Vivaldo Lopes

Novo espirro do dragão

Por 08/08/2019, 07h:13 - Atualizado: 08/08/2019, 07h:18

Dayanne Dallicani

Colunista Vivaldo Lopes

A fratricida guerra comercial deflagrada pelo presidente americano Donald Trump contra o império do dragão, a China, vai produzir efeitos positivos na economia de Mato Grosso. Pelo menos no curto prazo, pois a China suspendeu as compras de produtos agrícolas dos Estados Unidos

A fratricida guerra comercial deflagrada pelo presidente americano Donald Trump contra o império do dragão, a China, vai produzir efeitos positivos na economia de Mato Grosso. Pelo menos no curto prazo, pois a China suspendeu as compras de produtos agrícolas dos Estados Unidos. Com isso, deve comprar mais soja, milho e carnes de Mato Grosso, aumentando nossas exportações. O dólar valorizado perante o real turbinará ainda mais os lucros dos exportadores.

Mas não devemos soltar fogos de comemoração, pois o prolongamento dessa disputa vai causar efeitos nefastos na economia mundial, com reflexos negativos na economia mato-grossense.

Puxará para baixo o crescimento global, reduzindo os preços das commodities agrícolas, como soja, milho, carnes suínas e de frango, nossos principais produtos de exportação.

Ao levar a guerra comercial para seu estágio mais perigoso, o presidente Trump anunciou que vai sobretaxar, a partir de setembro, os produtos chineses importados pelas empresas americanas. O dragão reagiu no dia seguinte. O Banco Central da China desvalorizou sua moeda, levando a 7 yuans por dólar, relação nunca vista antes. O yuan mais fraco favorece as exportações chinesas retomando sua competitividade abalada com o aumento das tarifas impostas pelos EUA.

Foi apenas um espirro do dragão, mas suficiente para os mercados mundiais imediatamente ficarem resfriados. O mundo inteiro passou a temer que o resfriado possa virar pneumonia. Bastou o breve sinal e os mercados financeiros do mundo inteiro entraram em pânico.

Investidores buscaram lugares seguros para ancorar seu dinheiro, fugindo dos países emergentes. Todas as bolsas da Ásia, Europa, EUA, Brasil caíram. A bolsa de Wall Street sofreu seu pior dia do ano, o rendimento dos títulos do Tesouro Americano caiu como reflexo da insegurança causada pela medida completamente inesperada dos chineses. A Apple, que tem grande parte de sua produção na China perdeu US$ 69,2 bilhões em valor de mercado num único dia, para ficar em apenas um exemplo. Caíram os preços do petróleo, minério de ferro, soja e carnes. Quebrando uma longa tradição, o Tesouro dos EUA rotulou a China de “manipuladora de moeda”. Soou engraçado, como se os EUA não fossem “manipuladores de tarifas comerciais”.

Em meio a esse turbilhão comercial, o agro de Mato Grosso obterá ganhos no curto prazo com a expansão das exportações, mas deve perdê-los logo à frente

A bolsa brasileira, B3 (antiga Bovespa), teve forte queda, o dólar foi a R$ 4,00 e as ações da Vale caíram quase 4%. A última vez que o dragão havia espirrado foi em 2006 e o mundo inteiro teve um resfriado que virou pneumonia em 2008.

As medidas duras de ambos os lados sinalizam um longo e difícil caminho para solução da disputa comercial, causando danos à economia mundial no médio e longo prazo.

A questão é saber qual o limite que Pequim vai impor na desvalorização de sua moeda para enfrentar o tarifaço imposto por Trump. A espiral de desvalorização pode elevar a inflação, comprimir gastos das famílias, ocasionar desordenadas transferências de dinheiro através de fronteiras, restrição do comércio internacional. Tudo isso abala a confiança dos empresários, desacelerando o já tímido crescimento da economia mundial.

Em meio a esse turbilhão comercial, o agro de Mato Grosso obterá ganhos no curto prazo com a expansão das exportações, mas deve perdê-los logo à frente se os líderes não encontrarem uma alternativa razoável para essa guerra desvairada.

Caso Donald Trump tivesse consultado os sábios anciãos da minha bucólica Alto Paraguai teria, provavelmente, ouvido: não mexa com um tigre, mesmo que estiver dormindo. Sempre será um tigre.

Vivaldo Lopes é economista formado pela UFMT, onde lecionou na Faculdade de Economia.  É pós-graduado em MBA e Gestão Financeira Empresarial pela FIA/USP. Escreve nesta coluna com exclusividade às quintas-feiras. E-mail: vivaldo@uol.com.br

Postar um novo comentário

Comentários (1)

  • alexandre | Quinta-Feira, 08 de Agosto de 2019, 08h39
    0
    0

    O Tigre é um animal selvagem, que precisa de limites, é um império, e imperios gostam de conquistar os outros países... não vendo minha pátria, por dollares aos chineses...

De fora da disputa em Rondonópolis

percival muniz 400   O pecuarista Percival Muniz (foto), hoje "mergulhado" nas duas fazendas na região do Xingu, adianta que não será candidato a prefeito de Rondonópolis, posto já ocupado por ele por três vezes. Mesmo com recall junto à população de bom gestor e popular, ele é...

Conselheira e o faturamento familiar

jaqueline jacobsen curtinha 400   Está repercutindo muito mal para a conselheira substituta do TCE-MT Jaqueline Jacobsen (foto) a notícia publicada pelo site O Livre, nesta sexta, de que a sua irmã, advogada Camila Jacobsen, em sociedade com Eveline Guerra, filha da conselheira, são sócias da "Jacobsen &...

Selma vê maior conforto no Podemos

selma curtinha 400   No grupo de WhatsApp "PSL Mulher MT", Selma Arruda (foto) escreveu um texto de despedida do partido. Disse estar chateada "com tudo isso", mas que não perdeu a fé e que o Governo Bolsonaro vai dar certo. Afirma sair do PSL com "coração partido" e que continua com os mesmos ideais no Podemos, onde...

Podemos esperando Selma se salvar

alvarodias_curtinhas   Na busca para ampliar a bancada do Podemos no Senado, o senador Alvaro Dias, derrotado à presidência no ano passado, só correu atrás de Selma, no sentido de convencê-la a se filiar no partido, depois que foi informado que ela tem chances reais de derrubar no TSE a cassação por...

Fávaro e esperança em assumir vaga

carlosfavaro_curtinha   O representante do escritório de MT em Brasília Carlos Fávaro (PSD) está convicto de que a senadora Selma não só será cassada de vez pelo TSE nos próximos meses, como a decisão da Corte lhe permitirá assumir a vaga enquanto não for eleito um novo...

Maturidade e nova visão sobre o TCE

janaina_riva_curtinha   No segundo mandato e sentindo-se mais madura politicamente, apesar de ainda bem jovem – completou 30 anos em 21 de janeiro – a deputada Janaína Riva revela que pensa diferente sobre a indicação de políticos ao cargo de conselheiro do TCE. Ao autorizar os colegas a derrubar a...

MAIS LIDAS

ENQUETE

facebook whatsapp twitter email

Na sua opinião, como está indo o Governo Mauro Mendes?

excelente

bom

regular

ruim

péssimo

Não se trata de pesquisa eleitoral, mas de um mero levantamento de opiniões de leitores do RDNews e do Blog do Romilson, com participação espontânea dos internautas. Resultado sem valor científico.