Rainha, curandeira e as revolucionárias que alvoroçaram a cuiabania veja fotos

Selo Cuiab� 300 anos

Mulheres, que fizeram história, ecoam pelos corredores do tempo. Nem sempre seus nomes são lembrados nos livros. Algumas recebem homenagens com nomes em escolas, samba enredo, parque ou teatro. No entanto, apesar do longo apagamento histórico, alguns fatos nunca as impediram de estar no imaginário popular. Todas foram importantes para grandes transformações sociais, cada uma em sua época, predestinadas ao atrevimento de enfrentar os Poderes e o machismo a que eram submetidas. Em Cuiabá, que completa três séculos em 8 de abril, algumas dessas mulheres de fibra escreveram parte da história da Capital e de Mato Grosso. O conta um pouco mais sobre quatro delas.

Para o historiador Pedro Félix, é preciso separar com cuidado o que são os fatos e aquilo que apenas faz parte do imaginário popular. Ressalta que houve uma espécie de contaminação em teorias que visaram denegrir a imagem de algumas delas, em outros tempos, quando apenas homens poderiam ser historiadores ou jornalistas. "Uma coisa é se construir a história e outra coisa é como se conta a história. Precisamos dar destaque aos formatos fantasmagóricos e cheios de boatos que envolvem o universo feminino no decorrer dos séculos. A história é contada por uma visão machista. Geralmente o que se escrevia sobre tudo e todos partia só de olhares masculinos", comenta Pedro.

Teresa de Benguela

Rainha Teresa é uma delas. Notada por pesquisadores em diferentes partes do país, ela foi à única rainha do quilombo e ajudou a libertar índios e negros escravizados no século 18. O Forte permaneceu completamente abandonado por mais de 50 anos e foi localizado por Marechal Cândido Rondon em 1914, responsável pela instalação da linha telegráfica entre Cuiabá e Rondônia. Teresa liderava o Quilombo de Quariterê após o assassinato do companheiro José Piolho. Documentos estimam que haviam mais de 100 pessoas no lugar, sendo 79 negros e 30 índios. O local de resistência permaneceu sob sua proteção até ela ser capturada e morta por soldados em 1770. À época, o quilombo fazia parte das terras cuiabanas, isso porque as demarcações da "grande Cuiabá" eram bem diferentes das hoje existentes.

Reprodução internet

Ilustra��o de Teresa de Benguela figura rainha do quilombo em livros

Ilustração de Teresa de Benguela, rainha do quilombo, está em livros. Ela era companheira de José Piolho. Viviam Quilombo de Quariterê por muitos anos

Teresa tem sua liderança estudada por criar uma espécie de Parlamento, munido de um sistema de defesa. Além disso, o Quilombo de Quariterê cultivava o algodão que, posteriormente, virava tecido. No local, também cresciam plantações de milho, feijão, mandioca e banana, além de existir uma colmeia. Tudo isso fazia com que o grupo fosse independente. A história desta mulher também foi relembrada em 1994 pela escola de samba Unidos da Viradouro no samba-enredo “Teresa de Benguela, uma rainha negra no Pantanal”.

Mãe Bonifácia

Há quem duvide da veracidade da existência de Mãe Bonifácia, uma mulher curandeira, africana, negra alforriada e mãe, que motivou o nome de um parque ambiental na Capital e recebeu uma estátua no centro de suas trilhas. No entanto, a figura, mesmo que simbólica, representa outras mulheres que, assim como Bonifácia, eram protetoras de outros negros e moravam em meio às matas para preparar remédios e chás aos refugiados e doentes que pediam sua ajuda.

Reprodução internet

Mãe Bonifácia foi curandeira e ajudava refugiados atravessarem pelo parque

Mãe Bonifácia foi curandeira e ajudava refugiados atravessarem pelo parque. Tinha um vasto conhecimento sobre plantas e emanava esperança aos outros

Pesquisadores investem na teoria de que, por ter uma idade bastante avançada, no século 19, os senhores do engenho ou capitães do mato não tinham mais interesse em capturá-la. Mãe Bonifácia morou na Estrada da Guia, em um barracão em frente ao 44º Batalhão, local próximo ao local em que iniciava o córrego que também seria batizado com o seu nome. Como curandeira, tinha um vasto conhecimento sobre plantas e emanava esperança aos mais fracos e aos que ainda eram escravizados. Alguns, fugitivos a procuravam e a “mãe” os guiava até um quilombo que se estabelecia na mata densa onde hoje se localiza o parque.

Maria Taquara

Em 1940, retirante do Nordeste, era uma figura bastante comentada pela conservadora cuiabania. Lavadeira, também foi a primeira a vestir calças na cidade. As vestes facilitavam no seu trabalho. Maria Taquara morava num “barraco” em um terreno baldio próximo ao 44º Batalhão. Era uma mulher alta, com aproximadamente 1,80m de altura e usava cabelos curtos.

