ECONOMIA E AGRO

Domingo, 17 de Novembro de 2019, 11h:05 | Atualizado: 18/11/2019, 07h:47

SAÚDE PRIVADA

Agemed deve R$ 16 mi em MT, perde mais de 15 mil vidas e 500 credenciados - leia

Rdnews

Agemed

Agemed vive crise de credibilidade e prejudica os conveniados em todo Mato Grosso

Com uma dívida de R$ 16 milhões em Mato Grosso, a operadora de planos de saúde Agemed vive verdadeira crise de credibilidade junto a seus clientes e estabelecimentos de saúde credenciados. Desde março deste ano, a empresa vem perdendo espaço no mercado. A situação já foi objeto de audiência de conciliação por duas vezes, mas nenhum acordo foi celebrado.

Depois de ter assistido mais de 25 mil vidas no Estado, a Agemed só possui 9.938 clientes, que só contam com uma rede de cobertura restrita.

Em 2013, a Agemed, que tem sede em Joinville (SC), chegou a Cuiabá, mas sua maior expansão em número de vidas foi a partir de 2016, com maios adesões em 2018, quando alcançou 25 mil pessoas, principalmente, conveniados em planos empresariais.

Com preço mais acessível se comparada a outras operadoras, e com número de credenciados que se transformou em um atrativo, a Agemed conseguiu ascensão rápida em Cuiabá e Várzea Grande. Mas no começo deste ano, a empresa começou a apresentar problemas financeiros e não realizar repasses aos hospitais e clínicas particulares.

Na lista mais recente de estabelecimentos e profissionais encaminhada pela Agemed aos seus conveniados na primeira semana de novembro, existem 26 opções de credenciados em Cuiabá. O número já chegou a 560 no período de auge da operadora em Mato Grosso no início do ano passado. Conforme apurado pelo , hoje apenas uma maternidade em Várzea Grande ainda de fato atende pelo plano.

Conveniada à operadora, uma mãe que pediu para não ser identificada, relata que recentemente precisou de um atendimento com urgência para seu filho, e só descobriu que havia apenas um hospital atendendo pela Agemed, depois que não foi atendida em um hospital particular em Cuiabá, onde costuma buscar serviços de saúde. “Quando soube dessa situação resolvi sair da Agemed e vou acionar na Justiça, porque em nenhum momento eu fui informada de que só existia um lugar que atendia pelo plano”, relata.

Em algumas clínicas, o paciente para utilizar o plano de saúde para marcar uma consulta ou fazer exame, precisa primeiro acionar a operadora e esperar ela realizar o pagamento ao prestador para só depois conseguir o agendamento do atendimento.

A diretora-executiva do Sindicato das Empresas de Saúde de Mato Grosso (Sindessmat), Patrícia Chaves West, relata que em junho e julho deste ano, foram realizadas duas audiências de conciliação entre os estabelecimentos de saúde e a operadora junto ao Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT), mas que não se chegou a nenhum acordo.

“Como não recebemos nenhuma proposta, denunciamos a situação à Agência Nacional de Saúde (ANS), mas antes tentamos todas as vias administrativas. Chegamos a encaminhar ofício à operadora requerendo a quitação das dívidas com as prestadoras, a operadora chegou a se comprometer em realizar o pagamento que há época estava em R$ 16 milhões, mas não cumpriu”.

Patrícia explica que há um ano vem ocorrendo o problema de atraso com o pagamento dos serviços prestados pelas empresas de saúde e a Agemed, mas a maioria só percebeu a gravidade do problema depois de quatro meses, já que em alguns casos é o prazo que pode levar até a operadora realizar o pagamento pelos serviços prestados pelas unidades de saúde. 

A superintendente do Procon-MT, Gisela Simona, relata que 100 conveniados já abriram reclamação presencial junto ao serviço de defesa do consumidor, e 58 clientes registraram queixa online. Gisela explica que o órgão já buscou informações junto à ANS, e que está acompanhando a situação.

“A Agemed já está sob intervenção da ANS, por meio de direção fiscal, inclusive os conveniados que pagam o boleto podem perceber que o destinatário do valor não é mais a Operadora, e sim um fundo em específico”.

Gisela ressalta que o problema que tem sido enfrentado pelos clientes mato-grossense é a questão da portabilidade para outras operadoras. “A Resolução ANS sobre a portabilidade é bem específica em relação à carência para migração, o consumidor tem que ter contratado o plano anterior há pelo menos dois anos. A ANS nos informou que está estudando um meio para resolver essa questão”.

