ENTREVISTA ESPECIAL

Sábado, 21 de Março de 2020, 08h:05 | Atualizado: 22/03/2020, 07h:45

Médico elogia planos de contingência em pandemia e alerta: não estamos de férias

Cassius diz que período é de muito cuidado por conta da possibilidade de superlotação nas área da saúde

Rodinei Crescêncio/Arte/Rdnews

Cassius Clay

O coronavírus tem causado desespero entre mato-grossenses. O Governo confirmou 1 caso, embora haja mais dois atestados por laboratórios particulares. O infectologista Cassius Clay Azevedo afirma que o momento é crítico da nossa vida, mas não para entrar em pânico. Apesar de contágio e adoecimento rápidos, a doença tem baixo número de mortes. Reforça que a preocupação é com os idosos e portadores de doenças crônicas, pois são a exceção as complicações que resulta em morte. Como governos, prefeituras e imprensa vêm reiteradamente batendo na tecla, o médico disse que atos de higiene, respeito ao isolamento domiciliar e evitar aglomerados de pessoas são boas medidas para evitar contágio rápido.

O Governo adotou medidas de suspender aulas e eventos públicos. Como as avalia?

Atitude perfeitamente correta, pois vai conseguir apartar as pessoas delas mesmas. Quando fala de fazer uma quarentena, isso é próprio para proteção da pessoa. Nós não estamos no período de férias. A gente está com sinal de alerta piscando. Por exemplo, crianças que não estão estudando, então quer dizer que eu posso ir para o shopping com as amiguinhas? Não! É ficar dentro de casa esperando orientações maiores acerca do que fazer.

Qual momento das autoridades a pensar que os adultos fiquem em casa?

Acredito que, assim que forem confirmando casos, essa contingência vai aumentar.

Acredita que o coronaívurs vai ter o pico aqui no Estado?

Confesso que, a cada dia que passa, como profissional, estou ficando receoso já disso acontecer. O nosso receio é, se aumentar o número de casos confirmados, nós não teremos aporte adequado para tratar esse pessoal. Uma pessoa com coronavírus não é só chegar, tratar como um resfriado e mandar para casa com dois dias de atestado. Precisa de ambientes de Unidade de Terapia Intensiva (UTI), ou pelo menos um CTI, que é um semi intensivo de UTI. E assim, se de repente mil pessoas confirmarem, onde vai abarcar todo esse pessoal? Então, por isso que a população tem sim que obedecer ao plano de contingência, ficar em casa, beber bastante líquido, alimentar-se bem, evitar o contato físico. Tudo isso aí são medidas que ajudam a coibir de contaminação com vírus.

Rodinei Crescêncio

Cassius Clay Azevedo

O médico infectologista Cassius Clay Azevedo durante entrevista exclusiva ao repórter Allan Pereira, em seu consultório, na 4ª passada, em Cuiabá

Tem previsão para quando teremos de volta uma rotina normal?

Os pessimistas falam que a partir de julho é que vai piorar o número de casos confirmados e pessoas doentes. Os mais otimistas acreditam que até 50 dias seja um tempo razoável para ter uma noção da contaminação, dos sintomas e do desfecho do caso – se óbito ou cura. Acredito que do jeito que está indo, a gente consiga – com ajuda de Deus – controlar isso.

O que os pessimistas levam em consideração para essa demora de 4 meses?

A explosão maciça de casos novos.

Mas por conta do quê? O clima?

Não tanto o clima. O sol causticante pode impedir um pouco sua transmissão, mas não erradica de vez. Países como Irã e Iraque tem casos sob um sol terrível. Quando eu falo em explosão de casos, é a contaminação entre as pessoas mesmo. Falo do mundo obscuro, onde você não vê sintomas, pois trabalhamos com dois grupos – os sintomáticos e os assintomáticos. O primeiro é aquele tem febre, tosse, falta de ar, nariz escorrendo. O segundo não tem sintoma, mas tem o vírus nele. O período de transmissibilidade é entre 2 e 12 dias, com uma média de 5,5 dias. No sexto dia, ele já começa a ter sintomas.

Rodinei Crescêncio

Cassius Clay Azevedo

O infectologista Cassius Clay Azevedo, em entrevista exclusiva ao Rdnews, afirmou que período de quarentena não é férias e reforçou cuidados

Quando uma pessoa deve procurar ajuda médica?

