Vivaldo Lopes

Perspectivas econômicas para 2021

Por 26/11/2020, 08h:21 - Atualizado: 26/11/2020, 08h:31

Dayanne Dallicani

Colunista Vivaldo Lopes

Uma das tarefas mais ingratas para os economistas é produzir o artigo ou relatório ao final de um ano falando sobre as tendências econômicas para o próximo. Farei nesta coluna a análise do cenário que atribuo como o mais provável para a economia de Mato Grosso em 2021.

A economia global deverá retomar, ainda que lentamente, os níveis de atividade anteriores à pandemia, com os gigantescos estímulos econômicos que todos os países desenvolvidos estão despejando em seus respectivos mercados e redução das incertezas políticas com a posse do novo presidente americano Joe Biden. A China será a locomotiva da retomada do crescimento global.

Nos dois últimos trimestres a economia brasileira mostra boa recuperação dos impactos da covid-19. Os números dos indicadores setoriais, dados do retorno da população às compras sugerem isso. Parte da indústria, como a construção civil e a digital apresentam ritmo até mais intensos do que antes da crise. No comércio, o varejo digital, as vendas de materiais de construção, de móveis e eletrodomésticos também estão mais de 20% acima do observado no terceiro trimestre de 2019. As transferências fiscais maciças do governo federal para estados e municípios e outras medidas de suporte monetárias, como o auxílio emergencial, prudenciais e tributárias explicam boa parte desse dinamismo. Após o relaxamento do distanciamento social, há indícios de que a volta ao trabalho é significativa, tendo começado a ocorrer também entre os trabalhadores empregados sem carteira ou por contra própria. Em regiões de predominância da agropecuária, os indicadores são ainda mais favoráveis.

Trabalho com o cenário base que o PIB brasileiro crescerá 3,5% em 2021. A inflação não sofrerá sobressaltos, ficando próxima de 4% e os juros continuarão baixos com a taxa Selic estabilizada em 2%, com possível viés de suave alta, caso alguns preços continuem subindo no primeiro trimestre.

As idiossincrasias locais tornam as expectativas para a economia de Mato Grosso mais otimistas que as nacionais. A agropecuária, principal motor da economia estadual, terá em 2021 outro ano de ouro. Se 2020 já foi o melhor ano do agronegócio desde 2003, o próximo será ainda melhor. O agro vai colher outra grande safra de soja, milho e algodão. A pecuária também aumentará a produção de carnes bovinas, suínas frangos e ovos. O consumo doméstico continuará em alta com o reaquecimento da atividade econômica e a consequente recuperação de parte dos empregos e da renda do trabalho.

O cenário mais provável é de crescimento da economia de Mato Grosso em 7,5% em 2021

Vivaldo Lopes

A demanda da China seguirá aquecida, em razão das necessidades daquele país, que retomou o crescimento muito antes dos demais países. Os baixos estoques mundiais de mercadorias agrícolas, preços internacionais elevados (em dólares) e a taxa de câmbio favorável, atuarão para a expansão das exportações agropecuárias (soja, milho, carnes), aumentando o faturamento e lucros do setor. A indústria do etanol está acelerada devendo superar os 4 bilhões de litros anuais. A infraestrutura de transportes terá forte impulso com a privatização do trecho da BR 163 de Sinop a Miritituba, no Pará. A administração federal deverá, também, autorizar o início da construção da ferrovia que ligará a cidade de Mara Rosa, em Goiás, até Água Boa-MT.

A operadora ferroviária Rumo deve iniciar a construção do trecho da ferrovia Vicente Vuolo de Rondonópolis a Cuiabá e Nova Mutum. Espera-se para o segundo semestre o leilão da concessão da ferrovia que ligará Sorriso à mesma cidade de Miritituba (PA). O governo estadual também está passando à iniciativa privada a operação de vários trechos de rodovias estaduais. Essas concessões exigirão grande aporte de capitais das empresas vencedoras, aumentando a geração de empregos na indústria da construção civil e nos novos empreendimentos da cadeia de serviços correlatos.

