ECONOMIA E AGRO

Segunda-Feira, 30 de Março de 2020, 18h:08 | Atualizado: 30/03/2020, 18h:30

APOIO À APROSOJA

Selma defende o plantio de soja durante período do vazio sanitário e contesta MP

Luciano Muzzi

Plantio de soja

A senadora cassada Selma Arruda (Podemos) defende plantio de soja dentro de período proibido pela legislação ambiental de Mato Grosso, contrariando postura adotada pelo Ministério Público, da Procuradoria-Geral do Estado e Indea-MT. O posicionamento foi defendido em um artigo intitulado “MP X Aprosoja. Afinal, quem tem razão”, escrito por Selma e divulgado no sábado (28).

Ela questiona a competência do Ministério Público Estadual, da Procuradoria-Geral do Estado e até do Indea-MT, diante do assunto e afirma defender a Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja). Segundo a senadora, os associados da Aprosoja poderiam plantar o grão fora do período permitido, ao argumento de testar a melhoria genética da soja resistente ao fungo da ferrugem asiática.

Já o Ministério Público havia recomendado a suspensão deste plantio “de pesquisa” porque estaria em desacordo com a Instrução Normativa nº 002/2015. A instrução define que “o plantio de lavoura de soja no Estado de Mato Grosso só poderá ser realizado no período de 16 de setembro a 31 de dezembro de cada ano.” A Aprosoja havia começado a fazer o plantio em áreas selecionadas tendo embaixo do braço um acordo extrajudicial sem estar homologado judicialmente, sem a participação do MP e sem a análise da Procuradoria-Geral do Estado. Dessa forma, ao defender o plantio, a senadora, que é juíza de Direito aposentada, está defendendo uma ilegalidade.

Em seu artigo ela escreve que “longe de imaginar que a promotoria esteja agindo com má-fé, o que quero dizer é que a falta de elementos técnicos pode, sim, induzir o órgão a erro”, sugerindo que existe por parte de profissionais que estão tratando do caso, inclusive os próprios promotores de Justiça do Meio Ambiente, ingenuidade e pouca qualificação.

Edilson Rodrigues

Selma Arruda

 

No entanto, de acordo com o Ministério Público em ação civil pública, dentre as irregularidades do fato, a Aprosoja não apresentou uma metodologia científica segura, a fundamentar o plantio em regime de testagem, o que pode trazer sérios problemas ambientais e econômicos para Mato Grosso. Quando foi feito o pedido de pesquisa, o Governo do Estado de Mato Grosso fez uma consulta expressa ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), se a pesquisa estava dentro das normas de defesa fitossanitária ou não, já que Mato Grosso não dispõe de órgão técnico para esse fim.

Entre as condicionantes apresentadas pelo Mapa está justamente a participação da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) no acompanhamento desse plantio, além de outros requisitos. A senadora Selma Arruda ainda alegou ainda que uma “mera nota técnica da Embrapa” não pode ser mais confiável que a pesquisa que a Aprosoja se propõe a fazer. Contudo, é a legislação ambiental que proíbe o plantio nos moldes propostos pela entidade.

A Embrapa, vinculada ao MAPA, possui quase 50 anos de experiência e cerca de 2.500 pesquisadores e mais de cem mil publicações.

Eficácia da calendarização da soja

No artigo científico” Dinâmica temporal da ferrugem da soja associada ao índice de área foliar em cultivares de soja de diferentes grupos de maturidade”, publicado no site da Sociedade Americana de Fitopatologia (APS) em agosto de 2015 confirmou os dados da Embrapa em relação ao período mais adequado do vazio sanitário.

O artigo traz o resultado de uma pesquisa que fez exatamente o que a Aprosoja quer fazer. Entre 2009 e 2011 foram realizados experimentos de plantio em outubro, novembro, dezembro e janeiro. Os pesquisadores concluíram que a soja plantada em outubro tem produtividade maior que a plantada em janeiro. E destacam também que o plantio a partir do final de janeiro “resulta em plantas expostas a condições favoráveis a pragas e doenças”.

