ELEIÇÕES 2020

Quarta-Feira, 28 de Outubro de 2020, 10h:48 | Atualizado: 28/10/2020, 14h:57

GRAVAÇÃO APÓCRIFA

Juiz manda tirar vídeos de Misael do ar, mas polícia investiga compra de votos

selo elei�es 2020

O juiz Geraldo Fernandes Fidelis Neto, da 1ª Zona Eleitoral de Cuiabá, determinou que o Google, o Facebook, um cidadão e um site de notícias tirem do ar vídeos que insinuam que a campanha do presidente da Câmara e candidato à reeleição, Misael Galvão (PTB), estaria comprando votos. Ao mesmo tempo, o Ministério Público Estadual (MPE) encaminhou ofício à Polícia Federal para que seja apurada a possível ocorrência do ilícito.

Na decisão de ontem (28), Fidelis entendeu que a divulgação dos vídeos teria o objetivo “não só de incriminar o representante, mas sim criar dúvidas e estados mentais negativos no eleitor, em virtude das denúncias trazidas no vídeo, com o nítido propósito de influenciar na eleição que acontecerá a menos de um mês”.

“Não há dúvida de que essas publicações buscam incutir ao eleitor a mensagem de possível cometimento de crime eleitoral, notadamente a compra de votos, pelo representando, circunstância esta que desborda do campo dos debates e críticas do momento político”, registrou.

Francinei Marans

Misael Galv�o

O presidente da Câmara, vereador Misael Galvão, entrou na Justiça para tirar os vídeos do ar, mas a PF ainda vai investigar compra de votos

O magistrado entendeu que, se há denúncia, o possível crime deve ser investigado, mas isso não dá o direito de qualquer pessoa por conta própria fazer pré-julgamento e condenar o vereador, “sob pena de cometer injustiças”. Fidelis ponderou que, “neste momento, não se afirma se houve ou não a prática do crime pelo representante, fato este que haverá de ser apurado em momento e procedimento oportuno, no juízo competente, que não é o da 1ª Zona Eleitoral”.

No final do vídeo, após um corte, aparece a imagem do interlocutor, neste momento, contando as notas de R$ 50,00 (reais), que o vídeo induz o telespectador a acreditar que seria dinheiro entregue pelos eventuais coordenadores de campanha que apareceram anteriormente no vídeo, sentado no sofá da sala

Juiz Geraldo Fidelis

Nos vídeos, gravados e divulgados de forma apócrifa, sem autor declarado, representantes da campanha de Misael aparecem discutindo valores. Divulgada nas redes sociais, a gravação mostra os militantes falando sobre o pagamento de R$ 250,00 por cada placa fixada em frente à casa de um eleitor, e mais R$ 50,00 por semana por voto. O homem que aparece no vídeo afirma que coordenadores da campanha de Misael iriam até a casa dele propor a compra de voto, o que seria gravado e encaminhado à PF, o que é mostrado em seguida.

“Do vídeo nota-se claramente que o interlocutor, que supostamente produziu o vídeo, não aparece na gravação, mas apenas os dois homens, que seriam os coordenadores de campanha do representante e seus cabos eleitorais, os quais aparecem sentados no sofá da sala de um dos interlocutores, o responsável pela gravação do vídeo”, diz a decisão.

Fidelis observa que a pessoa que estava fazendo a gravação “insistentemente instiga os dois supostos coordenadores de campanha do representante, para que expliquem como funcionaria o seu trabalho e ainda pede que lhe pague um pouco a mais ao argumento de que ele seria o “cabeça” e que coordenaria no auxílio para angariar mais eleitores dispostos a receber o valor de R$250,00 pelo voto”.

“No final do vídeo, após um corte, aparece a imagem do interlocutor, neste momento, contando as notas de R$ 50,00 (reais), que o vídeo induz o telespectador a acreditar que seria dinheiro entregue pelos eventuais coordenadores de campanha que apareceram anteriormente no vídeo, sentado no sofá da sala”, relata.

Um novo corte aparece no vídeo, e as novas imagens mostram supostamente o interior do comitê eleitoral de Misael, onde um dos coordenadores explica o pagamento pelos votos e a compra de combustível para adesivagem de veículos.

Apesar dos indícios de possíveis crimes eleitorais, o juiz entendeu que em termos de propaganda eleitoral, a “divulgação do aludido vídeo constitui ainda meio para a perpetração de difamação eleitoral, além de e injúria eleitoral”.

Postar um novo comentário

Comentários

  • Comente esta notícia

Elisângela conduz Secom da Câmara

elisangela tenorio 400 curtinha   A jornalista Elisângela Tenório (foto) está de volta ao comando da Comunicação Social da Câmara de Cuiabá. Ela ocupou o mesmo cargo na gestão Justino Malheiros, mas, na época, não teve à disposição estrutura para desevolver uma...

Logística em MT pra distribuir vacinas

mauro mendes 400 curtinha   O governo estadual já providenciou toda logística para levar as vacinas anti-Covid-19 aos municípios. O governador Mauro Mendes (foto) destaca que, em princípio, adquiriu 3,5 milhões de seringas. Os lotes de vacinas chegam a MT até a próxima quarta. Seguindo o Plano...

Emanuel no PTB e reeleição do filho

emanuelzinho 400   O PTB está sendo preparado para receber a filiação do prefeito Emanuel Pinheiro, que iniciou o segundo mandato em Cuiabá. Sem ambiente para seguir no MDB, onde passou a enfrentar resistência de toda a bancada do partido na Câmara Federal e na Assembleia, Emanuel recebeu convite de...

Ex-deputado "detona" Aliança por MT

victorio galli 400 curtinha   As deputadas federais Carla Zambelli e Bia Kicis, que estão na linha de frente pela criação do Aliança pelo Brasil, partido idealizado por Bolsonaro e ainda na fase de coleta de assinaturas para ser formalizado, foram informadas de que o ex-deputado federal Victório Galli...

Saúde em MT sob iminente colapso

Os números da pandemia da Covid-19 em MT são alarmantes. Entre sexta e este sábado foram registrados 1.050 novos casos de pessoas infectadas com o vírus e mais 21 mortes. Desde o início da pandemia, quase 5 mil mato-grossenses já morreram da doença. Em Cuiabá, o índice de ocupação de UTIs chega a 69%, superando o pior período da pandemia, registrado em agosto do ano passado. Em outras regiões do Estado, a...

Prefeito já teve 2 aliados executados

ze do patio 400 curtinha   O prefeito de terceiro mandato Zé do Pátio (foto), de Rondonópolis, já teve dois assessores próximos e de extrema confiança assassinados. Em setembro de 2012, João César Domingos, que era muito próximo de Pátio, havia atuado no Instituto de Pesquisa e...

ENQUETE

facebook whatsapp twitter email

O Governo de MT optou pela implantação do BRT em Cuiabá-VG em detrimento do VLT. O que você acha disso?

Estou de acordo

Discordo

Tanto faz

Não se trata de pesquisa eleitoral, mas de um mero levantamento de opiniões de leitores do RDNews e do Blog do Romilson, com participação espontânea dos internautas. Resultado sem valor científico.