Gallo defendeu Pedro e agora defende Mendes

A dívida bilionária de Mato Grosso existe ou não?!

Por 21/01/2019, 06h:55 - Atualizado: 21/01/2019, 10h:23

sirlei theis colunista fixo lateral

Sirlei Theis

Dia desses na internet viralizou o vídeo de um pequeno cachorrinho que teimava em morder o rabo de um crocodilo. Uma, duas, três, até que lá pelas tantas o animal num bote certeiro sumiu nas águas do rio levando o cachorrinho na boca.

São aquelas coisas que todo mundo está vendo que não vai acabar bem, mas que o incauto teima em fazer. Perde a vida, mas não perde a pose. São aquelas pessoas que no final das contas perdem para elas mesmas.

Neste exato momento a sensação que tenho é que nosso Estado passa por situação semelhante. Pessoas que se sentem donas da verdade e não ouvem ninguém, mordem o rabo do crocodilo acreditando que nada vai acontecer.

Vieram os resultados das urnas e Mauro saiu vitorioso. Veio então a diplomação e finalmente a posse e, com ela, uma série de desagradáveis surpresas

Será teimosia, falta de conhecimento, má fé ou falta de assessoramento? Vamos aos fatos: Na campanha eleitoral de 2018, o então candidato Mauro Mendes promoveu a mais feroz oposição ao ex-governador Pedro Taques, que, diga-se de passagem, em outros tempos foi seu aliado. Os muitos ataques chegaram até a esfera pessoal, mas o forte mesmo foi destacar a incompetência de gestão do ex-governador e consequentemente daqueles que participaram daquele desgoverno.

Vieram os resultados das urnas e Mauro saiu vitorioso. Veio então a diplomação e finalmente a posse e, com ela, uma série de desagradáveis surpresas.  Esperava-se o “novo” e o “renovo”, mas, para o espanto de todos, o galo que cantava no terreiro de Pedro Taques foi o escolhido para cuidar dos ovos de Mauro Mendes. Sim, ele mesmo, o Rogério, que colaborou para o caos financeiro de Mato Grosso, foi o escolhido para continuar ao lado do novo governador numa das mais importantes pastas da gestão, a da Fazenda.

Voltando um pouquinho no tempo me recordo muito bem que, na época da campanha o então Secretário de Fazenda, Rogério Gallo, veio a público, no dia 26 de julho de 2018, e desmentiu o então candidato Mauro Mendes em relação aos ataques acerca da dívida bilionária do Estado. Como explicar que a mesma pessoa que negou a existência da dívida bilionária durante a campanha eleitoral, agora afirme em alto e bom tom que a dívida equivale a 10 mega senas acumuladas de fim de ano? Para completar o pacote, um dos principais assessores de Gallo, o adjunto do tesouro durante o desgoverno Taques, foi nomeado para a Secretaria de Gestão e Planejamento.

Até os mais entendidos tem dificuldades para entender essa matemática. Como pode a equipe econômica de uma gestão fracassada ser absorvida por aquele que não poupou palavras para desqualificar tudo que era feito?

Na campanha eleitoral eu, que fui candidata a vice-governadora na chapa do Senador Wellington Fagundes, fui duramente criticada por alguns dos aliados do Mendes quando disse que ele, por suas declarações, demonstrava que não estava preparado para assumir o Estado de Mato Grosso frente ao caos que vivíamos. Na época soou como chororô de adversário político, hoje percebo que, de fato, era mesmo uma análise lúcida e consistente de quem conhece o executivo estadual, pois as decisões equivocadas não pararam no fato do “novo” ter absorvido em seu time os jogadores de ataque do “velho”. 

Pense comigo: se a situação do Estado é muito pior do que se imaginava, o que aconteceu? E pior, o que está acontecendo? Mentiu a equipe econômica em julho quando saiu em defesa de Taques, afirmando que não havia dívida bilionária ou estão mentindo agora? Só a título de informação a referida matéria de 26 de julho de 2018, no site Gazeta Digital traz a seguinte manchete: Gallo desmente ex-prefeito Mauro Mendes e nega dívida bilionária. Isso é no mínimo um bom motivo para o Ministério Público iniciar uma investigação, pois se de fato o Secretário Rogério Gallo e seu time não detêm o conhecimento necessário e o controle das contas do Executivo, podemos ter o estado lançado num abismo sem fim em muito breve. Viagem sem volta que irá sepultar a nós todos, sem falar que o ato de passar informações falsas constitui crime pela nossa legislação. O certo é que, se as informações econômicas do Estado foram maquiadas na campanha ou agora, aqueles que a fizeram não possuem legitimidade para permanecer comandando as pastas econômicas do Estado de Mato Grosso.

O galo que cantava no terreiro de Pedro Taques foi o escolhido para cuidar dos ovos de Mauro Mendes

De forma precipitada, ainda na primeira semana de governo, na ânsia de mostrar o seu conhecimento como gestor, Mauro Mendes começou a fazer declarações equivocadas e, num belo dia, quem amanheceu com um galo na cabeça foram os servidores e a população.

