ECONOMIA E AGRO

Terça-Feira, 23 de Julho de 2019, 17h:20 | Atualizado: 24/07/2019, 08h:54

MEDIDA DE GUEDES

União quer enterrar FEX e liberar Estados e municípios para taxação do agronegócio

Rodinei Crescêncio

Jayme Campos

Senador Jayme Campos, durante a reabertura do Hospital Estadual Santa Casa, em Cuiabá, na manhã desta terça

Os esforços dos parlamentares federais e governadores para tentar regulamentar o FEX tendem a não ter efeito. Isso porque o Governo Federal, mais precisamente o ministro da Economia Paulo Guedes, estuda o enterro definitivo da compensação paga aos Estados e Municípios em razão da desoneração das commodities que abastecem o mercado internacional.

Em contrapartida, o ministro pretende encaminhar ao Congresso um projeto de lei que permite aos Estados e Municípios praticarem uma alíquota de até 3% sobre os produtos que hoje são isentos, como soja, milho, carnes, algodão entre outros, que são exportados.

O senador Jayme Campos (DEM) explica que o Governo tem justificado a taxação das exportações porque não tem mais condições para recompensar os Estados e municípios com o FEX.  

“Quando se criou esse incentivo no Governo FHC, a intenção era melhorar a produção do campo. Hoje praticamente todos os setores agropecuários estão consolidados. A sensação é que o Paulo Guedes não vai mais repassar esses recursos e em contrapartida vai liberar a cobrança por parte dos Estados e Municípios”.

Anualmente, Mato Grosso recebia cerca de R$ 500 milhões de FEX, sendo que R$ 400 milhões ficava para o Estado e R$ 100 milhões distribuídos aos municípios. Com o fim dos efeitos da compensação em 2017, o Governo Federal parou de fazer os repasses. Em 2018 e neste ano, o Estado não recebeu o recurso. Na avaliação do senador os recursos não repassados estão praticamente perdidos.

Postar um novo comentário

Comentários (1)

  • Carlos | Terça-Feira, 23 de Julho de 2019, 19h20
    4
    9

    Kkkkkkkk vai lá pessoal do agro, vota no bozo. Rindo até 2022.

DEM agora sem amarras dos Campos

frankes siqueira curtinha 400   Sem o controle absoluto dos Campos, como nas últimas duas décadas, desde quando era PFL, o DEM, que não elege vereador em Cuiabá desde 2004, vive melhores expectativas, agora sob comando da ala ligada ao governador Mauro. É presidido pelo secretário de Estado de Governo,...

O pulo de Elias do PSDB para o DEM

elias santos 400 curtinha   Elias Santos (foto), irmão do deputado Wilson, agiu como estrategista na construção de sua pré-candidatura a vereador por Cuiabá. Concluiu que teria mais dificuldades de obter êxito nas urnas no PSDB porque os dois vereadores tucanos que vão à...

DEM e voz na Câmara após 16 anos

marcelo bussiki 400 curtinha   O DEM (antigo PFL) passa a ter voz na Câmara da Capital 16 anos depois. Aproveitando a janela de março em que a Justiça Eleitoral permite mudança de legenda sem risco de perda do mandato, dois vereadores migraram para o Democratas, sendo eles Marcelo Bussiki (foto) e Gilberto Figueiredo, que...

MDB agora com 2 na Câmara-Cuiabá

juca do guaran� curtinha 400   O MDB do prefeito Emanuel Pinheiro, que não elegeu vereador em 2016 em Cuiabá, agora ganha duas vozes na Câmara. Tratam-se de Juca do Guaraná (foto), militante histórico do nanico Avante que resolveu migrar para a legenda emedebista, e do recém-empossado...

PT segue sem voz na Câmara-Cuiabá

bob pt 400 curtinha   O PT, presidido em Cuiabá por  Elisvaldo Almeida, o Bob (foto), está mesmo "queimado" e sem prestígio. Em meio ao troca-troca de partido entre os vereadores cuiabanos, aproveitando a janela de março, cujo prazo para mudanças para quem deseja se candidatar em outubro encerrou-se neste...

Deputado, única causa e os interesses

xuxu 400 curtinha   Xuxu Dal Molin (foto), deputado pouco atuante e limitado a defender a bandeira do agronegócio, é mais um daqueles que demonstram, na prática, usar a política para beneficiar os seus. De familiares de agricultores, Xuxu bateu duro, se posicionando contra a proposta encaminhada pelo governador Mauro...

ENQUETE

facebook whatsapp twitter email

Você concorda com a decisão de prefeitos, que começam a decretar estado de emergência, fechando comércio, serviços públicos e o transporte coletivo?

sim

não

sei lá!

Não se trata de pesquisa eleitoral, mas de um mero levantamento de opiniões de leitores do RDNews e do Blog do Romilson, com participação espontânea dos internautas. Resultado sem valor científico.