Unir as Secretarias de Justiça e Segurança é tentar reinventar a roda

Por 04/02/2019, 07h:10 - Atualizado: 04/02/2019, 10h:47

sirlei theis colunista fixo lateral

Sirlei Theis

Semana passada foi publicada a Lei com a nova estrutura organizacional do Poder Executivo do Estado e por querer que o meu querido Mato Grosso se desenvolva, me manifesto. Penso que certas incongruências vão agravar um pouco mais a situação, começando pela junção da Secretaria de Justiça com a de Segurança, modelo que já foi testado diversas vezes e não funcionou. De fato, estas junções e extinções, acabam trazendo gastos e prejuízos para a máquina pública, jamais economia. Vou explicar o porquê.

Penso que certas incongruências vão agravar um pouco mais a situação, começando pela junção da Secretaria de Justiça com a de Segurança, modelo que já foi testado diversas vezes e não funcionou.

Comecei minha carreira na iniciativa privada, depois fui para o judiciário e finalmente cheguei a administração pública do Estado.  O tamanho da burocracia e morosidade que encontrei foi desesperador. Cheguei na época em que foi implantada a centralização da execução com a criação dos Núcleos Sistêmicos. Desde o início me manifestei nos processos de forma a desburocratizar ao máximo possível os procedimentos, sempre defendendo o caminho da celeridade. A luta de tornar os processos o menos demorado possível começou quando assessora e terminou quando Secretária Adjunta de Administração Sistêmica. Neste tempo encontrei o grande vilão dessa história, o sistema de gestão.

No inicio do governo Pedro Taques, em 2015, depois de quase 5 anos como adjunta decidi continuar no cargo. Em nosso primeiro encontro alertei: “governador não se esqueça de mudar o modelo de gestão do estado, pois o atual foi criado para favorecer a corrupção.”. Taques realizou inúmeras mudanças. Vieram então as primeiras decisões, as segundas e nada de se mudar o modelo de gestão, o resultado nós conhecemos.

Ao estudar a proposta administrativa do Governador Mauro Mendes, vejo que ele pode incorrer no mesmo erro de Pedro Taques, chegou propondo uma série de mudanças, mas esquecendo do principal, mudar o modelo de gestão, um sistema de centralização, sem controle, excesso de burocracia, excesso de poder nas mãos de alguns e pires nas mãos de outros.

Já dizia o poeta que o poder é efêmero e concordo plenamente, pois o que tem enterrado o nosso Mato Grosso são as pessoas que não estão preparadas para assumir o “poder” e em nome dele, travam a máquina e nada acontece, enquanto isso nós cidadãos pagamos a conta.

A centralização excessiva impede que as coisas aconteçam, amarra, engessa e ao mesmo tempo traz enormes prejuízos para a administração pública, que somada a falta de controle, facilita a corrupção, pois os sistemas não são integrados. Chega a ser incoerente um Estado que alega dificuldades financeiras e devolve recursos federais porque não consegue licitar. Tudo isso acontece pela incapacidade de execução provocada pelo engessamento da máquina, ou seja, o modelo de gestão.

Sempre defendi e vou continuar defendendo uma reforma administrativa que traga resultados

Sempre defendi e vou continuar defendendo uma reforma administrativa que traga resultados e neste sentido o Estado de Mato Grosso está andando na contramão de tudo que é recomendado ao bom administrador. Pedro Taques teve a dica e ignorou, agora Mauro Mendes não pode ignorar que a mudança no modelo de gestão é o que nosso estado precisa. Sei que muitos poderão ficar contra, mas se tivermos um novo sistema de gestão, com certeza o estado de Mato Grosso inteiro sairá ganhando.

Alguém precisa lembrar o governo que a junção das Secretarias de justiça e Segurança foi um modelo tentado sem sucesso em outras administrações. De lá para cá nada mudou, então de fato esta deve ser mais uma tentativa frustrada que trará gastos agora e depois. Como gestora acompanhei de perto a ultima vez que as duas secretarias funcionaram juntas e participei ativamente do processo de separação das estruturas. Na minha opinião este assunto nem deveria ocupar as poucas forças do governo nesse inicio de mandato. Na melhor das hipóteses estamos perdendo tempo, na pior delas só Deus sabe o tamanho do prejuízo que nos cidadãos vamos amargar. Daqui a pouco vão querer reinventar a roda.