No período eleitoral ele se autopromoveu como um grande gestor e foi com esse discurso que se sagrou vencedor do pleito eleitoral. Agora, optou pelo caminho mais fácil para resolver os problemas do Estado. Sem pudor algum voltou atrás em suas promessas de campanha e nem tinha esquentado a cadeira de mandatário-mor do Executivo quando chegou a conclusão que os servidores públicos eram o grande problema do endividamento do Estado, esquecendo que prometeu pagar os salários dos servidores sem atrasos, que cumpriria a RGA e que valorizaria setores como o da Empaer, que agora teima em querer desmantelar e extinguir sem sequer ouvir os envolvidos.

Como especialista em gestão pública e por conhecer de perto a máquina do Estado, reconheço que o Executivo realmente precisa de uma reforma administrativa e tributária, mas também defendo o Estado necessário, aquele que o cidadão precisa para ter saúde, educação e segurança de qualidade e isso nós não vamos conseguir decretando estado de calamidade pública financeira. Chega a ser vergonhoso para um Estado tão rico como o Mato Grosso, decretar calamidade nos primeiros 20 dias de governo, quando na realidade o que precisamos é de gestão. Calamidade é ver que são os fornecedores, os servidores públicos e o cidadão que vão acabar absorvendo este prejuízo. Solução simplista e a meu ver precipitada. Mas buscar primeiro conhecer os verdadeiros problemas e com cautela fazer uma proposta para reforma administrativa e tributária dentro de 60, 90 ou 100 dias dá muito trabalho, não é mesmo?

Um gestor, por mais que confie na equipe, não pode ouvir uma única versão para tomar uma decisão, pois a saída para um problema pode vir de diversos apontamentos

Penso que cobrando a efetiva participação das carreiras que o estado possui, formando um grande fórum de gestores públicos, fiscais e agentes de tributos e os demais funcionários altamente capacitados, qualificados e que conhecem a máquina de perto, seria bem mais fácil achar uma solução que não jogasse o nome de Mato Grosso na vala da ingovernabilidade.

Eu aprendi que um gestor, por mais que confie na equipe, não pode ouvir uma única versão para tomar uma decisão, pois a saída para um problema pode vir de diversos apontamentos ou ainda da soma de todos eles. Aqui reside o que considero precipitação nos atos do governador Mauro Mendes. As vezes é preciso tempo para escolher a opção que será melhor para todos e, isso, vai determinar se um estado vai crescer ou fracassar.

Vivemos em um Estado rico e mal gerenciado, com um sistema de gestão centralizador e burocrático que por si só já traz prejuízos enormes, agregado a gastos equivocados e desperdício, que ocorrem por falta de planejamento.  Muitas pastas inchadas em suas estruturas podendo ser reduzidas e trazer grande economia para os cofres públicos, sem decisões traumáticas e que impeçam o crescimento do Estado pelos próximos anos.

No passado Dante de Oliveira foi o governador que recebeu o estado num de seus mais difíceis momentos e mesmo assim foi no governo dele que os servidores começaram a ser valorizados com a implantação por exemplo do plano de cargos e carreiras e melhorias salariais.

Vejo um futuro difícil para Mato Grosso, afinal o sonho de vermos grandes investidores e novas empresas se instalando por aqui pode sucumbir devido a intempestiva medida de calamidade pública financeira.

Espero que Mauro Mendes comece a cumprir o que prometeu em campanha e que o Ministério Público de fato investigue essa incongruência dos números pré e pós campanha.

Sirlei Theis é advogada, especialista em gestão pública e escreve com exclusividade para esta coluna às segundas-feiras. E-mail: sirleitheis@gmail.com. Instagram: @sirleitheis. Facebook: sirleitheisoficial

Postar um novo comentário

Comentários (14)

  • Veronica Ribeiro da Silva | Quinta-Feira, 24 de Janeiro de 2019, 22h43
    1
    0

    É um artigo bem postado.As pessoas deveriam ter mais postura e honrar o que ainda existe no ser humano;a herança da verdade.Realmente Sirlei,assistimos e contribuimos a uma evoluçào em MT com muita luta.É um muro desconhecido o servidor pagar pato,para satisfazer o ego de um governo descomprometido com um povo.É preciso ser politicamene correto,porque a criança,o estudante,a nova geração,estão a espera de políticos sérios,comprometido.com a missão a ele confiável.Cado contrátio é devastador.Aceitar esse pacote de maldade de Mauro Mendes é apoiar o retrovesdo fr MT.Pois quem faz o avanço desse estado,é o servidor publico com muita inteligencia.Portanto Sirlei,previsamos de mergulhadores de águas profundas para salvar nesse momento o servidor público. Que bom você está inclusa nessa luta.Obrigada Sirlei por ser nossa ESPERANÇA. .

  • luarapardillo | Quarta-Feira, 23 de Janeiro de 2019, 17h40
    0
    1

    luarapardillo, Há expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas. Queira, por gentileza, refazer o seu comentário

  • Saulo | Segunda-Feira, 21 de Janeiro de 2019, 23h28
    7
    0

    O maior erro do Mauro Mendes foi ter mantido o Galo na sefaz, agora e tarde, ele era cria do Taques.

