Executivo

Segunda-Feira, 25 de Janeiro de 2021, 09h:02 | Atualizado: 25/01/2021, 14h:42

DISPUTA

CAF contesta governo do estado e diz que informações sobre obras do VLT são falsas

Matéria atualizada às 10h32 - Governo afirma que informações são públicas e podem ser confirmadas

Christiano Antonucci

VLT

Segundo nota da CAF, a empresa não foi declarada inidônea como diz governo e paralisação das obras não se deve a "supostos atos de corrupção"

Ao rebater as informações quem vem sendo divulgadas pelo governo do estado para justificar a troca do VLT (Veículo Leve sob Trilhos) pelo BRT (sigla em inglês para Ônibus de Trânsito Rápido), a CAF Brasil Indústria e Comércio S/A emitiu uma nota onde diz ser falsa a afirmação do governador Mauro Mendes (DEM) de que a empresa é inidônea. Mauro, ao anunciar a decisão pela mudança ainda em dezembro do ano passado, disse que a empresa estaria impedida de contratar com a administração pública, o que foi reforçado ainda pelo procurador-geral, Francisco Lopes, à época.

“A CAF Brasil refuta com veemência afirmações de que teria contra si uma declaração de inidoneidade. Trata-se de informação falsa que visa iludir a população e a opinião pública quanto à suposta impossibilidade de retomada e conclusão das obras do VLT. Não há contra a CAF Brasil qualquer decisão que a tenha considerado inapta para contratar com entes públicos, inclusive com o Estado de Mato Grosso”, disse em nota.

De acordo com o que o apurou, em 2018, o estado voltou atrás quanto à inidoneidade da empresa, a decisão circulou na edição do Diário Oficial de 6 de fevereiro daquele ano. Apesar da PGE ter recomendado em outro sentido, o estado manteve o recuo.

Mas versão do governo é diferente e segundo o procurador “a inidoneidade está contida na decisão administrativa que rescindiu o contrato com o consórcio. A empresa pediu reconsideração, mas foi negado pelo então governador Pedro Taques”, afirmou por meio de assessoria.

Segundo ex-governador Silval Barbosa, em delação premiada, para as obras do VLT a CAP teria pago propina de R$ 18 milhões. Mas a empresa contesta e, apesar das investigações, afirma que não foi o motivo para as obras terem sido interrompidas

“Também não houve paralisação das obras por conta de supostos atos de corrupção, como lamentavelmente sugerem porta-vozes da atual gestão do governo de Mato Grosso, diga-se, irresponsavelmente”.

Leia nota da CAF

NOTA DA CAF BRASIL INDÚSTRIA E COMÉRCIO S/A À SOCIEDADE MATO-GROSSENSE

A CAF Brasil já havia recebido com surpresa o anúncio feito pelo governador de Mato Grosso, no final do ano passado, sobre a troca de modal de mobilidade das cidades de Cuiabá e Várzea Grande. Agora, o Sr. Secretário de Infraestrutura do Estado de Mato Grosso, em repetidas entrevistas à imprensa, fez referências equivocadas quanto ao status da contratação das obras do VLT, aos motivos pelos quais elas foram paralisadas e à condição da CAF Brasil para contratar com a Administração Pública. Diante disso, os seguintes esclarecimentos são necessários.

A CAF Brasil jamais se envolveu na escolha do modal. A opção pelo VLT foi uma decisão feita de maneira exclusiva pela Administração Pública. A CAF Brasil participou e ganhou, em conjunto com empresas com a qual formou consórcio, o processo de licitação realizado pelo Estado de Mato Grosso após apresentar a proposta mais vantajosa, sendo que esse resultado foi confirmado pelo Tribunal de Justiça de Mato Grosso.

