ECONOMIA E AGRONEGÓCIO

Segunda-Feira, 05 de Novembro de 2018, 09h:30 | Atualizado: 05/11/2018, 10h:42

QUESTÃO LOGÍSTICA

Produtores querem 50% de participação na Ferrogrão e calculam poupar R$ 3 bi

Rodinei Crescêncio

Antonio Galvan

Presidente da Aprosoja-MT, Antônio Galvan fala sobre infraestrutura na sede do Rdnews

Enquanto parte do setor político se mobiliza para tentar criar alguma forma de taxação do agronegócio, o presidente de Associação dos Produtores de Soja e Milho (Aprosoja-MT) Antônio Galvan garante que o setor está concentrado em criar saídas para o problema logístico e conseguir garantir uma economia de até R$ 3 bilhões por ano, caso saia do papel o projeto da Ferrogrão, ferrovia que ligará Sinop a Miritituba (PA).

Os produtores rurais querem participar de pelo menos 50% da construção e operação da ferrovia. “Ainda estamos procurando uma forma jurídica para concretizar essa ideia, para que o setor tenha condições de sentar à mesa do conselho e ter voz ativa para tomar decisões que garantam um preço competitivo de frete”, explica Galvan.

O presidente da Aprosoja especifica que o modal ferroviário que liga Rondonópolis até ao porto de Santos (SP) não está provocando economia no frete, porque o preço fica equiparado com o frete rodoviário. “Com a Ferrogrão, calculamos uma economia de até R$ 3 por saca transportada até Miritituba, ou seja, será um incremento de no mínimo R$ 3 bilhões por ano na economia do Estado através da redução de custo do setor”.

A articulação para criar uma forma jurídica de participação dos produtores rurais na construção e administração da Ferrogrão começou no período pré-eleitoral e de acordo com Galvan será mais um “sacrifício que o setor está fazendo para tentar diminuir os problemas logísticos do Estado”.

A construção da Ferrogrão ainda não começou, pois está em processo licitatório. Na última semana, o projeto, que está previsto para começar a ser construído no próximo ano, foi judicializado. Uma decisão da Justiça Federal do Pará determinou que a Agência Nacional de Transporte Terrestres (ANTT) suspenda o projeto, já que foram constatadas irregularidades no trajeto do modal, que afetariam comunidades indígenas, ribeirinhas e quilombolas em Mato Grosso e Mato Grosso do Sul.

Galvan explica que além de economizar cerca de R$ 3 bilhões com frete por ano, a Ferrogrão é uma saída logística eficiente para burlar o encarecimento do transporte das commodities provocado pelo frete dos caminhoneiros. “Ainda tem político defendendo que o setor seja taxado, que a gente contribua com R$ 4 bilhões por ano. Como colaborar mais, um setor que tem R$ 12 bilhões de dívidas?”.

O presidente da Aprosoja também critica setores políticos que defendem que a ferrovia de Rondonópolis passe por Cuiabá. “Essa perspectiva é uma forma de boicotar a Ferrogrão. Porque é inviável a ferrovia passar por Cuiabá, pois não possui carga suficiente para transportar para a cidade ou exportar. Políticos que defendem essa ideia, na verdade, querem boicotar a Ferrogrão”.

A perspectiva dos setores econômicos, principalmente os produtores rurais, é que nos próximos dois anos saiam do papel 4 projetos ferroviários. O mais adiantado é o da Ferrogrão, cuja previsão de investimento é de R$ 12 bilhões. Também existe a Ferrovia de Integração do Centro-Oeste (Fico), que terá R$ 4 bilhões em 2019 para construção do trecho entre Campinorte (GO) e Água Boa (a 747 km de Cuiabá), um trecho de 200 km.

Ainda existe a perspectiva de ampliação de 365 km da Ferronorte entre Rondonópolis até Sinop, ao investimento de R$ 8 bilhões. E, por fim, o projeto da ferrovia entre Sapezal (498 km distante de Cuiabá) a Porto Velho (RO), com extensão de 200 km e investimento estimado de R$ 8 bilhões.