A administração estadual anunciou um grande plano de investimentos (2021–2022) em montante de R$ 9,5 bilhões para melhorar a infraestrutura econômica nas áreas de turismo, construção e manutenção de rodovias, ampliação e digitalização de diversos serviços públicos. O equilíbrio fiscal e o plano de investimentos melhoram o ambiente de negócios e atraem novos investimentos.

O cenário mais provável é de crescimento da economia de Mato Grosso em 7,5% em 2021.

Os principais fatores de risco que podem alterar esse cenário são: a) uma nova onda da covid-19 que exigirá novas e severas medidas restritivas; b) deterioração do poder de consumo das famílias caso o aumento de preços persista; c) o governo federal não aproveitar o bom ambiente da retomada do crescimento para aprovar as reformas junto ao congresso nacional. A conferir.

Vivaldo Lopes, economista formado pela UFMT, onde lecionou na Faculdade de Economia. É pós-graduado em  MBA Gestão Financeira Empresarial-FIA/USP  (vivaldo@uol.com.br)

Postar um novo comentário

Comentários (4)

  • Kaka lourenco | Quinta-Feira, 26 de Novembro de 2020, 19h00
    0
    0

    Cuidado do Roberto Franca kkkkk. Com um articulista desse.

  • Gilmar Maldonado Roman | Quinta-Feira, 26 de Novembro de 2020, 15h51
    0
    0

    Muito bom o artigo do Vivaldo.

  • JONIL | Quinta-Feira, 26 de Novembro de 2020, 15h27
    1
    0

    Contexto muito bem descrito pelo Professor Vivaldo.

  • Paula gambi | Quinta-Feira, 26 de Novembro de 2020, 10h23
    1
    1

    Muito bem informado

Valtenir atrai lideranças para o MDB

valtenir pereira 400   Mesmo sem mandato eletivo, o ex-vereador pela Capital e ex-deputado federal Valtenir Pereira (foto) continua se articulando nos bastidores, agora pelo fortalecimento do seu partido, o MDB. Ele está convencendo algumas lideranças a se filiar na legenda emedebista. Dois líderes são prefeitos...

Chefe do Escritório de ROO em Cuiabá

mario marques 400 curtinha   O prefeito de Rondonópolis, Zé do Pátio, que iniciou neste mês o 3º mandato, mantém como parte da estrutura da administração um cargo de chefe do Escritório de Representação do município na Capital. E Pátio nomeou para esta...

Prefeito cria comitê pra debater modal

emanuel pinheiro 400 curtinha   Mesmo o governador Mauro Mendes já tendo anunciado que vai implantar o BRT na Região Metropolitana, em detrimento do VLT, o prefeito cuiabano Emanuel Pinheiro (foto) criou um comitê de análise técnica para, segundo ele, definir o modal de transporte para a região. Emanuel...

Desembargadores recebem 6 auxílios

maria helena povoas 400   O Tribunal de Justiça de MT, presidido pela desembargadora Maria Helena Póvoas (foto), vai pagar uma série de direitos e vantagens que "engordam" substancialmente o subsídio de seus magistrados e que foram programados pelo ex-presidente Carlos Alberto para liberá-los no orçamento...

Hospital cobra R$ 2,4 mi da prefeitura

luiz carlos pereira 400 tce   O Instituto de Saúde Santa Rosa recorreu ao TCE, na esperança de encontrar respaldo para receber R$ 2,4 milhões da secretaria de Saúde da Capital. Argumenta que a prefeitura, com quem mantém contrato desde 2019, está inadimplente, pois não teria pago integralmente os...

Definido novo presidente do Sanear

hermes avila 400   O prefeito Zé do Pátio nomeou à presidência do Serviço de Saneamento Ambiental de Rondonópolis (Sanear) o engenheiro Hermes Ávila de Castro (foto), que tende a se efetivar no cargo. Hermes ocupa a cadeira que, desde janeiro de 2017, pertencia à Terezinha Silva de Souza,...

MAIS LIDAS

ENQUETE

facebook whatsapp twitter email

O Governo de MT optou pela implantação do BRT em Cuiabá-VG em detrimento do VLT. O que você acha disso?

Estou de acordo

Discordo

Tanto faz

Não se trata de pesquisa eleitoral, mas de um mero levantamento de opiniões de leitores do RDNews e do Blog do Romilson, com participação espontânea dos internautas. Resultado sem valor científico.