Edésio Adorno

Conselheiros do TCE foram vítimas de abuso de autoridade

Por 23/08/2019, 00h:01 - Atualizado: 22/08/2019, 12h:39

Dayanne Dallicani

Colunista Ed�sio Adorno

No bojo da operação Malebolge, a Procuradoria-Geral da República (PGR) requereu e o ministro Luiz Fux, do STF, em sede de tutela antecipada determinou o afastamento de cinco conselheiros do Tribunal de Contas de Mato Grosso (TCE). Trata-se, portanto, de uma decisão provisória, essencialmente temporária. No caso, uma tutela provisória de caráter cautelar. Por obvio que seus efeitos não podem tolher e aviltar direitos e garantias individuais   indefinidamente ao longo do tempo.

O abuso de autoridade praticado por Rodrigo Janot e Luiz Fux ganha contorno de crueldade para com os conselheiros afastados e de benevolência para com o bom e santificado ladrão de R$ 1 bilhão dos cofres públicos do Governo do Estado. Silval Barbosa e seus comparsas

Ensina a melhor doutrina jurídica que tutela antecipada é uma espécie de tutela provisória. Por meio desse provimento judicial, o magistrado antecipa, total ou parcialmente, os efeitos da tutela definitiva, seja ela satisfativa ou cautelar.

José Carlos Novelli, Valter Albano, Valdir Teis, Antonio Joaquim e Sérgio Ricardo foram vítimas de uma antecipação de tutela de conteúdo cautelar. O objetivo seria impedir que os conselheiros tivessem ingerência nas investigações policiais, obstruíssem provas, coagissem testemunhas ou se valessem dos cargos para suprimir documentos.

A essa altura da fase processual, nem mais vale a pena questionar a relevância prática de decisão de Fux. Ele já declinou de sua competência em razão do foro dos envolvidos e remeteu o feito para o STJ. Resta acrescentar essa estupida decisão, ao lado da desastrada expressão “delação monstruosa”, em sua nada brilhante biografia.

Por se tratar de uma antecipação de tutela de natureza cautelar, descabida e questionável sob todos os aspectos, deveria ter sido revogado pelo próprio Luiz Fux, quando da baixa do processo para o STJ. Quem não reconhece a injustiça praticada acaba por reproduzi-la continuamente. O togado Luiz Fux é uma das faces obtusas que despudoradamente ajudam a escandalizar o STF. Não seria isso um caso típico de abuso de autoridade?

O abuso de autoridade praticado por Rodrigo Janot e Luiz Fux ganha contorno de crueldade para com os conselheiros afastados e de benevolência para com o bom e santificado ladrão de R$ 1 bilhão dos cofres públicos do Governo do Estado, Silval Barbosa, e seus comparsas tiveram seus pecados perdoados pela Suprema Corte. Podem refestelar, tomar banho de piscina aquecida e desfrutar da fortuna tungada do povo sofrido de Mato Grosso. Estão livres, leves, soltos e impunes para sempre. Divirta-se com essa chacota!

Prestes a completar dois anos de afastamento do TCE, os conselheiros já tiveram suas vidas escaneadas e viradas ao avesso por qualificados investigadores da Polícia Federal. Até o momento não encontraram nenhum vestígio ou a mais tênue prova que autorize o indiciamento de qualquer um deles. O caso das notas promissórias virou chacota no meio jurídico. Fux mandou compartilhar com o MPE documentos fictícios, fantasmas, inexistentes do caderno processual.

Há quase um ano a PGR usa o processo como apoio para o repouso do glúteo de seus membros. Uma insolência inaceitável. Justiça tardia pode ter qualquer nome, menos justiça. Os conselheiros estão sendo injustiçados sob os olhares omissos e complacentes de quem deveria fazer valer o império da lei e imprimir respeito ao direito constitucional processual. Infelizmente, não é isso que estão fazendo.

