Estado e seus Servidores

Segunda-Feira, 28 de Janeiro de 2019, 09h:51 | Atualizado: 28/01/2019, 17h:59

SOMA DE BENEFÍCIOS

Folha da PGE tem pagamentos de até R$ 62 mil e inclui ex-secretários da pasta veja

Dezembro registrou os maiores salários em razão do pagamento de benefícios como gratificação de Natal

Selo Estado e seus Servidores

 

A folha salarial da Procuradoria Geral do Estado (PGE) teve pagamentos de até R$ 62 mil entre os meses de setembro e novembro de 2018. Levantamento feito pelo selecionou os 10 maiores valores despendidos a procuradores no período.

Entre os maiores salários constam ex-procuradores-gerais como Jenz Prochnow Júnior, Gabriela Novis Neves e Luís Otávio Trovo Marques de Souza.

Em dezembro, a folha de pessoal da PGE custou R$ 8.285.882,79 milhões. Deste total, apenas R$ 235.361,02 mil foram para a folha de servidores exclusivamente comissionados. Todos os R$ 8.050.521,77 milhões restantes foram destinados a servidores efetivos da pasta, incluindo os procuradores.

O valor de dezembro foi consideravelmente mais alto que nos meses anteriores em razão de benefícios como a gratificação de Natal paga aos procuradores do Estado. Em novembro, por exemplo, a folha da PGE custou R$ 3.437.658,24 milhões e no mês anterior, R$ 3.582.871,90 milhões. Em setembro haviam sido R$ 3.512.096,54 milhões.

Os procuradores tiveram duas folhas salariais em dezembro: uma para salários e outra para a gratificação natalina. A título de exemplo, a então procuradora-geral do Estado, Gabriela Novis Neves, recebe o salário normal de dezembro, com valor bruto de R$ 40 mil e também outros R$ 11 mil da gratificação. Outros procuradores praticamente dobraram sua remuneração no mês. Fernando Cruz Moreira teve R$ R$ 49.918,81 mil na folha normal – incluindo adicional de férias e comissão – e outros R$ 37.439,11 mil da gratificação natalina. Os salários dos servidores, no entanto, só serão pagos nesta semana, devido ao escalonamento aplicado pelo Governo.

O maior valor da folha salarial normal de dezembro foi destinado à procuradora Elizabete Ferreira Zilio: R$ 62.216,49 mil brutos. Do valor total, a procuradora recebeu R$ 35.462,22 de subsídios, R$ 22.853,43 de adicional de férias e R$ 3.900,84 de abono da contribuição previdenciária.

Os subsídios dos procuradores do Estado têm o limite de 90,25% do salário dos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF). Valores permanentes que ultrapassem esse percentual devem ser retidos pelo Governo do Estado.

Rodinei Crescêncio/Arte/Rdnews

Quadro sal�rios PGE

Quadro mostra maiores salários pagos nos últimos meses de 2018 na Procuradoria; Elisabete Ferreira acumula R$ 62 mil, soma do salário, férias e abono

Custo x benefício

A procuradora Glaucia Amaral, ex-presidente e atual membro da comissão de contas da Associação dos Procuradores de Mato Grosso (Apromat), defendeu a relação entre o custo da PGE ao Estado e os benefícios trazidos pela atuação dos procuradores na defesa do patrimônio público e na recuperação de dívidas.

“Desde 2016, a PGE passou a ter uma sub-procuradoria de contratos e licitações. Isso é preventivo. É aí que a gente pode fechar a torneira [dos gastos públicos]. É um trabalho de combate à corrupção. E também, nós fazemos a análise de todos os demais atos administrativos do Estado”, elencou a procuradora.

O governador Mauro Mendes (DEM) vem defendendo o corte de gastos em meio à crise financeira vivida pelo Executivo. Os gastos com empresas públicas, por exemplo, foram atacados pelo democrata, que incluiu a possilidade de extinção de quatro delas na reforma administrativa aprovada pela Assembleia Legislativa na quinta (24).