Reestruturação

A Agemed disse em nota que passa por uma “reestruturação profunda”, para tornar o modelo de negócio sustentável por longo prazo. “Nesse sentido, conduzimos a transição de modelo de relacionamento com a rede médica, o que vem ocasionando mudanças mais frequentes que o habitual em nossa rede credenciada”.

gisela simona 680

Gisela Simona, superintendente do Procon, revela que já existem 100 reclamações

A operadora afirma que continua garantindo a disponibilidade de todos os serviços contratados, mas que pede desculpas aos beneficiários pelos contratempos decorrentes dos ajustes no quadro de prestadores. Para prestar auxílio caso ocorra dificuldade de encontrar profissionais ou estabelecimentos credenciados, disponibilizou uma linha telefônica 24 horas, exclusiva para agendamentos: 0800 943 4444.

“A partir desse contato, caso seja constatada a indisponibilidade de prestador credenciado, temos como alternativas reembolso e agendamento feito pela própria operadora”.

A Agemed garantiu que pretende manter rede de prestadores completa, mas menos numerosa, por ter optado em manter os planos “financeiramente acessíveis”.

“Temos como intenção fortalecer nossa presença em Mato Grosso, por meio da estabilização da rede médica, e consequente satisfação de todos os públicos com os quais nos relacionamos. Aos beneficiários, destacamos que estamos sempre à disposição para solucionar possíveis contratempos”. 

 

Postar um novo comentário

Comentários (4)

  • | Segunda-Feira, 18 de Novembro de 2019, 13h33
    0
    0

    , Há expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas. Queira, por gentileza, refazer o seu comentário

  • Thayane | Segunda-Feira, 18 de Novembro de 2019, 12h01
    4
    0

    Estou enfrentando um caso grave na família e também à mercê da agemed; que não agenda as consultas nem exames. Só prorroga

  • benedito costa | Domingo, 17 de Novembro de 2019, 12h44
    13
    2

    Não é só esta agência de plano de saúde que está em crise, minha preocupação é a unimed que também não vai lá essas coisas.

  • Lindolfo | Domingo, 17 de Novembro de 2019, 12h22
    17
    1

    Sobre a concorrente que tem uma dívida quatro vezes maior não se faz reportagem. Será por que?

Matéria(s) relacionada(s):

Sindal e a traição por alíquota de 14%

jovanildo antonio sindal curtinha 400   Jovanildo Antonio da Silva (foto), presidente do Sindal que já tem uma atuação pífia, agora está levando porrete de todo lado dos servidores da Assembleia. É que, ao invés de sair em defesa da categoria e se manifestar contra o projeto do governo de elevar a...

2ª suplente de Selma amarga 2 perdas

clerie fabiana curtinha 400   Clérie Fabiana Mendes (foto), que surgiu do nada na vida pública e ganhou notoriedade como 2ª suplente da senadora Selma Arruda, vai perder duas vezes. Primeiro, ficará sem o cargo eletivo, por causa da cassação da chapa, encabeçada por Selma, por caixa 2. Segundo,...

Após aprontar, Abílio pede desculpas

juca do guaran� curtinha 400   Acuado, Abílio Brunini (PSC) recorreu agora a uma outra estratégia na esperança de escapar da cassação do mandato, depois de tanto aprontar, com denúncias sem provas, constrangimento, brigas, manipulação e ataques a diversas pessoas. Da...

Cervejaria cuiabana devolve R$ 270 mi

rogerio gallo 400 curtinha   Após negociação, por intermédio do Comitê Interinstitucional de Recuperação de Ativos (CIRA), uma cervejaria de Cuiabá vai devolver aos cofres públicos cerca de R$ 270 milhões nos próximos dias. O montante se refere a diferenças no ICMS...

Lei em Cuiabá veta cortar luz e telefone

misael galvao 400 curtinha   Seguindo exemplo de outros municípios, a Câmara de Cuiabá, sob Misael Galvão (foto), rejeitou veto do prefeito Emanuel e promulgou uma lei, que proíbe empresas de gás e concessionárias de serviço público de energia elétrica, no caso a Energisa,...

Visita a todos setores e agradecimento

domingos neto tce 400 curtinha   Numa demonstração de humildade e respeito aos servidores, o presidente do TCE Domingos Neto visitou nesta 4ª todo os setores do Tribunal para agradecer pessoalmente o esforço, dedicação e a contribuição de cada colaborador para que sua gestão do...

MAIS LIDAS

ENQUETE

facebook whatsapp twitter email

Como você avalia a decisão do Supremo de suspender prisão imediata após julgamento em segunda instância?

Concordo

Discordo

Tanto faz

Não se trata de pesquisa eleitoral, mas de um mero levantamento de opiniões de leitores do RDNews e do Blog do Romilson, com participação espontânea dos internautas. Resultado sem valor científico.