ECONOMIA E AGRO

Quarta-Feira, 19 de Junho de 2019, 16h:45 | Atualizado: 19/06/2019, 17h:22

Alternativa

Empresários sugerem crescimento da economia para não aumentar impostos

Divulgação

Mauro empresários

Lideranças empresariais de MT se reúnem com o governador Mauro Mendes e secretários

A expansão econômica como alternativa para alavancar a arrecadação do Estado sem aumentar a carga tributária, essa foi a proposta apresentada pelos empresários do comércio em reunião com o governador Mauro Mendes (DEM). Líderes de associações de classe que representam o segmento entregaram um documento elaborado pela equipe econômica-tributária das entidades e confirma que o aumento de impostos amplia a crise que já acomete o país, pois as empresas do comércio local irão sofrer, ainda mais, com a concorrência provocada pelo uso crescente do comércio eletrônico, além da concorrência com estados vizinhos, que possuem menor carga tributária.

A reunião contou com representante da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo de Mato Grosso (Fecomércio-MT), Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas de Mato Grosso (FCDL/MT), Federação das Associações Comerciais e Empresariais de Mato Grosso (Facmat), Associação Matogrossense de Atacadistas e Distribuidores (Amad), Associação Comercial e Empresarial de Cuiabá (ACC) e Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL Cuiabá), durante reunião com o governador de Mato Grosso, Mauro Mendes (DEM) e com o secretário-chefe da Casa Civil, Mauro Camargo, realizada no Palácio Paiaguás, em Cuiabá.

Para a Fecomércio-MT, a proposta das entidades visa estimular o aumento da arrecadação estadual, sem onerar a população, que é quem paga a conta do aumento de impostos. “O principal personagem que é penalizado com o aumento da carga tributária é o cidadão, que paga mais impostos. O empresário é, apenas, um mero repassador desses impostos ao governo”.

A proposta ressalta também a importância do comércio para a economia e a empregabilidade no estado, além de ser o principal arrecadador da principal fonte de recursos do governo estadual – o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Prestação de Serviços (ICMS). Para se ter uma ideia, o setor do comércio, sozinho, representou 66% da fonte de receita do estado, que somou mais de 6,7 bilhões de reais em 2018.

Para o deputado estadual e líder do governo na Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT), Dilmar Dal Bosco (DEM), que participou da reunião, ressaltou o empenho da classe empresarial ao apresentar a proposta, considerada solidária pelo deputado. “O pedido dessa reunião, feito pelo presidente da Fecomércio-MT, é muito importante e mostra que tanto o setor produtivo quanto o governo buscam resolver os problemas de Mato Grosso”.

O documento reforça ainda a imprescindível manutenção da carga tributária, inclusa nas disposições da lei complementar nº 160/2017 e convênios nº 190/2018 e suas alterações, que deverá ocorrer até o dia 31 de julho de 2019. Para isso, Dilmar Dal Bosco confirmou que o governo pretende encaminhar até a próxima semana, o texto que trata do assunto, para ser discutido na ALMT, antes do recesso de julho.

A não manutenção da carga tributária atual do ICMS, acentuará a forma predatória da guerra fiscal, através de benefícios que continuam largamente sendo oferecidos por outros estados brasileiros.

A proposta também aborda a grande diferença da alíquota cobrada para empresas inclusas no Simples Nacional, em relação aos demais regimes de tributação do ICMS no estado. Por exemplo, a carga tributária média de ICMS de uma empresa no Simples é de 7,5% e salta para uma tributação média de 19% no regime normal, o que, na prática, gera desestímulo no empresariado e influenciando no progresso das empresas e, por conseguinte, na arrecadação do estado.

Participaram da reunião, além das entidades envolvidas no trabalho, o Sindicato Mato-grossense de Armazéns Gerias (Sindimag), Sindicato do Comércio Atacadista e Distribuidor de Mato Grosso (Sincad-MT) e Associação dos Comerciantes de Materiais de Construção de Mato Grosso (Acomac-MT).

Postar um novo comentário

Comentários (1)

  • Gauber | Quarta-Feira, 19 de Junho de 2019, 18h50
    0
    2

    Ah pra empresário Mauro Mentes atende tudo. Vai arrancar dos trabalhadores pra encher o bolso já gordo desse povo.

Queda-de-braço em Alto Araguaia

gustavo melo 400 curtinha   O prefeito de Alto Araguaia, Gustavo de Melo (foto), enfrenta uma queda-de-braço com os vereadores. Recentemente, oito dos 11 parlamentares encaminharam ofício ao chefe do Executivo, inclusive com cópia para o MPE, considerando inoportuna, descabida e suspeita, neste momento de pandemia, fazer obra...

Estado amplia leitos de UTI no Sul

gilberto figueiredo 400 curtinha   O secretário estadual de Saúde Gilberto Figueiredo (foto) reclama, sem citar nome, da forma como a prefeitura rondonopolitana está encarando a pandemia da Covid-19. Mesmo o governo federal já tendo pago diárias antecipadamente e, inclusive por três meses, de 10 leitos de...

Briga inconsequente com Santa Casa

z� do patio 400 curtinha   Acuado pela consequência da falta de planejamento e de gestão, o prefeito Zé do Pátio (foto), de Rondonópolis, está numa luta descabida de tentar encontrar culpados pelo avanço da Covid-19 no município. A prefeitura não construiu, sequer,...

2 secretários acionados sobre compras

ozenira 400 curtinha   Os secretários municipais de Cuiabá, Luiz Antonio Possas de Carvalho (Saúde) e Ozenira Félix Soares (foto), de Gestão, têm 48 horas para prestar esclarecimentos sobre compras, sem licitação, de óculos de proteção e macacões destinados a...

Valdir, conta rejeitada e pedido negado

valdirzinho 400 curtinha   Valdir Pereira de Castro, o Valdirzinho (foto), prefeito de Santo Antonio de Leverger, ingressou com pedido de revisão no TCE sobre o parecer contra aprovação das contas de 2018. O Tribunal apontou uma série de irregularidades, entre elas registros contábeis incorretos, abertura de...

Stopa vira trunfo do prefeito Emanuel

jos� roberto stopa 400   Filiado histórico do PV, José Roberto Stopa (foto) se tornou espécie de trunfo do prefeito Emanuel Pinheiro. Se o emedebista resolver buscar a reeleição, o que seria o caminho natural, Stopa pode entrar na chapa como candidato a vice ou simplesmente ficar de fora do...

ENQUETE

facebook whatsapp twitter email

Como você avalia a administração Emanuel Pinheiro em Cuiabá

excelente

boa

regular

ruim

péssima

não sei

Não se trata de pesquisa eleitoral, mas de um mero levantamento de opiniões de leitores do RDNews e do Blog do Romilson, com participação espontânea dos internautas. Resultado sem valor científico.