ELEIÇÕES 2020

Segunda-Feira, 23 de Março de 2020, 09h:55 | Atualizado: 23/03/2020, 10h:04

SUPLEMENTAR AO SENADO

Suspensão de chapas pode dar 2ª chance a nomes que já estavam fora do páreo

Rodinei Crescêncio

Pedro Taques e Cidinho Santos

O ex-governador Pedro Taques e o ex-senador Cidinho Santos, que podem entrar na disputa por cadeira no Senado, após suspensão da eleição

A suspensão da eleição suplementar ao Senado por causa do novo coronavírus, que deve acontecer somente em 04 de outubro, junto com a votação para prefeitos e vereadores, pode alterar o quadro das candidaturas que já parecia definido.

As especulações ganharam força depois que o presidente do Tribunal Regional Eleitoral (TRE), desembargador Gilberto Giraldelli, declarou que o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), que suspendeu a eleição suplementar ao Senado, ainda pode anular as convenções e registros de pré-candidaturas.

Com isso, nomes como o ex-governador Pedro Taques (sem partido), e o presidente da AMM Neurilan Fraga (PL), que não conseguiram entrar na disputar que seria realizada em 26 de abril, podem voltar ao páreo.

Taques, que deixou o PSDB porque não conseguiu aval da sigla para concorrer, teria tempo para se filiar a outro partido, provavelmente o Solidariedade e até outubro, teria os 6 meses de filiação exigidos pela legislação eleitoral. Já Neurilan, que trocou o PSD pelo PL em outubro do ano passado, cumpriria o prazo legal com  mudança de data do pleito.

Taques nega a intenção de concorrer. Afirma que neste momento, seu pensamento está voltando à pandemia do coronavírus. “Precisamos ajudar quem mais precisa, da maneira que pudermos, sermos solidários e atender as recomendações dos profissionais da saúde, agradecê-los e aos demais profissionais que nos ajudarão neste momento difícil. Precisamos atender as recomendações do governo.  O momento é de união, com transparência e informações corretas e precisas, daí o importante papel da imprensa na democracia aberta, sem politicagem ou outros assuntos menores”, disse Taques ao .   

Outro nome que volta a ser lembrado é do ex-senador Cidinho Santos (PL), que descartou participar da eleição suplementar que estava marcada para abril por conta dos negócios empresariais. No entanto, também afirma que sua principal preocupação no momento é ajudar a vencer a pandemia do coronavírus e contribuir com a recuperação dos efeitos que certamente causará para a economia do Brasil e Mato Grosso.

Nos bastidores, também se comenta que Gisela Simona (Pros) pode deixar a disputa pelo Senado para concorrer a Prefeitura de Cuiabá, que seria sua prioridade política. O mesmo comentário é feito em relação ao deputado federal José Medeiros (Podemos), cotado para a concorrer a prefeito de Rondonópolis, que nega usando o seguinte bordão:  sou brasileiro e não desisto nunca.

Eleição pode não acontecer  

A onda de mudanças provocadas pelo avanço do coronavírus, dois parlamentares defendem mudanças no calendário das eleições municipais. O deputado federal Ricardo Teobaldo (Podemos-PE) prepara uma Proposta de Emenda Constitucional (PEC) com o objetivo de adiar para 2022 a disputa pelas prefeituras.

O adiamento, na prática, prorrogaria por dois anos os mandatos dos atuais chefes dos executivos estaduais. Como justificativa, Teobaldo afirma que o enfrentamento da pandemia deve ser priorizado nos próximos meses. A ideia do parlamentar ainda será levada para discussão na bancada do Podemos.

Em janeiro, o presidente Jair Bolsonaro sancionou integralmente a Lei Orçamentária Anual de (LOA) de 2020, que inclui o fundo eleitoral de R$ 2 bilhões para financiar as campanhas dos candidatos nas eleições municipais de outubro. Além disso, as siglas ainda contam com mais R$ 1 bilhão do Fundo Partidário para as despesas com atividades das legendas. O montante garantido pelo Congresso é distribuído de acordo com o tamanho das bancadas.

Nesse assunto, vale registrar que, apesar do coronavírus, a França manteve as votações das eleições municipais no último domingo (15). Ouve queda na presença dos eleitores.

Outro deputado federal, Daniel Freitas (PSL-RJ) quer adiar em um mês a data limite para mudança do domicílio eleitoral dos candidatos nas eleições municipais. Pelas regras atuais, os concorrentes têm até o dia 04 de abril para informar onde moram. Pela proposta, ficaria para 04 de maio. Para fazer essa mudança, Freitas propõe que o TSE altere a Resolução nº 23.608, de 18 de dezembro de 2019 (Com informações do Metrópoles).

Postar um novo comentário

Comentários

  • Comente esta notícia

Vereador fora da prisão e sem sessão

janio calistro 400   Desde quando deixou a prisão, no último dia 20, o vereador de Várzea Grande, Jânio Calistro (foto), não participa de sessão ordinária. Foram realizadas duas, uma em 30 de março, com presença física dos parlamentares, e outra na última terça, 7 de...

Ex-vereador por 5 vezes tenta retornar

wilson kishi 400   Após uma década sem encarar uma disputa eleitoral, Wilson Kishi (foto), que já exerceu cinco mandatos de vereador por Cáceres, somando quase 20 anos ininterruptos de assento no legislativo, decidiu se submeter ao teste das urnas de outubro. Vai tentar cadeira de vereador. Se filiou ao PSB, que tem a...

SD e chapa competitiva pra vereador

aluizio lima 400   Comandado no Estado por Zé do Pátio, prefeito de Rondonópolis, o Solidariedade ganhou novos filiados em Cuiabá e já tem uma lista de 32 pré-candidatos a vereador, numa expectativa de conquistar até quatro cadeiras. Além dos recém-filiados, vereadores Vinicius Hugueney...

MDB diz apostar em Thiago em Roo

thiago silva 400 curtinha   Dirigentes do MDB contestam o registro em nota no Curtinhas, assegurando que a oposição está forte em Rondonópolis e que deve unificar os grupos políticos e derrotar o projeto de reeleição do prefeito Zé do Pátio. Pesquisas internas estão deixando...

Pátio, adversários fracos e reeleição

ze do patio 400 curtinha   O prefeito de Rondonópolis Zé do Pátio (foto), por mais populista, demagogo e com uma gestão avaliada pela maioria como desastrosa, caminha a passos largos para conquista de mais um mandato. Tende a vencer pela lógica do menos pior. Seus virtuais adversários são...

Pode recebe 2 já derrotados em BG

sandro saggin curtinha 400   O Podemos conseguiu juntar em Barra do Garças o grupo de dois já derrotados à prefeitura, Daltinho, que também foi deputado e em 2018 teve votação pífia na tentativa de reeleição, e Sandro Saggin (foto), um "eterno" candidato. Entregue ao ostracismo,...

ENQUETE

facebook whatsapp twitter email

Você concorda com a decisão de prefeitos, que começam a decretar estado de emergência, fechando comércio, serviços públicos e o transporte coletivo?

sim

não

sei lá!

Não se trata de pesquisa eleitoral, mas de um mero levantamento de opiniões de leitores do RDNews e do Blog do Romilson, com participação espontânea dos internautas. Resultado sem valor científico.