Vivaldo Lopes

Mato Grosso e o vírus

Por 27/02/2020, 08h:26 - Atualizado: 27/02/2020, 09h:26

Dayanne Dallicani

Colunista Vivaldo Lopes

Definitivamente não podemos mais deixar de considerar os efeitos da epidemia causada pelo coronavírus no crescimento na economia mundial, brasileira e de Mato Grosso.

Os fatos dos últimos dias confirmam os receios iniciais de que as autoridades chinesas não conseguiriam contornar a doença em prazo razoavelmente curto. Fevereiro está findando e os casos de contaminação aumentam em território chinês e se alastram para vários países, com maior gravidade na Itália e Japão. E, em pleno carnaval, o indesejado visitante chega ao Brasil.

Os mercados financeiros de todo o mundo iniciaram esta quarta (26)  tremulantes e nervosos. No Brasil não foi diferente. A Bolsa B3 começou operando com queda acima de 7%. É a maior queda desde o “Joesley Day”, em 2017, quando veio a público a gravação feita pelo empresário Joesley Batista, de uma conversa comprometedora que teve com o então Presidente da República Michel Temer. O dólar fechou o dia próximo de R$ 4,50, exigindo intervenção providencial do Banco Central para evitar maior desvalorização da moeda nacional. Nenhum pânico. A volatilidade é ocasionada pelas incertezas econômicas que afetam a economia mundial em decorrência da demora das autoridades chinesas em controlar a epidemia.

Não é a primeira vez que a China apavora o mundo com a possibilidade de pandemia iniciada em seu território. Já havia acontecido com a Síndrome Respiratória Aguda Grave – SARS, em 2003.

Por ter se tornado a segunda maior economia mundial e apresentar trajetória de crescimento acelerado nas últimas décadas, a freada brusca da atividade econômica chinesa repercute em toda a economia global, afetando as cadeias de suprimentos das indústrias de todos os países. Ao mesmo tempo, a paralisia comercial daquele país reduz suas importações, afetando a atividade econômica mundial já que praticamente todos os países importam e exportam para a China. A restrição de circulação de pessoas reduz drasticamente as viagens de negócios e o turismo mundial. Grandes corporações industriais que tem suas cadeias de suprimentos baseadas na China e empresas exportadoras de commodities já anunciaram a redução de suas metas anuais de faturamento e lucros. Um dos setores mais afetados, as companhias aéreas sofrem com o cancelamento em série de vôos e já antecipam perdas expressivas em seus balanços do primeiro trimestre. Analistas, bancos e consultorias econômicas internacionais dão como certo que o primeiro trimestre está praticamente perdido e revisam suas expectativas de crescimento do PIB mundial para 2020.

Se o cenário mundial não é dos mais favoráveis, em âmbito nacional não será muito diferente. A China é o maior parceiro comercial do Brasil por ser grande compradora de nossas principais commodities: minério de ferro, petróleo cru, soja, milho e carnes suínas, bovinas e de frangos. O cordão de isolamento comercial estabelecido pelas autoridades chinesas reduzirá as nossas exportações no primeiro trimestre, gerando consequências nas expectativas de retomada do crescimento do país para este ano.

Não é a primeira vez que a China apavora o mundo com a possibilidade de pandemia iniciada em seu território

Vivaldo Lopes

A economia de Mato Grosso sentirá, em intensidade menor que a do país, os efeitos da epidemia de saúde que transformou-se em crise econômica. A China é destino de 43% de todas as exportações de nossas principais commodities agropecuárias: soja, milho, algodão e carnes. A despeito de contratados anteriormente, as entregas ficam prejudicadas com a suspensão das movimentações de cargas. A produção mato-grossense certamente será realocada para outros mercados, mas isso não se dará imediatamente. Parte da produção terá espaço no mercado doméstico brasileiro, com o aumento de consumo de soja derivado da elevação da mistura do biodiesel (B11) no diesel e aumento do consumo de ração animal (frangos, suínos e bovinos). Esse fato fez aumentar o esmagamento de soja nos dois primeiros meses do ano, compensando a redução das exportações. O consumo interno do milho também cresceu puxado pelo aumento da sua utilização para ração bovina e pelo forte crescimento da indústria de etanol de milho com instalação de novas plantas industriais.

