ENTREVISTA ESPECIAL

Sábado, 06 de Fevereiro de 2021, 06h:05 | Atualizado: 06/02/2021, 15h:48

Cuiabano interpreta arquiteta elitista, já atrai famosos e faz sucesso nas redes veja

Sheyla Christina, apesar do ar de superioridade, traz a essência de uma mulher forte e bem batalhadora

Rodinei Crescêncio

F�bio Marx - Raio X - Entrevista da Semana

Com mais de 67 mil seguidores, o cuiabano Fábio Marx, de 26 anos, faz sucesso nas redes sociais ao dar vida ao seu personagem Sheyla Christina, uma arquiteta para lá de elitista. Suas postagens já foram compartilhadas por personalidades como a atriz Bruna Marquezine e o humorista Gregório Duvivier.

Ao #rdnrews, Fábio contou que Sheyla nasceu de uma maneira natural. Para ele, foi uma maneira de criticar o universo no Design, sua área de atuação. Profissional hoje atua em Curitiba, no Paraná, cidade em que foi morar aos 17 anos.

Lá, começou a trabalhar com arquitetos e designers e foi se moldando profissionalmente. Conforme explicou, Sheyla é um reflexo de tudo o que vivenciou ao longo dos 10 anos de carreira.

“Então ela vem em forma de crítica, mas uma crítica leve, quando eu estou Fabio, eu sou um pouco mais persuasivo e pode até soar um pouco grosso, mas com a Sheila, eu consigo criar essa personagem e falar algo que eu queria falar de mim de forma mais humorada e mais leve para que a minha voz chegue mais longe”, contou.

Confira a entrevista na íntegra:

Reprodução Instagram

F�bio Marx - humorista e designer cuiabano - vive em Curitiba

Como nasceu a Sheyla Cristina?

Foi de uma maneira bem orgânica. Ela nasceu da necessidade que eu tinha de criticar essa sociedade de arquitetos, de pessoas super elitistas e tudo mais. Então ela vem em forma de crítica, mas uma crítica leve. Quando eu estou Fábio eu sou um pouco mais persuasivo e pode até soar um pouco grosso, mas com a Sheyla eu consigo criar essa persona e falar algo que eu queria falar de uma forma mais humorada e mais leve para que minha voz chegue mais longe. Eu acho que esse é o principal objetivo.

Mas você já tinha feito algo parecido?

Eu sempre fiz vídeos assim, para o TikTok. Tinha uma época na minha adolescência em que eu era youtuber. Então eu sempre trabalhei com isso. Acho que se eu não fosse designer de interiores eu trabalharia com audiovisual, cinema ou com teatro. Esse mundo me puxa e é um hobby. A Sheyla entrou nisso assim, de eu entrar e começar a fazer vídeos, começar a dublar áudios, pegar peruca da minha amiga. Uma coisa bem despretensiosa que as pessoas foram me perguntando: quem é ela? O que ela faz? E daí foi quando eu decidi criar necessariamente a personagem Sheyla Cristina.

E como é o processo de criação do conteúdo?

se eu não fosse designer de interiores eu trabalharia com audiovisual, cinema ou com teatro. Esse mundo me puxa e é um hobby

É um exercício diário de quando eu vou responder uma caixa de pergunta [do Instagram]. Eu sempre abro o meu story, onde as pessoas mandam as dúvidas e eu respondo de forma rápida e bem-humorada. Sempre que eu vou responder uma caixinha de perguntas, eu penso o que o Fábio responderia e o meu exercício é pensar ao inverso daquilo. De certa forma, é o inverso, mas não é tudo o que eu não acredito. Se está dentro de mim de alguma forma, mesmo que seja ao inverso, sou eu também, entende? Então não deixa de ser o que eu penso, mas de uma forma invertida.

Quais são suas referências?