A pessoa tem que fazer uma triagem adequada. Por exemplo, uma pessoa de 40 anos está tossindo por que foi numa serralheria e é alérgica. Em dois dias, não fez febre, não ficou cansada. Só muita tosse e espirro. Ela não deve procurar um pronto atendimento pois, provavelmente, foi uma tosse alérgica ou rinite. Agora, uma pessoa que viajou para Minas Gerais, voltou de lá e, quatro dias depois, teve febre, dor no corpo, começou a tossir de modo exaustivo, a idéia é sim procurar uma unidade. É necessário coerência do sintoma para poder procurar serviço médico. Já pensou se Cuiabá hoje, que tem quase 1 milhão de habitantes, 20% da população procure pronto atendimento? Vai ter uma superlotação, tanto no sistema público quanto privado.

Postar um novo comentário

Comentários (3)

  • Renato | Segunda-Feira, 30 de Março de 2020, 16h09
    0
    0

    Renato, Há expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas. Queira, por gentileza, refazer o seu comentário

  • Renato | Domingo, 22 de Março de 2020, 17h00
    0
    0

    Renato, Há expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas. Queira, por gentileza, refazer o seu comentário

  • Jane Paula | Sábado, 21 de Março de 2020, 17h29
    4
    0

    Isolamento é palavra de ordem . Quantos profissionais de várias áreas gostariam de estar em quarentena mas não podem pra cuidar de vocês e queridos em várias questões . Absorvam colocando em prática a leitura do Dr Cassius e orem por nós que estamos aqui fora . Orem também pelos inconsequentes que ainda são muitos , parabéns pela atitude drástica e necessária do Prefeito . Não vejo a hora de ver aqui a reportagem que tudo se normalizou . Sair de casa , somente em caso externo. Deus a frente sempre !

DEM e voz na Câmara após 16 anos

marcelo bussiki 400 curtinha   O DEM (antigo PFL) passa a ter voz na Câmara da Capital 16 anos depois. Aproveitando a janela de março em que a Justiça Eleitoral permite mudança de legenda sem risco de perda do mandato, dois vereadores migraram para o Democratas, sendo eles Marcelo Bussiki (foto) e Gilberto Figueiredo, que...

MDB agora com 2 na Câmara-Cuiabá

juca do guaran� curtinha 400   O MDB do prefeito Emanuel Pinheiro, que não elegeu vereador em 2016 em Cuiabá, agora ganha duas vozes na Câmara. Tratam-se de Juca do Guaraná (foto), militante histórico do nanico Avante que resolveu migrar para a legenda emedebista, e do recém-empossado...

PT segue sem voz na Câmara-Cuiabá

bob pt 400 curtinha   O PT, presidido em Cuiabá por  Elisvaldo Almeida, o Bob (foto), está mesmo "queimado" e sem prestígio. Em meio ao troca-troca de partido entre os vereadores cuiabanos, aproveitando a janela de março, cujo prazo para mudanças para quem deseja se candidatar em outubro encerrou-se neste...

Deputado, única causa e os interesses

xuxu 400 curtinha   Xuxu Dal Molin (foto), deputado pouco atuante e limitado a defender a bandeira do agronegócio, é mais um daqueles que demonstram, na prática, usar a política para beneficiar os seus. De familiares de agricultores, Xuxu bateu duro, se posicionando contra a proposta encaminhada pelo governador Mauro...

Vereadores de ROO e trocas de siglas

fabio cardozo 400 curtinha   Em Rondonópolis, praticamente a metade dos vereadores está aproveitando a janela, que se encerra neste sábado, para mudar de partido, e já com as atenções voltadas à reeleição. E, com a dança das cadeiras, o Solidariedade do prefeito Zé do...

Podemos absorve a turma do barulho

O Podemos conseguiu juntar no seu diretório em Cuiabá a turma do barulho. Dela fazem parte dois com mandatos cassados, Abílio Júnior, que perdeu a cadeira de vereador por quebra de decoro, e a senadora Selma Arruda, cassada por caixa 2 e abuso de poder econômico, mas que ainda continua no cargo. Selma impôs condições para seguir no partido. Chegou a negociar ida para o PSC. E ganhou a presidência municipal do Pode, forçando o...

ENQUETE

facebook whatsapp twitter email

Você concorda com a decisão de prefeitos, que começam a decretar estado de emergência, fechando comércio, serviços públicos e o transporte coletivo?

sim

não

sei lá!

Não se trata de pesquisa eleitoral, mas de um mero levantamento de opiniões de leitores do RDNews e do Blog do Romilson, com participação espontânea dos internautas. Resultado sem valor científico.