A CAF Brasil cumpriu rigorosamente o contrato assinado com o Estado de Mato Grosso. Os trens foram fornecidos no prazo contratado, a despeito de haver pagamentos pendentes por parte do Estado – matéria que é objeto de ações judiciais específicas. Os trens do VLT não foram colocados em circulação em razão da interrupção das obras civis, sendo certo que as causas para tal interrupção são objeto de processos em curso perante a Justiça Federal de Mato Grosso. Também não houve paralisação das obras por conta de supostos atos de corrupção, como lamentavelmente sugerem porta-vozes da atual gestão do governo de Mato Grosso, diga-se, irresponsavelmente.

A tentativa de rescisão do contrato perpetrada pelo Estado de Mato Grosso não é definitiva. Esse ato administrativo está sendo questionado perante o Tribunal de Justiça de Mato Grosso, em razão das inúmeras ilegalidades ocorridas durante o respectivo procedimento administrativo.

A despeito de todo o período de paralisação das obras, a CAF Brasil tem arcado com os custos de manutenção dos trens entregues ao Estado de Mato Grosso para preservar o patrimônio público. 

A CAF Brasil refuta com veemência afirmações de que teria contra si uma declaração de inidoneidade. Trata-se de informação falsa que visa iludir a população e a opinião pública quanto à suposta impossibilidade de retomada e conclusão das obras do VLT. Não há contra a CAF Brasil qualquer decisão que a tenha considerado inapta para contratar com entes públicos, inclusive com o Estado de Mato Grosso. 

Além disso, também cabe ressaltar que é falsa a afirmação de que, além dos VLTs, os demais sistemas utilizem "tecnologia CAF". Sistemas como a catenária, energia, sistemas auxiliares, telecomunicações, bilhetagem e trilhos, entre outros, não foram fornecidos pela CAF Brasil, logo, não são de “tecnologia CAF”, como afirmado pelo governo em entrevistas.

A CAF Brasil espera que estes esclarecimentos estimulem uma discussão honesta e séria sobre o destino das obras parcialmente executadas e permanece à disposição para colocar em funcionamento os trens adquiridos pelo Estado de Mato Grosso tão logo as obras civis sejam retomadas. Somente isso permitirá que o povo mato-grossense usufrua a melhor solução de mobilidade para a região.

CAF BRASIL INDÚSTRIA E COMÉRCIO S/A

Outro lado

O Governo de Mato Grosso, por meio da Procuradoria-Geral do Estado, esclarece que o mandado de segurança ajuizado pelo Consórcio VLT (o qual questiona a rescisão do contrato) já transitou em julgado após ser negado pelo Tribunal de Justiça de Mato Grosso e pelo Superior Tribunal de Justiça. Essas informações são públicas e podem ser confirmadas junto às duas instituições.

Postar um novo comentário

Comentários (8)

  • Ze Burguês | Segunda-Feira, 25 de Janeiro de 2021, 14h12
    3
    1

    Edegar, eleitor de Bolsonaro corrupto têm que andar espremido mesmo em busu ou puxando carroça.

  • Alex r | Segunda-Feira, 25 de Janeiro de 2021, 11h16
    1
    0

    Pra mim independe... VLT ou BRT... Só quero concluído.... Mas sem o STJ nem comece nada!!!! PQ certeza que serão duas obras de prejuízo a Cuiabá!!!! #decidamnoSTJ !!!!

  • Salas | Segunda-Feira, 25 de Janeiro de 2021, 11h04
    5
    4

    NÃO VEJO NENHUMA NOVIDADE NAS DECLARAÇÕES DO MAURO MENDES, AFINAL, ELE FAZ UM GOVERNO DE MENTIRAS, LOGO, TUDO QUE ELE DIZ TEM QUE TER MUITO CUIDADO POR PARTE DO ELEITOR, SE ACREDITAR DE IMEDIATO, VAI QUEBRAR A CARA, A GOVERNADOR MENTIROSO.

  • Carlos | Segunda-Feira, 25 de Janeiro de 2021, 10h53
    8
    4

    Quando foi construída a nova rodoviária muitos negativistas reprovaram, quando se construiu a Arena Pantanal foi a mesma coisa! Hoje temos um time na Série A do brasileirão pra fechar a boca de todos esses! Merecemos sim o VLT!

