ELEIÇÕES 2020

Quarta-Feira, 28 de Outubro de 2020, 10h:48 | Atualizado: 28/10/2020, 14h:57

GRAVAÇÃO APÓCRIFA

Juiz manda tirar vídeos de Misael do ar, mas polícia investiga compra de votos

selo elei�es 2020

O juiz Geraldo Fernandes Fidelis Neto, da 1ª Zona Eleitoral de Cuiabá, determinou que o Google, o Facebook, um cidadão e um site de notícias tirem do ar vídeos que insinuam que a campanha do presidente da Câmara e candidato à reeleição, Misael Galvão (PTB), estaria comprando votos. Ao mesmo tempo, o Ministério Público Estadual (MPE) encaminhou ofício à Polícia Federal para que seja apurada a possível ocorrência do ilícito.

Na decisão de ontem (28), Fidelis entendeu que a divulgação dos vídeos teria o objetivo “não só de incriminar o representante, mas sim criar dúvidas e estados mentais negativos no eleitor, em virtude das denúncias trazidas no vídeo, com o nítido propósito de influenciar na eleição que acontecerá a menos de um mês”.

“Não há dúvida de que essas publicações buscam incutir ao eleitor a mensagem de possível cometimento de crime eleitoral, notadamente a compra de votos, pelo representando, circunstância esta que desborda do campo dos debates e críticas do momento político”, registrou.

Francinei Marans

Misael Galv�o

O presidente da Câmara, vereador Misael Galvão, entrou na Justiça para tirar os vídeos do ar, mas a PF ainda vai investigar compra de votos

O magistrado entendeu que, se há denúncia, o possível crime deve ser investigado, mas isso não dá o direito de qualquer pessoa por conta própria fazer pré-julgamento e condenar o vereador, “sob pena de cometer injustiças”. Fidelis ponderou que, “neste momento, não se afirma se houve ou não a prática do crime pelo representante, fato este que haverá de ser apurado em momento e procedimento oportuno, no juízo competente, que não é o da 1ª Zona Eleitoral”.

No final do vídeo, após um corte, aparece a imagem do interlocutor, neste momento, contando as notas de R$ 50,00 (reais), que o vídeo induz o telespectador a acreditar que seria dinheiro entregue pelos eventuais coordenadores de campanha que apareceram anteriormente no vídeo, sentado no sofá da sala

Juiz Geraldo Fidelis

Nos vídeos, gravados e divulgados de forma apócrifa, sem autor declarado, representantes da campanha de Misael aparecem discutindo valores. Divulgada nas redes sociais, a gravação mostra os militantes falando sobre o pagamento de R$ 250,00 por cada placa fixada em frente à casa de um eleitor, e mais R$ 50,00 por semana por voto. O homem que aparece no vídeo afirma que coordenadores da campanha de Misael iriam até a casa dele propor a compra de voto, o que seria gravado e encaminhado à PF, o que é mostrado em seguida.

“Do vídeo nota-se claramente que o interlocutor, que supostamente produziu o vídeo, não aparece na gravação, mas apenas os dois homens, que seriam os coordenadores de campanha do representante e seus cabos eleitorais, os quais aparecem sentados no sofá da sala de um dos interlocutores, o responsável pela gravação do vídeo”, diz a decisão.

Fidelis observa que a pessoa que estava fazendo a gravação “insistentemente instiga os dois supostos coordenadores de campanha do representante, para que expliquem como funcionaria o seu trabalho e ainda pede que lhe pague um pouco a mais ao argumento de que ele seria o “cabeça” e que coordenaria no auxílio para angariar mais eleitores dispostos a receber o valor de R$250,00 pelo voto”.

“No final do vídeo, após um corte, aparece a imagem do interlocutor, neste momento, contando as notas de R$ 50,00 (reais), que o vídeo induz o telespectador a acreditar que seria dinheiro entregue pelos eventuais coordenadores de campanha que apareceram anteriormente no vídeo, sentado no sofá da sala”, relata.

Um novo corte aparece no vídeo, e as novas imagens mostram supostamente o interior do comitê eleitoral de Misael, onde um dos coordenadores explica o pagamento pelos votos e a compra de combustível para adesivagem de veículos.

Apesar dos indícios de possíveis crimes eleitorais, o juiz entendeu que em termos de propaganda eleitoral, a “divulgação do aludido vídeo constitui ainda meio para a perpetração de difamação eleitoral, além de e injúria eleitoral”.

Postar um novo comentário

Comentários

  • Comente esta notícia

Gamba quer Tuti presidindo a Câmara

tuti 400 alta floresta curtinha   O prefeito eleito de Alta Floresta, Chico Gamba (PSDB), tem se articulado para eleger presidente da Câmara o vereador reeleito do seu partido, Oslen Dias dos Santos, o Tuti (foto), que obteve a segunda maior votação, com 814 votos. Na tentativa de convencer os novos integrantes da próxima...

Várzea Grande paga a folha já na 6ª

lucimar campos 400   A prefeita várzea-grandense Lucimar Campos, prestes a concluir o segundo mandato, anunciou que na sexta, a três dias de fechar o mês, conclui o pagamento da folha de novembro. E, nesta quarta (25), já libera a diferença da correção do piso federal para os professores. No total...

Críticas à busca do poder pelo poder

marcia pinheiro 400   Em um ato realizado na praça Alencastro, nesta segunda à noite, a primeira-dama de Cuiabá Marcia Pinheiro disparou críticas aos adversários do prefeito Emanuel, que busca a reeleição. Segundo ela, as alianças formadas por Abílio neste segundo turno são...

Reeleição consagradora e base forte

leonardo bortolini leo 400 curtinha   Em Primavera do Leste, o prefeito Léo Bortolin (foto) mostrou nas urnas ser mesmo um líder político emergente da região. Ele assumiu o Executivo, após vencer a eleição suplementar em novembro de 2017, com 69% dos votos válidos. Agora foi à...

Vereador eleito diz não apoiar Abílio

eduardo magalhaes 400 curtinha   Release produzido pela campanha de Abílio Júnior anuncia que 13 dos 25 vereadores eleitos e/ou reeleitos estão apoiando o candidato do Podemos neste segundo turno em Cuiabá. E incluiu na lista Eduardo Magalhães (foto), do Republicanos. Mas o próprio Magalhães,...

Ibope mostra acirramento Abílio x EP

abilio junior 400 curtinha   O primeiro resultado da pesquisa Ibope deste segundo turno, revelado hoje pela TVCA, apontando Abílio (foto) com 48% e Emanuel com 40% das intenções de voto, empatados tecnicamente dentro da margem de erro de 4 pontos percentuais para mais ou para menos, é uma mostra do quanto está...