ENTREVISTA ESPECIAL

Quinta-Feira, 04 de Abril de 2019, 12h:45 | Atualizado: 04/04/2019, 13h:03

Roberto diz que resgatou autoestima dos cuiabanos e não liga de ter virado meme

Dayanne Dallicani/Rodinei Crescêncio

Roberto Fran�a

 

Considerado ícone da cuiabania,  o comunicador Roberto França é conhecido pelos bordões “bomba, bomba, bomba”, “lapada, lapada, lapada” e “crima compretamente nubrado” que já virou até meme.    Depois de deixar a vida pública, onde foi eleito vereador dois mandatos, deputado estadual  cinco vezes, exerceu um mandato de deputado federal  e foi prefeito de Cuiabá eleito e reeleito, agora se dedica completamente ao Resumo do Dia, programa televiso que se dedica a cobertura política e tem bons índices de audiência. Foi no escritório do programa que recebeu para falar sobre sua experiência como gestor público e os 300 anos de Cuiabá.

Qual era a realidade da Cuiabá que o senhor administrou?

Nós realmente pegamos a Prefeitura num momento muito difícil. A Prefeitura de Cuiabá, quando assumi, devia nada mais, nada menos, que seis folhas de pagamento aos seus servidores e uma dívida de quase R$ 450 milhões e devendo para todos os fornecedores, inclusive a empresa da coleta do lixo que não recebia há 10 meses. A cidade estava podre, fedida. A autoestima do nosso povo estava lá embaixo.

 E foi possível reverter a situação?

Nós com muito trabalho, com muita dedicação, sem ficar olhando no retrovisor, até porque a sucessão nossa foi do partido que pertencia, o PSDB. Eu não podia ficar criticando meu próprio partido por deixar a Prefeitura endividada dessa forma. E não é meu costume ficar criticando as gestões passadas. Temos que olhar para frente, para o futuro. Foi com essa ótica que administrei Cuiabá, buscando parceria com o povo, o movimento comunitário, a Câmara Municipal. Nós lançamos o slogan Cuiabá Somos Todos Nós.  Nós chamamos os cuiabanos e os brasileiros que pra cá vieram, que amam essa terra, para recuperarmos Cuiabá levantando o astral da população. E acho que depois de algum tempo, Cuiabá começou a mudar.

meme frança

Um dos memes, feito pelo K-BÇA pensante, sobre a troca de letras, típico do sotaque local

Qual foi seu maior legado?

Como filho desta terra, eu tinha que dar minha contribuição para o crescimento, o desenvolvimento dessa terra e assim o fiz. Foram 1.166 obras, todas registradas em livro, catalogadas com fotografia. Nós alcançamos dois aspectos que reputo como mais importantes da gestão, além das obras físicas. A prioridade maior foi trabalhar o ser humano e nós fizemos um grande trabalho social. A segunda foi recuperar a autoestima do nosso povo. Hoje,  Cuiabá está com progresso, desenvolvimento, realmente uma cidade melhor, fruto do meu trabalho e dos prefeitos que me sucederam. Cuiabá é uma metrópole e eu me sinto honrado, gratificado, de ter dado minha parcela de contribuição.  

O senhor contou com a parceria do Governo do Estado?

O então governador Dante de Oliveira era do mesmo partido que eu, mas, infelizmente, pouco pode me ajudar porque também teve dificuldades no Estado. Tive muito mais parceria com governo federal. O ex-presidente Fernando Henrique era do PSDB e fiz uma amizade muito grande com o falecido ministro  Sérgio Motta, que terminou sendo meu padrinho político. Eles empre nos prestigiaram. Sérgio Motta, que deu nome a ponte, foi homenageado com merecimento. O Museu do Rio e o Aquário Municipal foram viabilizados graças a ele.

E sobre o desentendimento entre o governador Mauro Mendes e o prefeito Emanuel Pinheiro?

Disputei 10 eleições. Dos que estão vivos, sou o político que disputou o maior número de eleições. Cada eleição é uma história e cada eleição você soma experiência e conhecimento, principalmente na parte política. Com esse desentendimento entre Mauro Mendes e Emanuel Pinheiro, os dois saem perdendo. E pior, o povo sai perdendo.  Cada um têm que fazer sua administração e se ficar  pensando na eleição de 2020, quem perde é o povo. Sugiro que sentem, conversem e coloquem acima dos interesses partidários e até mesmo eleitorais, coloque os interesses da comunidade, do povo, que devem falar mais alto.

