Touradas, Rusga e choques culturais no coração da América - veja fotos e vídeos

Selo Cuiab� 300 anos

Nos anos 70, quando Milton Nascimento lançou canção com repetidos trechos “eu da América do Sul”, em tom de orgulho, ao dedicá-la para Lennon e McCartney – fundadores da banda The Beatles, também ressonava o amor pelas origens.

Isso porque, com o fim das duas grandes guerras mundiais, antes mesmo do período setecentista, os anos 50 tornaram o Brasil muito mais próximo do país que se transformava em uma potência mundial, os Estados Unidos. The Beatles vendia discos que falavam de amor e paz e ganhavam a adoração global. Logo após a desintegração da banda, Milton lançou seu disco proclamando a latinidade. Com essa canção, ele demonstrou-se contra o movimento de desvalorização que tratava a cultura dos países da América do Sul como “lixo ocidental”. O cantor erguia ali a bandeira em favor de um regionalismo e auto-estima dos que lutavam por uma identidade menos norte-americanizada.

Cuiabá, não inerte aos conflitos mundiais desde o período, findou e recomeçou inúmeras guerras com o decorrer dos séculos - completa três em 8 de abril. Entre aflições e latentes convicções, o coração da América Latina sediou conflitos geopolíticos.

Na Rusga os tiros de prata matavam os traidores

Um dos episódios mais lembrados é o da Rusga, revolta articulada na madrugada de 30 de maio de 1834 no Campo do Ourique. Fez parte das rebeliões ocorridas no período regencial brasileiro.  

Misc

Tourada ocorria no Campo D?Ourique. Hoje, Centro Geod�sico da Am�rica do Sul

Tourada ocorria no Campo do Ourique. Hoje, Centro Geodésico da América do Sul, demarcado por Marechal Cândido Mariano da Silva Rondon, em 1909

A revolta reuniu cerca de 80 revoltosos, que tomaram, a mão armada com facas e espingardas carregadas de balas de prata, o quartel dos guardas municipais. O Campo do Ourique, até então, era palco de eventos culturais, inclusive para o entretenimento dos portugueses, como as touradas. Por ironia do destino, ou não, quase 75 anos depois, a sangria dos bois ou das gargantas cortadas cedeu seu espaço para o Centro Geodésico da América do Sul.

Foi demarcado por Marechal Cândido Mariano da Silva Rondon, em 1909. E lá há, até hoje, um monumento de 20 metros, que fica na frente da Câmara de Cuiabá - veja vídeo abaixo.

Para o historiador e pesquisador Pedro Félix, o fato de Cuiabá estar no centro da América Latina a preservou de mudanças culturais, mas nem por isso amenizou a possibilidade de resistências políticas dos nativos.  “Aqui é um lugar de conquistas, mas custou ter certa homogenia. Devido a existência de diferentes povos, haviam muitos conflitos de ideias”.

Para os nativos cuiabanos, a Rusga se justificou principalmente pela situação de opressão e abuso de autoridade por parte dos comerciantes estrangeiros, que ainda tinham todos os antigos privilégios, mesmo após a declaração da independência no século 19. Aquela também foi à noite com maior matança de portugueses que já havia ocorrido no Brasil até o momento, pois o movimento Farroupilha, que era munido das mesmas intenções, só aconteceria dois anos depois, em 1835.

“Depois da proclamação da independência do Brasil, surgiram inúmeros momentos liberais para instalar um governo com autonomia nas províncias. Apesar de nenhum dos revoltosos sofrer punição das autoridades, o clima de disputa política continuava a se desenvolver em Cuiabá. Em 1836, quando João Poupino Caldas (governou interinamente a Província de Mato Grosso) resolveu ir embora e deixar a província, ele foi morto com uma bala de prata”, descreve Félix. Na história de MT, dois governadores foram assassinados - saiba aqui.

Aqui é um lugar de conquistas, mas custou ter certa homogenia. Pelos diferentes povos, havia muitos conflitos de ideias

Pedro Félix

Neste caso, tudo indica que algum revolucionário da Rusga se vingou. A bala de prata era usada para matar os traidores. O movimento, que aconteceu primeiro em Cuiabá, seguiu com conflitos em Poconé, Santo Antônio do Leverger e Chapada dos Guimarães.

No século 20, mais resistência e choques culturais

Guardada no centro da América, além de protegida, a cultura cuiabana é preservada como “tribal”. Seja no linguajar, que se aproxima das influências espanholas, ou na viola de cocho que, segundo um dos pesquisadores e defensores do instrumento, Habel Dy Anjos – em entrevista ao em 2018, disse que a viola sempre o lembrou os medievais cochinhos árabes.

A socióloga Olga Lustosa não acredita que a cultura cuiabana tenha se perdido em meio ao processo de miscigenação dos povos. No entanto, pondera que é indiferente quando se trata de cultuar, relevar ou assimilar outra cultura. 

Ela pontua este raciocínio analisando a história a partir da metade do século 19, quando a cuiabania teve ainda mais contato com o mundo exterior, através das navegações nos rios Paraguai e Prata. “Neste período foi quando Cuiabá começou a receber migrantes. A desejada pelos presidentes da província de Mato Grosso era certamente a europeia. Porém, esta se dirigia para as regiões mais desenvolvidas do império”. 

