Executivo

Sábado, 13 de Março de 2010, 07h:35 | Atualizado: 26/12/2010, 12h:25

PALÁCIO PAIAGUÁS

"Carta de Porto Velho" é aprovada por governadores

   Os governadores do Acre, Amapá, Amazonas, Maranhão, Mato Grosso, Pará, Rondônia, Roraima e Tocantins, aprovaram os 10 itens da Carta de Porto Velho nesta sexta (12), durante o VII Fórum de Governadores da Amazônia Legal. O documento foi resultado de discussões entre os secretários de Planejamento dos Estados da região Amazônica. Entre os assuntos que foram discutidos está o macrozoneamento, Plano Regional de Desenvolvimento da Amazônia (PRDA), inclusão do Programa de Estradas Vicinais da Amazônia no orçamento do PAC e aviação regional.

  No caso da aviação, houve uma maior preocupação em relação ao funcionamento dos voos comerciais em aeroportos de pequeno e médio porte. Os voos são fundamentais porque em algumas áreas da região Amazônica o acesso é precário e apenas aeronaves conseguem fazer o transporte da população. Hoje ainda é necessário que hajam adequações às normas da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac).

  Preocupados com isso os governadores aprovaram o item 7 da Carta de Porto Velho, em que se requer urgência no encaminhamento ao Congresso Nacional do Projeto de Lei em elaboração pelo Ministério da Defesa / secretaria da Aviação Civil, apresentado no Fórum de Macapá, em 16 de outubro de 2009. “As regras e as normas têm que ser diferenciadas para os aeroportos de grande porte e de médio e pequeno porte. Não podemos ter as mesmas regras”, defendeu Maggi, durante o encontro.

  Além de cobrar maior debate sobre os aeroportos de Cuiabá, Maggi aproveitou o evento para ressaltar que o Programa Terra Legal surgiu após discussões durante o Fórum e que foi fundamental para sanar problemas no Estado. “Antes não tínhamos como identificar e punir quem comete crimes ambientais sem saber quem são os donos da área”, lembra Blairo Maggi. Durante o encontro, os governadores definiram também uma agenda comum para os Estados da região Amazônica, levando em conta a diversidade de cada Estado. São tratadas temáticas relacionadas à economia, meio ambiente, saúde e infraestrutura. Participaram da reunião os governadores de Rondonia Ivo Cassol, de Mato Grosso Blairo Maggi do Amazonas Carlos Eduardo Braga e de Tocantins Carlos Henrique Gaguim. Já os Estados do Amapá, Acre e Pará enviaram os vices-governadores, Pedro Paulo Dias de Carvalho, Carlos Cesar Correia de Messias e Odair Correia, respectivamente. 

   Representando o governo federal participaram o secretário Especial dos Direitos Humanos da Presidência da República, Wellington Pantaleão, o diretor de Zoneamento Territorial, Roberto Vizentin, o secretário de Regularização Fundiária da Amazônia, Carlos Guedes, superintendente do Basa, Wilson Evaristo, representante do ministro da Saúde, Adson França e do diretor da Secretaria de Assuntos Estratégicos da Presidência da República, Alberto Lourenço.

   Eis, abaixo, a íntegra da Carta de Porto Velho:
   "CONSIDERANDO que Fórum de Governadores da Amazônia Legal tem sido um espaço de permanente fortalecimento do Pacto Federativo e da expressão legitima de diretrizes estratégicas de desenvolvimento;
   CONSIDERANDO o papel da Amazônia para o desenvolvimento nacional e para a agenda global de sustentabilidade, e aspirações de seu povo por melhores condições de vida;
   CONSIDERANDO que o desenvolvimento da Amazônia Legal necessita de um órgão integrador das políticas públicas para a Região e de coordenação das ações no território;
   Nós, Governadores dos Estados que compõem a Amazônia Legal – Acre, Amapá, Amazonas, Maranhão, Mato Grosso, Pará, Rondônia, Roraima e Tocantins – reunidos em Porto Velho, capital do Estado de Rondônia, cientes de nossas responsabilidades institucionais e comprometidos com o desenvolvimento sustentável de nossa região, declaramos:
   Terra Legal
   1. A histórica proposta de enfrentar o caos fundiário na Amazônia surgiu e ganhou força nas reuniões deste Fórum de Governadores. Afirmamos nosso apoio ao Programa Terra Legal, em especial por seu modelo de implementação descentralizado e em estreita cooperação com Estados e Municípios. Por outro lado externamos nossa preocupação com a imposição de condicionantes não previstas na Lei 11.952/2009, que ameaçam comprometer o foco e a eficácia da regularização fundiária no campo e nas cidades.
   Macrozoneamento
   2. O Macrozoneamento da Amazônia Legal, referência estratégica à implementação de políticas e programas que estão promovendo as grandes transformações da região, terá maior eficácia se integrar e coordenar os esforços da União e dos Estados em prol de uma agenda comum de desenvolvimento em bases sustentáveis. Portanto, todas as ações e os investimentos a serem realizados na região deverão ser orientados por este instrumento.
Plano Regional de Desenvolvimento da Amazônia-PRDA
   3. Governo Federal, Governos Estaduais e setor privado devem garantir os recursos para financiar o PRDA, através de fontes orçamentárias e de agências de crédito e fomento (BNDES, BID, BIRD, e outros), sob pena de frustrar o que estabelece a Lei Complementar nº 124/2007.
   Programa Minha Casa Minha Vida-PMCMV
   4. As notórias dificuldades logísticas da Amazônia implicam em custos mais elevados de obras e investimentos. De importância fundamental para inclusão social e aquecimento da economia regional, com geração de empregos e distribuição de renda, o PMCMV não pode ser implementado com base em planilhas de custos que não façam diferenciação por Unidade Federada. É crucial a imediata revisão dos custos da unidade habitacional, para melhor desempenho do Programa na Região Amazônica.
   Desenvolvimento Econômico Regional
   5. Apesar dos importantes avanços nos últimos anos, a economia da Amazônia ainda se concentra em produtos primários. E estratégico reunir esforços no âmbito federal e estadual para potencializar e ampliar os instrumentos e incentivos ao adensamento de cadeias produtivas industriais e à agregação de valor na região.
   Interlocução dos assuntos da Amazônia no Governo Federal 
   6. O diálogo entre o Governo Federal e os Estados, realizado no âmbito do Fórum dos Governadores da Amazônia Legal, tem gerado benefícios para toda a região. Entretanto, a dinâmica do processo envolvendo diversos atores requer a identificação clara de um agente interlocutor capaz de coordenar os diversos assuntos da agenda da Amazônia. Propõe-se a identificação de uma Instituição para a governança necessária.
   Assuntos pendentes dos Fóruns anteriores
   7. A dramática situação da Aviação na Amazônia, tratada nos Fóruns anteriores, continua sem solução. Indica-se em regime de urgência o encaminhamento ao Congresso Nacional do Projeto de Lei em elaboração pelo Ministério da Defesa / Secretaria da Aviação Civil, apresentado no Fórum de Macapá, em 16 de outubro de 2009.
   8. O compromisso de liberação de recursos arrecadados pela SUFRAMA em 2009, deve se traduzir em Convênios com os Estados, a serem firmados e liberados até no máximo 03 de julho de 2010;
   9. Reafirmar a necessidade de uma força tarefa para o equacionamento de soluções que envolvam a aprovação pelo Congresso Nacional, em regime de urgência, da PEC 315/2008, que trata da cobrança de ICMS na geração, transmissão e distribuição de energia, e do PLC 351/2002 FPE – Verde;
  10. Os investimentos estratégicos em infra-estrutura logística do PAC na Amazônia devem ser integrados à recuperação e racionalização da malha de vicinais. Reafirma-se a necessidade de inclusão do PREVIA – Programa de Estradas Vicinais da Amazônia, desenvolvido pela SAE e Ministério dos Transportes, no orçamento do PAC e na preparação do Orçamento 2011."

