Henrique Maluf

Bossa Nova, a refinada invenção de João Gilberto, Tom Jobim e Vinícius de Moraes

Por 16/07/2019, 07h:22 - Atualizado: 16/07/2019, 08h:10

Dayanne Dallicani

Colunista Henrique Maluf

 

Na semana passada vimos algumas pessoas lamentando a morte de João Gilberto nas redes sociais. Ele é considerado o papa da Bossa Nova e, ao lado de Tom Jobim e Vinicius de Moraes, criou o estilo musical que representa o Brasil de forma mais elegante pelo mundo. Três grandes gênios, um maestro, Tom Jobim, um poeta, Vinicius de Moraes e um grande músico, João Gilberto, não havia como a união deles render outra coisa, a não ser um revolução musical, estética e cultural tão grande, como foi a Bossa Nova.

O estilo musical representa o Brasil de forma mais elegante pelo mundo

A Bossa nasce em Copacabana, zona sul da cidade do Rio de Janeiro, e é um movimento musical da classe média cultural da cidade, jovens burgueses músicos, compositores, cantores que viviam a badalada boemia carioca no final dos anos 50.

O ano foi 1958, com o lançamento do compacto de João Gilberto com nome de Chega de Saudade, homônimo da canção composta por Tom e Vinícius, ali se ouviu um nova batida de violão, suave e refinada, e um modo muito particular de se cantar, intimista, com pouca projeção vocal, quase um sussurro, somada a elegância dos ternos que João Gilberto usava, nascia ali a refinada e elitizada Bossa Nova. 

A primeira sensação ao ouvi-la era de que fosse uma maneira mais delicada de se tocar o samba carioca, e sim, a Bossa realmente traz essa impressão, pois sua rítmica é a do samba, porém sua maior influência é o Jazz norte americano e toda sua sofisticação e técnica, principalmente ao se tratar das harmonias, a Bossa se apropria de forma elegante os elementos do Jazz, com canções bem elaboradas tecnicamente, e suas letras abordavam temáticas leves e descompromissadas.

Entre outros importantes nomes da Bossa Nova podemos citar Carlos Lyra, Ronaldo Bôscoli, Roberto Menescal, Nara Leão, Marcos Valle, Dori Caymmi, Edu Lobo e Francis Hime, que desde o início movimentaram a cena com suas canções, além de reaproximar a Bossa com os compositores do morro, nisso foram feitas parcerias com Zé Ketti, Cartola e Nelson Cavaquinho.

O legado da Bossa é imenso e até hoje seu valor estético reverbera em composições novíssimas sendo uma grande influência para várias gerações de compositores e musicistas

O samba carioca e o jazz norte americano, a fusão entre essas ricos e únicos gêneros musicais resultaram na Bossa Nova, e não demorou muito para que a Bossa tomasse proporções mundiais, a primeira assimilação foi dos Estados Unidos, principalmente o saxofonista Stan Getz, que no ano de 1964 lança um álbum em parceria com João Gilberto, o “Getz/Giberto”, no ano seguinte o álbum ganha o Grammy de Melhor Disco do Ano e populariza a Bossa Nova em todo mundo, um fenômeno de popularidade, canções como “Garota de Ipanema”, “Corcovado”, “Desafinado”, surgiram para o mundo, e nomes como Sarah Vaughan, Frank Sinatra, Ella Fitzgerald gravaram suas versões de Bossas.

Mesmo com o grande sucesso mundial o movimento Bossa Nova teve seu fim, e o responsável foi um dos seus criadores, quando em 1965 Vinicius de Moraes compõe em parceria com Edu Lobo a canção Arrastão, a mesma foi defendida por Elis Regina no Festival de Música Popular Brasileira, da extinta TV Excelsior, era o fim da bossa nova e o início do que se rotularia MPB.

O legado da Bossa é imenso e até hoje seu valor estético reverbera em composições novíssimas sendo uma grande influência para várias gerações de compositores e musicistas, sem contar que as joias por ela produzidas até hoje ganham salas de teatro em tributos e homenagens, em bares pelo Brasil e pelo mundo sempre há alguém tocando uma bossa, de elevadores de shoppings a músicos de rua. Uma antiga e nova concepção, a Bossa Nova.

Henrique Maluf é músico, produtor cultural e pesquisador em Cuiabá. Escreve nesta coluna com exclusividade às terças-feiras. E-mail: herojama@gmail.com

Postar um novo comentário

Breunig destaca aprovação de contas

adriano breunig curtinha 400   O professor Adriano Breunig (foto), ex-adjunto e ex-secretário de Estado de Ciência e Tecnologia no Governo Silval e hoje diretor de Políticas de Desenvolvimento Institucional do IFMT, contesta o registro em Curtinha, apontando-o como candidato reserva e "vulnerável" à...

Borgato não sairá mais de secretaria

nilton borgato 400 curtinha   Nilton Borgato (foto), ex-prefeito de Glória D'Oeste e filiado ao PSD, não sairá mais do comando da secretaria estadual de Ciência, Tecnologia e Inovação. Dias atrás, ele chegou a ser avisado pelo governador que seria substituído e que iria para o Escritório...

Dorner vai tentar prefeitura de novo

roberto dorner 400 curtinha   Em Sinop, o empresário e ex-deputado federal por alguns meses Roberto Dorner (foto), que deixou o PSD e aderiu ao Republicanos, está disposto a encarar de novo a disputa a prefeito. Em 2016, ele perdeu para Rosana Martinelli (PR) por uma diferença de 3.388 votos. É possível que ambos...

Um líder sob insatisfação dos colegas

dilmar dal bosco curtinha 400   O líder do governo na Assembleia, Dilmar Dal Bosco (foto), tem enfrentado crítica velada e insatisfação dos colegas, principalmente dos deputados da base. Reclamam que o interlocutor do governador Mauro não move uma palha em defesa da liberação das emendas e, nas...

Jogada do prefeito Francis em Cáceres

paulo donizete 400 curtinha caceres   A sete meses de concluir o mandato, o prefeito cacerense Francis Maris (PSDB) lançou uma jogada estratégica para ver se "cola". Apoia publicamente para prefeito o seu diretor da autarquia Águas do Pantanal, Paulo Donizete (foto), do mesmo partido, inclusive participou da reunião...

Luta por mais leitos de UTI em Sinop

rosana martinelli 400 curtinha   A prefeita de Sinop, cidade pólo do Nortão, Rosana Martinelli (PR), demonstra preocupação com os poucos leitos de UTI do Hospital Regional no município. A unidade atende moradores de mais de 30 municípios da região e só dispõe de 10. Rosana diz esperar...

MAIS LIDAS

ENQUETE

facebook whatsapp twitter email

Você conhece alguém próximo que foi infectado pelo coronavírus?

sim

não

em dúvida

Não se trata de pesquisa eleitoral, mas de um mero levantamento de opiniões de leitores do RDNews e do Blog do Romilson, com participação espontânea dos internautas. Resultado sem valor científico.