Este artigo vai o encontro de um estudo divulgado recentemente pelo Comitê Estratégico Soja Brasil (Cesb) mostrando que o plantio fora de hora estimula a continuidade da presença de fungos, ficando cada vez mais resistentes aos defensivos agrícolas.

E isso acabaria gerando um efeito cascata no agronegócio, pois quanto mais resistente é uma praga, mais aplicações de defensivos são necessárias, tornando a produção mais cara e o lucro menor.

vazio sanitário e janela de plantio

Esses dados confirmam a falta de necessidade do estudo da Aprosoja e que a legislação brasileira está correta na definição do vazio sanitário e a janela do plantio.

O vazio sanitário é o período em que não pode haver nenhuma planta viva de soja no solo para evitar a propagação da ferrugem asiática. Para que esse período possa acontecer entre 15 de junho a 15 de setembro é preciso que haja uma janela de plantio, que em Mato Grosso é de setembro a dezembro.

Postar um novo comentário

Comentários (2)

  • fernando | Segunda-Feira, 30 de Março de 2020, 20h19
    3
    0

    Esta senhora por acaso e agronoma ou tecnica que endende alguma coisa vazio sanitario,nao tanto e que foi cassada por caixa dois ainda fica dando patacada em assunto que nao domina,vai pra enrugada muxiba.

  • Leonildo | Segunda-Feira, 30 de Março de 2020, 20h15
    4
    0

    Nossa, esta mulher está doida! Está totalmente desnorteada na véspera de perder sua mamata. Até puxar o saco do Bozo ela voltou a fazer mesmo depois de ter levado um chute na bunda....

Breunig destaca aprovação de contas

adriano breunig curtinha 400   O professor Adriano Breunig (foto), ex-adjunto e ex-secretário de Estado de Ciência e Tecnologia no Governo Silval e hoje diretor de Políticas de Desenvolvimento Institucional do IFMT, contesta o registro em Curtinha, apontando-o como candidato reserva e "vulnerável" à...

Borgato não sairá mais de secretaria

nilton borgato 400 curtinha   Nilton Borgato (foto), ex-prefeito de Glória D'Oeste e filiado ao PSD, não sairá mais do comando da secretaria estadual de Ciência, Tecnologia e Inovação. Dias atrás, ele chegou a ser avisado pelo governador que seria substituído e que iria para o Escritório...

Dorner vai tentar prefeitura de novo

roberto dorner 400 curtinha   Em Sinop, o empresário e ex-deputado federal por alguns meses Roberto Dorner (foto), que deixou o PSD e aderiu ao Republicanos, está disposto a encarar de novo a disputa a prefeito. Em 2016, ele perdeu para Rosana Martinelli (PR) por uma diferença de 3.388 votos. É possível que ambos...

Um líder sob insatisfação dos colegas

dilmar dal bosco curtinha 400   O líder do governo na Assembleia, Dilmar Dal Bosco (foto), tem enfrentado crítica velada e insatisfação dos colegas, principalmente dos deputados da base. Reclamam que o interlocutor do governador Mauro não move uma palha em defesa da liberação das emendas e, nas...

Jogada do prefeito Francis em Cáceres

paulo donizete 400 curtinha caceres   A sete meses de concluir o mandato, o prefeito cacerense Francis Maris (PSDB) lançou uma jogada estratégica para ver se "cola". Apoia publicamente para prefeito o seu diretor da autarquia Águas do Pantanal, Paulo Donizete (foto), do mesmo partido, inclusive participou da reunião...

Luta por mais leitos de UTI em Sinop

rosana martinelli 400 curtinha   A prefeita de Sinop, cidade pólo do Nortão, Rosana Martinelli (PR), demonstra preocupação com os poucos leitos de UTI do Hospital Regional no município. A unidade atende moradores de mais de 30 municípios da região e só dispõe de 10. Rosana diz esperar...

MAIS LIDAS

ENQUETE

facebook whatsapp twitter email

Você conhece alguém próximo que foi infectado pelo coronavírus?

sim

não

em dúvida

Não se trata de pesquisa eleitoral, mas de um mero levantamento de opiniões de leitores do RDNews e do Blog do Romilson, com participação espontânea dos internautas. Resultado sem valor científico.