O cancelamento do Festival Cuiabá 300 Anos agravou a situação?

40 mil pessoas estariam na Arena e 20 mil assistindo pelo telão. Seria uma festa que ficaria na história de Cuiabá. É lamentável. Seria uma festa marcante, com artistas consagrados. O grande prejudicado é o povo de Cuiabá, que no seu aniversário de 300 anos, não vai ter a festa que merecia.

O senhor é considerado ícone da cuiabania e já virou meme por causa do linguajar cuiabano. Isso te incomoda?

A gozação que eles esparramam, eu levo no bom sentido. Dou gargalhada, inclusive. Não vou mudar minha maneira de ser, minha maneira de agir e de falar. O linguajar cuiabano é muito rico. Sobre querer tirar gozação em cima do linguajar cuiabano, eu acho que essas pessoas têm que pensar um pouco mais. O linguajar cuiabano tem que ser valorizado e respeitado. Sou cuiabano e tenho honra de falar o linguajar cuiabano. Os incomodados é que se mudem. Troco o L pelo R e o povo entende. Não vou mudar.

Que mensagem o senhor deixaria para os 300 anos da Capital?

Que Deus ilumine o prefeito Emanuel Pinheiro para que possa fazer a gestão humanizada que prometeu ao nosso povo e  ilumine o governador Mauro Mendes, que também foi um excelente prefeito, conhece os problema de Cuiabá e pode contribuir para solucionar os problemas da cidade. Que os dois não misturem as questões políticas. Cuiabá tem que estar acima dessas divergências. Que possamos buscar o progresso, o desenvolvimento e a construção de dias melhores para o nosso povo, principalmente as famílias menos favorecidas.

Confira trecho da entrevista de Roberto França:

 

Postar um novo comentário

Comentários (11)

  • Graciele Leite | Domingo, 07 de Abril de 2019, 13h51
    0
    0

    Roberto França meu conterrâneo merece respeito pois foi o único que sempre fez valer o respeito pela sua terra e por sua gente. Parabéns Roberto e Viva Cuiaba.

  • Gilston | Domingo, 07 de Abril de 2019, 10h29
    0
    0

    Sempre percebo que RF adora puxar o saco do gestor atual tanto prefeitura como governo. Sera que é por causa dos patrocínio! O gestor sai do cargo aí ele desce o pau. kkkkkkk Me lembro quando seu programa tava iniciando, ninguém queria patrocinar e el esbravejava.

  • Lucas | Sexta-Feira, 05 de Abril de 2019, 17h18
    5
    1

    O povo brasileiro é um inútil mesmo, não tem memória, quem viveu a época da gestão desse cidadão, NÃO TEM SAUDADES, pergunte p um servidor público, como foi a gestão, quantos salários atrasados e a estória do CONSIGNADOS que fizeram no nome do servidor para poder receber. É cada uma, eu acredito que não temos mais solução, com um povo desse, ao invés de ficarem vendo sacanagens no WHATSAPP, façam uma pesquisa no GOOGLE, sobre esse sujeito, daí veremos.

  • Leandro | Sexta-Feira, 05 de Abril de 2019, 04h35
    3
    1

    O Roberto França recebeu a Administração Municipal de Dante de Oliveira e José Meirelles. Quando ele foi candidato contra Meirelles, Dante dizia que Prefeitura não era rádio, e ele não tinha mínimas condições para ser Prefeito. Na minha opinião, ambos fizeram uma gestão apenas razoável. Talvez a de Dante tenha sido um pouquinho melhor devido ter se saído bem no setor da saúde.

  • Milton Ribeiro | Quinta-Feira, 04 de Abril de 2019, 21h05
    5
    11

    Vim do Estado do Paraná, escolhi está terra para viver! Amo Cuiaba, e não vi Prefeito melhor que Roberto França, homem de mãos limpas, não da tapinha nas costas de ninguém, não puxa sacos de ninguém, fala o que tem que falar, dia a quem doer! Como todo homem é grande político tem alguém do seu lado com muito valor é dona Iraci, sem duvidas foi a melhor Secretária de promoção social que passou por ali. Roberto, vamos pra Rua, vamos fazer sua campanha! Volte! Cuiaba precisa de você!

  • João da Costa | Quinta-Feira, 04 de Abril de 2019, 20h53
    6
    2

    O pronto socorro continua o mesmo, tudo que foi feito a época até hoje na foi resolvido e muitas outras coisa que ele poderia ter feito é na fez inclusive como deputado, desculpe mas como legado não tem nada pra Cuiabá e MT.

