ECONOMIA E AGRO

Sexta-Feira, 20 de Março de 2020, 14h:05 | Atualizado: 20/03/2020, 14h:10

CALMA NO CAMPO

Aprosoja Brasil garante que produção não vai parar devido ao surto do coronavírus

Ascom Aprosoja-MT

plantio soja

A epidemia de coronavirus não vai paralisar as atividades do campo, que continuará produzindo alimentos mesmo em tempos de crise. A manifestação é do presidente da Associação Brasileira dos Produtores de Soja (Aprosoja Brasil), Bartolomeu Braz Pereira, e serve como um estímulo à sociedade, principalmente urbana, demonstrando que a produção agropecuária dará a sua parcela de contribuição para superar a crise.

“A população urbana está em pânico pelas informações que chegam pelos meios de comunicação e pelas redes sociais. Mas o campo continua produzindo com ou sem coronavirus. Outros setores da economia já estão sendo afetados pela epidemia. Mas nós no campo não podemos parar. Precisamos colher a safra, fazer o manejo adequado para que a produção continue. Os brasileiros podem ficar tranquilos que vamos fazer a nossa parte para manter a economia aquecida, mesmo com essa mazela do coronavirus”, afirma Bartolomeu.

Os sinais do aquecimento da demanda por alimentos vêm da própria China, que está estabilizando a crise do conoravírus. O país asiático importou 82 milhões de toneladas de soja em 2019 e deve importar 85 mi/tons em 2020. E de acordo com o boletim Estimativas de Safra, divulgado pela entidade nesta terça-feira (17/3), dos 120,6 milhões de toneladas que o Brasil produzirá na safra 2019/2020, cerca de 70% devem ser compradas pelos chineses.

Outro sinal vem das vendas futuras. Conforme projeções da entidade, a epidemia do COVID 19 não afetou as exportações brasileiras de soja. O país já comercializou antecipadamente 60% da safra 2019/2020 e 10% da safra 2020/2021.

“A China enfrentou a peste suína africana e o coronavírus, dois cisnes negros que provocaram impacto nas bolsas e no dólar. Mas tudo indica que os problemas internos serão resolvidos e o país tornará a importar perto de 90 milhões de toneladas. O cenário que nós projetamos a partir de informações de mercado é de aumento das importações de carnes e da produção de frango e pescado. As vendas futuras blindaram a soja brasileira”, acrescenta.

A população urbana está em pânico pelas informações que chegam pelos meios de comunicação e pelas redes sociais. Mas o campo continua produzindo com ou sem coronavirus.

Bartolomeu Braz Pereira, presidente da Aprosoja Brasil

Segundo Bartolomeu, o cenário com o dólar no patamar próximo de R$ 5,00 favorece as exportações de produtos agropecuários, entre eles a soja, e permite a entrada de capitais no país.

“O dólar elevado beneficia a exportação. Estamos vendo que o mercado exportador está aquecido. A demanda mundial tem comprado nossos produtos. A soja brasileira é um produto bastante competitivo e é o preferido pelos principais mercados mundiais pela qualidade e preço. Isso leva o produtor a fazer negociações. A cadeia produtiva da soja está aquecida neste momento”, ressalta o presidente da Aprosoja Brasil.

De acordo com o dirigente, o produtor rural tem de buscar as oportunidades proporcionadas pelo câmbio favorável e pelo aumento da demanda, principalmente da China, que começa a se recuperar após a epidemia. Bartolomeu pondera, porém, que o produtor precisa estar atento à melhor estratégia diante da elevação dos custos para aquisição de insumos para a próxima safra.

“Não sabemos o que vai acontecer com o dólar. O importante é buscar a negociação futura para garantir menor custo de produção. Sabemos que esses custos vão subir bastante, que serão impactados pela alta do dólar. A gente não sabe ainda qual vai ser a oferta desses insumos agrícolas, se vai ter alguma atualização. Mas é um tema que teremos de enfrentar, se precaver, fazer Barter e negócios futuros, para garantir melhores custos de produção na safra 20/21”, comenta.

Na avaliação do presidente da Aprosoja Brasil, apesar do adiamento e do cancelamento de feiras de negócios, o produtor tem tecnologia suficiente para manter a produtividade e a produção.  “Entretanto, um ponto que nos preocupa é a situação da cadeia de insumos agrícolas. Esses insumos têm de chegar às mãos do produtor. É necessário buscar melhores negócios para garantir o custo da próxima safra 20/21″, observa.

Conforme informações coletadas pela Aprosoja Brasil junto ao Departamento Norte Americano de Agricultura (USDA), o Brasil segue na liderança do ranking da produção mundial de soja, sendo responsável por 37% da produção no planeta, seguido por Estados Unidos (28%), Argentina (16%) e outros países (demais 19%).

Postar um novo comentário

Comentários

  • Comente esta notícia

Decreto "anula" o MPE em Juscimeira

moises 400 juscimeira curtinha   Em Juscimeira, o promotor de Justiça Adalberto Ferreira recorreu à Justiça de forma desnecessária. Pleiteou e conseguiu uma liminar para suspender um decreto do prefeito Moisés dos Santos que, segundo a ação, havia reduzido as medidas de isolamento social, permitindo...

Kero-Kero quer levar Abílio para Pode

wilson kero kero 400 curtinha   Na contagam regressiva do prazo para o troca-troca partidário - vence em 3 de abril para quem pretende ser candidato em outubro deste ano -, o vereador Wilson Kero-Kero (foto), do PSL e um dos opositores à gestão Emanuel Pinheiro em Cuiabá, está fortalecendo o Podemos. E se...

ECSP explica confusão com Marcrean

marcrean 400 curtinha   A Empresa Cuiabana de Saúde Pública (ECSP) emitiu nota sobre a suposta “carteirada” do vereador Marcrean Santos (foto) no HMC. Ele foi pivô de confusão e um vídeo viralizou nas redes sociais. Segundo a ECSP, o parlamentar foi até o local pedir informações...

PL quer suspender dívidas das cidades

max russi curtinha 400   Ex-prefeito de Jaciara, o deputado Max Russi (PSB) apresentou projeto que visa suspender os pagamentos das dívidas dos municípios com o Estado, durante o período de calamidade pública que foi decretado pelo governo por causa da pandemia do coronavírus. Max ressalta que MT não deve...

Articulação pra tentar voltar ao Procon

gisela simona 400 curtinha   Com adiamento e ainda sem nova data para a eleição suplementar ao Senado, Gisela Simona (Pros), que se afastou do Executivo para concorrer ao pleito, quer retornar ao cargo de secretária-adjunta de Proteção e Defesa dos Direitos do Consumidor (Procon), vinculado à secretaria...

Senadora, ataques e defesa de Galvan

selma arruda 400 curtinha   Selma Arruda, senadora cassada por crimes eleitorais, um deles caixa 2, escreveu artigo entitulado "MP x Aprosoja. Afinal, quem tem razão", especialmente para defender o aliado político Antonio Galvan, presidente da Aprosoja. Ao concordar com plantio de soja dentro de período proibido pela...

ENQUETE

facebook whatsapp twitter email

Você concorda com a decisão de prefeitos, que começam a decretar estado de emergência, fechando comércio, serviços públicos e o transporte coletivo?

sim

não

sei lá!

Não se trata de pesquisa eleitoral, mas de um mero levantamento de opiniões de leitores do RDNews e do Blog do Romilson, com participação espontânea dos internautas. Resultado sem valor científico.