Sirlei Theis é advogada, especialista em gestão pública, e escreve nesta coluna com exclusividade às segundas-feiras. E-mail: sirleitheis@gmail.com. Instagram: @sirleitheis. Facebook: sirleitheisoficial

Postar um novo comentário

Comentários (4)

  • José trancoso | Quinta-Feira, 04 de Abril de 2019, 09h18
    0
    0

    Sirlei, vc esteve mamando nos dois últimos governos e nada fez como Sec Adj do Núcleo Segurança . Todos sabem mto bem do seu oportunismo. Participou do desgoverno do Sinval Barbosa, depois continuou no também desgoverno Pedro Taques. Agora fica querendo escrever bonito pra enganar quem?

  • Paulo | Segunda-Feira, 04 de Fevereiro de 2019, 20h50
    4
    0

    Não ficou claro como seria esse novo sistema de gestão...

  • Claudia | Segunda-Feira, 04 de Fevereiro de 2019, 12h18
    19
    0

    Ótimo texto, mas penso ainda que a Administração Penitenciária poderia seguir modelos com secretaria propria; MT tem ótimos exemplos de melhorias nessa área, onde grande parte se deu graças aos esforços de efetivos do sistema, moralização pelos AGEPENS com muita luta, parcerias publico - privado e pouquíssimo investimento do estado, vimos verbas sendo devolvidas para o depen por falta de projetos na SEJUDH, Recursos para construção de presídios devolvidos por falta de sabedoria na administração, querem privatizar o sistema, mas para isso precisam o falir primeiro, mas se esquecem que enquanto houver pessoas decentes prontas a contribuir para a sociedade, essas ideias que servem para encher bolso de alguns, que não visa o melhor para a sociedade não prosperará. SISTEMA PENITENCIÁRIO VOLTANDO PARA A SESP É VOLTAR AOS PORÕES.

  • oswaldir nunes rondon | Segunda-Feira, 04 de Fevereiro de 2019, 08h59
    14
    0

    Excelente texto. Primeiro, a centralização neste governo vai continuar e se intensificar. Segundo, não haverá neste governo uma mudança significativa no sistema de gestão. Por quais motivos? As respostas todos nós sabemos.

Arco de alianças define vice de Eliene

eliene liberato 400 curtinha   A professora e vice-prefeita de Cáceres, Eliene Liberato (foto), pré-candidata do PSB à sucessão municipal, disse que a definição do nome para vice de sua chapa só sairá na pré-convenção. Até lá, o amplo arco de alianças...

Pesquisa derruba discurso de Jayme

jayme campos 400 curtinha   O resultado da pesquisa Analisando, que traz Emanuelzinho com boa vantagem nas intenções de voto sobre todos os pré-candidatos a prefeito de Várzea Grande, está provocando uma reviravolta nos bastidores. Os dados vieram a público nesta quinta, em publicação no...

Tucano dá título a Bolsonaro em Sinop

dilmair callegaro 400 curtinha   O presidente Jair Bolsonaro, que comanda o país desde janeiro do ano passado, irá receber o título de Cidadão Sinopense, mesmo sem previsão de pisar os pés, por enquanto, ao município considerado Capital do Nortão. A homenagem partiu do vereador do PSDB Dilmair...

Ação pró-Thiago, mas Luizão resiste

carlos bezerra 400   Com uma pesquisa debaixo do braço, cujo resultado traz Thiago Silva na dianteira na corrida à Prefeitura de Rondonópolis, inclusive na frente do prefeito Zé do Pátio (SD), o MDB de Carlos Bezerra (foto) tenta convencer o empresário Luizão (PRB) a recuar para apoiar o...

Padrinho político de Fabio a prefeito

mauro mendes 400 curtinha   Após se reunir com o governador Mauro Mendes (foto) na sexta (14), o suplente de senador Fabio Garcia, presidente regional do DEM, deve oficializar sua pré-candidatura à Prefeitura de Cuiabá. Fabinho quer discutir com Mauro, que é seu padrinho político, o arco de aliança e...

4 ex-prefeitos se juntam em Chapada

gilberto mello 400 curtinha   Considerado nome mais forte da oposição, Gilberto Mello (foto), do PL, lançou sua pré-candidatura à sucessão em Chapada dos Guimarães com apoio de nada menos que três ex-prefeitos, fora ele próprio, que administrou o município entre 2005 e 2008....

ENQUETE

facebook whatsapp twitter email

O Governo de MT estuda retomada das atividades escolares presenciais possivelmente em agosto ou setembro. O que você acha?

Estou de acordo

Não - aulas não podem voltar por agora

tanto faz

Não se trata de pesquisa eleitoral, mas de um mero levantamento de opiniões de leitores do RDNews e do Blog do Romilson, com participação espontânea dos internautas. Resultado sem valor científico.