  • Teka Almeida | Segunda-Feira, 25 de Janeiro de 2021, 10h50
    10
    1

    Grande novidade o Mauro MENTE governo FAKE NEWS espalhar MENTIRAS. Desde a campanha foi o que mais fez e a população/eleitores caiu na conversa dele. Uma FAKE NEWS a mais ou a menos só confirma a ESPECIALIDADE dele. Mas tá perto a DEMISSÃO 2022 chegando.

  • Jedae | Segunda-Feira, 25 de Janeiro de 2021, 10h30
    10
    1

    O lobby dos empresários já estão trabalhando nos bastidores. Onde estão os órgãos de controles? Hummmmmm, sei. Estão preocupados com fones da moda e verbas de gratificações. O povo que se lasque!

  • EDEGAR CARLOS CHIODELLI CHIODELLI | Segunda-Feira, 25 de Janeiro de 2021, 09h55
    11
    0

    A POPULAÇÃO FICA ENLATADA EM ÔNIBUS SUCATEADOS E SEM AR CONDICIONADO NA CIDADE DE 40 GRAUS.

  • Ze Burguês | Segunda-Feira, 25 de Janeiro de 2021, 09h20
    2
    16

    CAF é lobby das empreiteiras que queriam ganhar rios de dinheiro com VLT. Sou engenheiro e Cuiabá é pequena, pouca população, sem demanda para VLT. Nem BRT cabe nessa cidade.

Cuiabá paga fevereiro aos servidores

emanuel pinheiro 400   A Prefeitura de Cuiabá quitou nesta sexta (26), último dia útil do mês, a folha de fevereiro. Desde quando assumiu o Palácio Alencastro, em janeiro de 2017, o prefeito Emanuel Pinheiro (foto) tem conseguido pagar o funcionalismo dentro do mês trabalhado. Aliás, essa prioridade,...

3 deputados sob certa cordialidade

janaina riva 400 curtinha   Max Russi, Eduardo Botelho e Janaina Riva (foto), que mandam na Assembleia, demonstram entre eles um certo clima de cordialidade, mas chegaram a entrar em queda-de-braço até fechar um novo acordo político sobre a Mesa Diretora. Com a decisão do Supremo de veto a Botelho no comando do...

Expediente na AL só a partir do dia 8

max russi 400   Por causa do aumento da taxa de incidência de Covid-19 entre servidores e parlamentares, as atividades presenciais da Assembleia foram suspensas na quinta (25). O expediente só retoma em 8 de março. Neste período, estão sendo mantidas somente as atividades estritamente essenciais para o...

Estado paga os servidores nesta 6ª

mauro mendes 400 curtinha   Servidores do Estado recebem salário de fevereiro hoje, dentro do mês trabalho. É a sexta vez seguida que o governador Mauro Mendes consegue pagar a folha dos ativos, inativos e pensionistas antes da virada do mês, depois de promover reformas, redução da máquina e...

Sistema de saúde sob colapso em ROO

Em Rondonópolis, cidade-polo da região Sul, que abrange 17 municípios, não há mais leitos de UTI para socorrer pacientes em quadro grave de Covid-19. Todos os 30 do hospital Santa Casa estão ocupados, inclusive um leito de UTI reservado para atender outros casos, acabou destinado para paciente com o novo coronavírus. Há 10 leitos de UTI no Hospital Regional e todos também estão lotados. Várias pessoas em...

Deputado, Mesa da AL e incoerência

claudinei 400   Claudinei Lopes (foto), delegado de polícia que, na onda Bolsonaro, se elegeu deputado pelo PSL, em 2018, se mostra cada vez mais incoerente. É daqueles que gostam de levantar polêmicas e críticas, mas sem consistência. Ele se manifestou, por exemplo, contra a reeleição à Mesa...