ECONOMIA E AGRONEGÓCIO

Segunda-Feira, 15 de Abril de 2019, 17h:04 | Atualizado: 16/04/2019, 01h:44

mercado externo

Juiz determina suspensão de cobrança do Fethab a empresa do ramo de exportação

Victor Humberto Maizman

Advogado Victor Maizman disse que produtos são protegidos de tributação pela Lei Kandir

O juiz Márcio Guedes, da 2ª Vara Especializada da Fazenda Pública de Cuiabá, concedeu decisão liminar favorável ao mandado de segurança impetrado pela empresa Master Comércio e Exportação de Cereais Ltda, garantindo que seja suspensa a cobrança pelo Governo do Estado em relação ao novo Fethab. A reformulação do Fundo gerou a expectativa de arrecadação de R$ 1,5 bilhão este ano, conforme cálculos do Governo.

O magistrado acatou os argumentos defendidos pelo advogado tributarista Victor Maizman que demonstrou a impossibilidade de tributação sobre produtos que servem para o abastecimento do mercado externo, já que são protegidos da incidência de tributação pela Lei Kandir, que é uma legislação federal, sendo que somente a União é a única competente para legislar em torno da imunidade tributária por força da Constituição Federal.

Os argumentos patrocinados por Maizman também apontam que o Fethab tem servido para alimentar outros três fundos privados, administrados pelos setores produtivos do agronegócio, sendo o Fundo de Apoio a Bovinocultura de Corte (Fabov), Instituto Mato-grossense do Algodão (IMAmt) e Instituto Mato-grossense do Agronegócio (Iagro).

“Em tese, o Estado está trocando o ICMS pelo Fethab, o que fere a Constituição Federal e norma federal, no caso a Lei Kandir, já que o recolhimento do Fethab não se trata de uma contribuição financeira, pois, possui natureza compulsória, configurando-se dessa forma como uma tributação”, explica Maizman ao .

Sendo uma tributação, a irregularidade da cobrança do Fethab garantiu argumentos suficientes para que o juiz Marcio Guedes pudesse conceder a liminar, baseado nos princípios do “perigo na demora” e “fumaça do bom direito”, que quando constatados permitem ao magistrado decidir de forma liminar sem entrar no mérito.

“Diante do exposto, concedo a liminar para determinar ao impetrado que abstenha de exigir o recolhimento do Fethab e adicionais, ao Fabov, IMAmt e Iagro como condição para a manutenção da impetrante no regime especial de exportação”, exarou o magistrado.

Postar um novo comentário

Comentários

  • Comente esta notícia

Matéria(s) relacionada(s):

Prefeitura de Barra garante legalidade

joaojakson   Procurador-geral de Barra do Garças João Jackson Vieira Gomes (foto) esclarece, em resposta à curtinha Contrato de R$ 4 mi pra limpeza, que a dispensa de licitação por 6 meses obedeceu todos os tramites legais, sendo que a empresa contratada ofertou o menor orçamento. A...

Vereadores de Acorizal agora com VI

A Câmara Municipal de Acorizal resolveu seguir as demais e instituir verba indenizatória não apenas para os seus nove vereadores. Incluiu também no benefício financeiro ocupantes de diversos cargos. Agora, além do salário, cada parlamentar terá direito a R$ 1,5 mil mensal. E quem ocupa a presidência da Mesa receberá R$ 2 mil. Os vereadores alegam que essa verba tem caráter ressarcitório do exercício da...

Prefeito "estoura" limite da lei fiscal

asiel alt floresta   O prefeito de Alta Floresta, Asiel Bezerra (foto), do MDB, recebeu alerta do conselheiro Guilherme Maluf sobre descontrole dos gastos, principalmente com a folha de pessoal. Debruçada nos relatórios, a Secretaria de Controle Externo de Receitas de Governo do TCE constatou que as despesas com pessoal atingiram...

Trâmites para alugar carros à Câmara

misael galvao curtinha   Diferente dos antecessores, que omitiam informações, principalmente em relação a medidas consideradas impopulares, o presidente da Câmara de Cuiabá Misael Galvão (foto), numa demonstração de transparência e de coragem para enfrentar críticas,...

Silval é chamado de ladrão no Fórum

silval_curtinha   O ex-governador Silval Barbosa, que hoje ganhou o direito ao regime semiaberto, foi hostilizado por populares no Fórum de Cuiabá. Um homem, que estava no corredor, que dá acesso às salas onde acontecem às audiências, gritou: “Silval, ladrão”. Jornalistas chegaram a...

Jayme é simpático à reeleição de EP

jayme campos curtinha   Jayme Campos (foto) vai comprar briga interna no DEM em defesa da reeleição do prefeito Emanuel Pinheiro. Mas o núcleo ligado ao governador Mauro Mendes não é muito simpático a essa ideia. Numa reunião recente, com participação de Mauro Carvalho,...

ENQUETE

Tramita na Câmara Federal o projeto 832/2019, do deputado José Medeiros, requentando uma proposta de 2007 do então deputado Jair Bolsonaro, propondo extinguir o Exame da Ordem como exigência para inscrição na OAB e, assim, poder exercer a profissão. O que você acha disso?

Concordo - esse Exame tem de acabar

Discordo - bacharel precisa, sim, se submeter ao Exame

Sei lá!

Não se trata de pesquisa eleitoral, mas de um mero levantamento de opiniões de leitores do RDNews e do Blog do Romilson, com participação espontânea dos internautas. Resultado sem valor científico.