Rose Domingues

Mulher-pombo é aquela que vive de migalhas

Por 23/02/2020, 07h:34 - Atualizado: 23/02/2020, 07h:44

Dayanne Dallicani

Colunista Rose Domingues

Deixar para trás pessoas, lugares e situações é um pré-requisito para conseguir alcançar a vida que desejamos. Neste fim de ano refleti muito sobre o porquê atraía relações em que vivia escassez, normalmente, oferecendo muito mais do que eu recebia. Era uma luta constante para ser amada e aceita, mas, em contrapartida, me ofereciam migalhas.

Afinal, como eu me transformei em uma mulher-pombo? Observando mais atentamente esse movimento, percebi que era o mesmo que eu fazia em relação à minha própria mãe; e o mesmo que a minha mãe fazia com a mãe dela. Inclusive, em algumas situações, me coloquei em risco para conseguir chamar a atenção. Na psicologia, dizem que isso tem a ver com a criança interior negligenciada e ferida.

Essas emoções infantis pouco elaboradas, quando ficam guardadas a sete chaves, passam a gerar muitos problemas no nosso dia a dia: no relacionamento com marido/esposa, filhos, equipe de trabalho e amigos, com o dinheiro.  Além disso, reprimir tristeza, raiva, culpa, medo, vergonha, entre outros sentimentos, pode provocar uma infinidade de doenças que diminuem a nossa qualidade de vida.

Decidi trabalhar algumas questões que me causavam um sofrimento grande, mas confesso que é um desafio mexer com a forma como as emoções estão estruturadas. No meu caso, dói tanto que até tenho falta de ar, crises de choro, raiva e/ou insônia. Há uma voz feminina gritando um grito ensurdecedor; e chorando um choro profundo. Por fidelidade, eu choro e grito também.

Nesta semana, vendo o filme “Brittany runs a marathon” me deparei com situações de superação parecidas com as minhas quando ela decidiu mudar de vida. Embora muito persistente e disciplinada, chega um determinado momento em que Brittany descobre que seu verdadeiro problema não é a obesidade e sim as crenças limitantes. Por que ela se cobra tanto? Por que não se dá uma chance?

Aquele sentimento de inferioridade, de que havia nascido para sofrer e que tudo daria errado era muito mais forte. Quantas vezes a gente sente isso e se retrai, deixando de buscar os próprios sonhos. Então, a questão não é treinar pesado para participar da Maratona de Nova York (como ela fez), mas ficar paralisado no trauma mesmo que a vida nos ofereça diariamente novas possibilidades de amar e ser feliz.

Brittany começou correndo uma quadra, toda desajeitada, suada, quase morrendo, para após alguns meses correr quilômetros. Estruturei uma rotina assim para mim, com várias atividades como academia, natação, yoga, piano e um cronograma diário de leitura. Embora fazer coisas me ajude a manter meu estado emocional equilibrado, me dê conforto e satisfação, sei que não vai me curar completamente.  

O mundo aplaude quem sai bem em provas e alcança o sucesso escolar, acadêmico e profissional. Quem acumula coisas, viaja e chega ao topo do Everest. E isso é maravilhoso, claro! Então me explica por que mesmo tendo apenas nota 10 no meu boletim e sendo uma mente brilhante, eu me sentia uma menina tão triste? Tão desconectada das outras pessoas?

É fim de semana de carnaval, todos estão se divertindo, felizes eu não sei, mas estão buscando sensações, buscando amor. Preferi ficar comigo mesma e experimentei chorar copiosamente vendo o filme ‘A vida em si’. Sem culpa, sem achar que eu devia estar com uma roupa de fada e purpurina no rosto. Talvez no ano que vem eu esteja, talvez não.

O filme narra a história de uma família que enfrentou várias mortes. "E embora seja fácil se entregar às tragédias que forjam a nossa vida, e embora seja natural só pensar naqueles momentos execráveis que nos derrubaram, devemos lembrar a nós mesmos que se nos levantarmos, se levarmos a história um pouquinho adiante, encontraremos o amor. Se formos suficientemente longe, encontraremos o amor."

É o tipo de filme que nos faz pensar. Porque a vida é realmente uma narradora não confiável; isso significa que para ser feliz precisamos aceitar a brutal realidade de que não estamos no controle. Mesmo assim, com a nossa disposição e persistência, lá do fundo do poço – ou seja, aconteça o que acontecer - a gente pode conseguir se reerguer e avançar só um pouquinho mais. Estabelecendo pequenas metas, por exemplo.  

Talvez hoje não faça sentido para mim, nem para você, por que tanto sofrimento

Rose Domingues

Por mais que eu fuja de mim fazendo coisas, trabalhando excessivamente, eu sou o meu pai, e também sou o pai do meu pai. Sou a minha mãe, e sou a mãe da minha mãe. Na minha família, por exemplo, há um jardim de mulheres, onde nascem margaridas, lírios, beijinhos, marias e Rosas. E a mesma voz que grita, também abençoa: "(...) você sou eu. Então, agora siga, me dê uma linda vida; a mais linda de todas".

