Tratamento humanizado no SUS: uma meta

Por 10/03/2019, 08h:14 - Atualizado: 10/03/2019, 08h:20

jackelyne_pontes_artigo_400

Jackelyne Pontes

É mérito do servidor receber uma resposta pública positiva por parte do usuário, que pode ser manifestada através da ouvidoria. A ouvidoria é um canal que serve para receber elogios, reclamações e sugestões que contribuem para o bom andamento do serviço. Sabemos que em se tratando de funcionalismo público o que quase sempre se escuta é: não gosta de trabalhar, trata o usuário com má vontade, faltou ao trabalho, chegou tarde, ou ainda veio e ficou somente uma hora. Isso é fato. Porém a regra não deve ser aplicada a todos, temos em nosso quadro de servidores pessoas altamente qualificadas e comprometidas com a prestação de serviço adequada à população.

Em 2003 uma Política Nacional de Humanização foi pensada para trazer este sentimento de solidariedade nas práticas cotidianas de atenção à saúde e também

Sabemos que, em se tratando de funcionalismo público, o que quase sempre se escuta é: não gosta de trabalhar, trata o usuário com má vontade, faltou ao trabalho, chegou tarde, ou ainda veio e ficou somente uma hora. Isso é fato. Porém a regra não deve ser aplicada a todos

de gestão, qualificando, instruindo e incentivando gestores, trabalhadores e usuários. Sabemos que as enfermidades tanto por parte do doente quanto por parte do profissional de saúde pode afetar a qualidade do cuidado, produzindo práticas e atitudes muitas vezes desumanizadas. A dor, o sofrimento, a doença fala mais alto quando temos necessidade de atendimento. Todos temos problemas que necessitam de solução, mas antes de nos destratarmos (profissionais de saúde para com o usuário e vice-versa), devemos levar em conta o histórico de acontecimentos do cotidiano. O usuário pode estar vindo de uma peregrinação sem fim, de unidade em unidade de saúde, sem sucesso, e o profissional de saúde pode estar em meio a um plantão interminável, ou até mesmo em uma tempestade de cunho pessoal, e o ideal é nos esforçarmos para que esses processos negativos não causem desgastes e estresses entre ambos. Sabemos que todos temos dificuldades e problemas, a sugestão é focarmos na criação de vínculos solidários, sem qualquer tipo de distinção melhorando assim as condições de trabalho e de atendimento.

Humanizar é incluir-se no processo de cuidado e de produção de saúde. É definir-se como protagonista de tais ações positivas que não são construídas por uma só pessoa, e sim pelo coletivo, pelo grupo, pela comunidade e equipe da unidade de saúde que atende o seu bairro. Todos somos responsáveis pela mudança, que já está acontecendo. O usuário e o profissional de saúde devem ser agentes ativos e sugerirem mudanças de práticas e comportamentos.

Um tratamento humanizado e um acolhimento adequado resulta em redução de filas e atendimento mais resolutivo, ampliando assim o acesso ao serviço de saúde. De nada adianta esbravejar a procura de atendimento, ou tratar o doente como se estivesse fazendo um favor em atende-lo, a postura educada, ponderada e até mesmo sábia tem que vir de ambas as partes, tem que ser uma via de mão dupla. Quem trabalha atendendo o usuário merece respeito, e ao mesmo tempo o trabalhador deve entender a necessidade do usuário, que o protagonista do SUS. A mudança de comportamento não acontece do dia para a noite, mas continuamos a regar a sementinha já plantada em 2003. Baraúna (2005) afirma que “a humanização é um processo de construção gradual, realizada através do compartilhamento de conhecimentos e de sentimentos”. Então que criemos uma rede de empatias, que seja promovida uma troca positiva onde a ética, o respeito e a individualidade sejam peças chaves.

Ouvidoria de saúde municipal: http://ouvidoria.cuiaba.mt.gov.br/registromanifestacao.html

Ouvidoria de saúde estadual: http://www.saude.mt.gov.br/contato-ouvidoria

Jackelyne Pontes é cirurgiã-dentista e escreve exclusivamente para este blog todo domingo - jackelynepontes@gmail.com

Postar um novo comentário

Decreto "anula" o MPE em Juscimeira

moises 400 juscimeira curtinha   Em Juscimeira, o promotor de Justiça Adalberto Ferreira recorreu à Justiça de forma desnecessária. Pleiteou e conseguiu uma liminar para suspender um decreto do prefeito Moisés dos Santos que, segundo a ação, havia reduzido as medidas de isolamento social, permitindo...

Kero-Kero quer levar Abílio para Pode

wilson kero kero 400 curtinha   Na contagam regressiva do prazo para o troca-troca partidário - vence em 3 de abril para quem pretende ser candidato em outubro deste ano -, o vereador Wilson Kero-Kero (foto), do PSL e um dos opositores à gestão Emanuel Pinheiro em Cuiabá, está fortalecendo o Podemos. E se...

ECSP explica confusão com Marcrean

marcrean 400 curtinha   A Empresa Cuiabana de Saúde Pública (ECSP) emitiu nota sobre a suposta “carteirada” do vereador Marcrean Santos (foto) no HMC. Ele foi pivô de confusão e um vídeo viralizou nas redes sociais. Segundo a ECSP, o parlamentar foi até o local pedir informações...

PL quer suspender dívidas das cidades

max russi curtinha 400   Ex-prefeito de Jaciara, o deputado Max Russi (PSB) apresentou projeto que visa suspender os pagamentos das dívidas dos municípios com o Estado, durante o período de calamidade pública que foi decretado pelo governo por causa da pandemia do coronavírus. Max ressalta que MT não deve...

Articulação pra tentar voltar ao Procon

gisela simona 400 curtinha   Com adiamento e ainda sem nova data para a eleição suplementar ao Senado, Gisela Simona (Pros), que se afastou do Executivo para concorrer ao pleito, quer retornar ao cargo de secretária-adjunta de Proteção e Defesa dos Direitos do Consumidor (Procon), vinculado à secretaria...

Senadora, ataques e defesa de Galvan

selma arruda 400 curtinha   Selma Arruda, senadora cassada por crimes eleitorais, um deles caixa 2, escreveu artigo entitulado "MP x Aprosoja. Afinal, quem tem razão", especialmente para defender o aliado político Antonio Galvan, presidente da Aprosoja. Ao concordar com plantio de soja dentro de período proibido pela...

ENQUETE

facebook whatsapp twitter email

Você concorda com a decisão de prefeitos, que começam a decretar estado de emergência, fechando comércio, serviços públicos e o transporte coletivo?

sim

não

sei lá!

Não se trata de pesquisa eleitoral, mas de um mero levantamento de opiniões de leitores do RDNews e do Blog do Romilson, com participação espontânea dos internautas. Resultado sem valor científico.