a vocação para o agronegócio e o abastamento de terras de ambos. Trata-se da conservação da vida humana. É o agronegócio o responsável pela segurança alimentar da população.

Em uma terra em que “se plantando tudo dá”, apenas semear não é mais o bastante. É preciso pensar em estratégias, soluções de desenvolvimento sustentáveis, melhor distribuição… E é urgente, é um problema de todos, é preciso falar disso agora.

Ana Lacerda é advogada do escritório Advocacia Lacerda e escreve exclusivamente nesta coluna às quartas-feiras. E-mail: analacerda@advocacialacerda.com. Site: www.advocacialacerda.com

Postar um novo comentário

Morre presidente do Grupo Barralcool

petroni barralcool curtinha 400   Morreu neste sábado, em Cuiabá, aos 88 anos, o diretor-presidente do Grupo Barralcool, João Nicolau Petroni (foto). Ele foi um dos pioneiros no setor sucroenergético do Estado e o primeiro presidente do Sindicado das Indústrias Sucroalcooleiras de MT (Sindalcool). Era...

Abracrim cita arbitrariedade na SESP

michelle marrie abracrim curtinha 400   Michelle Marrie (foto), presidente da Associação Brasileira dos Advogados Criminalistas do Estado, contesta a nota em Curtinhas entitulada "Secretário, Abracrim e saia-justa", sobre o fato de uma advogada ter se infiltrado na coletiva à imprensa concedida pelo...

Governo monitora crise na segurança

mauro mendes 400 curtinha   O governador Mauro monitora de perto a crise instaurada no setor de segurança devido à operação desencadeada na Penitenciária Central do Estado, em Cuiabá, para acabar com regalias de presos "da pesada", que comandam o crime organizado de dentro das celas. Houve...

Faissal se licencia e Oscar assume vaga

oscar_curtinha_400   O deputado estadual de primeiro mandato Faissal Calil (PV), a partir de quarta (21), vai se licenciar por 4 meses. Assim, dará lugar para o retorno do ex-deputado Oscar Bezerra (foto), que disputou à reeleição no ano passado, sem sucesso. Oscar, que tem base eleitoral em Juara, teve 11.827 votos e...

Fora do Podemos e dando pitacos

marcelo_curtinha   O presidente do Podemos-MT, José Medeiros, se diz surpreso com as declarações do adjunto de Turismo da Capital Marcelo Pires, que se posiciona contra a filiação de Niuan no partido. O absurdo disso é que Marcelo sequer é filiado e muito menos militante. Só participou de uma...

Melhorias refletem no Mutirão Fiscal

emanuel pinheiro curtinha   O prefeito Emanuel Pinheiro (foto) está empolgado com a intensa procura dos contribuintes para negociação de dívidas municipais e ficou mais animado quando tomou conhecimento dos comentários de muitos, inclusive daqueles menos favorecidos, que estão indo à Arena Pantanal,...

ENQUETE

facebook whatsapp twitter email

Na sua opinião, como está indo o Governo Mauro Mendes?

excelente

bom

regular

ruim

péssimo

Não se trata de pesquisa eleitoral, mas de um mero levantamento de opiniões de leitores do RDNews e do Blog do Romilson, com participação espontânea dos internautas. Resultado sem valor científico.