Postar um novo comentário

Comentários (1)

  • junior | Sábado, 13 de Março de 2010, 15h20
    0
    0

    Quero ver como vai ficar o governador que é candidato a senador. Em muitas cidades de MT o governador, o Wellinton Fagundes e o Barreto na eleição para prefeito p.p ignorou os companheiros que eram candidatos a prefeito do PR e subiram no palanque do DEM, como por exemplo na cidade de Guiratinga. E agora como voces vão fazer?, pois precisam de votos, mandei arrumar 10 litros de óleo de peroba.

Mauro e os "cabeças chatas" do CE

mauro mendes 400   O governador Mauro Mendes está disposto a conhecer a experiência da  educação pública  do Ceará, que há anos apresenta os melhores índices no Indeb e é orgulho dos irmãos Ciro e Cid Gomes, ex-prefeitos de Sobral e ex-governadores. Até pretende...

Seduc e microônibus para municípios

alan porto 400 curtinha   A secretaria estadual de Educação, sob Alan Porto (foto), tem buscado parcerias com prefeituras para construir quadras poliesportivas, laboratórios de informática e escolas, além de ampliar salas de aula, adquirir ares condicionados e microônibus escolares, de modo a atender...

Emanuel é quem mais realizou obras

emanuel pinheiro 400 curtinha   Um levantamento da empresa Percent Pesquisa & Consultoria, feita em Cuiabá entre os últimos dias 13 e 14, destaca que, na percepção de 49% dos cuiabanos, o prefeito reeleito Emanuel Pinheiro (foto) foi o que mais fez obras e serviços. Em segundo lugar, com 19,8%, é citado...

Emendas ajudam Unemat de ROO

thiago silva 400 curtinha   Em reunião com o reitor da Unemat, Rodrigo Zanin, e com o pró-reitor Alexandre Porto, o deputado estadual Thiago Silva (foto) tratou da emenda de R$ 1 milhão para manter o curso de direito e abertura do de jornalismo em Rondonópolis neste ano. E, juntos, definiram o modelo de...

Presidente da Ucmmat quer reeleição

edcley lopes ucmmat 400   Reeleito para o sexto mandato e com a maior votação em Vila Bela da Santíssima Trindade, o vereador Edcley Lopes Coelho (foto), que obteve 391 votos pelo Solidariedade, luta agora por outro desafio. Quer se reeleger presidente da Ucmmat, entidade que congrega as câmaras municipais com seus 1.404...

Elisângela conduz Secom da Câmara

elisangela tenorio 400 curtinha   A jornalista Elisângela Tenório (foto) está de volta ao comando da Comunicação Social da Câmara de Cuiabá. Ela ocupou o mesmo cargo na gestão Justino Malheiros, mas, na época, não teve à disposição estrutura para desevolver uma...

ENQUETE

facebook whatsapp twitter email

O Governo de MT optou pela implantação do BRT em Cuiabá-VG em detrimento do VLT. O que você acha disso?

Estou de acordo

Discordo

Tanto faz

Não se trata de pesquisa eleitoral, mas de um mero levantamento de opiniões de leitores do RDNews e do Blog do Romilson, com participação espontânea dos internautas. Resultado sem valor científico.