ENTREVISTA ESPECIAL

Quinta-Feira, 04 de Outubro de 2018, 08h:41 | Atualizado: 04/10/2018, 11h:59

Após vencer o câncer de mama, mulher se torna voluntária e conta sobre superação

Paula Cristina, 31 anos, é uma das mulheres que, após superar a doença, decidiu ajudar outras mulheres

Rodinei Crescêncio/Arte/Rdnews

Paula Cristina

 

O câncer de mama é o mais comum entre as mulheres no Brasil. São vários fatores que podem aumentar o seu risco, como endócrino, história reprodutiva, fatores comportamentais, ambientais ou por questões genéticas e hereditárias. É comum acreditar que ocorre apenas com mulheres mais velhas, como a partir dos 50 anos. E elas realmente são mais propensas, mas câncer de mama não tem idade. Ocorre também com homens, mesmo que em uma parcela menor. Por isso, a campanha Outubro Rosa deste ano escolheu como tema desmistificar esses enganos comuns, ao considerar o crescimento na incidência deste tipo de câncer, em pessoas mais jovens na última década. Em mulheres com menos de 35 anos, o Brasil assume entre 4% e 5% dos casos. Paula Cristina, 31 anos, foi uma dessas vítimas. Descobriu a doença há dois anos e buscou tratamento de quimioterapia, cirurgia de retirada da mama e inseriu uma prótese. Com a tatuagem do laço rosa feito há um mês no braço, ela se sente marcada pelo câncer, após concluir o tratamento. A pouco tempo virou também voluntária da causa do MT Mama e conta como foi esse momento de superação em sua vida.

Confira os melhores trechos da entrevista:

Quando descobriu o nódulo que te levou a procurar um médico?

  Foi no banho, enquanto me ensaboava e quando peguei na minha mama eu senti um nódulo. No momento que eu senti, não sabia se já estava lá há muito tempo ou não. Já estava um caroço grande do lado superior esquerdo. Eu não fazia todo mês o auto-exame, mas nunca havia notado algo até aquele dia. Como eu descobri o nódulo em novembro de 2016, e em agosto do mesmo ano eu havia ido ao ginecologista, fiz os exames preventivos e o clínico examinou a minha mama, ainda não havia nódulo algum. Era um tumor agressivo e crescia muito rápido.

Após descobrir o caroço no seio, o que você fez?

  Na outra semana eu fui ao médico e ele solicitou a mamografia e outros exames. Me perguntou se na família havia algum caso, eu disse que não. Em questão de quatro dias eu já estava retornando com os exames. Fui encaminhada a um especialista da mama e fiz mais exames. A mamografia eu achei um pouco dolorosa, porque já estava um pouco dolorida por conta do tumor, mas a ultrassom foi tranqüila. Fiz a biopsia e com o diagnostico vi que realmente era maligno, examinei todo o corpo, para ver se havia metástase ou se o tumor estava isolado. Todos os exames duraram cerca de um mês para serem feitos.

Rodinei Crescêncio

Paula Cristina

Paula Cristina é voluntária para ajudar outras mulheres; na foto, ela mostra tatuagem símbolo da campanha de conscientização ao autoexame e tratamento

Houve algum momento em que você achou que não iria conseguir concluir o tratamento ou vencer a doença?

Na segunda sessão da quimioterapia achei que não iria dar certo. Não sei se por conta da medicação, mas ela mexe muito com o nosso emocional. Fiz quatro sessões da quimio vermelha, que é a cada 21 dias e dezesseis da branca, que foi uma vez por semana. Até aquele momento eu estava bem positiva e achando que iria dar conta, logo após essa sessão fiquei muito mal e com o sentimento de que meu corpo não agüentaria esse processo. A gente fica mais fraca e sente muitas dores no corpo, isso somado a náusea. Pensei, ainda estou na segunda sessão e faltam quatorze sessões. Bateu desespero. Todo este processo durou seis meses. 

Após a quimioterapia, qual foi a continuação do tratamento? Como foi o processo cirurgico?

Com a cirurgia fiz a mastectomia radical bilateral porque eu estava com um tumor em cada mama. Não era metástase, eram tumores diferentes, mas como se eu tivesse tido tumores na mama duas vezes. O médico achou por bem eu tirar a mama totalmente devido a minha idade. Quando a gente é mais jovem, as chances dos tumores voltarem são maiores. A decisão era minha, mas ele indicou essa retirada, na mesma cirurgia inseri a prótese. Depois que fiz a cirurgia, foi complicada a recuperação e o processo de cicatrização foi demorado, achei que seria bem mais simples pelo que as pessoas me falavam. Eu fiz meu tratamento pelo plano de saúde, mas pelo SUS esse tratamento costuma ser mais complicado, ficam esperando aí três ou quatro meses para fazer a cirurgia e isso é um risco, porque a quimioterapia reduz o tumor e não acaba com ele por completo, o tratamento principal é a cirurgia. As vezes, essas pacientes, muitas que eu acompanho pelo MT Mama, ficam três ou quatro meses paradas sem nenhum tipo de medicação para poder fazer a cirurgia e isso de certa forma causa medo e mexe muito com o emocional e psicológico das mulheres.

O auto-exame precisa ser freqüente, uma vez por mês

Paula Cristina

O que mais te afetou e o que te deu forças e resistir?

