ECONOMIA E AGRO

Quinta-Feira, 14 de Dezembro de 2017, 09h:46 | Atualizado: 14/12/2017, 11h:46

Governo precisa deixar de descontar no agro sua falta de eficiência, critica Galvan

Reprodução

presidente eleito da Associa��o dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja) Ant�nio Galvan

Presidente eleito da Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja) Antônio Galvan

O presidente eleito da Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja) Antônio Galvan defende que o poder público precisa deixar de descontar no agronegócio sua falta de eficiência. “O governo tem que enxergar que o nosso setor não é a salvação das péssimas administrações recentes”, pontua. Galvan critica aumentos de impostos e pontua que apesar da excelente produção, a situação dos produtores não é tão boa.

Ele foi eleito como presidente da entidade em 13 de novembro e comandará a instituição no triênio 2018/2020, em substituição a Endrigo Dalcin. Sua posse será realizada hoje (14) e durante almoço com jornalistas na terça (12) ele falou um pouco sobre como será sua relação com o Estado durante a sua gestão. Galvan é filiado ao PDT, sigla que hoje faz oposição ao governo.

O presidente eleito afirma que como a pecuária e a agricultura são setores superavitários para a balança comercial brasileira, os ataques e tentativas de recorrer ao bolso dos produtores em momentos de crise são recorrentes.

O líder diz que na verdade a situação dos agricultores não acompanha o balanço em relação a produção e produtividade das últimas safras. Ele comenta que na safra recém-encerrada os preços das sacas, principalmente de milho, estiveram abaixo do mínimo e que ainda contando com o aumento dos custos de produção as margens de lucro foram pequenas, sendo que em determinados casos a lavoura gerou prejuízos.

Galvan ainda cita a análise do Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária que verificou uma queda na utilização de recursos próprios para o custeio da safra de soja em Mato Grosso.

O governo tem que enxergar que o nosso setor não é a salvação das péssimas administrações recentes

Taxações

Por causa desse contexto, o próximo presidente da Aprosoja repudia veemente a possibilidade de novos aumentos nos impostos para o setor. Ele diz, inclusive, que o governador Pedro Taques (PSDB) já entendeu o momento do agronegócio e por isso não deve realizar revisões para cima das taxações de ICMS ou em relação ao Fundo Estadual de Transporte e Habitação (Fethab).

“Seria no mínimo irresponsável criar taxação em cima de um setor que ainda move o Estado. Nós como produtores pensamos que isso tem que mudar. Todo mundo quer o progresso”, afirma Galvan.

O vice-presidente eleito da instituição Fernando Cadore, também presente na ocasião, também argumenta que esse tipo de ação governamental foi um dos fatores que levou estados brasileiros como o Rio Grande do Sul e o Rio de Janeiro ao completo caos financeiro. Ele defende que a taxação ao setor produtivo gera malefícios reparáveis somente a um longo prazo.

“Não é se taxando que um Estado prospera. Você precisar dar meios para que se produza cada vez mais para aumentar o volume da tributação e não o tamanho da tributação. Isso é básico. Mato Grosso ainda é exceção porque não estamos totalmente em recessão como vários outros lugares e não podemos perder essa diferença positiva”, explica.

Postar um novo comentário

Comentários (5)

  • ROB MOREIRA | Quinta-Feira, 14 de Dezembro de 2017, 22h06
    2
    2

    Vamos viver sob a ditadura dos latifundiários e oligarcas? O povo tem que ter vergonha na cara e parar de dar ouvidos pra esses caras. Fora turma da botina!

  • Ari Albuquerque | Quinta-Feira, 14 de Dezembro de 2017, 14h38
    7
    2

    Em Mato Grosso são às grandes lideranças do Agro que bancam e indicam os candidatos, depois reclamam... escolham melhor seus candidatos amigos!

  • do campo | Quinta-Feira, 14 de Dezembro de 2017, 11h30
    5
    4

    tá certo esse presidente, o agronegócio não pode pagar pela incompetência de taques, esse governador além de incompetente , é arrogante, mal assessorado , péssimo administrador, ele já foi muito longe, vai levar uma surra na próxima eleição que vai até perder o rumo de casa, fora taques, o mato grosso tá com nojo de você.

  • Boca maldita | Quinta-Feira, 14 de Dezembro de 2017, 11h17
    5
    2

    Produtores falam como se o alimento que produzem fossem parar na mesa das famílias de graça.

  • alexandre | Quinta-Feira, 14 de Dezembro de 2017, 10h13
    8
    2

    se tirar a isenção fiscal e a sonegação fiscal, quero ver manter a eficiencia ? agro tem que pagar impostos igual a todo mundo.

Vereadores de ROO e trocas de siglas

fabio cardozo 400 curtinha   Em Rondonópolis, praticamente a metade dos vereadores está aproveitando a janela, que se encerra neste sábado, para mudar de partido, e já com as atenções voltadas à reeleição. E, com a dança das cadeiras, o Solidariedade do prefeito Zé do...

Podemos absorve a turma do barulho

O Podemos conseguiu juntar no seu diretório em Cuiabá a turma do barulho. Dela fazem parte dois com mandatos cassados, Abílio Júnior, que perdeu a cadeira de vereador por quebra de decoro, e a senadora Selma Arruda, cassada por caixa 2 e abuso de poder econômico, mas que ainda continua no cargo. Selma impôs condições para seguir no partido. Chegou a negociar ida para o PSC. E ganhou a presidência municipal do Pode, forçando o...

Secretário, furtos e a incompetência

rodrigo metello 400 curtinha   O secretário de Transporte e Trânsito de Rondonópolis, Rodrigo Metello (foto), filiado ao MDB e pré-candidato a vereador, corre risco de ser acionado na Justiça por centenas de pessoas que tiveram motocicletas apreendidas e que depois acabaram furtadas do Pátio Rondon. O local...

Vereador na base e críticas a Leonardo

leonardo 400 curtinha   Chico 2000, vereador pela Capital, assegura que não procede a informação de que o seu Partido Liberal irá romper com o prefeito Emanuel, não o apoiando à reeleição. Segundo ele, foi Leonardo Oliveira (foto), que participou na quarta de uma reunião do...

Embates sobre a cadeira da discórdia

selma arruda curtinha 400   A cadeira da senadora Selma Arruda (foto), que está cassada há um ano mas, mesmo assim, continua no cargo, vem dividindo opinião de vários líderes políticos, uns torcendo logo para a Mesa do Senado decretar a vacância para Carlos Fávaro assumir a vaga, outros...

PL avisa Chico que não apoiará EP

chico 2000 curtinha   O vereador Chico 2000 (foto), único do PL na Câmara de Cuiabá e governista de carteirinha, se mostrou  desconfortável politicamente quando foi informado nesta quinta que a legenda liberal não vai apoiar a reeleição do prefeito Emanuel, do MDB. O partido é comandado no...

ENQUETE

facebook whatsapp twitter email

Você concorda com a decisão de prefeitos, que começam a decretar estado de emergência, fechando comércio, serviços públicos e o transporte coletivo?

sim

não

sei lá!

Não se trata de pesquisa eleitoral, mas de um mero levantamento de opiniões de leitores do RDNews e do Blog do Romilson, com participação espontânea dos internautas. Resultado sem valor científico.