Eu não me inspiro só em coisas ruins, né. A Sheyla tem essa questão de ser uma mulher forte e batalhadora. Querendo ou não isso vem de mulheres que permeiam a minha vida. Minha mãe, minha irmã, minha sócia, pessoas que estão próximas de mim e que me inspiram de uma forma boa também. Não é só ruim não. A Sheyla tem um ladinho bom também. Quando eu cheguei em Curitiba, eu já comecei a trabalhar em mercenária, com arquitetos, designers. Eu cheguei e já cai nesse mundo, que era um mundo que eu não tinha conhecimento nenhum. Então a partir daí eu comecei a me moldar como profissional. Então isso tem uma carga muito importante, porque hoje a Sheyla é reflexo de tudo o que eu vivi nesses quase dez anos de carreira. É tudo o que eu conheço de uma forma caricata.

Qual foi o seu objetivo quando criou o personagem? Mudar de profissão, se destacar no meio da arquitetura?

O meu maior objetivo desde o início sempre foi me expressar. Independente se uma pessoa veria, ou outra pessoa. Eu trabalho como designer de interiores e tenho essa veia artística dentro de mim, é natural. É muito natural ser artista e querer me expressar. Seja no meu trabalho, seja através de um hobby, uma dança. Eu sempre tive isso. Falar para você qual era o meu objetivo mesmo lá no início, não era me destacar na profissão, ou me destacar como um artista focado no Instagram. Foi uma coisa que foi acontecendo naturalmente. É óbvio que agora que tomou uma proporção, aí a gente direciona o caminho que eu quero que vá. Mas eu também sou muito flexível em relação a isso. Eu acho que as coisas acontecem da forma que devem acontecer.

Eu nunca tive uma grande expectativa lá atrás, quando eu criei a personagem, mas agora que ela está caminhando para se tornar algo maior

Quais são os planos para o futuro da personagem?

Eu nunca tive uma grande expectativa lá atrás, quando eu criei a personagem, mas agora que ela está caminhando para se tornar algo maior. Na verdade, dentro do ramo da arquitetura e do design de interiores, ela já é bem conhecida. O meu objetivo imediato é de alcançar outros públicos para que a minha voz seja ouvida. O meu maior objetivo como artista é me expressar. Então não é necessariamente falar sobre Sheyla, arquitetura ou sobre qualquer outra coisa. Por mais que eu esteja falando de uma mulher milionária, elitista, eu estou criticando uma sociedade e eu estou virando uma representatividade por ser um cara homossexual, negro, morando em Curitiba e em um local de fala que poucas pessoas têm.

Você acha que o sucesso veio por conta da identificação das pessoas?

Eu recebo mensagens diárias de pessoas falando “nossa, eu amo a Sheyla porque ela fala o que eu devia falar, ou “eu tinha uma chefe parecida com ela”. Então rola essa identificação porque existem inúmeras Sheylas no mundo inteiro. E daí tem a pessoa que identifica alguém próximo e tem a própria Sheyla que se identifica e que leva isso na brincadeira e que está super ok. Mas tem aquela que não leva tão bem assim, mas é mais um problema delas do que meu, entendeu? Porque eu não estou falando de ninguém especificamente.

Reprodução Instagram

F�bio Marx - humorista e designer cuiabano - vive em Curitiba

Fábio Marx faz questão de dizer que mantém a essência cuiabana no trabalho

Como ser cuiabano influencia no seu trabalho atualmente?

Sempre tento levar muito da minha essência cuiabana. Sempre falo que sou cuiabano porque eu morro de orgulho. É uma coisa que eu tive que sair de Cuiabá para aprender a me identificar com o que é ser cuiabano. Hoje em dia eu percebo o quão importante foi ter nascido em Cuiabá e ter tido essa criação, coisa que na minha infância eu detestava, acredita nisso? Então é uma coisa que eu tive que sair daí para entender mesmo um pouco sobre mim. Toda criança tem que sair de casa para começar a se entender. Foi mais ou menos esse o processo.

Você tem pretensão de algum dia voltar para Cuiabá?