Acho que o que mais afeta o emocional e psicológico, por conta da queda do cabelo. Se a gente faz a químio com quinze dias o cabelo já começa a cair. A mulher é vaidosa, a gente perde o cabelo, os cílios, a sobrancelha. Ficamos inchadas por causa da medicação e então você fica bem abalada. Nesses momentos tudo é muito difícil, todo apoio de quem ama é essencial. Meus familiares, meu esposo e amigos foram importantes ao meu lado, mas quem não tiver ninguém, o MT Mama pode oferecer esse apoio. O auto-exame precisa ser freqüente, uma vez por mês, assim como a mamografia ou a ultrassom da mama. Se você está passando por esse tratamento, não se isole.

Postar um novo comentário

Comentários (3)

  • Maria Domingas da Silva | Sexta-Feira, 05 de Outubro de 2018, 18h04
    2
    0

    Amigas sejam fortes e firmes na fé. É obedeçam os médicos não deixem por nada de segui los, irá aparecer um monte de tratamento não confiável. Tive um CA de mama e o que me apareceu de gente querendo me medicar não foi brincadeira. Há 21 anos estou curada. Não desanimem por nada se sentir meio depressiva procure um especialista e siga em frente . Tenham fé.Parabens à está menina tão GUERREIRA e a todas meninas.

  • Julimar Esther Milhomem | Sexta-Feira, 05 de Outubro de 2018, 17h59
    2
    0

    Há 13 anos tive um câncer de mama e fiz a mastectomia parcial, fiz 33 radioterapia, usei a medicação por 5 anos, quando fez 01 ano da fo CA de mama, fiz cirurgia de um cisto no pescoço em 2009 tive outra câncer no estômago mas foi tão primário que fiz a cirurgia e acompanho há 9 anos, em em Março de2016, tive que retirar a prótese da mama que havia dobrado, e em outubro do mesmo ano fiz outra cirurgia no estômago porque estava com uma hérnia e no ano passado retirei a vesícula pois estava com polipos na mesmo é quando se tem uma câncer daí todo e qualquer nódulo, cisto ou polipo tem que ser retirado. Mas é o seguinte; desde o primeiro momento nunca perdi a fé e a confiança em Deus que se fosse de sua Santa Vontade eu estaria curadancomo estou. Digo à todas que descobrir um câncer de mama não percam a fé em Deus e faça tudo direitinho como seu mastologista recomendar. Hoje tenho 64 anos, aprendi a ter mais paciência e fé. Pois pra DEUS NADA É IMPOSSIVEL.

  • Maria Alzira Veronez | Quinta-Feira, 04 de Outubro de 2018, 19h09
    5
    0

    Essa menina é guerreira admiro demais a perseverança dela a conheço desde criança amo como se fosse minha filha e to muito feliz por ela está ajudando outras pessoas que precisam e com o testmunho dela creio que será muito importante para outras pacientes...bjo no seu coração minha princesa 😍

Rejeição a Abílio sobe e cai a de EP

abilio junior 400 curtinha   Nos últimos 15 dias, o candidato a prefeito da Capital, Abílio Júnior (foto), do Podemos, viu a rejeição aumentar 12 pontos percentuais, quase um por dia, saindo de 19% para 31%, de acordo com a nova rodada da pesquisa Ibope, divulgada nesta sexta pela TV Centro América....

Fávaro deixa governador em saia-justa

carlos favaro 400 curtinha   O senador interino do PSD, Carlos Fávaro (foto), que busca a reeleição, deixou o governador Mauro Mendes (DEM) em uma saia-justa em Barra do Garças. Mendes, que já declarou apoio no horário eleitoral ao candidato à sucessão municipal Wellington Marcos, do mesmo...

Sob efeito-cavalo paraguaio em ROO

thiago muniz 400 curtinha   Em Rondonópolis, o candidato a prefeito, vereador e empresário Thiago Muniz (foto), se transformou num cavalo paraguaio, expressão muito usual no futebol quando se refere a um time que dispara no início do campeonato mas, lá pela metade, começa a cair pelas tabelas. Acreditava-se...

Lula na TV deve afundar mais Julier

lula 400   O advogado Julier Sebastião da Silva, que disputa pela segunda vez a Prefeitura de Cuiabá - na primeira, em 2016, pelo PDT, ficou em terceiro lugar e, agora, pelo PT -, levou para o seu horário eleitoral o ex-presidente Lula (foto). A participação, com pedido de voto para Julier, da maior...

Na contramão dos investimentos

jose wenceslau 400 curtinha   Ao invés de reconhecer e aplaudir a iniciativa do governo estadual, que anunciou investimentos de R$ 9,5 bilhões em obras e ações, sendo R$ 6 bilhões (63%) de recursos próprios, a Fecomércio-MT, sob José Wenceslau Júnior (foto), reagiu com críticas....

Filho de ex-deputado rumo a vereador

willy taborelli 400   O coronel PM da reserva e ex-deputado estadual Perry Taborelli, que concorreu e perdeu para prefeito de Várzea Grande em 2016, lançou de novo o filho à cadeira de vereador. Trata-se do jovem advogado Willy Jacyntho Taborelli (foto), de 32 anos. Desta vez, ele concorre pelo PV. Na eleição...