Sirlei Theis

Pedágio na BR-163

Por 05/10/2020, 07h:58 - Atualizado: 05/10/2020, 09h:00

Arte/Dayanne Dallicani

Colunista Sirlei Theis

No último final de semana viajei para o norte do Estado de Mato Grosso dirigindo e, tive a oportunidade de ver não só o movimento das estradas, como também a situação em que se encontra a rodovia. Para ir e voltar gastei R$40,60 em pedágio. Diante da grande circulação de veículos, imaginei o quanto a concessionária que administra a rodovia arrecada em um dia, uma semana, em um mês ou ainda em um ano.

Nunca fui contra os pedágios até porque já viajei de carro muito para esse região em épocas que a rodovia era praticamente intransitável. A referência que sempre tive de estradas com cobrança de pedágios é das estradas do Estado de São Paulo. Estradas largas, duplicadas, triplicadas, asfaltos perfeitos, acostamentos decentes e sinalização impecável.

A situação da BR-163 realmente está muito melhor do que outrora, mas está longe de valer o valor que pagamos por trecho. Estradas com buracos, cheias de remendos, asfaltos deformados, sinalização deficiente e praticamente inexiste acostamentos. Fatos que contribuem em muito para a quantidades de acidentes fatais que ocorrem nas estradas.

Para quem não sabe, o pedágio é um direito de passagem que pagamos por meio de uma tarifa que permite o veículo passar de uma região para outra. O valor que pagamos serve para manutenção das vias. É uma forma encontrada para restituir a concessionária pelos custos de construção e manutenção das estradas.

É revoltante para nós brasileiros observarmos que em razão de aspectos ideológicos e pela falta de controle fiscal nos recursos públicos nunca recebemos os serviços com a qualidade que deveríamos receber

Sirlei Theis

A construção e manutenção das estradas é uma obrigação dos governos federais, estaduais e municipais, cada qual na esfera da sua competência, mas como bem lembramos, as rodovias em nosso Estado antes da privatização eram intransitáveis, principalmente pelo grande tráfego de veículos pesados com transporte de cargas.

O pedágio que pagamos além de permitir a passagem, também nos dá direitos de exigir que o serviço seja prestado com qualidade. Não podemos nos acomodar e achar que porque está melhor do que antes, já está bom.  Não podemos esquecer que pelo valor que pagamos pelo pedágio temos direitos à manutenção das estradas, além dos serviços de segurança ao motorista, como primeiros socorros, guincho e telefones espelhados pelo percurso da rodovia para ligações de emergência.

Matérias em diversos sites mostram que a arrecadação dos pedágios aumenta a cada ano e de acordo com uma matéria no Nexo Jornal, o Brasil é um dos países que mais concede estradas para a iniciativa privada. Logo, também deveria ser o País com as melhores estradas, o que está longe de ser verdade.

É revoltante para nós brasileiros observarmos que em razão de aspectos ideológicos e pela falta de controle fiscal nos recursos públicos nunca recebemos os serviços com a qualidade que deveríamos receber.

Presenciei nessa viagem acidentes e quase acidentes, que poderiam ter sido evitados se tivéssemos sinalização adequada e também existissem mais acostamentos. Até quando isso vai acontecer em nosso Brasil, até quando?

Sirlei Theis é advogada, especialista em gestão pública, palestrante e treinadora comportamental e escreve com exclusividade para esta coluna às segundas. E-mail: sirleitheis@gmail.com. Instagram: @sirleitheis. Facebook: sirleitheisoficial

Postar um novo comentário

Comentários (1)

  • Citizenship | Segunda-Feira, 05 de Outubro de 2020, 14h50
    0
    1

    No caso da BR-163, a empresa Rota do Oeste, vencedora do leilão de concessão, sofreu a intercorrência de um imprevisto no seu Plano de Negócios, que bloqueou o acesso da empresa aos planos de financiamento bancário necessários para suportar os investimentos necessários para a execução das exigências de modernização previstas no contrato de concessão, firmado ainda sob o governo Dilma Rousseff. Refiro-me à Operação Lavajato, que em nome do combate à corrupção de dirigentes das empresas, dificultou sobremaneira a permanência das empresas no mercado, ainda que seja conhecida a capacidade técnica das mesmas para a execução de grandes projetos de engenharia. Em nome de um saudável e desejável enfrentamento à corrupção, viu-se, por exacerbação persecutória, o desmantelamento de empresas que produziam grande parte da infraestrutura nacional e de empregos. É necessário restaurar o acesso das empresas às linhas de crédito do BNDES e dos demais bancos e esculpir adequações contratuais, para que as empresas concessionárias possam voltar a desenvolver os planos aprovados.

Emanuel é quem mais realizou obras

emanuel pinheiro 400 curtinha   Um levantamento da empresa Percent Pesquisa & Consultoria, feita em Cuiabá entre os últimos dias 13 e 14, destaca que, na percepção de 49% dos cuiabanos, o prefeito reeleito Emanuel Pinheiro (foto) foi o que mais fez obras e serviços. Em segundo lugar, com 19,8%, é citado...

Emendas ajudam Unemat de ROO

thiago silva 400 curtinha   Em reunião com o reitor da Unemat, Rodrigo Zanin, e com o pró-reitor Alexandre Porto, o deputado estadual Thiago Silva (foto) tratou da emenda de R$ 1 milhão para manter o curso de direito e abertura do de jornalismo em Rondonópolis neste ano. E, juntos, definiram o modelo de...

Presidente da Ucmmat quer reeleição

edcley lopes ucmmat 400   Reeleito para o sexto mandato e com a maior votação em Vila Bela da Santíssima Trindade, o vereador Edcley Lopes Coelho (foto), que obteve 391 votos pelo Solidariedade, luta agora por outro desafio. Quer se reeleger presidente da Ucmmat, entidade que congrega as câmaras municipais com seus 1.404...

Elisângela conduz Secom da Câmara

elisangela tenorio 400 curtinha   A jornalista Elisângela Tenório (foto) está de volta ao comando da Comunicação Social da Câmara de Cuiabá. Ela ocupou o mesmo cargo na gestão Justino Malheiros, mas, na época, não teve à disposição estrutura para desevolver uma...

Logística em MT pra distribuir vacinas

mauro mendes 400 curtinha   O governo estadual já providenciou toda logística para levar as vacinas anti-Covid-19 aos municípios. O governador Mauro Mendes (foto) destaca que, em princípio, adquiriu 3,5 milhões de seringas. Os lotes de vacinas chegam a MT até a próxima quarta. Seguindo o Plano...

Emanuel no PTB e reeleição do filho

emanuelzinho 400   O PTB está sendo preparado para receber a filiação do prefeito Emanuel Pinheiro, que iniciou o segundo mandato em Cuiabá. Sem ambiente para seguir no MDB, onde passou a enfrentar resistência de toda a bancada do partido na Câmara Federal e na Assembleia, Emanuel recebeu convite de...

ENQUETE

facebook whatsapp twitter email

O Governo de MT optou pela implantação do BRT em Cuiabá-VG em detrimento do VLT. O que você acha disso?

Estou de acordo

Discordo

Tanto faz

Não se trata de pesquisa eleitoral, mas de um mero levantamento de opiniões de leitores do RDNews e do Blog do Romilson, com participação espontânea dos internautas. Resultado sem valor científico.