Executivo

Quinta-Feira, 21 de Janeiro de 2010, 11h:02 | Atualizado: 26/12/2010, 12h:15

Rumo à Copa de 2014

5 consórcios de SP e 1 de MT disputam reforma do Verdão

    Cinco dos seis consórcios que entregaram proposta à secretaria estadual de Infraestrutura nesta quarta (20) para se candidatar a construir o novo estádio Verdão, em Cuiabá, são de outros Estados. Quatro são de São Paulo, um é formado por empresas paulistas e de Minas Gerais e apenas o Consórcio Pantanal é de Mato Grosso. O motivo para poucas empresas do Estado participarem do certame se deve ao fato principalmente de uma das cláusulas do edital prever que, para concorrer, a empresa deve ter em caixa pelo menos 10% do valor da obra. Como serão investidos R$ 450 milhões, a empreiteira deve ter disponível pelo menos R$ 45 milhões.

  Apesar do acompanhamento da execução das obras ficar a cargo da Agecopa, todo o processo licitatório vem sendo conduzido pela Sinfra. Desde agosto, cerca de 70 empresas e consórcios retiraram edital para participação da concorrência pública junto à Sinfra, mas apenas seis consórcios formalizaram as propostas nesta quarta. Estão na disputa os consórcios Construcap CCPS Engenharia e Comércio S/A (CCPS Engenharia e Comércio S/A - Convap Engenharia e Construções S/A); Pantanal (Construtora Sanches Tripoloni e Lotufo Engenharia e Construções); Contern Viero (Contern Construções e Comércio e Construtora Viero); Kallas Usiminas (Kallas Engenharia e Usiminas Mecânica); Santa Bárbara Engenharia e Mendes Júnior (Santa Bárbara Engenharia S/A e Construtora Mendes Júnior) e Consórcio Paulitec Recoma (Paulitec Construções e Recoma Construções Comércio e Indústria).

   A Sinfra montou uma equipe exclusiva para analisar a documentação entregue pelas empresas. Os envelopes foram abertos nesta quarta, mas a Sinfra têm até 1° de fevereiro para anunciar quem está habilitado a continuar no processo. A partir daí, o procedimento será conduzido pela Agecopa. Após a escolha oficial da empresa, será feito o planejamento de como a demolição do espaço poderá ser feita sem transtornos à população, para somente depois o novo Verdão começar a ser construído. A expectativa é que isso ocorra na segunda quinzena de fevereiro. O prédio que vai ser extinto existe desde 1976. O novo espaço será amplo, arborizado, com praça de alimentação e vai abrigar mais de 42 mil pessoas.

Postar um novo comentário

Comentários (13)

  • Patrice | Sexta-Feira, 29 de Janeiro de 2010, 11h28
    0
    0

    Concordo que o novo estadio deveria ser em outro local, principalmente pela facilidade de acesso sem maiores transtorno a população local, imagine o acesso ao verdão nos dias de jogos. Sem contar que o verdão já faz parte da história cuiabana, não esquecendo que teriamos uma e baita economia, assim poderiamos investir na área de saúde, que é um verdadeiro caos... SENHORES DIRIGENTES DA AGECOPA PENSE NISSO, PROMOVA UMA AUDIÊNCIA PÚBLICA PARA ESCUTAR AS OPINIÕES DA POVO CUIABANO.

  • a. barroso | Sexta-Feira, 22 de Janeiro de 2010, 15h36
    0
    0

    A decisão mais acertada é demolir uma obra que hoje está ultrapassada e construir-se uma mais moderna. O Estado não tem condições de ficar mantendo as despesas de manutenção de um estádio antigo ou outra obra sem a devida utilidade. Deve-se ser prático. O essencial é a Saúde, a Educação, a Segurança e ainda, sobrar para as obras de infraestruturas que são muitas para o estado que mais cresce e recebe imigrantes deste Brasil. Uma Cuiabá mais moderna e funcional é o que todos esperamos. Que venha a Copa.

  • Paim | Sexta-Feira, 22 de Janeiro de 2010, 15h03
    0
    0

    TB ACHO.....VAI DAR LOTUFO.......ETA MATO GROSSO SEM PORTERA...

  • Paulo | Sexta-Feira, 22 de Janeiro de 2010, 14h34
    0
    0

    Pergunto ao Augusto: Então pode superfaturar, desde que o contrato seja cumprido?

  • ANTONIO DE SOUZA | Sexta-Feira, 22 de Janeiro de 2010, 11h01
    0
    0

    OLHA,NINGUEM É CONTRA A CONSTRUÇÃO DO NOVO ESTÁDIO, O QUE NÓS CUIABANOS NÃO PODEMOS ACEITA É A DEMOLIÇÃO DO VERDÃO, CUIABÁ TEM MUITAS ÁREAS. O GOV.SERÁ LEMBRADO COMO O DESTRUIDOR DO VERDÃO.

