ECONOMIA

Sexta-Feira, 14 de Junho de 2019, 16h:08 | Atualizado: 14/06/2019, 16h:12

visita a mt

Ministro da infraestrutura aponta dois caminhos para ferrovia chegar até Cuiabá

Reprodução/Instagram

Tarc�sio Gomes e Mauro Mendes

Mauro Mendes e Tarcísio Gomes assinam termo com a Rumo para compartilhamento de câmeras de segurança

O ministro de Infraestrutura Tarcísio Gomes declarou, em visita a Rondonópolis nesta sexta (14), que vai trabalhar para viabilizar a chegada da Ferronorte até Cuiabá. A Rumo, concessionária da ferrovia que passa por Mato Grosso e Mato Grosso do Sul até São Paulo, já demonstrou interesse em criar um ramal até Cuiabá, o que tem sido avaliado de forma positiva pelo Executivo federal.

Tarcísio aponta que existem dois caminhos para que a ferrovia chegue até à Capital. A primeira é a concessionária mostrar a viabilidade de ter uma concessão autônoma ligando Rondonópolis a Cuiabá. O segundo caminho é com a simplificação da legislação, criando o regime de autorização no sistema jurídico.

“Aí fica melhor, porque havendo manifestação da concessionária, o Governo autoriza aquele trecho. O projeto está andando bem no Congresso e, com isso, nosso modelo começa a se aproximar do norte americano. O interessado toma o risco de engenharia e faz a ferrovia. A grande vantagem será a perpetuidade do ativo. Isso traz uma percepção de segurança jurídica muito grande para o investidor, porque não tem a questão da reversibilidade do bem”, explica.

O ministro argumenta que no atual sistema de concessão, o investidor precisa devolver o bem ao Estado depois que passa o período de amortização, que é quando se detêm os direitos de exploração econômica do modal. “O investidor passa a ter liberdade maior no que diz respeito à regulação de tarifa e também a perpetuidade do bem. Já a tarifa tem que ser regulada pelo próprio mercado. O que o ministério da infraestutura tem que fazer é dar oferta. Quanto mais oferta, menor tarifa e o preço do frete vai abaixando”.

Pelo termor de ter que devolver o modal à União, a Rumo negocia com o Governo Federal a antecipação da outorga da malha Paulista, na qual desemboca a Ferronorte, para garantir a ampliação na ordem de R$ 7 bilhões, e ampliar de 35 milhões para 70 milhões de toneladas a capacidade de transporte.

Sem ampliar a capacidade de carga, a malha Paulista não conseguirá escoar o volume a ser produzido nos próximos anos em Mato Grosso, e demais Estados do Centro-Oeste, que precisará ser escoado pela região Sudeste, principalmente, rumo ao porto de Santos (SP). Além de logística, também existe a necessidade de segurança jurídica para a Rumo.

Se a empresa investir os R$ 7 bilhões na ampliação da malha Paulista e ao encerrar sua concessão daqui a 10 anos, tiver que entregar a ferrovia à União, terá prejuízos bilionários. Caso o Tribunal de Contas da União (TCU) autorize a antecipação da concessão ainda este mês, como previsto pelo ministro Tarcísio, a Rumo terá maior garantia de que poderá explorar financeiramente a malha ferroviária por pelo menos 35 anos, fator que  garantirá a ampliação da ferrovia em São Paulo mais a construção do trecho até Cuiabá.

Postar um novo comentário

Comentários (2)

  • Francisco Antonio de Almeida | Sábado, 15 de Junho de 2019, 16h41
    2
    7

    É inviável financeiramente ferrovia em Cuiabá. Aqui não tem produção, transportar o que?

  • paulo roberto | Sexta-Feira, 14 de Junho de 2019, 19h43
    2
    4

    Essa conversa de ferrovia do ministro é estória prá boi dormir....E píor é que tem gente que acredita.....kkkkkk

Erros estratégicos e fim de mandato

niuan ribeiro 400   Niuan Ribeiro (foto) termina melancolicamente o mandato de vice-prefeito da Capital, marcado pela ambiguidade, erros estratégicos e vacilações. Logo no início da gestão, resolveu romper politicamente com o prefeito Emanuel, a quem passou a criticar, achando que se consolidaria como...

Retorno ao TCE ou cargo no governo

marcelo bussiki 400 curtinha   A partir de 1º de janeiro, com o fim do mandato de vereador pela Capital, Marcelo Bussiki (foto) retorna ao cargo efetivo de auditor do TCE-MT. Mas é possível que ele seja convidado por Mauro Mendes para compor o quadro de principais assessores do chefe do Executivo estadual. Bussiki foi...

DEM, bate-cabeça e plano B frustrado

fabinho garcia 400 curtinha   O ex-deputado federal e empresário Fábio Garcia (foto) acabou deixando o DEM órfão de candidatura a prefeito da Capital. Numa conversa com o governador Mauro, seu padrinho político, Fabinho o assegurou que iria sim disputar o Palácio Alencastro, mesmo pedindo trégua por...

Mauro sofre 2 derrotas para Emanuel

mauro mendes 400 curtinha   Mauro Mendes (foto), principal estrela do DEM em MT, acabou amargando duas derrotas em Cuiabá para o prefeito Emanuel, neste ano, embora não tenha sido candidato nas urnas. Em princípio, buscou candidatura própria com o seu partido, mas todos os nomes possíveis, como de Gilberto, Gallo,...

Três derrotas do marqueteiro Antero

antero de barros curtinha 400   O ex-senador, jornalista e marqueteiro Antero de Barros (foto) não levou sorte nas campanhas eleitorais as quais coordenou nestas eleições. Em Lucas do Rio Verde, empurrou à reeleição o prefeito Luiz Binotti que, mesmo com o poder da máquina, perdeu para o...

Lideranças jogaram duro contra EP

carlos favaro 400 curtinha   Emanuel Pinheiro teve uma reeleição sofrida em Cuiabá. Lutou contra os principais líderes políticos, que se juntaram em torno da candidatura de Abílio, uns publicamente, outros nos bastidores. O governador Mauro Mendes, por exemplo, jogou pesado para tentar derrotá-lo....

MAIS LIDAS