Gilberto Leite

Glaucia Amaral

Procuradora Glaucia Amaral em entrevista na sede do Rdnews; ela justifica altos salários

“Nós atuamos na demissão de servidor faltoso, que comete ilícito. Emitimos pareceres sobre leis que podem ser prejudiciais aos cofres públicos e diretamente ao cidadão. A gente fala dos interesses financeiros, mas tem os valores primários, como são saúde, educação, transporte, e outros, que não se pode perder de vista. E a atuação da procuradoria serve para preservá-los também”, continuou.

Glaucia Amaral citou valores arrecadados pela PGE entre cobranças administrativas e causas ganhas na Justiça. Em 2018, foram cerca de R$ 230 milhões.

“Esse número vem crescendo nos últimos anos. Hoje a procuradoria de Mato Grosso está entre as 10 que mais arrecadam, mas nós tivemos um salto de R$ 60 milhões em 2015 para R$ 210 milhões em 2017. Nós tivemos cerca de 30 anos no Estado em que o IPVA [Imposto sobre Propriedade de Veículos Automotores] nunca foi cobrado para além do Detran [Departamento Estadual de Trânsito]. Esse é um dinheiro que falta, porque ele entra em números, em projeções do orçamento e precisa ser recuperado”, declarou a procuradora.

Postar um novo comentário

Comentários (16)

  • Souzinha | Terça-Feira, 29 de Janeiro de 2019, 12h18
    0
    0

    Há muita falta de conhecimento ou tem servidor marajá confundindo as coisas. Em licitação, já vi terceirizada não levar mais do que 2.6 salários sobre o terceirizado, e muitas outras não ultrapassar 3sm. Mas acontece que a terceirização assusta o judiciário, a AL, o TCE, e etc, pois custará em torno de 30% do custo desses servidores. Ah, tem problema de sigilo. pois bem, as forças armadas dos EUA, terceirizam até 35% dos seus projetos super-secretos, o mesmo percentual do Canadá. França e Inglaterra ficam em torno de 30%. Isso não acontece com o número do montante de pessoas, mais sim do total de investimento.

  • NOE MONTEIRO DE BARROS | Terça-Feira, 29 de Janeiro de 2019, 09h37
    3
    1

    O Brasil precisa nascer de novo, não como descrever essa barbárie. Resta comprovado que o ser humano é o pior dos animais.

  • Gerson | Terça-Feira, 29 de Janeiro de 2019, 07h57
    4
    0

    Depende da empresa que terceiriza, não vamos fazer cortesia com chapéu alheio. Mas que a Justiça brasileira é uma das mais caras do mundo, isso é incontestável. E não adianta fabricar índices de produtividade para justificar, e nem mandar a custo do próprio erário público o servidor fazer doutorado.

  • antonio prado | Segunda-Feira, 28 de Janeiro de 2019, 18h15
    9
    0

    Altos salários dos procuradores, trabalham em um hotel, e uns 4 comissionados pra cada um escolher!! resultado: isso ai.

  • Rubens | Segunda-Feira, 28 de Janeiro de 2019, 17h57
    10
    1

    Se a empresa terceirizada receber 5 salários mínimos por funcionário, o contribuinte está no lucro. Cada Procurador custa 50 salários mínimos por mês incluídos o 13º salário. Estamos vivendo em pais que o salário minimo não chega a 1.000,00.

  • walter liz | Segunda-Feira, 28 de Janeiro de 2019, 16h30
    16
    0

    explica mas não justifica, salarios exorbitantes , se servem do dinheiro publico a bel prazer, inventam todo tipo de maracutaia para inflar os ganhos, coitado do trabalhador comum, imagine folha suplementar de gratificação natalina ?? é outro mundo e nós pagando esse absurdo

  • Teka Almeida | Segunda-Feira, 28 de Janeiro de 2019, 15h50
    13
    1

    Com toda essa dinheirama para a alta casta do estado, dava para pagar os profissionais da educação ou até mesmo os da saúde. Como todos podem ver, não são os meros funcionários que oneram o estado e sim a alta cúpula, judiciário, legislativo e as empresas que o governador jurou acabar, mas agora deu prá trás. Acredito que com todas as demonstrações que a mídia está fazendo, e é muito válido, a população veja qual área que onera o estado. Mato Grosso tem bilhões para receber e a PGE simplesmente, entra ano e sai ano, cruza os braços e assiste de camarote, ops, de suíte, o estado afundar. Vão atrás dos devedores, dos sonegadores e logo MT sai da crise.

