ECONOMIA E AGRONEGÓCIO

Sexta-Feira, 11 de Janeiro de 2019, 14h:46 | Atualizado: 11/01/2019, 15h:01

AUMENTO DAS ALÍQUOTAS

Fórum do Agro não concorda com Fethab de Mauro e vai entregar proposta na 2ª

Assessoria

 Forum Agro algod�o

Fórum do Agro, liderado pelo presidente da Famato, Normando Corral,  durante a  reunião

Representantes do agronegócio, reunidos no Fórum Agro MT, criticaram a proposta do governador Mauro Mendes (DEM) de unir o Fethab 1 e 2 e aumentar a alíquota sobre a comercialização de commodities no mercado interno e também nas exportações. O grupo entregaria uma contraproposta nesta sexta (11), mas adiou o ato para segunda (14).

A perspectiva da proposta do governo é arrecadar R$ 1,4 bilhão este ano e destinar 35% exclusivamente para a Secretaria de Infraestrutura (Sinfra).

O aumento mais expressivo deve ocorrer sobre o algodão, que deixará de recolher R$ 28,4 para R$ 48,6 por tonelada se for vendida no mercado interno e R$ 277 se for para exportação, totalizando um percentual de 200% para cada tonelada do produto.

O projeto foi entregue por Mauro à Assembleia, oficialmente, na quinta (10). O presidente do Legislativo, deputado Eduardo Botelho (DEM), prometeu uma agenda de votações para aprovar, ainda em janeiro, este e outros projetos do pacote de ajuste fiscal proposto pelo novo governador.

O Fórum Agro MT é formado por por lideranças da Famato, Aprosoja, Ampa, Acrimat, Acrismat e Aprosmat. O grupo se reuniu hoje, com participação de representantes dos setores de cana de açúcar (Sindalcool), madeira (Cipem), etanol de milho (Unem), feijão, trigo e irrigantes (Aprofir).

“A nova proposta não leva em consideração o impacto negativo que causará na atividade. Foi feita para fechar as contas do governo e não podemos ficar a todo momento a mercê de decisões para cobrir o rombo do estado. O governo é novo, mas o estado é o mesmo. Até agora não ouvimos propostas para realmente acabar com o crescimento dos gastos. Na próxima semana vamos apresentar para o governo a nossa contraproposta”, afirmou o presidente do Sistema Famato e do Fórum Agro, Normando Corral, em nota.

A medida proposta pelo governo deve afetar a comercialização de soja, algodão, madeira, gado em pé, milho, cana de açúcar e carne. O grupo discorda do acréscimo da cobrança sobre as commodities.

Nova alíquota

Até 31 de dezembro de 2018, quando ainda estava em vigor o Fethab 2, o Estado recolhia 20,4% da UPF, que está calculada em R$ 138,99, por tonelada de algodão transportado.

Com a nova proposta, a alíquota subirá para 35%, o que significa que a cada 1 milhão de quilos de pluma – ou 1 tonelada de algodão – transportado no mercado interno, serão recolhidos R$ 48 que serão direcionados para o Fethab. Se for para o mercado externo serão R$ 277, ou 200% da UPF.

Sobre a soja, vigorou até ano passado a alíquota de 19,21% da UPF por tonelada de grãos transportada. Na proposta de Mauro esse valor vai para 20%, totalizando cerca de R$ 27 (t), isso se o destino da carga for o mercado interno. Caso seja o mercado internacional, o percentual a ser aplicado será de R$ 28%, chegando a R$ 38 (t).

A venda de bovinos vivos, chamados de gado em pé, também terá alteração, passando de 23,52% até 2018 para 30% da UPF por cabeça transportada para abate. Se aprovada a nova regra, o Estado recolherá R$ 41 por animal.

Também sobre a madeira haverá mudanças, sendo que hoje são 9,3% da UPF, e Mauro quer 12%, o que somará R$ 16 por metro cúbico vendido.

Milho, carne bovina e cana-de-açúcar

De 2000 até 2018 o governo não cobrava o Fethab sobre o milho, carne bovina e cana-de-açúcar. Dessa vez, a proposta é uma tarifa de 3% de UPF sobre a tonelada de milho, 0,5% sobre a tonelada da cana-de-açúcar, com destino ao mercado de exportação.