Revogar a cautelar de Fux garantir o retorno dos conselheiros as suas cadeiras no TCE é medida que se impõe. Ou o dito afastamento não seria temporário? O ministro Raul Araújo Filho, que relata esse caso no STJ, deve corrigir as injustiças de Fux e fazer o que se espera de um magistrado culto, estudioso, sensato e equilibrado, que é reconhecer o direito de quem tem direito.

Os gestores de órgãos da administração pública estadual, de prefeituras e de câmaras municipais tem o direito de ter suas contas fiscalizadas por conselheiros vitalícios, técnicos e isentos. Eis que por analogia se aplica o princípio do juiz natural a Corte de Contas de Mato Grosso. Ignorar esse fato não ofende apenas os conselheiros afastados de seus funções, mas principalmente o contribuinte que exige zelo e lisura na fiscalização dos gastos do dinheiro público.

Em arremate, o afastamento e a angustiante demora na recondução dos conselheiros as suas funções no órgão de contas tem aparência e cheiro de abuso de autoridade. Então é abuso de autoridade. Será que o CNJ e CNMP podem cessar esse abuso? Melhor esperar o presidente Jair Bolsonaro sancionar a lei aprovada pelo Congresso Nacional.

Edésio Adorno é advogado em MT e escreve exclusivamente nesta coluna toda sexta-feira. E-mail: edesioadorno@gmail.com​

Postar um novo comentário

Comentários (1)

  • Revoltado | Sexta-Feira, 23 de Agosto de 2019, 08h29
    3
    5

    BOLSONARO VAI VETAR ESSA B¨STA..

Apoio entre opositores é pura falsidade

diego guimaraes 400 curtinha   O tão propagado apoio político recíproco entre os vereadores de oposição em Cuiabá, principalmente em relação ao futuro cassado Abílio Júnior, não é verdadeiro. Todos são concorrentes entre si. Tentam viabilizar suas...

Joaninha se afasta da Câmara de Sinop

joaninha 400 sinop vereador curtinha   O vereador por Sinop Joaninha (MDB), conforme a coluna Curtinhas adiantou, se licenciou do cargo por 60 dias para se recuperar do acidente que sofreu durante manobra na Competição Duelo de Motos, em Atibaia (SP). Enquanto isso, o suplente Mauro Garcia (MDB), ex-secretário de...

Manifestação de apoio deles para ele

elizeu nascimento 400 curtinha   Mesmo com o apoio dos deputados Elizeu Nascimento (foto), Xuxu Dalmolin e Ulysses Moraes que levaram até assessores, em pleno horário de expediente, a manifestação pró-Abílio na Câmara de Cuiabá foi considerada fraca. Investigado por quebra de decoro...

TCE cria estrutura para atender a AL

maluf 400 curtinha   A Assembleia Legislativa saiu de Guilherme Maluf (foto), mandando-o para o TCE, mas ele não saiu da AL. Alçado à presidência com menos de um ano na cadeira vitalícia, Maluf acaba de criar uma assessoria parlamentar para promover o intercâmbio com as comissões da AL e ainda um...

Cassação de Abílio depois do Carnaval

abilio junior 400 curtinha   Por mais que Abílio Júnior (foto) implore e grite por socorro, na esperança de escapar da cassação, inclusive se colocando como vítima de perseguição política, perderá mesmo mandato. Mas isso só vai ocorrer após o Carnaval. A...

PGR monitora delação de ex-deputado

jose riva 400 curtinha   Membros do alto escalão da Procuradoria-Geral da República, que rejeitou a proposta de delação de José Riva (foto) na esfera federal por causa de omissão de crimes, estão monitorando os bastidores do acordo de colaboração, agora entre o Ministério...

ENQUETE

facebook whatsapp twitter email

Na sua opinião, como está indo o Governo Bolsonaro...

excelente

bom

razoável

ruim

péssimo

não sei

Não se trata de pesquisa eleitoral, mas de um mero levantamento de opiniões de leitores do RDNews e do Blog do Romilson, com participação espontânea dos internautas. Resultado sem valor científico.