Como Mato Grosso iniciou o ano com expectativa alta de crescimento do seu PIB em 2020, trabalho com o cenário de que os impactos da crise terão seus efeitos mitigados pelas idiossincrasias de nossa economia. Mesmo assim, é preciso que a solução do problema não se arraste além do primeiro trimestre.

Vivaldo Lopes é economista formado pela UFMT, onde lecionou na Faculdade de Economia.  É pós-graduado em MBA e Gestão Financeira Empresarial pela FIA/USP. Escreve nesta coluna com exclusividade às quintas-feiras. E-mail: vivaldo@uol.com.br

Postar um novo comentário

Comentários (1)

  • samirkhaled | Domingo, 01 de Março de 2020, 09h10
    0
    0

    VC FOI UM GRANDE PARASITA DESSE VÍRUS.

Contrato para tocar eventos do TCE

O presidente do Tribunal de Contas do Estado, conselheiro Guilherme Maluf, fechou um contrato anual com a Infortouch Agência e Comunicação, Eventos e Produtos Alimentícios, aproveitando ata de registro de preços  do Tribunal de Justiça de MT, com adesão-carona num processo de 2019. A empresa vai faturar R$ 376,9 mil para atender demandas do TCE em toda logística de eventos, envolvendo as etapas de planejamento,...

Ação de promotor e volta de restrições

Adalberto Ferreira   O promotor de Justiça Adalberto Ferreira garante que prefeito de Juscimeira Moisés dos Santos não havia editado nenhum decreto endurecendo as regras de restrições à pandemia do coronavírus antes do MPE propor ação na Justiça. Ao falar sobre nota publicada...

Oséas agora está nas mãos de Abílio

oseas machado 400 curtinha   Oséas Machado (foto) conseguiu derrubar Abílio Júnior, a quem denunciou por quebra de decoro parlamentar, e assumiu a cadeira deste na Câmara da Capital. Agora, o cassado se articula para dar o troco. O problema é que ambos estão no PSC. Oséas quer buscar a...

Decreto "anula" o MPE em Juscimeira

moises 400 juscimeira curtinha   Em Juscimeira, o promotor de Justiça Adalberto Ferreira recorreu à Justiça de forma desnecessária. Pleiteou e conseguiu uma liminar para suspender um decreto do prefeito Moisés dos Santos que, segundo a ação, havia reduzido as medidas de isolamento social, permitindo...

Kero-Kero quer levar Abílio para Pode

wilson kero kero 400 curtinha   Na contagam regressiva do prazo para o troca-troca partidário - vence em 3 de abril para quem pretende ser candidato em outubro deste ano -, o vereador Wilson Kero-Kero (foto), do PSL e um dos opositores à gestão Emanuel Pinheiro em Cuiabá, está fortalecendo o Podemos. E se...

ECSP explica confusão com Marcrean

marcrean 400 curtinha   A Empresa Cuiabana de Saúde Pública (ECSP) emitiu nota sobre a suposta “carteirada” do vereador Marcrean Santos (foto) no HMC. Ele foi pivô de confusão e um vídeo viralizou nas redes sociais. Segundo a ECSP, o parlamentar foi até o local pedir informações...

ENQUETE

facebook whatsapp twitter email

Você concorda com a decisão de prefeitos, que começam a decretar estado de emergência, fechando comércio, serviços públicos e o transporte coletivo?

sim

não

sei lá!

Não se trata de pesquisa eleitoral, mas de um mero levantamento de opiniões de leitores do RDNews e do Blog do Romilson, com participação espontânea dos internautas. Resultado sem valor científico.