No caso da carne bovina, as alíquotas vão variar entre 0,06% e 0,12% por quilo dependendo do tipo da carne (desossada, com osso, miudezas e desossada).

“Realça-se que nas hipóteses em que houve majoração, o recolhimento do Fethab não é obrigatório, oferecendo-se ao contribuinte a opção pela tributação pelo ICMS com a aplicação das regras de não cumulatividade”, diz a proposta do Fethab de Mauro. 

Postar um novo comentário

Comentários

  • Comente esta notícia

Matéria(s) relacionada(s):

Formatura motiva vinda de diretores

A secretaria estadual de Segurança Pública esclarece, em nota acerca da Curtinha intitulada "Lobby pra permanecer adjunto", que a vinda a Cuiabá de diretores de unidades prisionais tem único objetivo de participar de formatura dos novos servidores do Sistema Penitenciário, realizado nesta quarta à noite, no ginásio Verdinho. Nega, portanto, que tenha sido para reforçar movimento pela permanência de Emanuel Flores no cargo de...

Ação "lobista" pra permanecer adjunto

emanuel flores curtinha   Em tempos de crise, o secretário-adjunto de Administração Penitenciária Emanuel Flores (foto) remanescente do Governo Taques (PSDB) e para cujo cargo foi indicado pelo coronel Siqueira Junior, preso e denunciado na “grampolândia”, tomou uma decisão como parte de uma...

Gisela já some da luta dos servidores

gisela curtinha   A advogada Gisela Simona (Pros), que teve votação expressiva (50.682 votos) e ficou na 1ª suplência de deputada federal, com empurrão substancial dos servidores públicos, simplesmente sumiu dos movimentos sindicais e das campanhas da categoria neste início do Governo Mauro contra o...

Diretora-geral toca Regional de ROO

gilberto figueiredo curtinha   O secretário estadual de Saúde Gilberto Figueiredo (foto) empurrou para Caroline Campos Conturbia a missão de fazer funcionar o hospital regional de Rondonópolis. Ela foi nomeada como diretora-geral. A unidade teve contrato de gestão emergencial encerrado desde novembro passado com o...

Braço de Pagot vira adjunto na Sinfra

nilton de brito curtinha   O engenheiro civil Nilton de Britto (foto) é o novo secretário-adjunto de Obras da secretaria de Infraestrutura e Logística do Estado. Trata-se de um técnico bastante experiente na atividade pública e muito ligado a Luiz Antonio Pagot, que foi supersecretário da gestão...

Irmão de senador é secretário-adjunto

wener santos nova marilandia curtinhas   Filiado ao PP, que fez parte da coligação de Wellington Fagundes (PR), segundo colocado para governador, e irmão do senador Cidinho Santos, que foi o coordenador-geral da campanha vitoriosa de Mauro Mendes, Wener dos Santos (foto) assume o cargo de secretário-adjunto de Obras...

Aprovada cota a negros em concurso

wilson santos curtinha   Outro veto do ex-governador Taques derrubado pelos deputados em sessão nesta terça assegura uma reserva de 20% de cota para pessoas negras quando da realização de concurso público. A proposta partiu do deputado Wilson Santos (foto), do mesmo PSDB de Taques, que havia considerado o projeto...

Sem Taques, ex-reitor é homenageado

carlos alberto maldonado curtinhas   Rei morto, rei posto. Quinze dias depois da saída de Pedro Taques do comando do Estado e faltando mais 15 para o fim da atual legislatura na Assembleia, deputados, em sessão nesta terça, ficaram bem à vontade para derrubar diversos vetos do então governador do PSDB. O...

Após Taques, Paola cola em deputado

paola reis curtinha   Após oito anos fazendo parte do núcleo fechado de assessores de confiança do ex-senador e ex-governador Pedro Taques, Paola Reis agora deve atuar em Brasília na equipe do deputado federal diplomado Leonardo Albuquerque (SD). Ele disse que fez o convite à ex-secretária-adjunta...