Misc

Homens alinhados para evento cultural, as touradas ocorriam como costume de Portugal

Homens alinhados para evento cultural, as touradas ocorriam como costume de Portugal

No entanto, a pesquisadora menciona que os anos 70 tiveram ainda mais destaque nestes conflitos culturais e de reafirmação de ideias. Foi quando o governo brasileiro lançou o Plano de Integração Nacional.

Na prática, o plano servia para promover a expansão da fronteira econômica do país e, com isso, os colonos do Sul do Brasil, boa parte com descendência italiana, chegaram para ocupar espaços nas terras mato-grossenses.  “Uma vasta mistura de raças se instalou em Cuiabá. Trabalhadores, indivíduos desempregados e perseguidos. Na contemporaneidade, a cidade afrouxou seus limites e recebeu refugiados e migrantes em busca de colocações no trabalho e na sociedade”, explica.

O produtor cultural Ivam Belém, por outro lado, confessa ter vivido de forma intensa no período em que os sulistas se instalaram em terras mato-grossenses e acredita ter feito parte de um movimento de resistência. “Os cuiabanos mais tradicionais eram postos de lado ou caçoados entre os sulistas, o que gerava um incômodo e rivalidade entre os grupos”, lembra.

Para o ator, o orgulho de ser cuiabano precisava ser reafirmado para não cair no esquecimento. “Nossa cultura estava sendo inferiorizada e, aos poucos, consumida por outros que tornavam a ter privilégios”, reflete. 

Rodinei Crescencio

Centro Geod�sico da Am�rica do Sul foi demarcado em 1909, 75 anos ap�s a Rusga

Centro Geodésico da América do Sul foi demarcado em 1909, 75 anos após a Rusga. A Capital de MT  passou a ser, desde então, o coração da América do Sul

Galeria de Fotos

Credito: Rodinei Crescêncio
"A identidade de um povo está alicerçada na história dos seus heróis/desbravadores", diz placa
Credito: Rodinei Crescêncio
Placa com coordenadas do Centro Geodésico
Credito: Rodinei Crescêncio
No centro do monumento há as demarcações feitas por Rondon
Credito: Rodinei Crescêncio
Centro Geodésico da América do Sul foi demarcado em 1909
Credito: Rodinei Crescêncio
Monumento fica na frente da Câmara Municipal de Cuiabá

Túlio, desgaste e disputa em Cáceres

tulio 400 caceres   Derrotado a deputado estadual duas vezes, a última em 2018, Túlio Fontes (foto) não sustenta mais o que declarou há três meses, quando anunciou que ficaria de fora da corrida à Prefeitura de Cáceres. Mesmo tendo abandonado o município por um bom tempo, desde quando concluiu...

Disputa em Sinop e vaga na Câmara

juarez costa 400 curtinha   O deputado federal Juarez Costa (foto) tem espalhado que será candidato a prefeito de Sinop, posto já ocupado por ele por dois mandatos. No fundo, o emedebista espera que Rosana Martinelli (PL), que foi sua vice e depois se elegeu prefeita nas urnas de 2016, desista do projeto de reeleição...

Francis forçando a barra ao Senado

francis maris 400 curtinha   Francis Maris (foto), empresário e prefeito de Cáceres, é mesmo corajoso. Ele anunciou que vai reunir colegas prefeitos da região Oeste para discutir a ideia de entrar na disputa ao Senado, na eleição suplementar para a vaga de Selma, cassada esta semana. Francis se acha "o...

Sindal repudia postura de "indicado"

O presidente do Sindal Jovanildo da Silva se diz traído por Osmar Capilé, representante dos segurados da AL e que exerce cargo de diretor dos Aposentados, que votou favorável a nova alíquota de 14% no Conselho da Previdência. O apoio ao aumento da cobrança gerou revolta entre os servidores do Legislativo, que partiram para cima de Jovanildo cobrando explicações. Em nota de repúdio, o sindicato, que o indicou como representante no...

Arena fechada ao público por 3 dias

virginia mendes curtinha 400   Nos seis primeiros dias de portas abertas, a Arena Encantada, considerada o maior parque natalino que Mato Grosso já viu, recebeu quase 10 mil visitantes. Mas ficará três dias inacessível ao grande público. Na segunda (16), a Arena será exclusiva das milhares de crianças...

Insistência em 2 disputas em 2020

adilton sachetti curtinha 400   Aliados de Adilton Sachetti (foto), como Blairo Maggi, orientaram-no a desistir da nova disputa ao Senado, no pleito suplementar do próximo ano, já que pretende concorrer de novo à Prefeitura de Rondonópolis. Avaliam que ele pode se queimar politicamente se continuar demonstrando sede...

MAIS LIDAS

ENQUETE

facebook whatsapp twitter email

Como você avalia a decisão do Supremo de suspender prisão imediata após julgamento em segunda instância?

Concordo

Discordo

Tanto faz

Não se trata de pesquisa eleitoral, mas de um mero levantamento de opiniões de leitores do RDNews e do Blog do Romilson, com participação espontânea dos internautas. Resultado sem valor científico.