ENTREVISTA ESPECIAL

Sábado, 23 de Maio de 2020, 08h:25 | Atualizado: 25/05/2020, 14h:28

Temos que espernear para sobreviver, diz artista cuiabano sobre impactos da Covid

Billy Espíndola ganhou destaque no cenário artistico e fala sobre impacto do isolamento no setor

Dayanne Dallicani/Arte/Rdnews

Billy Esp�ndola

Há alguns anos defensor da cultura contemporânea mato-grossense, Billy Espíndola é conhecido desde 2014 como o criador da guitarra de cocho. Ele já representou Cuiabá ao carregar a tocha olímpica e correr com ela em 2016 entre as principais avenidas da Capital, além de ser personagem do documentário "O nascimento da Guitarra de Cocho", mesmo que ganhou o prêmio internacional Antonio Campos, em Portugal, como "Melhor curta-metragem internacional de língua portuguesa”, onde as filmagens monstraram a criação de seu instrumento - oriundo da viola, um dos mais antigos símbolos regionais. Além de músico e produtor cultural, segue a frente do Espaço Toma, onde realiza festivais e outros eventos em prol da música autoral. Entre os assuntos que Espíndola disse em entrevista foi sobre o estado de vulnerabilidade dos artistas nesse momento de pandemia, muitos deles impactados pela quebra de apresentações em lugares dedicados as platéias, mas que agora seguem fechados para evitar o contágio do novo coronavírus (Covid-19).

Confira os principais trechos da entrevista:

Estamos há dois meses com bares e casas de shows fechadas por conta das medidas de isolamento e proibição de aglomerações. Como tem percebido a vida dos cantores e músicos que também faziam das apresentações o sustento?

Uma fase péssima, terrível para todos os músicos e artistas que conheço. Tem muita gente que conheço que já fala em trocar de ramo e muita gente também que já está fazendo isso. Resistência é o que define o momento.

É possível comparar a rotina da vida dos artistas antes e agora? O cenário artístico em Mato Grosso é promissor ou ainda sofre com o descaso antes da necessidade de auxílios de emergência?

Não vou dizer que estava a mil maravilhas, mas com ceretza a gente tinha mais espaço para criar, inclusive mais formas de trabalho, criar a remuneração através disso. As possibilidades foram quase que totalmente aniquilidas com o coronavírus. Acredito que o cenário artístico tem muita ligação ao empenho e ao trabalho.

Quais estão sendo as alternativas adotadas pelos artistas nesse período para sobreviver?

A galera está fazendo as lives, vendo mais artistas que tem melhores condições que outros se unindo aos bares e lugares que antes eram de entretenimento para conseguir cesta básica ou pedindo a ajuda para doações que possam ajudar artistas assim. Existem situações de artistas em emergência mesmo, muita gente que pegou auxílio emergêncial e foi comprar só comida. Inclusive, para dar mais visibilidade e voz a alguns desses artistas independentes, estou promovendo junto com alguns apoiadores um festival de lives que é o MT Conect 2020, para a galera poder contribuir com o que puder. É uma janela que quis abrir pra isso.

Reprodução

Billy Esp�ndola

O cuiabano Billy Espíndola é reconhecido e ganhou destaque ao se apresentar com "guitarra de cocho"; ele fala sobre impacto da Covid-19 no setor

Qual acredita ser o legado das lives?

As lives vão marcar essa década, o ano de 2020 já começou de uma maneira extremamente técnológica e também estranha. Está bem claro que isso é um marco na história e quem se adaptar rápido a isso, com soluções criativas e que dialoguem com esse público internauta, sairá a frente.

Conhece algum artista em situação precária ou que esteja recebendo algum tipo de auxílio financeiro do governo municipal, estadual ou federal? Como tem avaliado o apoio do poder público para a classe neste momento?

Tenho vários amigos que conseguiram acesso ao auxílio emergêncial, mas é pouco. Não dá direito nem pro básico, tem gente que tem família e criança que depende disso. O governo tem sido irresponsável e está longe de fazer a parte como deveria.

O setor do entretenimento deve ser um dos últimos a voltar a normalidade. Como você avalia o momento pós-pandemia?

Com certeza o setor do entretenimento foi um dos mais atingidos, e é difícil responder isso porque não temos nada de concreto e palpável, tudo é uma grande incognita. Não temos ao que nos agarrar, estamos mesmo tendo que nos espernear para sobreviver.

Postar um novo comentário

Comentários (2)

  • Setor não essencial neste momento! | Domingo, 24 de Maio de 2020, 19h22
    0
    0

    Leitos de UTI´s, medicamentos, Medidas sanitárias e comida na masa da população mais carente, o resto pode esperar.

  • Fred | Domingo, 24 de Maio de 2020, 10h00
    3
    0

    Esse ai do quer mídia! Cadê o resultado das ações feitas em prol dos músicos?

Dorner vai tentar prefeitura de novo

roberto dorner 400 curtinha   Em Sinop, o empresário e ex-deputado federal por alguns meses Roberto Dorner (foto), que deixou o PSD e aderiu ao Republicanos, está disposto a encarar de novo a disputa a prefeito. Em 2016, ele perdeu para Rosana Martinelli (PR) por uma diferença de 3.388 votos. É possível que ambos...

Um líder sob insatisfação dos colegas

dilmar dal bosco curtinha 400   O líder do governo na Assembleia, Dilmar Dal Bosco (foto), tem enfrentado crítica velada e insatisfação dos colegas, principalmente dos deputados da base. Reclamam que o interlocutor do governador Mauro não move uma palha em defesa da liberação das emendas e, nas...

Jogada do prefeito Francis em Cáceres

paulo donizete 400 curtinha caceres   A sete meses de concluir o mandato, o prefeito cacerense Francis Maris (PSDB) lançou uma jogada estratégica para ver se "cola". Apoia publicamente para prefeito o seu diretor da autarquia Águas do Pantanal, Paulo Donizete (foto), do mesmo partido, inclusive participou da reunião...

Luta por mais leitos de UTI em Sinop

rosana martinelli 400 curtinha   A prefeita de Sinop, cidade pólo do Nortão, Rosana Martinelli (PR), demonstra preocupação com os poucos leitos de UTI do Hospital Regional no município. A unidade atende moradores de mais de 30 municípios da região e só dispõe de 10. Rosana diz esperar...

Priminho Riva deve disputar em Juara

priminho riva 400 curtinha   Dezesseis anos depois de comandar Juara por dois mandatos (1997 a 2004), Priminho Riva (foto) está de volta. Filiado ao PR, ele deve concorrer a prefeito. Político bastante popular e carismático, tende a enfrentar um páreo duro com dois nomes considerados fortes, o do ex-vice e que se tornou...

Contas de prefeita são reprovadas

thelma 400 curtinha   As contas de 2018 da prefeita chapadense Thelma de Oliveira (foto), do segundo ano de mandato, foram reprovadas pelo TCE-MT. Agora, cabe à Câmara Municipal aprová-las ou rejeitá-las. Em seu parecer, o conselheiro interino João Batista apontou 15 irregularidades, sendo 11 delas sobre...

ENQUETE

facebook whatsapp twitter email

Você conhece alguém próximo que foi infectado pelo coronavírus?

sim

não

em dúvida

Não se trata de pesquisa eleitoral, mas de um mero levantamento de opiniões de leitores do RDNews e do Blog do Romilson, com participação espontânea dos internautas. Resultado sem valor científico.