Talvez hoje não faça sentido para mim, nem para você, por que tanto sofrimento, tantas adversidades, afinal, o que a vida espera de nós? Para onde está nos guiando? Uma coisa é certa, ela canta “Make you feel my love” (Para você sentir o meu amor), do Bob Dylan, incessantemente nos nossos ouvidos surdos:

“Quando a chuva está soprando em seu rosto/E o mundo todo está em sua mala/ Eu poderia lhe oferecer um caloroso abraço/ Para fazer você sentir o meu amor/ Quando a noite escurece, e as estrelas aparecem/ Não há ninguém para secar suas lágrimas/ Eu poderia te segurar por um milhão de anos/ Para fazer você sentir meu amor (...)”.

Não importam as perguntas, o amor sempre será a resposta. É bíblico e também filosófico, como em O Profeta, por Khalil Gibran, um dos meus livros preferidos, onde cada verso nos vira do lado avesso:

“Quando o amor vos chamar, segui-o/Embora seus caminhos sejam agrestes e escarpados;/E quando ele vos envolver com suas asas, cedei-lhe/Embora a espada oculta na sua plumagem possa ferir-vos;/E quando ele vos falar, acreditai nele, /Embora sua voz possa despedaçar vossos sonhos /Como o vento devasta o jardim. /Pois, da mesma forma que o amor vos coroa, /Assim ele vos crucifica. /E da mesma forma que contribui para vosso crescimento, /Trabalha para vossa poda. /E da mesma forma que alcança vossa altura/ E acaricia vossos ramos mais tenros que se embalam ao sol, /Assim também desce até vossas raízes/ E as sacode no seu apego à terra. (...)”

Rose Domingues Reis é jornalista graduada pela UFMT, especialista em Liderança e Coaching – MBA pela Unic, com formação em Psicologia Positiva pelo Instituto de Psicologia Positiva e Comportamento (IPPC) de São Paulo e escreve exclusivamente neste espaço aos domingos. E-mail: rosidomingues@gmail.com

Postar um novo comentário

Ex-vereador por 5 vezes tenta retornar

wilson kishi 400   Após uma década sem encarar uma disputa eleitoral, Wilson Kishi (foto), que já exerceu cinco mandatos de vereador por Cáceres, somando quase 20 anos ininterruptos de assento no legislativo, decidiu se submeter ao teste das urnas de outubro. Vai tentar cadeira de vereador. Se filiou ao PSB, que tem a...

SD e chapa competitiva pra vereador

aluizio lima 400   Comandado no Estado por Zé do Pátio, prefeito de Rondonópolis, o Solidariedade ganhou novos filiados em Cuiabá e já tem uma lista de 32 pré-candidatos a vereador, numa expectativa de conquistar até quatro cadeiras. Além dos recém-filiados, vereadores Vinicius Hugueney...

MDB diz apostar em Thiago em Roo

thiago silva 400 curtinha   Dirigentes do MDB contestam o registro em nota no Curtinhas, assegurando que a oposição está forte em Rondonópolis e que deve unificar os grupos políticos e derrotar o projeto de reeleição do prefeito Zé do Pátio. Pesquisas internas estão deixando...

Pátio, adversários fracos e reeleição

ze do patio 400 curtinha   O prefeito de Rondonópolis Zé do Pátio (foto), por mais populista, demagogo e com uma gestão avaliada pela maioria como desastrosa, caminha a passos largos para conquista de mais um mandato. Tende a vencer pela lógica do menos pior. Seus virtuais adversários são...

Pode recebe 2 já derrotados em BG

sandro saggin curtinha 400   O Podemos conseguiu juntar em Barra do Garças o grupo de dois já derrotados à prefeitura, Daltinho, que também foi deputado e em 2018 teve votação pífia na tentativa de reeleição, e Sandro Saggin (foto), um "eterno" candidato. Entregue ao ostracismo,...

Câmara de Barra devolve R$ 100 mil

joao rodrigues 400 presidente c�mara barra do gar�as   A Câmara Municipal de Barra do Garças devolveu à prefeitura R$ 100 mil para serem investidos em medidas de combate ao novo coronavírus. O presidente do Legislativo, vereador João Rodrigues de Souza, o doutor...

ENQUETE

facebook whatsapp twitter email

Você concorda com a decisão de prefeitos, que começam a decretar estado de emergência, fechando comércio, serviços públicos e o transporte coletivo?

sim

não

sei lá!

Não se trata de pesquisa eleitoral, mas de um mero levantamento de opiniões de leitores do RDNews e do Blog do Romilson, com participação espontânea dos internautas. Resultado sem valor científico.