Coronavírus

Terça-Feira, 24 de Março de 2020, 14h:00 | Atualizado: 24/03/2020, 14h:19

Salário de servidores pode ter cortes se Estado não arrecadar, alerta governador

Mayke Toscano

Mauro Mendes e Mauro Carvalho.

O governador Mauro Mendes ao lado do secretário Mauro Carvalho (Casa Civil), durante reunião com chefe dos Poderes e órgãos, na tarde de ontem

O governador Mauro Mendes (DEM) sinalizou que pode ter cortes nos salários de servidores se as previsões de queda na arrecadação forem concretizadas. As dificuldades para cumprir com a folha de pagamento dos servidores tem sido antevistas pelos órgãos de controle, como o Tribunal de Contas (TCE-MT), e a situação pode ser agravada com a crise econômica em decorrência da pandemia do coronavírus. Segundo o governador, em entrevista à TVCA nesta terça (24), o Estado já pode ter dificuldade em cumprir com a folha no próximo mês.

Mauro ainda ponderou e defendeu o pagamento dos adicionais para os comissionados em cargos de confiança. “Como vou dizer praquele servidor que assume um cargo de direção que ele não vai receber a mais por isso?"

Ao todo são 48.406 servidores ativos e outros 34.167 aposentados e pensionistas. A folha de pagamento é de cerca de R$ 400 milhões com ativos e R$ 260 milhões em benefícios, totalizando R$ 660 milhões por ano.

Cerca de 91,38% dos servidores ativos, inativos e pensionistas são do Executivo, seguido do Tribunal de Justiça, com 5,49%; Assembleia, com 1,20%; Ministério Público, com 0,82%; Tribunal de Contas, com 0,78%; e Defensoria Pública, com 0,37%

As previsões negativas com o contexto nacional e internacional podem abalar ainda setores que já são beneficiados com incentivos fiscais como o agronegócio que conta com leis específicas para isenção no pagamento de impostos, como a Lei Kandir. Isso porque o maior responsável pela produção do Estado e geração de empregos, não pesa na hora da arrecadação.

A situação do MTPrev também preocupa uma vez que já amarga um déficit atuarial que chegou a R$ 1,13 bilhão em 2018 e desde então não dá sinais de redução.

Reprodução

Folha salarial MT

Postar um novo comentário

Comentários (13)

  • alexandre | Quarta-Feira, 25 de Março de 2020, 12h14
    4
    1

    corta do legislativo e judiciario, VI dos secretarios, corta as verbas indenizatorias, complemento de salario..

  • alexandre | Quarta-Feira, 25 de Março de 2020, 08h47
    5
    0

    Diante da crise, vão cancelar o aumento na previdência ? Se não receber, vou ficar devendo a previdência pro MM...

  • Gilston | Quarta-Feira, 25 de Março de 2020, 08h39
    4
    0

    Este governo não gosta mesmo de servidores publico. Ta sempre arrumando uma desculpa pra ferrar esta classe de trabalhadores. Isso é o dá o povo eleger gente patronal dono de empresa. O cara ja vem com aquela raiva de ter que pagar todo mês salario outros direitos pertinente..

  • Romero | Quarta-Feira, 25 de Março de 2020, 08h38
    3
    3

    Tinha que estabelecer um teto de 5 mil no máximo pra servidores, secretários. Ou vai ter servidor publico dizendo que com 5 mil não se vive?

  • Ggm | Quarta-Feira, 25 de Março de 2020, 07h57
    6
    0

    Governador aí está uma ótima oportunidade para o Sr. Enxugar o estado. E diminuir o gasto público, o Sr. Sabe onde estão os exageiros, baixa uma MP cortando todas verbas indenizatórias.

  • Nota de repúdio Nota | Terça-Feira, 24 de Março de 2020, 20h05
    5
    1

    Engraçado este tipo de materia sensacionalista, por qur nao produz uma materia cobrando dos chefes dos poderes legislativo, judiciário, executivo, TCE e MP para suspende o pagamentos de verbas indenizatórias e qualquer outra vantagem, ficando apenas o salário. Porque nao veta a verba indenizatória aprovada recentemente. Faça uma levantamento de quanto iria economizar dinheiro

  • HELO | Terça-Feira, 24 de Março de 2020, 17h28
    7
    0

    Qualquer evento é motivo para o desgovernador "pisotear " NO SERVIDOR DO EXECUTIVO.Cuidado desgovernador. "Quem o mal faz p'ra si faz"....

