Executivo

Segunda-Feira, 15 de Abril de 2019, 12h:40 | Atualizado: 15/04/2019, 14h:41

Apesar de reduzir déficit, Mauro não fixa mês para voltar a pagar folha no dia 10

Rodinei Crescêncio

Governador Mauro Mendes

Governador Mauro Mendes afirma que prioridade é atender demandas de toda a sociedade 

Apesar da redução do rombo em R$ 50 milhões nas contas do Estado, o governador Mauro Mendes (DEM) não promete afrouxar o cinto dos gastos públicos. E isso inclui a regularização do pagamento de salários dos servidores do Executivo,  tão esperado pela categoria. O democrata afirmou que, ante a situação do funcionalismo, se pauta pela “ansiedade do cidadão”.

“Essa ansiedade é do servidor. Cem mil servidores no Estado de Mato Grosso, que merecem todo nosso respeito. Mas nós, Governo, trabalhamos com a expectativa de mais de 3 milhões de habitantes que vivem nesse Estado”, declarou na manhã desta segunda (15).

O planejamento do Governo era parar o regime de escalonamento de salários no segundo semestre deste ano ou no mês de agosto, e retornar para dia 10 o pagamento dos vencimentos. Mas, em fevereiro, Mauro conseguiu uma melhora no caixa reduzir mais de R$ 50 milhões do déficit de R$ 168 milhões em relação ao mês anterior. O valor se deve ao contingenciamento de despesas com o decreto de calamidade financeira e a redução de R$ 64 milhões nos proventos dos servidores ativos.

Mas nós, Governo, trabalhamos com a expectativa de mais de 3 milhões de habitantes que vivem nesse Estado

Governador Mauro Mendes

Servidores esperam que, com melhora do quadro fiscal, o escalonamento poderia ser interrompido antes do previsto. Mas Mauro pontou  que trabalha primeiramente com a “ansiedade do cidadão”. O governador citou em seguida que, apesar do objetivo da gestão em restabelecer o salário para o dia 10, precisa também honrar o pagamento com empresas contratadas, fornecedores e hospitais.

“Vamos trabalhar sim para voltar todos para o dia 10, mas estamos trabalhando para pagar os nossos fornecedores, para pagar os hospitais, para pagar o fornecedor de medicamento por que isso traz dor e sofrimento aí na falta de remédio e medicamento em todo Estado”, concluiu.

Postar um novo comentário

Comentários (4)

  • Pagador | Terça-Feira, 16 de Abril de 2019, 08h56
    1
    0

    Sou servidor e pago a renúncia fiscal que o estado faz. O cidadão Mato-grossense também paga...

  • joaoderondonopolis | Segunda-Feira, 15 de Abril de 2019, 15h49
    9
    4

    Os servidores do estado, não podem esquecer na hora de votar neste governador para reeleição ou quem ele indicar a prefeito da capital e do interior de MT. Assim como ele tirou o sono e desgraçou a vida de muitos servidores, iremos tirar o sono dele também, tudo tem a hora certa. Dê tempo ao tempo, que o tempo dá o tempo. Ele pagou a RGA para todos os poderes, e não autorizou para os servidores do executivo.

  • edriane welter | Segunda-Feira, 15 de Abril de 2019, 14h18
    12
    5

    Este senhor nunca me enganou! Pleito único kkkk

  • Servidor | Segunda-Feira, 15 de Abril de 2019, 13h41
    19
    3

    Governador o servidor do executivo sofreu quatros anos nas mãos do Pedro Taques e depositou toda a esperança na sua fala de campanha de que iria valorizar o servidor e pagar os salários dentro do mês do trabalho.. E, agora nós trata desta forma pode certeza que vamos lembrar de suas palavras na hora do voto e vai começar pela eleição municipal e terminar com sua derrota na sua reeleição.. Servidores e seus familiares irão te dar a resposta pode esperar o Pedro Taques pagou para ver...

Matéria(s) relacionada(s):

Selma retribui elogio de Sérgio Moro

selma arruda curtinha   A senadora Selma Arruda (foto), que foi elogiada e utilizada como exemplo pelo ministro da Justiça  na CCJ do Senado, fez questão de expressar solidariedade a Sérgio Moro.  O ministro  está na defensiva desde que o site The Intercept começou a publicar supostas conversas com...

Cotia também quer disputar Cáceres

cotia curtinha   Surge mais um pré-candidato a prefeito de Cáceres, além dos três aliados do prefeito Francis Maris e de outros cinco pretendentes pela oposição. Trata-se de Renancildo Soares França, o Cotia (foto), filiado ao PSD. Ex-assessor do ex-federal Pedro Henry, do ex-vice-governador...

5 ensaiam em Cáceres pela oposição

tulio fontes curtinha   Enquanto três tucanos da base do prefeito Francis vivem expectativa por candidatura pelo palanque situacionista em Cáceres, grupos de oposição se movimentam para lançar nomes competitivos. O advogado e ex-prefeito por dois mandatos Túlio Fontes (foto), do PV, demonstra certo...

Base de Francis, Júnior e divergências

eliene liberado curtinha   O prefeito de Cáceres Francis Maris, no segundo mandato e, portanto, fora do projeto majoritário de 2020, não esconde mais de ninguém que o nome preferencial para a disputa à sucessão é do seu secretário de Turismo, Júnior Trindade. E isso não tem...

Prefeito é ovacionado em solenidade

emanuel pinheiro curtinha   O prefeito Emanuel Pinheiro (foto) foi ovacionado nesta segunda (17), durante a solenidade que marcou entrega das chaves das unidades do Residencial Nico Baracat I,  no Jardim Liberdade, região da Grande Osmar Cabral. No geral, 360 famílias receberam as chaves dos imóveis, programa do Minha...

Governador, Nota MT e provocação

mauro mendes curtinha   Ao lançar a Nota MT, programa que estimula e incentiva o contribuinte a pedir nota em toda compra de mercadoria, o que ajuda na cultura do combate à sonegação fiscal, o governador Mauro Mendes (foto) copia para o Estado a mesma proposta implantada em Cuiabá na época em que foi...

ENQUETE

Tramita na Câmara Federal o projeto 832/2019, do deputado José Medeiros, requentando uma proposta de 2007 do então deputado Jair Bolsonaro, propondo extinguir o Exame da Ordem como exigência para inscrição na OAB e, assim, poder exercer a profissão. O que você acha disso?

Concordo - esse Exame tem de acabar

Discordo - bacharel precisa, sim, se submeter ao Exame

Sei lá!

Não se trata de pesquisa eleitoral, mas de um mero levantamento de opiniões de leitores do RDNews e do Blog do Romilson, com participação espontânea dos internautas. Resultado sem valor científico.