  • Gonçalina | Segunda-Feira, 21 de Janeiro de 2019, 18h08
    12
    0

    Concordo com vc Sirlei, esse governo tá precipitando as coisas, é muito pouco tempo pra entender o que esta acontecendo e para tomar decisões drásticas.

  • Mairton Bezerra | Segunda-Feira, 21 de Janeiro de 2019, 15h43
    19
    0

    Congratulo pela matéria que explicitou de maneira objetiva o caos promovido pelo desgoverno de Pedro Taques e Mauro Mendes!!

  • Vanderson Ferreira | Segunda-Feira, 21 de Janeiro de 2019, 13h49
    20
    0

    Olha Além de como Sitado pela Nossa querida Sirlei, atitudes equivocadas precipitadas e ir pelo meio mas fácil, e entrando em contradição de suas palavras em campanha, então vamos esperar para ver se melhores decisões e posicionamentos estratégicos financeiros e políticos saia desse novo Quadro pois já de início não é de agrado público.

  • MARIA CELENE | Segunda-Feira, 21 de Janeiro de 2019, 13h40
    21
    0

    Parabéns pela matéria e por citar também que;servidores publicos nao podem pagar por ingerência do gestor estadual. Fico indignada com a declaração do nosso atual Governador em declarar precipidamente,Calamidade Financeira ao nosso estado que se destaca no cenário do agronegócio. Como disse em seu artigo,futuros investidores irão analisar cautelosamente antes de investir em um estado "falido" Vereadora Maria Celene,de Rio Branco

  • Gilmar | Segunda-Feira, 21 de Janeiro de 2019, 09h16
    37
    0

    Que ficou muito estranho ele permanecer com a mesma equipe econômica do governo passado ficou. Daqui 4 anos o rombo vai ser o dobro, parem o vlt quero descer, socoroooooo.

  • alex r | Segunda-Feira, 21 de Janeiro de 2019, 09h15
    28
    0

    Espero que a "justiça " acorde de seu berço esplêndido e trabalhe ao lado do cidadão, pois nosso gestor ja incorreu em diversos crimes... até matéria de cunho constitucional ta mexendo.

  • glmr | Segunda-Feira, 21 de Janeiro de 2019, 09h12
    33
    0

    Gallo... "canta" de acordo com o dono do Galinheiro... E o resto se quiser come "quirela de milho"..... se quiser.

Arco de alianças define vice de Eliene

eliene liberato 400 curtinha   A professora e vice-prefeita de Cáceres, Eliene Liberato (foto), pré-candidata do PSB à sucessão municipal, disse que a definição do nome para vice de sua chapa só sairá na pré-convenção. Até lá, o amplo arco de alianças...

Pesquisa derruba discurso de Jayme

jayme campos 400 curtinha   O resultado da pesquisa Analisando, que traz Emanuelzinho com boa vantagem nas intenções de voto sobre todos os pré-candidatos a prefeito de Várzea Grande, está provocando uma reviravolta nos bastidores. Os dados vieram a público nesta quinta, em publicação no...

Tucano dá título a Bolsonaro em Sinop

dilmair callegaro 400 curtinha   O presidente Jair Bolsonaro, que comanda o país desde janeiro do ano passado, irá receber o título de Cidadão Sinopense, mesmo sem previsão de pisar os pés, por enquanto, ao município considerado Capital do Nortão. A homenagem partiu do vereador do PSDB Dilmair...

Ação pró-Thiago, mas Luizão resiste

carlos bezerra 400   Com uma pesquisa debaixo do braço, cujo resultado traz Thiago Silva na dianteira na corrida à Prefeitura de Rondonópolis, inclusive na frente do prefeito Zé do Pátio (SD), o MDB de Carlos Bezerra (foto) tenta convencer o empresário Luizão (PRB) a recuar para apoiar o...

Padrinho político de Fabio a prefeito

mauro mendes 400 curtinha   Após se reunir com o governador Mauro Mendes (foto) na sexta (14), o suplente de senador Fabio Garcia, presidente regional do DEM, deve oficializar sua pré-candidatura à Prefeitura de Cuiabá. Fabinho quer discutir com Mauro, que é seu padrinho político, o arco de aliança e...

4 ex-prefeitos se juntam em Chapada

gilberto mello 400 curtinha   Considerado nome mais forte da oposição, Gilberto Mello (foto), do PL, lançou sua pré-candidatura à sucessão em Chapada dos Guimarães com apoio de nada menos que três ex-prefeitos, fora ele próprio, que administrou o município entre 2005 e 2008....

ENQUETE

facebook whatsapp twitter email

O Governo de MT estuda retomada das atividades escolares presenciais possivelmente em agosto ou setembro. O que você acha?

Estou de acordo

Não - aulas não podem voltar por agora

tanto faz

Não se trata de pesquisa eleitoral, mas de um mero levantamento de opiniões de leitores do RDNews e do Blog do Romilson, com participação espontânea dos internautas. Resultado sem valor científico.