  • SOCIEDADE | Terça-Feira, 24 de Março de 2020, 16h35
    18
    1

    INCOMPETENTE DE governador veta qualquer tipo verba indenizatória. FIM DA VERBA INDENIZATÓRIA E ADVOCATÍCIOS. VAMOS REDUZIR NÚMERO DE PRÉDIOS PÚBLICOS ALUGADO E VEÍCULOS

  • Teka Almeida | Terça-Feira, 24 de Março de 2020, 16h20
    8
    0

    Eu vi a entrevista dele no MTTV1. Mas isso foi falado porque os aproveitadores e deputados populistas querem redução de ICMS da luz e tudo que o estado opera. Ele prorrogou o IPVA de março no dia 20, ou seja, quem pagou, pagou pq tinha desconto. Depois do dia 20 não tem desconto e a 11dias para o mês acabar, ai o povo não paga e além de aproveitar a pandemia, vai chegar junho ou julho para pagar, vão alegar que gastaram demais, vão alegar que não receberam e por ai vai... O próprio governo fabrica os caloteiros, cria o seu caos e derrota financeira e vai jogar nas costas do servidor. O que resta é esperar, porque o pior ainda está por vir, quando tudo isso passar. Empresas falidas, industrias falidas e fechadas e o ICMS vai afundar mesmo. Quero ver se ele vai reduzir os super duodécimos, os incentivos fiscais e taxar o agro. Porque o dinheiro tem que entrar já que não pode ser fabricado.

  • MT mais forte | Terça-Feira, 24 de Março de 2020, 15h17
    15
    1

    Infelizmente estamos passando por período de pandemia e seria bom o renomado governador veta qualquer tipo verba indenizatória. FIM DA VERBA INDENIZATÓRIA E ADVOCATÍCIOS. VAMOS REDUZIR NÚMERO DE PRÉDIOS PÚBLICOS ALUGADO E VEÍCULOS

Extremista vai ter que se explicar na PF

Marcelo Stachin 400   O barulhento militante de extrema-direita Marcelo Stachin (foto) tem perdido o palco desde que teve um pífio desempenho nas urnas e acabou com apenas 0,8% dos votos para prefeito de Sinop. Em sua busca incessante por aparecer, o bolsonarista, que é investigado pelo STF por espalhar fake news, decidiu ironizar e...

Prefeitos, MPE e afastamento do cargo

jose antonio borges 400 Prefeitos de MT que descumprirem as diretrizes do decreto estadual que impôs o toque de recolher em todo o território podem até mesmo ser afastados do cargo. O alerta é do procurador-geral de Justiça, José Antônio Borges Pereira (foto), e reforçada pelo procurador Domingos...

Prefeito se rebela e é enquadrado

vander masson 400 curtinha O prefeito de Tangará da Serra Vander Masson (foto), do PSDB, bem que quis ser rebelde, mas acabou enquadrado pelo MPE. Vander fez um decreto mais ameno que o do governo do Estado, impondo toque de recolher a partir das 23h, mas teve de recuar após ser notificado pelo MPE. Nas redes sociais, para evitar desgaste com...

AL realiza lockdown de faz de contas

Funcionários da AL se mostram revoltados com o lockdown de “faz de contas” promovido por deputados. Isso porque, apesar de estar com as portas fechadas, funcionários estariam sendo obrigados a ir trabalhar e entrando por outras portas. Atendem parlamentares que preferem trabalhar presencialmente. Pelo menos 36 funcionários estariam infectados e os servidores temem que mais pessoas sejam contaminadas pelo coronavírus. O pânico ficou ainda maior...

EP na batalha por vacinas e insumos

emanuel pinheiro 400 O prefeito de Cuiabá Emanuel Pinheiro (foto) entrega nesta segunda (8) PL para a aquisição de vacinas para combate à Covid-19, medicamentos, insumos e equipamentos. O documento foi elaborado pela Frente Nacional dos Prefeitos (FNP) e será votado na Câmara. Esse é mais um movimento...

Fúrio volta à carga contra secretário

celio furio 400 curtinha Depois de se enganar ao abrir investigação contra o secretário de Saúde Gilberto Figueiredo e ter de pedir desculpas, o promotor Célio Fúrio (foto) voltou à carga. Fúrio entrou na Justiça para que Gilberto seja condenado à perda da função...