ECONOMIA E AGRO

Segunda-Feira, 11 de Novembro de 2019, 09h:42 | Atualizado: 11/11/2019, 09h:54

frustração

Futuro incerto após leilão do pré-sal põe em dúvida eficácia da "PEC do Pacto"

Com o resultado abaixo do esperado do grande leilão do pré-sal, que não atraiu nenhuma das 18 grandes petrolíferas do mundo, além da Petrobras, os planos do Governo Federal em injetar pelo menos R$ 400 bilhões nas contas dos Estados e municípios nos próximos 15 anos ainda se situam no mundo das ideias. 

Gilberto Leite/Rdnews

vivaldo lops 680

Economista Vivaldo Lopes defende que municípios devem cobrar, dentro da Reforma Tributária, maior participação na distribuição das receitas tributárias

Nem políticos ou economistas arriscam afirmar que esses valores vão se concretizar, se mantido o atual cenário no qual a exploração do pré-sal está sendo transferido quase que com exclusividade para a estatal brasileira, que figura em uma conjuntura na qual não tem condições de explorar, sozinha, todo o petróleo situado em áreas mais profundas do oceano.

A ideia do governo federal, ao projetar R$ 400 bilhões, baseou-se na expectativa de que o leilão do pré-sal fosse um “sucesso” em atração de capital estrangeiro na exploração em modalidade compartilhada, garantindo com isso que 30% do lucro ficasse com a Petrobras.

Esse modelo, segundo o economista Vivaldo Lopes está defasado. “Ninguém (mercado) acredita nisso de ser sócio do governo ou que não terá corrupção. O que as empresas querem é o modelo de concessão, no qual podem ficar com os lucros e pagar o devido custo da concessão ao governo”.

Em suma, os R$ 400 bilhões seriam resultado dos royalties do petróleo que abasteceriam o fundo social, mais um possível aumento de arrecadação de impostos federais gerados pela atividade industrial de exploração, refinamento, transformação e distribuição do petróleo – o que deveria ser fomentado principalmente por capital estrangeiro, que acabou não sendo atraído.

A expectativa frustrada do governo se materializou já no resultado da primeira rodada do leilão que, ao invés de gerar pelo menos R$ 11 bilhões para Estados e R$ 11 bilhões para municípios, só conseguiu render R$ 5 bilhões para cada um, respectivamente. O que estava sendo considerado o início da salvação aos entes já não clareou tanto o céu nebuloso.

Sem condições de se apegar a essa expectativa como saída para a crise fiscal, sobra aos Estados e municípios buscar a via da Reforma Tributária. “Os municípios devem se articular para cobrar dentro da Reforma Tributária maior participação na distribuição das receitas tributárias federais”, defende Vivaldo.

Postar um novo comentário

Comentários (1)

  • alexandre | Segunda-Feira, 11 de Novembro de 2019, 09h54
    2
    0

    O grande erro ,é não mexer com legislativo, judiciário.... o peso não pode ficar ´só para o servidor do executivo..

Gestão Tatá sob várias irregularidades

tata amaral 400 curtinha   A gestão Tatá Amaral (foto), em Poconé, está sendo marcada por uma série de irregularidades. Uma denúncia feita junto ao TCE pelo auditor público interno municipal, Ademar Vivan Júnior, foi confirmada. Descobriu-se, por exemplo, contratação...

Ucamb é multada por irregularidades

edio 400 curtinha   Numa sessão realizada por videoconferência, o TCE puniu o líder comunitário Édio Martins de Souza (foto) por irregularidades num convênio de 2009 com o Estado. Na época, Édio presidia a União Cuiabana de Associações de Moradores de Bairro (Ucamb)....

PSD reforça nome de Flávio em VG

selleman mathias 400 curtinha psd vg   Chamou a atenção a presença do presidente do diretório do PSD, em Várzea Grande, Selleman Mathias (foto), no lançamento da candidatura do empresário Flávio Vargas (PSB) à sucessão da prefeita Lucimar Campos, nesta quarta. Ao que tudo...

Selo Amiga dos Animais pra empresas

misael galvao 400 curtinha   A Câmara de Cuiabá, sob Misael Galvão (foto), vai conceder o selo Amiga dos Animais para 20 empresas. Até o final do ano será realizada uma sessão solene para condecorar representantes dessas empresas. E também estão previstos a entrega da Ordem do Mérito...

Fecomércio vai à AL por menos ICMS

jose wenceslau 400 curtinha   O presidente da Fecomércio, José Wenceslau Souza Junior (foto), revelou nesta quarta, numa live ao RDTV, tv web do portal Rdnews, que vai procurar os deputados para reabrir o debate sobre a pesada carga tributária praticada em MT. Ele recorda que no final de 2019, o governo estadual alardeava que...

Gestores multados por irregularidades

arivaldo 400 curtinha   Dezenas de prefeitos e ex-gestores estão sendo multados por não enviar ao TCE prestação de contas periódica, informações e documentos obrigatórios, o que é considerado falha grave. Arivaldo Medeiros de Santana (foto), prefeito de São José do Povo,...

ENQUETE

facebook whatsapp twitter email

O Governo de MT estuda retomada das atividades escolares presenciais possivelmente em agosto ou setembro. O que você acha?

Estou de acordo

Não - aulas não podem voltar por agora

tanto faz

Não se trata de pesquisa eleitoral, mas de um mero levantamento de opiniões de leitores do RDNews e do Blog do Romilson, com participação espontânea dos internautas. Resultado sem valor científico.