  • jose serafini | Segunda-Feira, 28 de Janeiro de 2019, 13h47
    3
    0

    Chamem o Arcanjo que ele resolve tudo isso......

  • Carlos | Segunda-Feira, 28 de Janeiro de 2019, 13h29
    6
    2

    De acordo com os comentários, toda notícia é tendênciosa, para um lado ou para outro, estamos jogados em uma lama tóxica como aquela de Brumadinho todos os dias.

  • JORGE LUIZ | Segunda-Feira, 28 de Janeiro de 2019, 12h27
    26
    3

    E O NOME DO SECRETÁRIO DE ESTADO DE FAZENDA ROGÉRIO GALLO POR QUE NÃO ESTÁ NESSA LISTA? É OMISSÃO OU E´PROTECIONISMO EM RELAÇÃO AO CAMARADA QUE É SERVIDOR DA PGE TAMBÉM

Matéria(s) relacionada(s):

Cotia também quer disputar Cáceres

cotia curtinha   Surge mais um pré-candidato a prefeito de Cáceres, além dos três aliados do prefeito Francis Maris e de outros cinco pretendentes pela oposição. Trata-se de Renancildo Soares França, o Cotia (foto), filiado ao PSD. Ex-assessor do ex-federal Pedro Henry, do ex-vice-governador...

5 ensaiam em Cáceres pela oposição

tulio fontes curtinha   Enquanto três tucanos da base do prefeito Francis vivem expectativa por candidatura pelo palanque situacionista em Cáceres, grupos de oposição se movimentam para lançar nomes competitivos. O advogado e ex-prefeito por dois mandatos Túlio Fontes (foto), do PV, demonstra certo...

Base de Francis, Júnior e divergências

eliene liberado curtinha   O prefeito de Cáceres Francis Maris, no segundo mandato e, portanto, fora do projeto majoritário de 2020, não esconde mais de ninguém que o nome preferencial para a disputa à sucessão é do seu secretário de Turismo, Júnior Trindade. E isso não tem...

Prefeito é ovacionado em solenidade

emanuel pinheiro curtinha   O prefeito Emanuel Pinheiro (foto) foi ovacionado nesta segunda (17), durante a solenidade que marcou entrega das chaves das unidades do Residencial Nico Baracat I,  no Jardim Liberdade, região da Grande Osmar Cabral. No geral, 360 famílias receberam as chaves dos imóveis, programa do Minha...

Governador, Nota MT e provocação

mauro mendes curtinha   Ao lançar a Nota MT, programa que estimula e incentiva o contribuinte a pedir nota em toda compra de mercadoria, o que ajuda na cultura do combate à sonegação fiscal, o governador Mauro Mendes (foto) copia para o Estado a mesma proposta implantada em Cuiabá na época em que foi...

Cândida Farias troca MDB pelo DEM

candida farias curtinha   Aos 68 anos, completados nesta segunda (17), a empresária Cândida Farias (foto), segunda-suplente do senador Jayme Campos, está desembarcando do MDB e vai se filiar ao DEM. Apesar da mudança de legenda, ela não tem pretensões de concorrer a cargo eletivo nas urnas de 2020....

ENQUETE

Tramita na Câmara Federal o projeto 832/2019, do deputado José Medeiros, requentando uma proposta de 2007 do então deputado Jair Bolsonaro, propondo extinguir o Exame da Ordem como exigência para inscrição na OAB e, assim, poder exercer a profissão. O que você acha disso?

Concordo - esse Exame tem de acabar

Discordo - bacharel precisa, sim, se submeter ao Exame

Sei lá!

Não se trata de pesquisa eleitoral, mas de um mero levantamento de opiniões de leitores do RDNews e do Blog do Romilson, com participação espontânea dos internautas. Resultado sem valor científico.