Eu nunca falaria que eu não voltaria para Cuiabá, jamais. Falando de família, eu não tenho mais ninguém aqui. Então não digo que eu não voltaria, porque o tempo vai passando e a gente vai percebendo o quão o importante é estar perto da nossa família e de quem a gente ama. Então eu não sei, talvez em algum momento da vida isso vai ser a prioridade. Mas hoje focado no meu lado profissional, infelizmente Cuiabá não tem um grande mercado formado no ramo de designer de interiores. A gente tem cliente aí, mas eu vejo que ainda é muito fechado, assim como em vários outros lugares. A arquitetura, o design de interiores é muito centralizado e o nosso objetivo é meio que acabar com isso, mas é um processo.

Você uma época interpretou um personagem cuiabano. Tem a pretensão de voltar a dar vida a ele?

Nesses últimos três meses eu decidi ficar só na Sheyla. Eu resolvi não fazer outros personagens ou falar. Literalmente quero atrair o público que eu preciso atrair. Nesses últimos dias, desde janeiro, eu comecei a afunilar um pouco mais esse público, mostrar um pouco mais sobre quem eu sou de verdade, quem é a pessoa por trás da Sheyla. O objetivo não é só falar da cultura cuiabana, mas falar quem eu sou, que faz parte de mim falar sobre isso. Eu amo interpretar esse outro personagem que nem nome tem, ele nasceu igual foi com a Sheyla. Teve algumas curtidas, mas não foi nada de grande. Ele está guardado, um dia a gente volta a tocar nele.

 

Galeria de Fotos

Credito: Reprodução do Instagram
Credito: Reprodução Instagram
Credito: Reprodução Instagram
Credito: Reprodução Instagram

Postar um novo comentário

Comentários (1)

  • Jessika | Domingo, 07 de Fevereiro de 2021, 14h22
    0
    0

    Maravilhoso!

Sicredi recua de comprar praça pública

enilson rios 400 prefeito araputanga   A diretoria do Sicredi nem esperou ser votado na Câmara Municipal o polêmico projeto sobre negociação de uma praça pública no centro de Araputanga para cancelar o negócio. A cooperativa havia "amarrado" entendimento com o prefeito Enilson de Araújo...

Sessão, voto e namoro com cantora

ulysses moraes 400   Na sessão virtual da Assembleia desta segunda, o deputado Ulysses Moraes (foto), do PSL, estava demorando para computar o voto na apreciação de um veto do governador. O presidente Max Russi (PSB), então, cobrou agilidade do colega e brincou, dizendo que agora ele só tem olhos para a Maraisa....

Misal é reeleito para o 10º mandato

misael galv�o 400 curtinha   Após dois anos fora do comando do Shopping Popular, período em que respondeu pela presidência da Câmara da Capital, o ex-vereador Misael Galvão (foto) voltou à direção do empreendimento, que abriga 500 lojas. E, sob forte...

Oscarlino, Pros e "nocaute" em Gisela

oscarlino 400   Na queda-de-braço dentro do Pros por espaço político, o ex-sindicalista Oscarlino Alves (foto) nocauteou a ex-superintendente do Procon-MT, Gisela Simona. Ele foi um dos filiados que não aceitaram apoio a Abílio na disputa de segundo turno para prefeito de Cuiabá, se aliou ao projeto de...

Promotor recebe medalha do Exército

Mauro Zaque curtinha   O promotor de Justiça Mauro Zaque (foto) foi condecorado com a medalha do Exército Brasileiro na manhã desta segunda (19), no dia da instituição. A solenidade é considerada a segunda maior do Exército Brasileiro, foi reservada por conta da pandemia e contou com a...

Sema reabre os parques em Cuiabá

mauren lazzaretti sema 400   Fechados desde 1º de abril, em obediência às regras de decreto municipal, que suspendiam as atividades coletivas, os parques estaduais urbanos de Cuiabá reabrem nesta segunda (19) para utilização pelo público. Será possível acessar as tradicionais trilhas...