Conflito entre Poderes e a insegurança

gilson_sabado_colunista

Gilson Nunes

Não é de hoje que corre à “boca pequena” um falatório de que não adianta a polícia prender um bandido ou trombadinha, maloqueiro e outros intrusos indecorosos da nossa sociedade porque logo em seguida ele é solto pela Justiça. A ideia que a sociedade deixa fluir sobre o Poder Judiciário, e Mato Grosso não é exceção, é a de ele ampara o marginal, que a Justiça anda de conluio com a bandidagem. Deixar alimentar esse pensamento sem o devido conhecimento da missão do Judiciário é querer pecar por ignorância. O Poder Judiciário não é e nem pode ser assim. 

Um pormenor que não chega a ser um detalhe, mas que deve ser respeitado, segundo o advogado Oscar César Travassos: o Poder Judiciário tem que fazer valer o Estado de Direito do indivíduo em razão da democracia. Isso significa dizer que todo e qualquer cidadão, irrestritamente, indiscriminadamente, tem o direito à defesa, esteja ele sob suspeita de qualquer delito ou infração.

A falta de confiança nas autoridades que cuidam da segurança pública é o ponto chave. O que é relevante neste processo são os impostos cobrados pelos governos e o fato de não saber onde ele é aplicado. Quando se fala em aplicação de recursos para a segurança pública, está se falando em investir em infraestrutura: manutenção das viaturas, sistema de informação e comunicação adequada, construção de unidades nos bairros, de preferência para os bairros mais atingidos pela bandidagem, qualificação dos policiais, dentre tantos outros investimentos.

Caminhando em paralelo, existem ainda as autoridades compostas pelos Direitos Humanos. Há quem diga que esta entidade é protecionista do criminoso, pois, ao invés de procurar saber os motivos que levaram o bandido a cometer determinado crime, vai até a autoridade policial que deu voz de prisão ao bandido para saber se ele apanhou, se foi tratado com desdém, se houve abuso de autoridade e uma série de questionamentos em favor do indivíduo. É lamentável. A Justiça, por sua vez, faz cumprir o que a legislação em vigor ordena.

A polícia prende e a Justiça solta nada mais é do que um paradigma criado pela sociedade para justificar sua angústia quanto à falta de segurança. Por conta disso, as consequências recaem sobre o Poder Judiciário como único responsável pelo desamparo a ela provocado. A sociedade tem todo o direito de ter direitos para reclamar, exigir e manifestar sua insatisfação, questionando às autoridades quanto a quem ela deve recorrer quando se vê prisioneira em sua própria casa enquanto bandidos vivem à solta.

Gilson Nunes é jornalista e funcionário público e escreve neste Blog todo sábado. E-mail: gnunes01@yahoo.com.br

Postar um novo comentário

Punição a 2 ex-presidentes da Câmara

haroldo curtinha 400   Apesar de ter julgado regulares as contas de gestão de 2016 da Câmara de Cuiabá, ano em que teve dois presidentes, o já falecido Júlio Pinheiro, entre janeiro e junho e, depois, Haroldo Kuzai (foto), de 20 de junho a 31 de dezembro, o conselheiro interino João Batista Camargo, em...

Guiratinga, frota sucateada e a farra

sinval vilela 400 curtinha   O vereador Sinval Vilela (foto), do DEM, disse que em Guiratinga, administrada por Humberto Domingos, o Bolinha, está havendo farra com dinheiro público. E lista descasos e atos de incompetência do prefeito. Conta que a prefeitura possui um caminhão pipa, mas está encostado no...

Verba a quem não tem litígio à União

emanuel pinheiro 400 curtinha   Apesar do governo estadual anunciar que está recebendo os R$ 359 milhões da União, essa verba oriunda do chamado Orçamento da Guerra (Emenda Constitucional 106) para ajuda no combate ao coronavírus só será liberada a partir do próximo dia 9 e para quem, seja...

Salgadinhos sim; caminhão pipa, não

humberto bolinha 400 curtinha   Em Guiratinga, o prefeito Humberto Domingos, o Bolinha (foto), resolveu homologar na última segunda, 1º de junho, processo licitatório para contratar uma empresa com vistas a fornecer salgadinhos nas 11 secretarias municipais. Vão ser gastos com salgados R$ 21,7 mil. No mesmo dia, Bolinha...

Nepotismo e demissão na gestão Pátio

leandro junqueira 400   Acuado pela notificação recomendatória do Ministério Público Estadual, o prefeito de Rondonópolis, Zé do Pátio, não teve outra saída senão exonerar a servidora Renata Castilho Moreno do cargo comissionado de gerente do Departamento de Engenharia e...

Candidatíssima à vereadora em Cuiabá

gisele almeida 400 curtinha   A apresentadora de TV, Gisele Almeida (foto), vai mesmo encarar o teste das urnas como candidata à vereadora em Cuiabá. Irmã do ex-vereador, ex-deputado e hoje conselheiro afastado do TCE, Sérgio Ricardo, ela não perde tempo nas articulações. Recentemente, recebeu no...

ENQUETE

facebook whatsapp twitter email

Você conhece alguém próximo que foi infectado pelo coronavírus?

sim

não

em dúvida

Não se trata de pesquisa eleitoral, mas de um mero levantamento de opiniões de leitores do RDNews e do Blog do Romilson, com participação espontânea dos internautas. Resultado sem valor científico.