Executivo

Segunda-Feira, 18 de Janeiro de 2010, 19h:02 | Atualizado: 26/12/2010, 12h:15

Palácio Paiaguás

Antes de deixar o cargo, Maggi impõe limites aos gastos do staff

    O governador Blairo Maggi (PR), que deve renunciar ao cargo em abril para se dedicar à pré-campanha ao Senado, resolveu impor limites e regras aos gastos do secretariado em 2010. Dois decretos foram publicados em Diário Oficial nos dias 11 e 14 deste mês, cujos textos tratam do contingenciamento dos recursos do Poder Executivo e da maior disciplina e rigor na aplicação dos mesmos este ano, bem como estabelece regras sobre a execução orçamentária e financeira do exercício deste ano.

   De acordo com o auditor-geral do Estado, José Botelho, agora os secretários e gestores que estão à frente dos órgãos e entidades da administração direta e indireta, inclusive empresas públicas, sociedades de economia, deverão entregar até o dia 31 deste mês à secretaria de Planejamento uma planilha detalhada (empenho global ou estimativo) correspondente ao valor anual de todos os seus gastos contratados em andamento, inclusive os relativos aos serviços de natureza contínua, dívidas e custeio.

   “Os órgãos devem fazer esse levantamento de gastos para que Seplan empenhe o orçamento até 31 de janeiro. Essa é uma medida que visa fazer com que esse valor estimado de gastos com custeio e compromissos já assumidos seja imediatamente separado do orçamento, evitando com isso que se gaste o dinheiro destinado a pagar as contas e tolhendo qualquer ação que faça com que ao final de deste mandato a Lei de Responsabilidade não seja cumprida. Novos gastos só serão possíveis depois de submetidos à apreciação e aprovados pela Câmara Fiscal do Estado, que é composta pelas secretarias de Estado de Planejamento, Fazenda, Administração e Auditoria Geral do Estado”, explicou Botelho.

   As regras referem-se a gastos com pessoal, contratação de operações de crédito, endividamento, realização de despesas que se estenderão até o exercício seguinte (Restos a Pagar) e as chamadas transferências voluntárias. A síntese dessas regras é que o gestor não deixe dívidas, nem faça compromissos para serem honrados pelos gestores seguintes.

Postar um novo comentário

Comentários (5)

  • Luisa Santiago | Terça-Feira, 19 de Janeiro de 2010, 11h21
    0
    0

    Sr. Lucas, por acaso você é um dos SEGURANÇA DO HOMI?????? kkkkkkkkk Ou melhor, você concorda com a lei que PERMITE um ex representante do povo, que ganha (e muitissimo bem para isso) tenha esse tipo de beneméssia???????????? Mesmo após sair do Governo????? Carlos Bezerra não usa e jamais usou seus seguranças e foi governador, Senador etc... e tal.....

  • Sérgio | Terça-Feira, 19 de Janeiro de 2010, 06h11
    0
    0

    Será que o governador está com medo que o vice (candidato), possa fazer uso da máquina pra tentar se eleger e acabe sujando o seu governo? Isso sim é confiança!Rsrsrs.

  • Carlos Magno | Segunda-Feira, 18 de Janeiro de 2010, 23h49
    0
    0

    Bobo o Governador, né? Fica com uma Rua em Rondonópolis, todas as propriedades asfaltadas, 6 seguranças e quer limintar os gastos. Um exemplo de probidade!

  • lauro | Segunda-Feira, 18 de Janeiro de 2010, 22h46
    0
    0

    Para de ser desenformado.. todos os Governadores tem direito a 6 seguranças após sua saida.. isso é uma lei de proteção

  • marcos | Segunda-Feira, 18 de Janeiro de 2010, 19h37
    0
    0

    nao parece que o maggi esta preocupado com gastos para o estado,pois o mesmo fez uma lei para ter 6 segurancas particular apos a sua saida do governo,quem vai pagar tanto seguranca? nos contribuintes.

Contrato para tocar eventos do TCE

O presidente do Tribunal de Contas do Estado, conselheiro Guilherme Maluf, fechou um contrato anual com a Infortouch Agência e Comunicação, Eventos e Produtos Alimentícios, aproveitando ata de registro de preços  do Tribunal de Justiça de MT, com adesão-carona num processo de 2019. A empresa vai faturar R$ 376,9 mil para atender demandas do TCE em toda logística de eventos, envolvendo as etapas de planejamento,...

Ação de promotor e volta de restrições

Adalberto Ferreira   O promotor de Justiça Adalberto Ferreira garante que prefeito de Juscimeira Moisés dos Santos não havia editado nenhum decreto endurecendo as regras de restrições à pandemia do coronavírus antes do MPE propor ação na Justiça. Ao falar sobre nota publicada...

Oséas agora está nas mãos de Abílio

oseas machado 400 curtinha   Oséas Machado (foto) conseguiu derrubar Abílio Júnior, a quem denunciou por quebra de decoro parlamentar, e assumiu a cadeira deste na Câmara da Capital. Agora, o cassado se articula para dar o troco. O problema é que ambos estão no PSC. Oséas quer buscar a...

Decreto "anula" o MPE em Juscimeira

moises 400 juscimeira curtinha   Em Juscimeira, o promotor de Justiça Adalberto Ferreira recorreu à Justiça de forma desnecessária. Pleiteou e conseguiu uma liminar para suspender um decreto do prefeito Moisés dos Santos que, segundo a ação, havia reduzido as medidas de isolamento social, permitindo...

Kero-Kero quer levar Abílio para Pode

wilson kero kero 400 curtinha   Na contagam regressiva do prazo para o troca-troca partidário - vence em 3 de abril para quem pretende ser candidato em outubro deste ano -, o vereador Wilson Kero-Kero (foto), do PSL e um dos opositores à gestão Emanuel Pinheiro em Cuiabá, está fortalecendo o Podemos. E se...

ECSP explica confusão com Marcrean

marcrean 400 curtinha   A Empresa Cuiabana de Saúde Pública (ECSP) emitiu nota sobre a suposta “carteirada” do vereador Marcrean Santos (foto) no HMC. Ele foi pivô de confusão e um vídeo viralizou nas redes sociais. Segundo a ECSP, o parlamentar foi até o local pedir informações...

ENQUETE

facebook whatsapp twitter email

Você concorda com a decisão de prefeitos, que começam a decretar estado de emergência, fechando comércio, serviços públicos e o transporte coletivo?

sim

não

sei lá!

Não se trata de pesquisa eleitoral, mas de um mero levantamento de opiniões de leitores do RDNews e do Blog do Romilson, com participação espontânea dos internautas. Resultado sem valor científico.