  • Frank Sabiá | Quinta-Feira, 04 de Abril de 2019, 17h48
    5
    3

    Querido Roberto França Suas, vou lançar Vossa Senhoria para Vereador. No RJ o César Maia que foi Prefeito, hoje é Vereador. Zeca do PT em Campo Grande foi Governador, depois candidatou a vereador e foi o mais votado. Portanto, Chegou sua hora de novo. O Asfalto do Bairro Jardim Brasil foi obra sua, o Ginásio Verdinho, 26 Mini estádios e outras obras. 2020 é ROBERTO FRANÇA na Cabeça. Conte comigo.

  • albanir silva | Quinta-Feira, 04 de Abril de 2019, 15h59
    4
    11

    saudades do Robertão!! a gestão do Roberto França foi um divisor de aguas em Cuiaba acompanhamos de perto a mudança da nossa capital.

  • jj | Quinta-Feira, 04 de Abril de 2019, 15h28
    11
    5

    quem é servidor publico da prefeitura, sabe quando ele era prefeito na época, quantas e quantas folhas de pagamento ele deixou atrasado, servidores na época passaram muito aperto, não é por que o cara fala abobora na TV, voces se acham, por isso que o pais não vai pra frente, temos que saber quem é quem., é bonito ficar atras da TV só pra falar dos outros, e o rabo como que fica, uma sugestão!

  • Yuri Bastos | Quinta-Feira, 04 de Abril de 2019, 15h21
    3
    16

    Roberto França foi , de longe, o melhor prefeito de Cuiabá, de todos os tempos.

Matéria(s) relacionada(s):

Prefeitos e dinheiro público com shows

marquinhos do dede curtinha   Algumas prefeitos estão aproveitando datas comemorativas, como o aniversário de seus municípios, para promover farra artística com dinheiro público. Em Paranatinga, por exemplo, o prefeito Marquinhos do Dedé (foto) autorizou gastar R$ 115 mil em dois shows dentro da...

Possível duelo entre Pátio e Sachetti

adilton sachetti curtinha   Em 2008, Adilton Sachetti (foto) era prefeito de Rondonópolis e, com a máquina a seu favor, tentou a reeleição e, mesmo assim, foi derrotado por Zé do Pátio. No próximo ano, 12 anos depois, os dois devem se enfrentar de novo nas urnas. Agora em posições...

Situação de emergência na MT-100

As péssimas condições de trafegabilidade da MT-100, agravadas por ingerências e irresponsabilidade de empreiteiras que fizeram obras pela metade, levaram o governo estadual a decretar situação de emergência no trecho entre Torixoréu e Pontal do Araguaia e sob interferência da Defesa Civil. Com isso, está sendo possível executar obras paliativas sem licitação, uma forma de amenizar o transtorno,...

Após governador, prefeito vai à Bolívia

francis maris curtinha   Duas semanas depois do governador Mauro e dois secretários terem ido à Bolívia tratar da comercialização do gás e do fornecimento de ureia para MT, o prefeito de Cáceres Francis Maris (foto) e sua vice Eliene Liberato vão fazer igual. Ambos ficarão 10 dias em...

Articulação rumo ao Palácio Alencastro

cidinho curtinha   Continua repercutindo nos meios sociais, políticos e empresariais a festa do ano realizada em Cuiabá, na última quarta, pelo ex-senador Cidinho (foto). Para comemorar o cinquentenário e Bodas de Prata com a esposa Marli Becker, ele recebeu mil convidados, desde grandes empresários do PIB...

Câmara, Misael, corte de VI e pepino

misael galvao curtinha   Sobrou para o presidente da Câmara de Cuiabá, Misael Galvão (foto), o pepino de providenciar o corte de uma fatia generosa da VI dos vereadores por Cuiabá. Isso porque, o Supremo decidiu que os parlamentares poderão receber, a título de reembolso, até 60%  dos...

ENQUETE

Tramita na Câmara Federal o projeto 832/2019, do deputado José Medeiros, requentando uma proposta de 2007 do então deputado Jair Bolsonaro, propondo extinguir o Exame da Ordem como exigência para inscrição na OAB e, assim, poder exercer a profissão. O que você acha disso?

Concordo - esse Exame tem de acabar

Discordo - bacharel precisa, sim, se submeter ao Exame

Sei lá!

Não se trata de pesquisa eleitoral, mas de um mero levantamento de opiniões de leitores do RDNews e do Blog do Romilson, com participação espontânea dos internautas. Resultado sem valor científico.