  • devair valim de melo | Quinta-Feira, 21 de Janeiro de 2010, 22h36
    0
    0

    Olha voces que criticao a contruçao do estadio, e pura iginorancia de voces,ate porque este recurço nunca viria se nao fosse para esse fim, errado foi nao fazer um plebicito para escolha do local,ou varias audiencias publicas, pois e de um mal gosto colocar uma obra de meio bilhao de reais fora as estrutura que vao ser feita para ter acesso que deve custar ums 200.000.000,00 e ainda o local e fim de linha aquela regiao,poderia colocalo na regiao da avenida das tores,saida da guia e outros locais que era so prolongar varios acessos que seria 70 por cento mais barato e sim com econonia fazer um grande hospital publico com desculpa de termos a copa em cuiaba ok,,,parabem para todos que lutaram para isse evento e as grandes obras que viram com muitos empregos para nosso povo,so que depois dos transtornos desta mega implantalao deste estadio voces vao lembras deste comentario ok. quando construirao o verdao nao espludiram o dutrinha, agora nao poderia espludir um belo centro de esporte e eventos que e o verdao para contruir outro estadio e sim deixalo para treino dos times locais proficionais e competiçao amadora,,isso seria inteligente.

  • MONEL ITO | Quinta-Feira, 21 de Janeiro de 2010, 18h39
    0
    0

    500 MILHÕES PRA COPNSTRUIR UM ESTÁDIO ... ENQUANTO ISSO ESTÃO MORRENDO POR CAUSA DA DENQUGUE.. NUM TEM HOSPITAL EM CUIABÁ... P.SOCCORO A BEIRA DO CAOS.. JULIO MULLER TBEM... QUE BELEZAAA !!!!

  • kelvin luis | Quinta-Feira, 21 de Janeiro de 2010, 16h51
    0
    0

    VAI DAR LOTUFO,VAI DAR LOTUFO ,VAI DAR LOTUFO ...TA NA CARA

  • augusto | Quinta-Feira, 21 de Janeiro de 2010, 16h06
    0
    0

    A importancia é cumprir o contrato,o resto é lero lero.

  • Neurélio (engº) | Quinta-Feira, 21 de Janeiro de 2010, 15h23
    0
    0

    Dos males o menor, que o vencedor seja daqui porque os dividendos circularão aqui e logicamente beneficiarão nossa capital e indiretamente todo o estado.

Os virtuais candidatos a governador

ygor moura 400   Mesmo que timidamente, alguns começam a externar, em privado, o desejar de disputar o governo estadual por um bloco de oposição, contrapondo o projeto de reeleição de Mauro Mendes. O empresário Ygor Moura (foto), da rede de clínicas de depilação Espaçolaser,...

Nomes "de fora" pra deputado federal

valtenir pereira 400   Enquantos os oito deputados da bancada federal de MT (Barbudo, Medeiros, Leonardo, Rosa Neide, Juarez, Bezerra, Emanuelzinho e Neri) vão em busca da reeleição, na esperança de continuarem em Brasilia por mais quatro anos, outros líderes correm por fora, dispostos a também entrar na...

Todos federais vão tentar a reeleição

carlos bezerra 400   Todos os oito deputados federais mato-grossenses estão trabalhando projeto de reeleição. Mas um resolveu espalhar, em paralelo, a ideia de tentar o Senado: Neri Geller (PP). Sabe-se, porém, que a jogada do deputado de Lucas do Rio Verde e que já foi ministro da Agricultura não passa de...

Mil cestas básicas vão para músicos

alberto machado 400   O secretário estadual de Cultura, Esporte e Lazer, Alberto Machado, o Beto 2 a 1 (foto), está comemorando a decisão do governador Mauro Mendes e da primeira-dama Virginia Mendes, que desenvolve ações sociais de forma voluntária, de disponibilizar mil cestas básicas para...

Assembleia cede espaço pra vacinação

Eduardo Botelho _ 400   O prefeito cuiabano Emanuel Pinheiro procurou e encontrou apoio da Assembleia para ampliar locais de vacinação da população contra Covid-19. Em reunião nesta sexta entre o prefeito e os deputados Eduardo Botelho (foto), Paulo Araújo e João José, que preside a...

VG fatura com os clientes da Capital

Com o feriado em Cuiabá nesta quinta (8), por força do aniversário de 302 de emancipação político-administrativa, o movimento no comércio migrou para a vizinha Várzea Grande, segundo maior município do Estado. Em alguns trechos, especialmente na região central, registrou-se congestiomanento no trânsito praticamente o dia todo. Em tempos de pandemia e com horário de funcionamento reduzido, lojistas e comerciantes...