POLÊMICA

Silval nega politicagem e não quer que Wilson sofra "infarto"

  O governador Silval Barbosa (PMDB) garante que não vai utilizar a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), que determina intervenção do Estado em Cuiabá, para se promover politicamente ou desprestigiar o prefeito Chico Galindo (PTB) e, consequentemente, seu adversário político Wilson Santos (PSDB), que administrou a cidade até o final de maio. “Não quero que ninguém sofra infarto. Não tenho medo dos meus adversários e a minha intenção é de ajudar Galindo. Não vou prejudicar ninguém”, afirmou Silval, ao ser perguntado se o problema jurídico vai ter impactos na candidatura de Wilson e no processo eleitoral. Os dois, segundo pesquisa de intenção de votos realizada pelo Instituto Ibope, estão empatados com 29%, seguidos de Mauro Mendes que tem 17%.

  A decisão de intervenção do Estado em Cuiabá caiu como uma “bomba” na administração municipal. O prefeito chegou a emitir uma nota oficial desmentindo a decisão monocrática, mas, segundo o procurador-geral Dorgival Veras, a decisão é clara e contrária a recurso impetrado pelo Palácio Alencastro. Ele explica que apesar da administração municipal poder recorrer da decisão, o Ministério Público Estadual ou as partes envolvidas no processo podem solicitar o cumprimento imediato da intervenção.

  A medida é tida como drástica e, em geral, o governo consegue firmar um “acordo entre cavalheiros” com o município condenado. Neste caso,  será necessária uma verdadeira força-tarefa da bancada de Mato Grosso para sensibilizar o STF. A ação que culminou no pedido de intervenção aconteceu cem 1993, quando a prefeitura desrespeitou a ordem cronológica do pagamento de precatórios. O caso foi julgado em primeira instância pelo Tribunal de Justiça em 1997 e, somente agora, o STF indeferiu o recurso impetrado pela prefeitura, que tentava reformar a decisão.

  Caso o prefeito não consiga resolver a pendência jurídica e o Estado não entre num “acordo” com o município, um interventor é nomeado para assumir o comando da cidade. Ele ficaria no poder até resolver o problema relacionado ao precatório e depois Galindo voltaria a administrar a Capital. De todo modo, a tendência é que a medida extrema não seja executada. Essa não é a primeira vez que a Justiça determina a intervenção em municípios de Mato Grosso. Durante a administração de Blairo Maggi (PR), por exemplo, o Estado teve o direito de intervir em Confresa, Barão de Melgaço e Novo Horizonte de Norte. Em todas as oportunidades Maggi se recusou a cumprir a medida. Já no processo envolvendo Juscimeira o MP solicitou a intervenção e o então presidente da Câmara Arthur Queiroz Neto ficou no cargo mesmo preso. Assim, o Estado também não precisou intervir.

Com certidão pra disputar 1ª suplência

dito lucas 400 curtinha   Filiado ao Podemos, Dito Lucas (foto), que entrou de última hora como primeiro-suplente da chapa ao Senado encabeçada por José Medeiros, assegura que vai apresentar novamente sua certidão junto à Justiça Eleitoral, de modo a provar que sua candidatura é legítima....

Um novo embate entre Diane x Adair

diane alves 400 curtinha   Adair José Alves Moreira, que vinha atuando na assessoria do vice-governador Otaviano Pivetta, decidiu mesmo concorrer de novo à Prefeitura de Alto Paraguai. Ele já foi prefeito por duas vezes. Adair será o principal nome da oposição à prefeita democrata Diane Alves (foto),...

Taques ofuscado e sob mira do MPE

pedro taques 400 curtinha   Pedro Taques (foto) achou que o recall dos tempos de senador e governador, ajudando-o a se posicionar de forma razoável nas pesquisas, bem antes do início da campanha, o manteria como favorito na corrida ao Senado. Ledo engano. Não levou em consideração o alto índice de...

2 caciques não disputam Alto Garças

roland trentini 400 curtinha   Após décadas de rixas, de campanhas ostentadoras, rachas e brigas eleitorais intermináveis em Alto Garças, os ex-prefeitos Rolando Trentini (foto) e Júnior Pitucha resolveram não mais concorrer ao Executivo. Mas, um deles segue se movimentando nos bastidores. Pela...

Um ex-prefeito inelegível em Poconé

clovis martins 400   Dificilmente o ex-prefeito petebista Clovis Damião Martins (foto) terá registro de candidatura a prefeito de Poconé deferido pela Justiça Eleitoral. O promotor de Justiça, Mário Anthero, já pediu impugnação do registro do petebista por inelegibilidades. Clovis, que...

Briga em Sinop entre Juarez e Dorner

juarez costa 400 curtinha   Em Sinop, a briga eleitoral caminha para tensão e acirramento entre o emedebista Juarez Costa (foto) e Roberto Dorner (Republicanos). Hoje, o ex-prefeito seria eleito, mas Dorner vem crescendo nas adesões, com ajuda do vice de sua chapa, ex-vereador Dalton Martini (Patriota). O apoio da prefeita Rosana...