Reprodução JB Conrado

Maria Taquara foi a primeira mulher a vestir calças e presa pelo mesmo motivo

Retirante do Nordeste, Maria Taquara foi a primeira mulher a vestir calças e foi presa por esse mesmo motivo. Uma escultura faz homenagem a esta figura

Por ser diferente de todas as outras mulheres daquele tempo, chegou a ser presa de forma “indecente” e só foi solta quando uma turista norte-americana chegou na cidade também vestida de calça e camisa de safári para conhecer o Pantanal. Populares ainda acham uma afronta a existência atrevida da retirante. Alguns arriscam dizer que ela era uma prostituta, mas não existem evidências que confirmem este fato. Em sua homenagem foi erguida uma escultura, localizada na confluência das avenidas Generoso Ponce e Prainha, que foi criada pelo artista plástico Haroldo Tenuta. Em 2009, ela foi restaurada por Fred Fogaça.

Zulmira Canavarros

Já virou clichê tratar mulheres como “a frente de seu tempo”, já que muitas não se prenderam aos períodos e modelos de sociedade. Elas lideraram movimentos e combateram preconceitos que ainda estão presentes em nossa sociedade. Pelo menos é nisso que uma das primeiras mulheres a falar sobre “feminismo” em Cuiabá acredita. Contra os padrões, provou que uma mulher não apenas pode entender e gostar de futebol, mas também pode fundar e ser a presidente do primeiro clube de futebol da cidade, o Mixto.

Reprodução internet

Zulmira Canavarros fundou o Mixto, o Clube Feminino e a primeira rádio de MT

Zulmira Canavarros fundou o Mixto, o Clube Feminino e a primeira rádio de MT Voz d’Oeste. É considerada uma mulher a frente do seu tempo e fez história

Zulmira também era compositora, música, dramaturga, esportista e feminista. Fundou o Clube Feminino em 1928, primeiramente para a prática esportista e cultural da cidade. Ela criou um estatuto que só permitia que mulheres fizessem à gestão da instituição. Além disso, para divulgar os movimentos, foi pioneira e fundadora da rádio Voz d’Oeste, em 1939. Essa foi a primeira rádio de Mato Grosso e conectava não apenas a Capital com o interior, mas Mato Grosso com o país inteiro. Atualmente, também é lembrada com nomes de escolas e um dos teatros em Cuiabá.

Galeria: Mulheres ilustres da cuiabania

Manobra e esperteza de uma senadora

Selma Arruda ganhou o noticiário nacional por causa de uma iniciativa marcada pela esperteza. Apresentou na segunda uma emenda ao projeto dos partidos que abria brecha para beneficiá-la num processo eleitoral que pode resultar na cassação do seu mandato. O texto do projeto, segundo informa o Estadão, foi posto em discussão no Senado nesta terça, mas foi derrubado. Assim que foi questionada sobre a alteração que propunha, a senadora...

Análises animadoras sobre gestão EP

emanuel pinheiro 400 curtinha   A equipe estratégica do prefeito Emanuel Pinheiro (foto), que vem analisando erros e acertos da administração em Cuiabá, ficou entusiasmada com resultado de pesquisas qualitativas internas que não só trazem o prefeito com boa avaliação e com chances reais de...

Dodge confunde MT com Maranhão

Raquel Dodge_curtinha   Em seus últimos dias à frente da PGR, a procuradora-geral da República, Raquel Dodge, deixou passar uma gafe no parecer que deu contra a ação que visa revogar limitação da RGA dos servidores públicos de MT. Ao citar que a ação trata da...

Wenceslau Jr age com oportunismo

wenceslau curtinha   O presidente da Fecomércio-MT, Wenceslau Júnior (foto), cotado para disputar a Prefeitura de Cuiabá pelo PSL em 2020, agiu com oportunismo ao se aliar aos vereadores da oposição para trazer o prefeito de Colatina (ES) Sérgio Menghelli para palestrar com objetivo de “queimar”...

Deputados devem "matar" as sessões

A tendência é das quatro sessões ordinárias da semana não ocorrerem na prática. Em princípio, os deputados estavam mobilizados para uma audiência pública nesta terça com vistas a discutir a LDO-2020, mas foi transferida para o próximo dia 30. Como na semana passada, os parlamentares participaram do que chamam de mutirão convocado pela Mesa Diretora, sob pena de terem salário cortado, e votaram 53 projetos...

Filiação no Senado e ato em Cuiabá

selma arruda 400 curtinha   Selma Arruda (foto), com mandato de senadora cassado desde abril pelo TRE e no cargo por força de recursos no TSE, se filia oficialmente ao Podemos nesta quarta, às 14h, no Salão Azul, do Senado, logo após participar de um almoço com as principais lideranças do seu novo partido....

ENQUETE

facebook whatsapp twitter email

Na sua opinião, como está indo o Governo Mauro Mendes?

excelente

bom

regular

ruim

péssimo

Não se trata de pesquisa eleitoral, mas de um mero levantamento de opiniões de leitores do RDNews e do Blog do Romilson, com participação espontânea dos internautas. Resultado sem valor científico.