Postar um novo comentário

Comentários (3)

  • Pedro Joel | Terça-Feira, 06 de Novembro de 2018, 14h08
    0
    0

    Se as Ong's não derem pitaco acredito que saia do Papel. Alô Srs Magistrados parem de travar o País.

  • Avisa Lá! | Segunda-Feira, 05 de Novembro de 2018, 21h20
    1
    0

    Avisa ai ao Sr. Galvão: Hoje o Egito barrou a visita do chanceler encarregado de abrir diálogo para os negócios do Brasil em represália a política externa Sr. Bolsonaro.... amanhã pode ser a China e todo o mundo árabe.... o agro vai exportar pra quém?

  • ademir | Segunda-Feira, 05 de Novembro de 2018, 10h58
    2
    0

    ACREDITAMOS QUE NOSSO PROXIMO PRESIDENTE TENHA IDEIAS DIRERENTE DOS OUTROS PARA CONSTRUIR TEM QUE CHAMAR OS CHINESES OU JAPONES NAO IGUAL ESSA PORCARIA DO VLT !!!!!!!!

Matéria(s) relacionada(s):

Vereadores de Acorizal agora com VI

A Câmara Municipal de Acorizal resolveu seguir as demais e instituir verba indenizatória não apenas para os seus nove vereadores. Incluiu também no benefício financeiro ocupantes de diversos cargos. Agora, além do salário, cada parlamentar terá direito a R$ 1,5 mil mensal. E quem ocupa a presidência da Mesa receberá R$ 2 mil. Os vereadores alegam que essa verba tem caráter ressarcitório do exercício da...

Prefeito "estoura" limite da lei fiscal

asiel alt floresta   O prefeito de Alta Floresta, Asiel Bezerra (foto), do MDB, recebeu alerta do conselheiro Guilherme Maluf sobre descontrole dos gastos, principalmente com a folha de pessoal. Debruçada nos relatórios, a Secretaria de Controle Externo de Receitas de Governo do TCE constatou que as despesas com pessoal atingiram...

Trâmites para alugar carros à Câmara

misael galvao curtinha   Diferente dos antecessores, que omitiam informações, principalmente em relação a medidas consideradas impopulares, o presidente da Câmara de Cuiabá Misael Galvão (foto), numa demonstração de transparência e de coragem para enfrentar críticas,...

Silval é chamado de ladrão no Fórum

silval_curtinha   O ex-governador Silval Barbosa, que hoje ganhou o direito ao regime semiaberto, foi hostilizado por populares no Fórum de Cuiabá. Um homem, que estava no corredor, que dá acesso às salas onde acontecem às audiências, gritou: “Silval, ladrão”. Jornalistas chegaram a...

Jayme é simpático à reeleição de EP

jayme campos curtinha   Jayme Campos (foto) vai comprar briga interna no DEM em defesa da reeleição do prefeito Emanuel Pinheiro. Mas o núcleo ligado ao governador Mauro Mendes não é muito simpático a essa ideia. Numa reunião recente, com participação de Mauro Carvalho,...

Busca de brecha para demitir efetivos

A briga do governador Mauro Mendes com servidores, especialmente da Educação, que cruzam os braços na próxima segunda, tende não só se acirrar, como trazer consequências quase inimagináveis. O Executivo já anunciou que vai exugar 20% dos cargos comissionados e que, se necessário, pode demitir até efetivos, o que hoje seria impossível por causa de leis que asseguram estabilidade no serviço público....

ENQUETE

Tramita na Câmara Federal o projeto 832/2019, do deputado José Medeiros, requentando uma proposta de 2007 do então deputado Jair Bolsonaro, propondo extinguir o Exame da Ordem como exigência para inscrição na OAB e, assim, poder exercer a profissão. O que você acha disso?

Concordo - esse Exame tem de acabar

Discordo - bacharel precisa, sim, se submeter ao Exame

Sei lá!

Não se trata de pesquisa eleitoral, mas de um mero levantamento de opiniões de leitores do RDNews e do Blog do Romilson, com participação espontânea dos internautas. Resultado sem valor científico.