ECONOMIA E AGRO

Terça-Feira, 29 de Outubro de 2019, 16h:32 | Atualizado: 29/10/2019, 16h:38

FPA

Lei Kandir: relator afirma que setor do agro permanecerá com isenção de ICMS

Assessoria

Sergio Souza, Alceu Moreira e Veneziano Vital do R�go

Perlamentares Sergio Souza, Alceu Moreira e Veneziano Vital do Rêgo durante reunião da FPA, na manhã desta terça

O relator da PEC 42/2019, senador Veneziano Vital do Rêgo (PSB-PB), afirmou, nesta terça (29), durante reunião da Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA), que irá apresentar uma emenda substitutiva em que retira os produtos primários e semielaborados do setor agropecuário da revogação da Lei Kandir. Desde 1996, a medida desonera de Imposto sobre Circulação de Mercadoria e Serviços (ICMS) esses produtos e a proposta, em tramitação na Comissão de Constituição e Justiça do Senado, previa o retorno da tributação.

“Tem sido o agronegócio, ao longo desses últimos anos, o viés com o qual a economia brasileira tem se salvaguardado, do ponto de vista dos números de sua balança comercial, e também dos efeitos a todos aqueles que produzem. Onerar esse setor seria um retrocesso”, declarou Veneziano, afirmando que o autor da PEC, senador Antonio Anastasia (PSDB-MG), também está comprometido com a retirada.

Para o presidente da FPA, deputado Alceu Moreira (MDB-RS), a notícia é importante e era a esperada pelo colegiado. Ele destacou que o setor não pode mais arcar com nenhum tributo. “Não permitiremos, em hipótese alguma, nenhum centavo de acréscimo na tributação do agro brasileiro, de qualquer natureza”.

De acordo com Moreira, taxar as exportações traria consequência gravíssima, como aconteceu com a Argentina.  “As retenções argentinas causaram prejuízo gigantesco. Agora tiraram o tributo do trigo e da soja e voltaram para a disputa de mercado em grande velocidade. O que estamos fazendo aqui é protegendo a saúde da economia brasileira”, afirmou.

A Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB) estima que o fim da Lei Kandir causaria um impacto negativo de R$ 47,8 bilhões em faturamento para o agronegócio brasileiro e, consecutivamente, para a receita de estados e municípios. O estudo da OCB mostra ainda a evolução de algumas culturas comparando a atualidade com os anos que receberam a Lei Kandir. As exportações de soja, por exemplo, cresceram 654%, enquanto as de milho subiram 3.7678%. A agropecuária responde hoje por 48% das exportações brasileiras.

Audiência pública

A FPA, juntamente com a Comissão de Agricultura, Pecuária, Abastecimento e Desenvolvimento Rural (CAPADR) da Câmara dos Deputados, vai realizar audiência pública no próximo dia 6 de novembro para discutir os impactos da revogação da Lei Kandir para o setor agropecuário brasileiro. Segundo o deputado Neri Geller (PP), autor do requerimento, a PEC 42/19 trouxe preocupação para o setor, por isso a realização do debate. “Quando nós crescemos as exportações, estamos gerando emprego e renda e dando oportunidade de vida para as pessoas”, disse.

Para ele, o assunto precisa ser discutido para se chegar a uma solução final, seguindo a resolução do Supremo Tribunal Federal (STF), que determinou a regulamentação da compensação aos estados e municípios. “Porque vários estados cresceram muito por conta da desoneração. A PEC é um retrocesso. Quando você produz menos, você emprega menos, gera menos consumo de óleo diesel, de máquina, entre outros. Até a indústria acaba sendo prejudicada”.

Postar um novo comentário

Comentários (2)

  • Glauber | Quarta-Feira, 30 de Outubro de 2019, 14h06
    0
    0

    Queria saber se tem alguém que acredita nessa balela. Tem que pagar imposto sim, só o trabalhador paga. Esse bando de vagabundo fica pregando a reforma da previdência e não quer pagar imposto. Pagamos 30% de imposto

  • jose maria | Quarta-Feira, 30 de Outubro de 2019, 06h47
    1
    0

    agro é tech, agro é pop, agro é tudo... menos pagador de imposto.... a lista da forbes já está crescendo e nada deste segmento contribuir.

Matéria(s) relacionada(s):

PSDB veta Taques e vai priorizar Leitão

paulo borges 400 curtinha   O comando regional do PSDB não vai dar chance para Pedro Taques, caso este ensaie concorrer ao Senado com a provável suplementar, já no início de 2020 com a iminente cassação do mandato de Selma. Embora tenha dito que hoje se dedica à advocacia e à vida de professor...

Histórico de não que depois vira sim

blairo maggi 400 curtinha   Mesmo Blairo Maggi (PP) falando para todos que não será candidato ao Senado, na eleição suplementar de 2020 com a provável cassação de Selma, ninguém acredita. Nem aqueles que fazem parte dos grupos criados pelo próprio ex-governador e ex-senador. Em outros...

Francis dispara contra Túlio, Adriano...

tulio fontes 400 curtinha   O prefeito de Cáceres, Francis Maris, que chegou dos EUA na última quinta, aproveitou dois eventos para, publicamente, disparar sua metralhadora verbal contra algumas pessoas. Na sexta, inaugurou uma unidade do Centro de Testagem e Aconselhamento e fez abertura do Natal de Luzes, no centro. Nas duas...

Audiência na AL em prol dos autistas

diana serpe 400 curtinha   Convidada pela Assembleia, a advogada com forte atuação em São Paulo, Diana Serpe (foto), autora do e-book Autismo Educação e especialista na defesa dos direitos das pessoas com deficiência, vai participar de uma audiência pública e proferir palestra na segunda (9),...

Folha em dia e previsão do 13º dia 20

mauro mendes 400 curtinha   É possível que no dia 20 o governo estadual consiga pagar integralmente o décimo-terceiro dos cerca de 100 mil servidores. Ao anunciar que a folha de novembro será paga na próxima terça (10), em única parcela, pela primeira vez no ano, o governador Mauro destacou que...

Cidinho é o que mais agrega ao Senado

cidinho 400 curtinha   Depois de Blairo Maggi, o nome do empresário e ex-senador Cidinho Santos (foto) seria hoje o que mais agregaria a classe política e o agronegócio em torno de uma candidatura ao Senado numa eventual eleição suplementar. Conta com simpatia do senador Jayme Campos e do governador Mauro Mendes,...

MAIS LIDAS

ENQUETE

facebook whatsapp twitter email

Como você avalia a decisão do Supremo de suspender prisão imediata após julgamento em segunda instância?

Concordo

Discordo

Tanto faz

Não se trata de pesquisa eleitoral, mas de um mero levantamento de opiniões de leitores do RDNews e do Blog do Romilson, com participação espontânea dos internautas. Resultado sem valor científico.