Executivo

Segunda-Feira, 18 de Janeiro de 2010, 19h:02 | Atualizado: 26/12/2010, 12h:15

Palácio Paiaguás

Antes de deixar o cargo, Maggi impõe limites aos gastos do staff

    O governador Blairo Maggi (PR), que deve renunciar ao cargo em abril para se dedicar à pré-campanha ao Senado, resolveu impor limites e regras aos gastos do secretariado em 2010. Dois decretos foram publicados em Diário Oficial nos dias 11 e 14 deste mês, cujos textos tratam do contingenciamento dos recursos do Poder Executivo e da maior disciplina e rigor na aplicação dos mesmos este ano, bem como estabelece regras sobre a execução orçamentária e financeira do exercício deste ano.

   De acordo com o auditor-geral do Estado, José Botelho, agora os secretários e gestores que estão à frente dos órgãos e entidades da administração direta e indireta, inclusive empresas públicas, sociedades de economia, deverão entregar até o dia 31 deste mês à secretaria de Planejamento uma planilha detalhada (empenho global ou estimativo) correspondente ao valor anual de todos os seus gastos contratados em andamento, inclusive os relativos aos serviços de natureza contínua, dívidas e custeio.

   “Os órgãos devem fazer esse levantamento de gastos para que Seplan empenhe o orçamento até 31 de janeiro. Essa é uma medida que visa fazer com que esse valor estimado de gastos com custeio e compromissos já assumidos seja imediatamente separado do orçamento, evitando com isso que se gaste o dinheiro destinado a pagar as contas e tolhendo qualquer ação que faça com que ao final de deste mandato a Lei de Responsabilidade não seja cumprida. Novos gastos só serão possíveis depois de submetidos à apreciação e aprovados pela Câmara Fiscal do Estado, que é composta pelas secretarias de Estado de Planejamento, Fazenda, Administração e Auditoria Geral do Estado”, explicou Botelho.

   As regras referem-se a gastos com pessoal, contratação de operações de crédito, endividamento, realização de despesas que se estenderão até o exercício seguinte (Restos a Pagar) e as chamadas transferências voluntárias. A síntese dessas regras é que o gestor não deixe dívidas, nem faça compromissos para serem honrados pelos gestores seguintes.

Postar um novo comentário

Comentários (5)

  • Luisa Santiago | Terça-Feira, 19 de Janeiro de 2010, 11h21
    0
    0

    Sr. Lucas, por acaso você é um dos SEGURANÇA DO HOMI?????? kkkkkkkkk Ou melhor, você concorda com a lei que PERMITE um ex representante do povo, que ganha (e muitissimo bem para isso) tenha esse tipo de beneméssia???????????? Mesmo após sair do Governo????? Carlos Bezerra não usa e jamais usou seus seguranças e foi governador, Senador etc... e tal.....

  • Sérgio | Terça-Feira, 19 de Janeiro de 2010, 06h11
    0
    0

    Será que o governador está com medo que o vice (candidato), possa fazer uso da máquina pra tentar se eleger e acabe sujando o seu governo? Isso sim é confiança!Rsrsrs.

  • Carlos Magno | Segunda-Feira, 18 de Janeiro de 2010, 23h49
    0
    0

    Bobo o Governador, né? Fica com uma Rua em Rondonópolis, todas as propriedades asfaltadas, 6 seguranças e quer limintar os gastos. Um exemplo de probidade!

  • lauro | Segunda-Feira, 18 de Janeiro de 2010, 22h46
    0
    0

    Para de ser desenformado.. todos os Governadores tem direito a 6 seguranças após sua saida.. isso é uma lei de proteção

  • marcos | Segunda-Feira, 18 de Janeiro de 2010, 19h37
    0
    0

    nao parece que o maggi esta preocupado com gastos para o estado,pois o mesmo fez uma lei para ter 6 segurancas particular apos a sua saida do governo,quem vai pagar tanto seguranca? nos contribuintes.

Parlamentar anda cabreiro até na AL

sebastiao rezende 400 curtinha   Sebastião Rezende (foto), que exerce o 5º mandato, anda cabreiro e assustado, até mesmo na hora de circular pelos corredores da Assembleia. E não pode avistar um jornalista que sai correndo. Na terça, após a sessão ordinária, o deputado acelerou os passos quando...

10 anos "adormecida" sobre Energisa

gisela 400 curtinha   Depois de mais de 10 anos atuando no Procon, a advogada e primeira-suplente de deputada federal Gisela Simona (Pros) agora que se acordou para a gravidade sobre a prestação de serviços da Energisa, campeã de reclamações junto ao próprio Procon. Passou todos esses anos sem mover...

Demitida por ter apoiado Bolsonaro

josenai 400 curtinha   A aprovação em seletivo não foi suficiente para que o contrato da professora Josenai Terra (foto), que se estenderia até dezembro deste ano, fosse cumprido pela Unemat Campus Tangará da Serra. A professora lecionava desde 2017, mas em setembro de 2018 foi a única contratada para...

Prioridade do DEM é reeleger Bussiki

marcelo bussiki 400 curtinha   Dos 25 vereadores, inclusive todos determinados a buscar a reeleição, um deles vai concorrer numa condição um tanto confortável. Trata-se de Marcelo Bussiki (foto), que integra o grupo político do governador Mauro, de quem, aliás, foi controlador-geral do...

Detran-MT recria taxa e fixa R$ 316

Entra em vigor a partir de hoje a lei 10.956, que cria uma taxa de R$ 316 para registro de contrato de financiamento de veículo, com cláusula de alienação fiduciária, de arrendamento mercantil, de compra e venda com reserva de domínio ou de penhor. A taxa será paga pelas agências financeiras e não pelos compradores. A partir de agora o serviço passa a ser executado e gerenciado 100% pelo Detran-MT. Por se tratar de nova...

Efetivos ilegais temem delação de Riva

Não são só os deputados e ex-parlamentares que estão em desespero por causa da eminente delação do ex-presidente da Assembleia José Riva junto ao MPE. Quem também se encontra em apuros são aqueles servidores que já enfrentam processo na Justiça por terem sido supostamente efetivados de forma ilegal à época em que Riva comandava a AL. Segundo o MPE,  eles foram estabilizados por atos administrativos...

MAIS LIDAS

ENQUETE

facebook whatsapp twitter email

O que você acha das denúncias, principalmente sobre pagamento de propina, feitas pelo ex-presidente da AL José Riva, que tenta fechar delação?

São verdadeiras

Nem tudo é verdade

Acho que ele está mentindo

Não sei

Não se trata de pesquisa eleitoral, mas de um mero levantamento de opiniões de leitores do RDNews e do Blog do Romilson, com participação espontânea dos internautas. Resultado sem valor científico.